sábado, 2 de outubro de 2010

Basquete: Mais uma vitória em Vila Velha

Em um jogo bastante disputado, o Flamengo venceu o CETAF/Vila Velha, por apenas dois pontos de diferença, no segundo e último amistoso entre as duas equipes, na noite desse sábado (02.10), em Vila Velha (ES). Com uma cesta de Bábby, o Mengão fechou o jogo em 87 x 85.

Na primeira partida, na sexta-feira (01.10), o Flamengo teve menos dificuldades e venceu por 99 x 80. Os amistosos serviram como preparação para as competições que o time carioca disputará na temporada, como a Liga Sul-Americana e a o NBB.

Bábby e Marcelinho foram os cestinhas do Flamengo com 24 pontos, cada. Jefferson marcou 11 e Teichmann fez 8 pontos. Pelo Vila Velha o destaque foi o americano Maurice Reddick, com 27 pontos. O americano Kyle Lamonte foi poupado por conta de uma lesão e não jogou por decisão da comissão técnica.

A equipe volta ao Rio nesse domingo (03.10) e segue na disputa do Campeonato Estadual. O próximo desafio será na quarta-feira (06.10), contra o Cabo Frio, às 19h, em Cabo Frio. O Flamengo está invicto na competição.

Melhores momentos: Botafogo 1 x 1 Flamengo pela 27ª rodada do Brasileirão 2010

Ex-presidente do Fla culpa vice atual pela crise

O ex-presidente do Flamengo Márcio Braga enviou uma carta ao vice presidente do clube, Hélio Ferraz, na qual atribui ao dirigente a culpa pelos problemas que acarretaram na saída de Zico da direção executiva.

Braga acusa o cartola de agir nos bastidores manipulando as decisões da presidente Patrícia Amorim e o presidente do Conselho Fiscal Leonardo Ribeiro (o Capitão Leo). Para o ex-presidente, Ferraz trata o Flamengo como 'brinquedo' e a presidente Patrícia Amorim e o presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro (o Capitão Leo), como 'marionetes'.

Braga também intima o desafeto a 'arregaçar as mangas e pegar no batente' para resolver os problemas políticos que, segundo ele, seriam responsáveis pelos maus resultados em campo.

Por fim, sai em defesa de Zico e de Andrade, dois ídolos sacrificados pelos problemas administrativos do clube.

Veja a íntegra da carta de Márcio Braga:

Carta aberta a Hélio Paulo Ferraz, Vice-Presidente do Flamengo

O vice geral Hélio Ferraz usou a poesia de Manuel Bandeira e de Dante Alighieri para explicar o momento do Flamengo:

“- Eu quero ir para Passárgada. Lá sou amigo do rei, tenho a mulher que quero, na cama que escolherei.” Conversei com o Vinícius França e disse que não quero acabar no Inferno de Dante. Cobraremos resultados. O plano de voo é deles, mas meu destino eu já escolhi - disse o dirigente.

Caro Helio Paulo Ferraz,

Suas declarações sobre a grave crise que o Flamengo vive hoje são estarrecedoras e sua falta de compromisso com a causa rubro-negra é inaceitável!

Você é o maior responsável por tudo que está acontecendo no clube.

Todos os Presidentes de Poderes do Flamengo foram eleitos com o seu apoio ou em razão dele, em especial o Presidente do Conselho Fiscal e até mesmo a própria Patricia Amorim.

Seu apoio político e financeiro a ambos foram decisivos e agora não é hora de fugir pra Passárgada nem traçar um destino diferente.

Você deve assumir sua responsabilidade e colocar seu capital político a serviço do Flamengo, parando de agir nos bastidores, com subterfúgios e planos maquiavélicos, como se o Flamengo fosse algum brinquedo e o Capitão Leo e a Patricia Amorim apenas suas marionetes.

É hora de demostrar seu compromisso com o Flamengo, arregaçar as mangas e pegar no batente. Os tropeços em campo são reflexos diretos da administração do clube e você reúne condições para reverter este quadro.

Sem a estrutura adequada, o Zico não tinha condições para desenvolver um bom trabalho e isso é falha da gestão. A imagem de nosso maior ídolo não pode ser afetada por este tipo de problema administrativo. O Zico é um patrimônio do Flamengo e merece ser tratado com mais cuidado e respeito, o que vale também para o Andrade e nossos outros ídolos.

É hora da verdade, Helio. Você deve mudar de postura antes que seja tarde demais. Este é o conselho e o desejo de todos seus amigos.

Saudações rubro-negras,

Rio de Janeiro, 2 de outubro de 2010

Ronaldo Angelim fala que Flamengo foi melhor que Botafogo

Demitido oficiosamente, Silas espera conversa com Patrícia Amorim

“O Silas está acuado”. A frase foi dita por um jogador do Flamengo na véspera do jogo contra o Botafogo e sintetizou bem o espírito do treinador após o empate por 1 a 1 com o Botafogo. Esvaziado publicamente pela presidente Patrícia Amorim e “demitido” oficiosamente em conversa em um dos camarotes do Engenhão, o treinador manteve a cabeça erguida na entrevista coletiva.

Ele sabe que a saída de Zico, que o bancou após o empate com o Goiás, o fragilizou ainda mais. Porém, aguarda a conversa com Patrícia para saber o seu futuro.

- Sobre o futuro, vou me reunir com a Patrícia. Tenho contrato com o Flamengo e não sou de fugir do pau. No Avaí fui ao 20º lugar, tive mais de dez propostas para sair e não abandonei o barco. Mas também não sou nenhum tonto. O Flamengo tem muita sede de vitória, e treinador só tem estabilidade quando o time ganha. Vou ventar falar o menos possível dessa questão e deixar o amanhã para amanhã - declarou o treinador.

Silas também comentou sobre se sentir desprotegido no cargo.

- Eu acredito que o que dá estabilidade para o treinador é a vitória. Logicamente que, com a saída do Zico, não sei o que vai acontecer. Não sei se fiquei desprotegido e o quanto fiquei. Treinador precisa de respaldo. Não vou querer ficar em um lugar que as pessoas não me querem. Estou dormindo pouco, me consumindo para ajudar o clube. Mas 90% dessa situação não são culpa minha – defendeu-se.

O treinador dirigiu o Flamengo em dez jogos. Venceu um, empatou seis e perdeu três.



Para staff de Patrícia, troca de Silas por Luxemburgo está fechada

Clássico contra o Botafogo rolando, Silas à beira do campo orientando os jogadores e em um dos camarotes do Engenhão toda a cúpula da diretoria, exceto a presidente Patrícia Amorim, confabulava. O assunto? O acerto de Vanderlei Luxemburgo como novo técnico do Flamengo.

Hélio Ferraz, Carlos Peixoto e outras pessoas influentes no clube afirmaram que o treinador está acertado e virá com sua comissão técnica. A única pendência é o Rubro-Negro equacionar o pagamento das rescisões contratuais da atual comissão.

Luxemburgo comandou o Flamengo duas vezes, em 1991 e 1995, mas não obteve sucesso. Na última delas, saiu após se desentender com Romário. Apesar disso, sempre se declarou torcedor do Rubro-Negro. Se acertar, encontrará a equipe lutando para fugir o rebaixamento, com 30 pontos.

O último trabalho dele foi no Atlético-MG. No primeiro semestre, conquistou o título mineiro, mas foi demitido recentemente por causa dos maus resultados no Campeonato Brasileiro. Ele entregou o clube na penúltima posição.

Neste sábado, o técnico Silas dirigiu o Flamengo pela décima partida. Ele só conseguiu uma vitória e teve problemas de relacionamento com parte do elenco.




Os gols de Botafogo 1 x 1 Flamengo pela 27ª rodada do Brasileirão 2010

Silas: 'Se fizeram isso com o Zico, todos nós estamos sujeitos a qualquer coisa'

Antes do jogo contra o Botafogo, Silas se recusou a falar sobre seu futuro no comando do Flamengo. Após a partida, o treinador aceitou falar sobre sua situação na Gávea, garantiu quer quer continuar no clube, mas disse não saber se poderá ficar.

"Se fizeram isso com o Zico, que é o maior ídolo do clube, qualquer um de nós está sujeito a qualquer coisa. Ainda não sei se fico, vou conversar com a presidente", disse o técnico, que saiu em defesa de Patrícia Amorim. "De quinta para cá aconteceu um turbilhão. Então, imaginem como deve estar a cabeça dela", completou.

Apesar da indefinição, o comandante rubro-negro reafirmou seu desejo de dar continuidade ao trabalho. "Eu vim para o Flamengo para ser um vencedor, e não um derrotado. Eu tenho contrato e quero ficar. Mas estou preparado tanto para sair quanto para continuar", disse.

Sobre o jogo, Silas revelou que sua preocupação maior era fazer os jogadores se focarem no clássico. "Eles tinham de dar uma demonstração à torcida de que podemos sair desta situação complicada de cabeça levantada", declarou o Treinador.


Léo Moura aprova atuação do Flamengo





O capitão do Flamengo, Léo Moura, aprovou a atuação da equipe no empate com o Botafogo, neste domingo, no Engenhão, por 1 a 1. Para o lateral, autor do gol do Fla, o time mereceu a vitória.

"O grupo quer mudar a situação, vencer os jogos. Hoje nós jogamos melhor, mas, infelizmente, a vitória não veio. Agora é pensar no jogo de quinta-feira, que é muito importante", disse o jogador, se referindo à partida contra o Atlético-GO.

Sobre o clima instável do clube após a saída de Zico, Léo preferiu não comentar a tensão existente na Gávea. "Eu acho que o grupo tem de entrar em campo e fazer seu papel. Sabemos que as coisas do lado de fora tem de ser deixadas para as pessoas que estão ali para resolver. A gente só tem tem de pensar em jpgar bem e ajudar o Flamengo", completou.



Jean lamenta não ter sido herói do Fla: 'Tive a chance do gol'

Pivô da polêmica com o técnico Silas no meio desta semana, o zagueiro Jean poderia ter feito o gol da vitória do Flamengo no clássico com o Botafogo, neste sábado, no Engenhão. No último lance da partida, escorou para fora cruzamento de Petkovic. No fim, empate com sabor amargo para o Rubro-Negro.

- Foi um resultado ruim. Ainda mais agora, no final, tive a chance de fazer o gol da vitória, mas infelizmente não deu. A equipe do Botafogo se fecha muito bem. Foi uma pena não conseguir a vitoria. Vamos seguir nessa luta constante para conseguir pontos e sair dessa situação no campeonato - lamentou o camisa 26.

Com o empate por 1 a 1, o Fla segue flertando com a zona do rebaixamento. Na próxima rodada, o Mengão recebe o Atlético-GO, quinta-feira, no Raulino de Oliveira.


Confira os jogos que restam para o Mengão no Brasileirão

RodadaAdversárioLocal



28ªFlamengo x Atlético-GOVolta Redonda
29ªAvaí x FlamengoRessacada
30ªFlamengo x InternacionalEngenhão
31ªFlamengo x vascoEngenhão
32ªFlamengo x CorinthiansEngenhão
33ªCeará x FlamengoCastelão
34ªFlamengo x Atlético-PREngenhão
35ªAtlético-MG x FlamengoArena do Jacaré
36ªFlamengo x Guarani Engenhão
37ªFlamengo x CruzeiroEngenhão
38ªSantos x FlamengoVila Belmiro




Botafogo 1 x 1 Flamengo

Ficha técnica


Data: 02/10/2010

Hora: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dibert Moises (RJ) e Rodrigo Joia (RJ)

Renda: R$ 329.330,00

Público: 16.367 presentes, 13.182 pagantes

Cartões amarelos: Alessandro, Fabio Ferreira, Marcelo Cordeiro (BOT); Jean, Renato, Willians, Diogo (FLA)
Cartões vermelhos: Alessandro (29'/ 2ºT) (BOT); Renato (32'/2ºT) (FLA)

Gols: Lucio Flavio, 35'/1ºT (1-0); Leo Moura, 30'/ 2ºT (1-1)

Botafogo: Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Fábio Ferreira (Márcio Rozário); Alessandro, Somália, Túlio Souza (Caio), Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Loco Abreu e Edno. Técnico: Joel Santana.

Flamengo: Marcelo Lomba, David Braz, Jean e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Maldonado, Willians (Correa), Kleberson (Petkovic) e Renato; Diogo (Diego Maurício) e Deivid. Técnico: Silas.


Botafogo 1 x 1 Flamengo

30min do segundo tempo


Gol de Léo Moura!!!

Petkovic cobra o pênalti e Jefferson espalma. No rebote, lateral finaliza rasteiro, para o fundo da rede.

Torcedores presos por porte de drogas no Engenhão


Quatro torcedores foram detidos por porte de drogas dentro do Engenhão antes da partida entre Botafogo e Flamengo, neste sábado. Eles foram denunciados por outros torcedores enquanto fumavam maconha no banheiro do estádio e, em seguida, encaminhados para o Juizado Especial Criminal(Jecrim) do Engenhão.

De acordo com o delegado Celso Ribeiro, os quatro rapazes vão responder pelo artigo 28 da Lei Antidroga. Dois deles eram torcedores do Fla, e os outros dois, do Botafogo.



Copa Sub-23: Flamengo, com Léo Medeiros e Borja, perde para o Inter

Léo Medeiros, 29 anos, completamente escanteado no Flamengo, integrou o time rubro-negro derrotado por 1 a 0 pelo Inter na tarde deste sábado, no Beira-Rio, pela Copa Sub-23. O regulamento da competição permite a presença de três jogadores acima de 23 anos em cada equipe. O colombiano Cristian Borja também atuou como titular no time carioca.

O Inter alcançou a terceira vitória seguida na competição. É o único time com 100% de aproveitamento. O gol, nascido no segundo tempo, foi marcado pelo meia Ricardo Goulart, buscado pelo clube gaúcho no Santo André. Foi a primeira derrota do Flamengo no torneio. O meia William foi a melhor figura dos visitantes em campo. No Inter, Eduardo Sasha, que integra o elenco principal, saiu machucado.

O Inter atuou com Muriel, Kleber, Wagner Silva, Romário e Massari; Juliano, Elton (Nathan), Oscar (Wagner Libano), Eduardo Sasha (Lucas Roggia) e Ricardo Goulart; Guto.

O Flamengo teve Vinícius, Alex, China, Henrique e Vitor Saba; Luiz Antônio, Antônio, Léo Medeiros e William (Paeckart); Guilherme (Vander) e Cristian Borja.



Movimentação pequena nos arredores do Engenhão



O jogo entre o Mengão e a cachorrada promete ser de muitas emoções. Entretanto, nos arredores do Engenhão, o clima é de muita tranquilidade. A movimentação é pequena assim como a procura de ingressos. A tendência é que o público para o clássico seja muito reduzido.


Flamengo goleia o vasco e vai para a final do juvenil

O time juvenil do Mengão mostrou força na semifinal do Campeonato Estadual da categoria neste sábado (02.10). Atuando diante do vasco, dentro do galinheiro de São Januário, os meninos da Gávea impuseram seu ritmo de jogo e golearam o rival por 5 a 1, conquistando a vaga para a decisão da competição, diante do Botafogo. A primeira partida da semi entre Flamengo e vasco foi disputada no último final de semana, na Gávea, e terminou em 0 a 0.

Os gols do Flamengo na partida foram marcados por Adrian (2), Digão, Rafinha e Pedrinho. A final do Estadual será disputada em dois jogos. O primeiro deles acontecerá já no próximo final de semana, provavelmente no sábado (09.10), em Caio Martins. No sábado seguinte (16.10), a finalíssima deve ser disputada na Gávea.

Mirim goleador
E não foi só no juvenil que o Flamengo triunfou neste sábado. O time mirim rubro-negro arrasou o São Cristóvão por 5 a 0.



Fora Patrícia ruim Amorim!!!





Precisamos impedir que ela acabe com o Flamengo. Apesar de ser uma pessoa honesta e de boa índole, ela não sabe nada de gestão e para gerenciar o maior clube do mundo é preciso saber muito. Na última eleição para o Clube dos 13, apoiou Fábio Koff contra Kléber Leite, CBF e Rede Globo.



Agora a merda já está feita.






Xadrez rubro-negro: linha tênue entre pedras e vidraças na política do Fla

Entender o jogo de xadrez da política do Flamengo talvez seja mais difícil que o desafio da equipe na luta para se manter na primeira divisão. A constante ebulição do clube ajuda a explicar como pode o campeão brasileiro de uma temporada logo em seguida sofrer para se manter na elite. Tudo isso com direito a seu Rei caído com palavras do tipo “esse Flamengo morreu no meu coração”. Justamente Zico, que durante anos era citado como o único nome capaz de unir todas as eternamente conflitantes correntes rubro-negras.

O GLOBOESPORTE.COM mostra o quanto é complicado traçar a linha que separa oposição e situação na Gávea. Zico saiu do clube depois de ter sido atacado por Leonardo Ribeiro. Capitão Léo, como é conhecido, é um ex-integrante de torcida organizada que em 2007 se elegeu presidente do Conselho Fiscal. Foi reeleito em março deste ano, com maioria de votos no Conselho Deliberativo. Na tarde desta sexta-feira, Capitão Léo deu entrevista coletiva na Gávea próximo a Luís Carlos Peruano, outro oriundo de facções organizadas que tem voz ativa nos corredores do clube. Peruano, por sua vez, participou diretamente da campanha para eleger Patrícia Amorim em dezembro do ano passado. Peruano ama Léo, que não gosta de Zico, que - ao sentir-se abandonado - abandonou Patrícia, que ficou sem chão.

Patrícia, no entanto, ainda tem fortes aliados. Um deles é o vice geral Hélio Ferraz, presidente do clube em 2003 com apoio político do grupo de Márcio Braga. O mesmo Braga que, nesta sexta, criticou Patrícia Amorim e levantou suspeitas sobre Leonardo Ribeiro. Hélio também esteve junto de Kléber Leite quando o ex-presidente voltou a comandar o futebol do clube, em 2005. Kléber que foi opositor de Patrícia na eleição do Flamengo no ano passado, apoiando Plínio Serpa Pinto. Também foi adversário da atual presidente na eleição do Clube dos 13 - Patrícia é atualmente vice-presidente na gestão de Fábio Koff. Márcio Braga, Patrícia Amorim, Helio Ferraz, e Kléber Leite: linha tênue entre pedras e vidraças

Outro braço direito de Patrícia Amorim é o vice de finanças Michel Levy, que, segundo relatos de quem vive o dia-a-dia do clube, não se entendeu muito bem com Zico. Sempre que houve dificuldades em tentativas de contratação, o Galinho se justificava alegando problemas financeiros, contrariando Levy. Um dos desentendimentos ocorreu na tentativa de contratação de Gilberto Silva. Levy teria tomado a frente na tentativa de troca por Kleberson. Zico ficou sentido. Não só por que a negociação não se concretizou, como também pelo fato de não ter sido o condutor principal das conversas.

Em meio à crise envolvendo Zico, uma voz que raramente se ouve foi notada. José Carlos Dias, antecessor de Levy no comando das finanças rubro-negras, defendeu o Galinho dizendo que ele vinha sendo atacado “pelos mesmos que deixaram o Flamengo sem talão de cheques”. Dias era vice de finanças na gestão Delair Dumbrosck, lamenta a saída de Zico e critica a postura de Capitão Léo. Já seu filho, André Dumbrosck, enviou mensagens para lista de e-mails do clube ajudando o processo de ataque ao Galinho.

- O Flamengo é pior do que qualquer partido político – resume Delair.


Capitão Léo venceu queda de braço com Zico

Quando Zico já estava estabelecido como o maior ídolo do Flamengo, em 1986, Leonardo Ribeiro começou a entrar no mundo rubro-negro. Primeiro, firmou-se como um dos líderes da Torcida Jovem, uma das mais influentes do clube. Ganhou a alcunha de Capitão Léo. Vinte e quatro anos depois, já eleito presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro tornou-se o grande desafeto e um dos pivôs da demissão de Zico.

– Os métodos dele não são propriamente de um desembargador. Mas há de se reconhecer que tudo que conquistou dentro do clube foi de maneira democrática – afirmou um importante conselheiro rubro-negro, que não quis se identificar.

O forte temperamento é conhecido e serviu, também, para se estabelecer como figura marcante na torcida. Então contador, Leonardo Ribeiro projetou ascender na vida política da Gávea. Fez contatos, tornou-se conselheiro e conseguiu apoio para ser representante do clube na Federação de Futebol do Rio. Em seguida, inclusive, chegou a ser um dos oito vice-presidentes da Ferj durante mandato de Eduardo Viana, o Caixa D´água. Seu poder dentro do Flamengo aumentava.

Foi candidato à presidência e contou com o apoio de Romário, na época estrela do clube. Em 99, durante gestão do presidente Edmundo Santos Silva, Capitão Léo teve participação direta na saída do então superintendente de futebol, Gilmar Rinaldi. No ano seguinte, ajudou na aprovação das contas de Edmundo Santos Silva no Conselho Fiscal. Influente, teve participação decisiva na votação. E se vangloriou na ocasião:

- A Jovem Fla foi responsável por 32 dos 146 votos que o presidente teve a favor no Conselho. Se não fosse a gente, as contas do Flamengo não seriam aprovadas – disse Capitão Léo.

Menos de um ano depois, Edmundo Santos Silva sofreu impeachment por inúmeras irregularidades. Leonardo Ribeiro, no entanto, se fortaleceu. Na última gestão de Marcio Braga, foi eleito presidente do Conselho Fiscal do clube. Neste ano, venceu a reeleição. E levantou a bola com críticas severas e investigações a Zico. Na sexta-feira, o Galinho não resistiu e deu adeus. Vitória de Capitão.

Este é Capitão Léo:

Início

Leonardo Ribeiro ingressou no mundo rubro-negro em 1986, quando conseguiu se tornar um dos líderes da Torcida Jovem, um dos principais segmentos da torcida rubro-negra. Ganhou o apelido de Capitão Léo.

Política

Logo tornou-se conselheiro e ingressou na política interna do clube. Passou a ser representante rubro-negro na Ferj e, depois, vice-presidente da Federação. Foi também candidato à presidência do clube. Em 99, ajudou a aprovar as contas de Edmundo Santos Silva no Conselho Fiscal. Um ano depois, o presidente sofreu processo de impeachment. Durante a gestão de Marcio Braga, foi eleito presidente do Conselho Fiscal.

Luxemburgo pode pintar no Mengão

O caminho de volta ao Flamengo está ficando cada vez mais nítido para Vanderlei Luxemburgo. Após a saída de Zico da diretoria executiva do clube, a vaga de Silas no comando da equipe está ainda mais insegura. A queda do treinador pode ser sacramentada após o clássico contra o Botafogo, neste sábado, às 18h30m (de Brasília). Caso Luxemburgo seja realmente o substituto, os rubro-negros ganharão um técnico vitorioso, mas que não teve tempo de passar pela reciclagem que ele mesmo afirmou necessitar.

Luxemburgo chegaria ao Flamengo em um momento difícil. Além das turbulências fora de campo, o time carioca está na 15° colocação, apenas três pontos acima da zona de rebaixamento. O time não tem apresentado bom futebol e não vê uma vitória há quatro partidas. Dado este quadro, é possível dizer que Luxemburgo não mudaria muito de ares.

O treinador deixou o Atlético-MG há uma semana. Após nove meses no clube mineiro, viu seu projeto afundar e a equipe amargar 16 rodadas na zona de rebaixamento. Mesmo com o apoio do ‘amigo’ Alexandre Kalil, presidente do clube, a situação ficou insustentável com a goleada sofrida para o Fluminense por 5 a 1. Após a demissão, Vanderlei falou da necessidade de se reciclar.

- É o momento de fazer uma análise profunda e me reciclar mesmo. Ver o que houve, onde errei, porque isso não pode acontecer de novo. O clube (Atlético-MG) é estruturado, então não tinha razão para não irmos bem. Só não aceito que falem que o Luxemburgo está em decadência e acabou para o futebol. São 58 anos de idade e sei que posso resolver, disse durante a coletiva em que anunciou sua saída do clube mineiro.

Na passagem pelo Galo, Luxemburgo não reviveu seus tempos de glórias. Mesmo com um projeto envolvendo grandes contratações e promessas de títulos, os resultados não vieram. Apesar do título do Campeonato Mineiro, o time fracassou na Copa do Brasil e na série A.

Em 2010, o treinador fez sua pior campanha entre todos os 19 Brasileirões que disputou, inferior até ao ano de estreia do técnico – à frente do modesto Campo Grande. Durante todo este ano, Luxa comandou o alvinegro em 53 jogos, obtendo 22 vitórias, 12 empates e 19 derrotas.

Luxemburgo deixou a Atlético-MG no 18º lugar da série A, com a pior defesa do torneio - 45 gols sofridos. Em 24 jogos, conquistou 21 pontos, um aproveitamento de 29,1%. Caso assumisse o Flamengo hoje e repetisse, nas próximas 12 rodadas, o aproveitamento atleticano, o rubro-negro teria um destino indesejado: o rebaixamento. Se Luxemburgo mantivesse o rendimento, o Flamengo chegaria aos 39 pontos e garantiria a participação na segunda divisão em 2011.

Com menos de duas semanas de reciclagem, Luxemburgo pode voltar ao time carioca – clube que disse sonhar voltar a comandar (teve uma breve passagem em 1995). Basta saber se a torcida rubro-negra terá o comandante pentacampeão nacional ou o profissional que precisava rever os erros e teve pouco tempo para isso?

Títulos

Pelo Flamengo como jogador

Campeonato Carioca: 1972, 1974 e 1978
Torneio do Povo: 1972
Taça Guanabara: 1972,1973 e 1978


Com time de garotos, sub-23 enfrenta o Inter no Sul

Depois de uma vitória no tempo normal contra o Fluminense e um triunfo nos pênaltis sobre o Palmeiras, o time do Flamengo volta a jogar pela Copa Sub-23, neste sábado (02.09), no Beira Rio, em Porto Alegre. A equipe da Gávea enfrenta o Internacional, que goleou o Corinthians por 4 a 0 no último final de semana, e confia no potencial de seus jovens talentos para voltar do Rio Grande do Sul com mais um resultado positivo na bagagem.

Foto: Saba volta ao time sub-23 do Fla neste sábado.

Diferentemente do que aconteceu nas outras rodadas, o técnico Renato Trindade não contará com muitos jogadores mais experientes em seu elenco. Apenas Leo Medeiros deve ser mantido na equipe, que deve entrar em campo com Vinícius, Alex, Lucas (China), Henrique e Saba; Luiz Antônio (Pecka), Antônio, Leo Medeiros e Willian Amendoim (Vander); Guilherme e Cristian Borja.

"O entrosamento que nosso time está tendo é muito legal. Conversamos bastante, todos estão motivados, sejam os mais jovens ou os mais experientes, e acredito que isso só tem a ajudar. O clube ganha, nós ganhamos e sabemos disso, por isso vamos buscar fazer mais um bom jogo para tentar voltar com a vitória do Sul", disse Medeiros.

O zagueiro Henrique prevê uma partida bem complicada contra o talentoso time do Internacional, que também venceu os dois jogos que disputou até agora na competição, mas ambos no tempo normal. Ele lembra que o time da Gávea não conseguirá repetir a escalação da última rodada, mas demonstra confiança no trabalho feito durante a semana para conquistar um bom resultado.

"Se repetirmos o que fizemos nos treinamentos, faremos um bom jogo. Sabemos que o campeonato é difícil, nós também estamos em um momento complicado, com alguns jogadores sendo emprestados e o treinador não pode repetir o time. Mas todos nos conhecemos, vamos nos dedicar bastante uns pelos outros e queremos conquistar mais essa vitória", afirmou.

O Flamengo está no Grupo B da competição, em segundo lugar, com cinco pontos. O Atlético-MG lidera, com 6. Corinthians, Santos e Botafogo ainda não pontuaram. O Inter, por sua vez, também tem seis pontos e lidera a chave A, que ainda tem vasco e Avaí, com os mesmos seis pontos, o Palmeiras com quatro e o Fluminense, que ainda não pontuou.


Ao elenco, Zico desabafou: 'Sempre me senti enfraquecido pela presidente'

O preço da saída de Zico do Flamengo caiu no conta da oposição e do Conselho Fiscal. Mas, no entendimento do ex-diretor executivo de futebol, deveria ser repartida com a presidente Patrícia Amorim e seus aliados. Ao se despedir dos jogadores e da comissão técnica nesta nesta sexta-feira, no Ninho do Urubu, ele foi contundente.

- Em momento algum me senti protegido por ela. Sempre me senti enfraquecido pela presidente e pelos poderes do clube. Não consigo entender como a parte suja do Flamengo tem tanta força - afirmou, entre outras coisas.

A rejeição a Zico foi semeada em diversos setores das pessoas ligadas à situação. Primeiro, desagradou Hélio Paulo Ferraz ao demitir Carlos Peixoto em junho. O ex-diretor de futebol abasteceu o noticiário com informações para minar o trabalho de Zico. Em outra ponte ocorreu a "falta de sintonia" com Michel Levy.

Um dos primeiros problemas aconteceu quando Zico queria esmiuçar o orçamento para contratações, e o vice de finanças estava na África do Sul assistindo à Copa do Mundo. O episódio criou um desgaste que se acentuou com a intervenção de Levy em algumas contratações - a de Gilberto Silva, por exemplo.

Um dos financiadores da campanha de Patrícia, o empresário Léo Rabello também foi criticado publicamente pelo Galinho no episódio da renovação de contrato de Thiago Sales, que atualmente defende o rival Fluminense. A presidente soube de todos os problemas e, na opinião de Zico, não se posicionou adequadamente. Foi política demais. E o mesmo ocorreu quando os ataques partiram do Conselho Fiscal.

Na segunda-feira, a presidente sentou-se à mesa com Leonardo Ribeiro e fez um acordo político para comunicar o fim da parceria com o CFZ. Ela emitiu uma nota oficial comunicando a rescisão e em troca ganhou elogios do presidente do poder por defender os interesses do Flamengo. Zico assistiu a tudo, pôs tudo na balança e decidiu que estava fora do Flamengo.

Treinador em apuros

A saída do diretor deixou Silas em situação desconfortável na véspera do clássico contra o Botafogo. O treinador atendeu a uma ligação da Rádio Brasil e a cada pergunta, repetia o mantra:

- Só falo de Botafogo, Botafogo, Botafogo.

Mas no fim do dia, Patrícia Amorim confirmou, mesmo que indiretamente, que o técnico está em processo final de fritura e que a tendência é a troca de comando. Vanderlei Luxemburgo segue como a primeira opção, mas o nome de Antônio Lopes também foi citado pelos aliados da presidente.



Fifa destaca saída de Zico: "deixou o ninho do Fla após 4 meses"

A Fifa exaltou nesta sexta-feira a saída de Zico do cargo de diretor executivo do Flamengo. A entidade disse em seu site oficial que o ex-jogador deixou o "ninho" do time rubro-negro após quatro meses na Gávea.

O ex-camisa 10 do Fla e da Seleção Brasileira deixou o cargo na noite desta quinta, alegando divergências com alguns diretores do clube e ressaltando que o trabalho estava afetando diretamente sua família.

A Fifa destacou a importância de Zico na história flamenguista e destacou os motivos que fizeram o ex-dirigente deixar a diretoria de seu clube do coração. Além disso, a entidade lembrou que a equipe rubro-negra é a atual campeã nacional, mas faz uma campanha pífia na atual temporada.


Basquete: Flamengo vence amistoso em Vila Velha

O Flamengo venceu o CETAF, por 90 x 70, no primeiro amistoso entre as duas equipes, na noite dessa sexta-feira (01.10), em Vila Velha (ES). O ala-pivô Jefferson foi o cestinha do Flamengo com 18 pontos. Marcelinho fez 16, Lamonte, Teichmann e Bábby fizeram 10 pontos cada.

O primeiro tempo foi equilibrado e o Flamengo só conseguiu abrir vantagem no terceiro quarto, com Jefferson em noite inspirada. No quarto final, o time só precisou segurar a diferença. As duas equipes voltam a se enfrentar nesse sábado (02.10), às 19h, no ginásio Tartarugão. As partidas servem de preparação para o NBB e a Liga Sul-Americana, os próximos desafios do Flamengo na temporada.

O Mengão ainda disputa o Campeonato Estadual. A equipe está invicta na competição (venceu o Iguaçu, por 142 x 52, o Riachuelo, por 114 x 56, e o Macaé, por 99 x 80). O próximo desafio será contra o Cabo Frio, na próxima quarta-feira (06.10), na casa do adversário.



sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Caso Zico: todos erraram

Zico: como dirigente não foi nem sombra do gênio que era como jogador

Na noite de ontem, já ouvira alguns rumores a respeito da saída de Zico, mas confesso, não lhes dei crédito. Não conseguia acreditar que ele entregaria os pontos com apenas quatro meses de trabalho e num momento tão crítico para o clube. Não me parecia atitude digna do "Galo" que tantas vezes vi liderar o Flamengo em seus momentos de maior glória. Hoje, pela manhã, entretanto, veio a confirmação. E, com ela, uma grande decepção.

Antes de mais nada, é importante ressaltar: o jogador Zico jamais perderá a minha admiração. Na verdade, vou além: nunca deixarei de ter por ele autêntica veneração. Era um monstro. Um cracaço, dentro e fora do campo. Seu talento e, acima de tudo, seu profissionalismo exemplar guiaram várias gerações rubro-negras e levaram o Fla a conquistar os maiores títulos de sua história. Por isso, haja o que houver, merecerá ser sempre um ídolo da maior torcida do país.

O dirigente, entretanto, não conseguiu ser nem sequer uma sombra do que fora como atleta. Se as intenções eram as melhores possíveis (e não tenho dúvidas de que eram), as ações, em sua maioria, se revelaram desastrosas. Repetindo, monocordicamente, o discurso de que o importante era apostar na estrutura (construção do CT, revitalização das categorias de base etc), Zico esqueceu do presente e o time que montou para o pós-Copa no campeonato brasileiro revelou-se um desastre tão grande que ameaça seriamente o clube de viver o maior vexame de sua história - o rebaixamento à Segunda Divisão, provação da qual, até então, o Flamengo é o único carioca a escapar.

Esse é o seu maior pecado. Não creio em nenhuma das maledicências que espalharam a respeito de seus filhos, agindo como empresários, na Gávea. A honestidade e a ética de Zico, para mim, seguem inatacáveis. Ele pode ter se mostrado incompetente como gestor, mas daí a acusá-lo de usar o clube em benefício próprio vai uma distância colossal.

O acordo com o CFZ, de fato discutível, por igular deveres e haveres de duas instituições tão díspares em tamanhos e valores, foi firmado por Bruno Coimbra, seu filho, e pela presidenta Patrícia Amorim, antes de sua contratação como dirigente executivo. E, é importante ressaltar, já era ardentemente defendido, na gestão anterior, por Márcio Braga e Delair Dumbrosck.

Se Zico teve culpa na história foi por não perceber que tal contrato poderia sugerir um perigoso e desaconselhável conflito de interesses. Por causa dele, talvez nem devesse ter aceitado o convite do Flamengo. Ou então, no dia de sua posse, deveria ter anunciado oficialmente o seu cancelamento. Mas não o fez - até porque a decisão de rescindi-lo, o próprio Zico admite, só aconteceu quando da venda do clube para o grupo MFD, de investidores (embora Patrícia Amorim tenha emitido nota oficial garantindo o contrário, há poucos dias).

O resumo desta triste ópera rubro-negra é que todos no clube erraram feio e acabaram desperdiçando uma grande oportunidade de usar Zico como um instrumento eficiente para recuperar a imagem do clube e reerguê-lo financeiramente. Já escrevi, aqui mesmo neste blog e na minha coluna do GLOBO, que o maior ídolo da história do clube não poderia ter sido exposto e usado da forma que foi.

Zico era para ter se tornado uma bandeira, um símbolo, um embaixador do novo Flamengo. Poderia até ditar as maiores diretrizes do futebol profissional, mas não deveria jamais ter se desgastado no dia a dia das contratações, do relacionamento com o elenco, da discussão de prêmios e salários atrasados etc.

O Galo tinha tudo para ser o principal catalisador de novas receitas externas, que possibilitariam o saneamento financeiro do clube e viabilizariam grandes contratações - e não ficar mendigando recursos ao departamento financeiro, para trazer um bando de pernas-de-pau.

Faltou profissionalismo e competência à Patrícia Amorim, para perceber o erro a tempo de corrigi-lo, cercando Zico de profissionais de primeira linha, que pudessem lhe dar o respaldo necessário para ser a figura de proa que se esperava.

E faltou também a Zico a sensibilidade para entender que abandonar o barco em meio à tormenta não é atitude digna de um grande comandante.

-------------------------

Patrícia, Patrícia, se, de fato, o "Capitão Léo" virou fiel da balança para qualquer coisa na Gávea, todos aos botes...

------------------------

"Eu era mais feliz quando o "capitão Léo" que mandava no Flamengo era o Júnior."



Botafogo x Flamengo

Ficha técnica


Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 2/10/2010

Hora: 18h30 (de Brasília)


Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ) e Rodrigo Pereira Jóia (RJ)

Botafogo: Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Fábio Ferreira; Alessandro, Tulio Souza, Somália, Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Jobson e Loco Abreu

Técnico: Joel Santana

Flamengo: Marcelo Lomba, David Braz, Jean e Ronaldo Angelim; Leo Moura, Maldonado, Wiilians e Kleberson, Renato (como ala), Diogo e Deivid

Técnico: Silas

Patrícia defende Zico, e futebol segue 'órfão' até segunda-feira

Com agradecimentos e tentando transparecer tranquilidade, a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, se pronunciou no fim da tarde desta sexta-feira, em entrevista coletiva concedida na Gávea, a respeito da saída de Zico do comando do futebol do clube. O ex-diretor executivo anunciou seu desligamento do comando do futebol do clube através de seu site, na madrugada desta sexta. Na conversa, a mandatária - que estava acompanhada de toda sua diretoria - saiu em defesa do Galinho, mas evitou críticas diretas ao presidente do Conselho Fical, Leonardo Ribeiro - pivô da crise que acabou na saída do Galinho - e agradeceu pelo trabalho realizado nos últimos quatro meses. Ela falou sobre a ida de Zico ao Ninho do Urubu para se despedir dos jogadores.

- Conversei com jogadores e comissão técnica, pedi ao Zico que fique tranquilo quanto à gratidão que tenho pelo trabalho, pelos momentos proporcionados por ele como jogador e como dirigente. A dedicação dele foi comovente e é bastante difícil para mim essa separação. Realizei o sonho de trazer o Zico de volta. Mas disse para que ele não desistisse da ideia. Ele plantou uma semente.

À véspera do clássico contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, ela preferiu deixar o anúncio de quem assumirá o cargo deixado pelo ídolo rubro-negro para a próxima semana.

- Vamos discutir mais para frente. Prioridade é o jogo de amanhã. Nos reuniremos essa semana, acreditamos que nesta segunda-feira estaremos com os nomes todos.

Sobre a situação do técnico Silas, a presidente também preferiu deixar qualquer definição para depois da rodada.

- Vamos esperar o jogo.

Perguntada sobre a reação de Zico às acusações de irregularidade na parceria entre o Fla e o CFZ, que envolveria até seus filhos, Patrícia preferiu não criticar a postura do ídolo e reclamou da maneira como o assunto foi tratado.

- Cada um reage de uma forma. Eu reajo estando aqui, enfrentando de peito aberto. E gosto desse desafio. Não estou aqui para julgar a postura do Zico. Estou aqui para agradecer. Gostaria que ele tivesse ficado mais. Todas as condições foram dadas. Quanto a esse assunto, página virada. No fórum adequado as coisas foram esclarecidas. Seguimos em frente com o propósito de dar transparência às nossas ações. O fórum seria dentro do Flamengo, mas as coisas saíram para voltar depois. Estamos todos no mesmo prédio, se marcarmos uma reunião, em 10, 25 minutos está tudo resolvido. Mas as coisas saem primeiro em um meio de comunicação para depois serem resolvidas aqui dentro.

'Não tinha e nem tem irregularidade'

Patrícia reforçou que, apesar do clima de crise gerado pela saída de Zico, as denúncias foram investigadas e devidamente esclarecidas, sem que qualquer irregularidade fosse comprovada.

- Existiam dúvidas e foram esclarecidas. Com o diretor executivo de base, comigo, com o Helio Ferraz, com o presidente e vice do Conselho Fiscal. Se eles se sentrinam atendidos, é porque não tinha e nem tem irregularidade.

A presidente revelou detalhes sobre o pedido de demissão de Zico, que a informou de sua decisão atraves de uma mensagem de texto enviada pelo telefone celular.

- Eu estava em casa, assistindo ao debate dos presidenciáveis, e por volta de 00:28 recebi um "SMS" no telefone, do Zico dizendo que só tinha chegado em casa aquela hora, que o neto tinha nascido, que estava muito feliz, queria ter saído de lá e conversado pessoalmente, mas que ia publicar no site dele um pedido de demissão. Falava só sobre isso e agradecia pela confiança. Imediatamente, tentei contato telefônico com ele, não consegui, respondi com outra mensagem de texto, dizendo que respeitava, mas que seria importante que nós conversássemos. Não tive retorno. De manhã, às 9h11m, ele me telefonou, estava bastante emocionado. Disse que os problemas, o desgaste emocional com o Conselho Fiscal, tinha abalado a família dele e e que ele preferia se desligar.

De portas fechadas, Flamengo treina debaixo de chuva e evita a imprensa

Debaixo de chuva, o Flamengo fez nesta sexta-feira seu último treino antes do clássico contra o Botafogo. As atividades foram realizadas a portas fechadas, sem que a imprensa pudesse acompanhar as movimentações em campo. Mas isso não foi uma tática do técnico Silas para fazer mistério sobre a escalação. Com a saída de Zico, agora ex-diretor executivo de futebol, a diretoria rubro-negra achou por bem evitar o contato dos jogadores com a mídia.

Paulo Vitor, Renato Abreu e Diego Mauricio deixam o CT de carro

Por isso, os atletas e a comissão técnica também foram impedidos de dar entrevistas. Na saída do Ninho do Urubu, onde foram realizadas as atividades rubro-negras, os jogadores passaram rapidamente pelos jornalistas que aguardavam na porta.

O elenco seguiu diretamente para a concentração, em um hotel na Barra, onde ficará até horas antes do duelo deste sábado. O jogo tem início às 18h30m (horário de Brasília), no Engenhão.


STJ nega pedido de paralisação de processo contra Bruno

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou, nesta sexta-feira, o pedido apresentado pela defesa do ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes das Dores de Souza, que solicitava a suspensão da ação em andamento em Minas Gerais, por homicídio, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver da Ex-amante do atleta Eliza Samudio. A decisão é de caráter provisório (liminar) e foi proferida pelo desembargador convocado Celso Limongi.

A defesa de Bruno alegou que não compete à comarca de Contagem (MG) julgar o caso, porque o "pretenso assassinato" teria ocorrido na casa de Marcos Aparecido de Souza, o Bola, que fica localizada em Vespasiano (MG), cuja comarca deveria ser a responsável pelo julgamento.

Na decisão liminar, o desembargador disse que não aceitou os argumentos da defesa porque o lugar do crime não basta para resolver a dúvida que existe quanto à localidade exata de consumação do delito.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), há incerteza quanto ao local onde o crime teria acontecido porque o corpo não foi encontrado e a denúncia anônima que deu origem às investigações informava como local da morte o sítio de Bruno, localizado entre as cidades de Esmeraldas e Contagem.

O desembargador do STJ seguiu o entendimento do Tribunal de Justiça de Minas Gerais sobre a instrução do processo em Contagem, porque facilita o andamento, já que não há nenhuma testemunha vive em Vespasiano e os acusados estão presos em penitenciária na região.


Através do Twitter, Felipe Melo e Alex apoiam Zico após saída do Flamengo

O anúncio do desligamento de Zico com o Flamengo pegou de surpresa até quem estava do outro lado do continente. Nesta sexta-feira, o volante Felipe Melo, do Juventus e ex-Rubro-Negro, e o meia Alex, que trabalhou com o Galinho no Fenerbahçe, da Turquia, demonstraram apoio diretamente ao ex-diretor executivo através de seus perfis no Twitter.

– Zico, você é e sempre será nosso eterno ídolo. O Flamengo só é essa maravilhosa nação graças a você! – disse Felipe Melo, que também postou uma foto sua com uma bandeira do Flamengo.

– A saida do Zico do Fla é lamentavel. Estava numa expectativa enorme que o Galinho implantasse suas idéias no clube, .mas não foi dessa vez – afirmou Alex.

Felipe Melo
Felipe Melo não esconde de ninguém o amor pelo Flamengo


CBF altera data de quatro jogos da Série A do Campeonato Brasileiro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em comunicado em seu site oficial, mudou a data de quatro jogos do Campeonato Brasileiro. Dois pela 29ª rodada e dois pela 33ª rodada.


Confira as novas datas:

Internacional x Atlético-MG: de 9 de outubro, no Beira Rio, para o dia 10 de outubro, mantido o horário, às 18h30m – 29ª rodada.

Avaí x Flamengo: de 18h30m para 16h, mantida a data, dia 10 de outubro, no Estádio Ressacada. – 29ª rodada.

Internacional x Fluminense: de 4 de novembro, às 21h, para o dia 3 de novembro, às 19h30m, no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre – 33ª rodada.

Atlético-PR x Palmeiras: de 3 de novembro, às 19h30m, para o dia 4 de novembro, às 21h, na Arena da Baixada, em Curitiba – 33ª rodada.

Zico chora ao se despedir do grupo

Enquanto centenas de torcedores protestavam na porta da sede da Gávea, Zico chorava no Ninho do Urubu. O eterno ídolo e agora ex-dirigente do Flamengo esteve no CT do clube em Vargem Grande para se despedir dos jogadores. Depois de conversar bastante com o grupo, ficou emocionado e não conteve as lágrimas. Os jogadores ouviram calados.

- Conversei com a Patrícia e fui cumprimentar jogadores e funcionários do clube, que me apoiaram esse tempo todo. Meu neto acabou de nascer, a família é o mais importante. E ela foi atacada - disse Zico, que aposta em dias melhores para o clube. - Tenho certeza de que o time vai superar essa fase.

Zico passou quase todo o dia em casa e se irritou com o fato de que alguns jornalistas tentavam filmar o interior do seu apartamento. Saiu apenas para ir ao Ninho do Urubu, de onde foi para a Perinatal, na Barra da Tijuca. Chegou ao local por volta de 17h20m para ver o neto e estava com fisionomia abatida. Na recepção, posou para fotografias com famílias e foi muito cumprimentado.

Sobre o pedido de demissão, preferiu não comentar o assunto


- Ainda não sei quando vou falar sobre isso.


Ex-dirigentes, Marcos Braz e Kleber Leite pedem união no futebol do Fla

O momento delicado no futebol do Flamengo pode abrir um precedente para uma união necessária responsável por tirar o clube mais popular do país do abismo no qual se encontra.

Inclusive, dirigentes com representatividade no Mengão, pregaram a união de todos os poderes do clube em entrevista ao UOL Esporte, nesta sexta-feira.

O ex-vice de futebol Kleber Leite pediu apoio nas decisões da presidente Patrícia Amorim.

“É um momento de cortar vaidades e interesses políticos. Não adianta ficar falando muito. Quanto menos falarmos é melhor. Precisamos apoiar a presidente Patrícia Amorim e suas decisões. O Flamengo precisa se unir para sair deste momento delicadíssimo no qual se encontra. A situação é muito complicada”, disse Kleber.

Marcos Braz, vice de futebol campeão brasileiro tem a mesma ideia. “As coisas foram somando e culminaram nisso que estamos vendo. É um momento tenso e que precisamos ter serenidade para avaliar uma mudança. A presidente Patrícia Amorim precisa ter respaldo para tomar as decisões acertadas. Futebol é complicado, nem sempre dois mais dois são quatro”, afirmou.

Os dois ex-dirigentes afirmaram que nem sequer foram convidados para retornar ao clube e preferiram esperar os acontecimentos antes de falar diretamente sobre o assunto.



Delair Dumbrosck condena Leonardo Ribeiro: 'Tem interesse político'

O ex-presidente Delair Dumbrosck, desaprovou a exposição das informações sobre a sindicância que será movida pelo Conselho Fiscal do Flamengo para apurar as contratações de Val Baiano, Leandro Amaral e Cristian Borja. Para Delair, o presidente do Conselho, Leonardo Ribeiro, tornou público a investigação sobre o envolvimento dos filhos do Galinho, Júnior e Bruno, com claro interesse político.

Em vários momentos da entrevista, Delair condenou a atitude do Capitão Léo, como é chamado o presidente do Conselho Fiscal. Para o ex-mandatário, não é preciso falar sobre informações internas do clube aos "quatro ventos".

- Na minha opinião, o Leonardo Ribeiro está falando besteira. Ele não poderia estar falando isso publicamente. Eu soube que estava tendo uma pressão muito grande e armada para força a barra para o Zico sair. Ele (Leonardo Ribeiro) deve ter algum interesse político. Deve estar de olho em alguma coisa lá. Poderia se tratado sigilosamente. Acho que o Zico perdeu muito com isso. É um cara com família exemplar, sólida - revelou Delair Dumbrosck ao LANCENET!

Sobre a entrega do cargo de Zico após quatro meses na gerência executiva do Rubro-Negro, o ex-dirigente ficou indignado com o tratamento com o maior ídolo da História do Flamengo. Para ele, o momento conturbado politicamente atrapalhou a gestão do Galinho no clube.

- O Zico, na minha opinião, quando acertou com a Patrícia, ele veio em um momento em que o clube não estava bem politicamente. Veio para salvar a Patrícia, quando com um problema sério internamente. Em oito meses, o Flamengo teve quatro vice-presidentes de futebol e quatro técnicos. Virou uma bagunça - esbravejou.


Botafogo amarga jejum de uma década contra o Flamengo

Se no Campeonato Carioca o Botafogo conseguiu derrubar a hegemonia do Flamengo conquistando o título de 2010, no Campeonato Brasileiro os números são muito desfavoráveis. Há dez anos o Alvinegro não sabe o que é derrotar o seu rival por esta competição.

O último triunfo do Botafogo sobre o Flamengo no Brasileirão foi no dia 7 de outubro de 2000. Na ocasião, o Alvinegro fez 3 a 1, com gols de Donizete, Denis e Sandro. Petkovic descontou para os rubro-negros.

Desde então, Botafogo e Flamengo se enfrentaram em 15 vezes pelo Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro venceu em oito oportunidades e empatou em sete. No último duelo, pelo primeiro turno da edição de 2010, o time da Gávea fez 1 a 0, gol de Paulo Sérgio.

Os 15 jogos do jejum do Botafogo

2001 - Botafogo 2 x 2 Flamengo
2002 - Botafogo 0 x 2 Flamengo
2004 - Botafogo 0 x 0 Flamengo
2004 - Botafogo 0 x 0 Flamengo
2005 - Botafogo 0 x 2 Flamengo
2005 - Botafogo 1 x 3 Flamengo
2006 - Botafogo 0 x 1 Flamengo
2006 - Botafogo 0 x 2 Flamengo
2007 - Botafogo 2 x 2 Flamengo
2007 - Botafogo 1 x 1 Flamengo
2008 - Botafogo 0 x 0 Flamengo
2008 - Botafogo 0 x 0 Flamengo
2009 - Botafogo 2 x 2 Flamengo
2009 - Botafogo 0 x 1 Flamengo
2010 - Botafogo 1 x 1 Flamengo

Em meio à crise, Willians atinge marca de 50 jogos em Brasileiros

Em meio à crise que vem tomando conta da Gávea, um jogador terá algo a comemorar na véspera do clássico com o Botafogo. Quando entrar em campo, às 18h30, no Engenhão, o volante Willians irá completar a marca de 50 jogos em Campeonatos Brasileiros pelo Flamengo.

- Chegar à marca de 50 jogos pelo Brasileirão com o manto sagrado é motivo de muito orgulho, ainda mais em um clássico. Espero comemorar esse número importante em minha carreira com uma grande vitória - afirmou o camisa 8, que chegou ao Mengão no início de 2009.

Elogiado pela aplicação dentro de campo, o jogador é uma espécie de 'carregador de pianos'. Seu bom condicionamento físico pode ser mostrado através dos números: Willians ficou os 90 minutos em campo em 86 % dos jogos que realizou no Brasileirão até agora.

Mas a dedicação à marcação tem seu custo: nos 49 jogos, marcou apenas uma vez, contra o Coritiba, em setembro de 2009. O jogador, porém, tem na memória outro gol assinalado, este muito mais importante, contra o Glorioso, adversário desta rodada, na final do estadual do ano passado.

- Eu fiz um dos gols no empate por 2 a 2 pelo Campeonato Carioca de 2009. Quem sabe amanhã (sábado) eu não possa repetir a dose? - lembrou Willians.

Cercado por desavensas políticas e intrigas entre jogadores e técnico, o Flamengo enfrenta o Botafogo, neste sábado, no Engenhão. Na 15ª posição, com 29 pontos, o Rubro-Negro precisa da vitória ou pode até terminar a rodada na zona do rebaixamento.


Muricy Ramalho critica saída de Zico do Flamengo

A repentina saída de Zico do Flamengo, foi criticada pelo técnico do rival Fluminense, Muricy Ramalho. Para o treinador a forma como este tipo de assunto é tratado no futebol brasileiro é muito amadora.

- Isso é da cultura brasileira. É errado, mas é da cultura. O que pesa é a vitória ou a derrota. É isso que define se o cara é bom ou não. Isso é errado, mas, às vezes, o cara que ganha não é competente. Isso só quem está no mundo do futebol percebe. Por isso que alguns clubes não saem do lugar, em todos os sentidos. Isso é uma cultura errada no Brasil, é a emoção que define tudo. Continuamos pensando pequeno. Não concordo com essas coisas. Pensamos muito pequeno, de certa forma com amadorismo - criticou.

Recentemente algumas polêmicas no futebol brasileiro ganharam as páginas. Como as conturbadas saídas de Dorival Júnior, do Santos e agora a de Zico do Flamengo, além da demissão de Vanderlei Luxemburgo do Atlético-MG


Surpreso, Hélio Ferraz lamenta demissão de Zico

A demissão de Zico pegou todos de surpresa. Inclusive o vice presidente de futebol do Flamengo, Hélio Ferraz. Lamentando o desligamento de Galinho num momento conturbado, o dirigente explica que por tudo representa, os fatos ocorridos repercutiram mais do que o costumeiro.

- O Flamengo é um monstro de muitas cabeças. Um dirigente enfrenta isso cotidianamento. Pelo fato de ser o Zico, tudo ganhava uma divulgação maior da mídia e causou maior impacto na opinião pública - revelou Hélio Ferraz.

De acordo com Helinho, os acontecimentos fizeram com que Zico ficasse muito desgastado e reconhece que muitos segmentos do clube sentiram a sua falta.

- Não foi na melhor oportunidade. Vamos ter nos organizar. A gente via que ele estava muito desgastado. A presença de Zico motiva a presidente e a nós todos. É uma pena - vice presidente Hélio Ferraz.


Zico vai ao Ninho do Urubu se despedir dos jogadores

Zico esteve na tarde desta sexta-feira no Ninho do Urubu para se despedir dos jogadores do Flamengo e explicar os motivos que o fizeram deixar o cargo de diretor executivo de futebol do clube. O Galinho de Quintino ficou por cerca de 20 minutos no centro de treinamento e deixou o local apressadamente, sem falar com a imprensa.

No Ninho, Zico se encontrou com a presidente Patrícia Amorim. Ao deixar o local, acompanhada do supervisor Isaías Tinoco, a dirigente se mostrou bastante emocionada, mas diz que espera poder um dia ainda contar com o ídolo.

- Ele teve muita hombridade de vir aqui se despedir. Ele não é o Zico à toa. Ele é muito grande. O projeto de futuro fica um pouco abalado sem ele, mas espero que possa nos ajudar ainda - disse.

Patrícia preferiu não comentar muito sobre o caso porque ainda nesta tarde irá conceder uma entrevista coletiva na Gávea. Porém, a presidente garantiu que Silas estará no comando do time na partida deste sábado, contra o Botafogo.

Torcedores fazem protesto no Flamengo contra saída de Zico

Cerca de cem torcedores do Flamengo foram à Gávea nesta sexta-feira para protestar contra a saída de Zico do clube. De forma pacífica, os manifestantes cantam músicas de apoio ao ex-dirigente - gritando "fica, Galinho" - e citam o presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro, como o principal responsável pela demissão do ídolo. Ele foi o autor de denúncias contra o Galinho.

protesto flamengo gávea Zico faixa de apoioTorcedores em frente à Gávea exibem faixa de apoio a Zico

A diretoria do Flamengo pediu reforço policial para evitar maiores problemas entre os torcedores, que compareceram em número reduzido apesar da grande mobilização pela internet, em sites de relacionamento como Orkut e Twitter. Dois carros de polícia estão no local.

Para o torcedor Diego Berna, de 24 anos, Zico não podia ter saído do clube.

- Não vi o Zico jogar, mas sei o quanto ele foi importante para o Flamengo. O Zico é o Flamengo, e o Flamengo é o Zico. Estamos cansados de ficar esperando algo melhor e nada muda. É preciso ter organização e respeito com a torcida. Ela é quem manda no clube - disse o estudante, que há dois anos fez uma tatuagem com uma imagem do Galinho.

Diego Leme, de 19 anos, fez coro. Em sua avaliação, Leonardo Ribeiro vem prejudicando o clube.

- Esse cara está no Fla há muito tempo. Ele é da oposição e usou esse fato do CFZ para tirar o Zico. A oposição tem medo do Zico e da Patrícia. Nosso protesto é contra o lado sujo do Flamengo - ressaltou.


Filho de Zico diz que Leonardo Ribeiro age de forma premeditada

Os principais motivos para o pedido de demissão de Zico no Flamengo foram a denúncia de que os seus filhos estariam envolvidos em transferências de jogadores para o Fla e também a parceria do Rubro-Negro com o CFZ. Bruno Coimbra, que hoje preside o clube fundado por Zico, se manifestou nesta sexta-feira sobre o episódio.

Ele lamentou a forma como tudo aconteceu e respondeu ao presidente do conselho fiscal do Flamengo, Leonardo Ribeiro, o Capitão Léo, responsável pelas principais críticas ao trabalho de Zico.

- Esse fanfarrão desse Léo, quando fala, são coisas premeditadas, já dadas. Ele vai guiado a falar sobre isso - disse Bruno Coimbra, em entrevista à "Rádio Brasil".

Confira outros trechos:

Trabalho de Zico no Fla

"Lá de casa eu sou o mais flamenguista. O único que sempre quis que ele tivesse algo no Flamengo era eu. Mas da forma como foi, fiquei meio assustado pelo momento. No meio de uma competição, não ia pegar o trabalho no começo. Achei muito legal, mas fiquei meio com o pé atrás pela forma, pois conhecemos o Flamengo. O futebol não tem autonomia, não é separado. Sabemos como é a política. A única forma de dar certo era dar autonomia e respaldo. Há pessoas que pensam apenas nos seus interesses e não no Flamengo. Ele acabou dando murro em ponta de faca, porque, por mais que quisesse fazer, parava. Lá tudo é política. Eu achava que ele tinha condições de fazer um bom trabalho, mas da forma certa. Infelizmente não foi possível".

Falta de autonomia

"Ele tinha o poder de tomar algumas decisões, mas as coisas mais importantes sempre dependiam de outras. Fica difícil trabalhar assim. É diferente do exemplo que temos no CFZ. Você toma as decisões, define tudo e arca com as responsabilidades. Para você tomar conta do futebol precisa ter controle de muitas coisas. Mas isso não tem lá e nem vai ter. Com o Júnior também foi assim, tomaram decisões passando por cima dele. Isso não chegou a acontecer com meu pai, mas faltou respaldo e blindagem. Falaram absurdos. Há pessoas que ficam o dia inteiro no Flamengo, não fazem nada da vida, mas tem gente que banca. Quem perde com isso é o clube. Vemos isso na resposta da torcida, que diz que vai fazer manifestação. O maior prejudicado é o clube".

Relação com a torcida

"Meu pai tem uma relação boa com a torcida. A conversa no vestiário foi para dar apoio. As insinuações sobre caráter e honestidade pegaram. Uma coisa é questionar contratação, vindo do Borja. Mas é inadmissível duvidar do caráter dele. Em vez de criticar o lado profissional, estavam atacado o lado pessoal, os filhos, a honestidade. Eram coisas completamente absurdas e que o desmotivaram muito. A torcida sempre esteve ao lado dele".

Premeditação das ações do Capitão Léo

"Lógico. Esse fanfarrão desse Léo, quando fala, são coisas premeditadas, já dadas. Ele vai guiado a falar sobre isso. Quanta gente passou pelo Flamengo que, se fizessem essa fiscalização que ele está anunciando, não ia nunca mais poder passar na Gávea. Agora vai ser a hora que vão tirar o seu da reta, porque o meu pai vai até o fim e mostrar que não tem medo de nada. Tudo o que ele fez, incluindo os contratos, está aí para qualquer um ver.

"A instituição Flamengo está muito acima dessas pessoas. De cabeça quente falamos algumas coisas. Não é isso que vai abalar. É claro que, quando falar algo que envolva ele com o Flamengo, fica difícil ter qualquer vínculo com o trabalho, mas em termos de amor pelo Flamengo, está acima disso. O que um representa para o outro... A vida continua. Daqui a pouco estamos torcendo de novo. Ninguém vai deixar de torcer por isso. Vamos dar uma moderada, mas seremos Flamengo até morrer".

Lições com tudo que aconteceu

"O sentimento dele é de satisfação porque o neto nasceu ontem e trouxe alegria para a família. O pensamento dele está com isso. É o que mais importante para ele e para a gente no momento. Não temos que ficar falando sobre o que aconteceu. É bola para frente. Ele está com semblante mais aliviado porque não tem mais que atender telefone e falar sobre coisas que não têm cabimento. Ficamos felizes pelo apoio da torcida e dos profissionais do futebol. Tomara que, com isso, algumas pessoas aprendam lições".

Márcio Braga: Leonardo Ribeiro trabalha com Patrícia na Câmara

Com a saída de Zico do comando do futebol do Flamengo, Patrícia Amorim perdeu o grande trunfo de sua gestão. Sem o ídolo, a tendência é que aumentem as críticas à presidente.

Márcio Braga, que exerceu quatro mandatos no clube, é um dos que já se manifestam contra o atual comando. O ex-presidente diz que Patrícia errou no modelo do departamento de futebol do clube e acusa: segundo ele, Leonardo Ribeiro, o Capitão Léo, principal responsável pela saída de Zico, é aliado político da presidente mesmo fora do clube, em sua terceira vez como vereadora.

- Que eu saiba, o Capitão Léo é funcionário do gabinete dela na Câmara Municipal. Todo mundo sabe que ele inclusive é cabo eleitoral da Patrícia em eleições. E agora foi ele quem causou isso tudo - disse Braga, que, assim como Zico, também é desafeto do atual presidente do Conselho Fiscal do clube.

- Não existe esse tipo de conflito - negou Leonardo Ribeiro, em entrevista coletiva nesta sexta.

Capitão Léo já exercia a função de presidente do Conselho Fiscal em parte da última gestão de Márcio Braga. Naquele período, em uma reunião de prestação de contas, Capitão Léo levantou-se e chamou o então presidente de mentiroso. Márcio Braga diz que a atual crise foi criada já de olho na próxima eleição do clube.

- A gestão da Patrícia só termina em 2012 e ele já está em campanha. Transformou o Conselho Fiscal em trampolim eleitoral. Quem sabe ele não assume agora a vice-presidência de futebol? - indagou.

Márcio diz que Zico agiu certo ao deixar o clube.

- A saída dele é um desastre, mas não havia autonomia. A Patrícia desmontou toda a estrutura que havia no futebol e deixou tudo com ele. Era um peso muito grande.

Na gestão de Márcio Braga, no entanto, o ex-jogador Júnior deixou o cargo de dirigente remunerado do futebol reclamando justamente de falta de autonomia. O Capacete excerceu a função em 2004.

- Mas o problema naquela época era maior. O projeto era bem definido, mas estávamos em um estado de quase falência, entre outras coisas por conta do bloqueio das cotas da Petrobras. Não tínhamos nem como emitir cheques - defende-se.


Leonardo Ribeiro volta a criticar Zico por causa de contrato com MFD

Leonardo Ribeiro, apontado como pivô do pedido de demissão de Zico, segundo o próprio ex-jogador, deu uma entrevista coletiva na Gávea e não apresentou novidade alguma nas suas denúncias. Presidente do Conselho Fiscal, ele ironizou a saída do até então diretor executivo e voltou à carga ao dizer que o acordo entre CFZ e MFD era prejudicial ao Rubro-Negro, mas sem apresentar provas concretas. Como já vem dizendo há algum tempo, os jogadores que eram do CFZ começaram a chegar às categorias de base do Fla, ganhando espaço dos atletas que pertenceriam ao Rubro-Negro. Os direitos desses jogadores são repartidos, 50% para o fundo de investimentos e 50% para o Fla, o que causaria prejuízo ao clube no futuro.

- Presidente está de parabéns por extinguir esse contrato com o CFZ e vamos tentar reaver os nossos direitos sobre jogadores. O filho do Bebeto foi afastado para entrar um jogador chamado Rafinha, que veio do CFZ. (na verdade, Mateus - filho de Bebeto - segue no elenco, mas está na reserva). O Flamengo corria o risco dessa parceria turbinada avançar nas divisões de base e teríamos tudo terceirizado. Flamengo queria ajudar um clube co-irmão (CFZ) e não se unir à MFD. Histórico do CFZ... não formou ninguém nos últimos 20 anos. Então o Flamengo não precisava desse convênio.

A questão é que Zico era dono do CFZ e disse, após assumir o Flamengo, ter arrendado o clube à MFD. Nesta sexta, Vantuil Gonçalves, um dos sócios da empresa, disse que a MFD comprou o CFZ, incluindo todos seus jogadores. Segundo ele, o que foi arrendado foi o espaço físico que pertence ao ex-jogador rubro-negro. Vantuil negou que Zico tivesse feito isso por conta de uma dívida com a MDF, como acusara Leonardo Ribeiro.

Conhecido como Capitão Léo nos anos 80 e 90, quando foi chefe de uma das principais torcidas organizadas do Fla, ele disse não ter encontrado nada de errado nas contratações de Val Baiano e Borja - nos bastidores do clube, circulava que os filhos de Zico teriam recebido um percentual em cima das transações. Ele aproveitou para ironizar a forma como se deu a demissão de Zico.

- A saída dele não foi muito legal. O Flamengo vai jogar com o Botafogo e seria muito melhor responder os 18 ofícios do que sair no meio da noite. Temos que fazer um movimento para resgatar essa situação.

Leonardo Ribeiro também não se mostrou preocupado com a reação da torcida rubro-negra, que o elegeu como vilão pela saída do Galinho.

- Torcida eu tenho doutorado. Até recebo aqui. A torcida tem que saber o que está acontecendo e precisa proteger o patrimônio do Flamengo. Amanhã (sábado), vou ao jogo na torcida Jovem do Flamengo.

Enquanto isso, um integrante de outra organizada se manifestava com mais ironias ao ex-dirigente.

- Zico voltou para o museu. O Arthur foi covarde - disse, enquanto outros integrantes do Conselho Fiscal do Flamengo diziam "O laranja saiu".


Vice de futebol segue os passos de Zico e também entrega cargo no Fla

Vinícius França seguiu os passos de Zico e deixou a vice-presidência de futebol do clube, cargo que ocupou por aproximadamente três meses. Espécie de conselheiro do Galinho na Gávea, o dirigente não via mais motivos para continuar no clube na ausência do ídolo.

Com isso, o único dirigente que resta no departamento de futebol rubro-negro é Isaías Tinoco, que, nesta última passagem, está no cargo desde o início de 2005.

A presidente Patrícia Amorim dará entrevista coletiva no Ninho do Urubu na tarde desta sexta-feira. O treino está marcado para 15h.

Site do Fla ignora saída de Zico

Pouco mais de dez horas após Zico ter anunciado que deixava o cargo de diretor executivo do Flamengo, o site oficial rubro-negro ignora o assunto. A decisão do ex-jogador de se desligar do clube foi anunciada pouco depois de 1h da manhã desta sexta-feira, mas às 11h30 nada havia sido publicado. A presidente Patrícia Amorim marcou uma entrevista coletiva para 17h30m, na Gávea. Apenas o presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro, se pronunciou sobre o assunto, acusando Zico de ter 'abandonado o barco'. Autor de várias denúncias contra Zico, o ex-chefe de torcida é considerado, pelos rubro-negros na internet, o vilão e principal responsável pela saída do ex-jogador.

Quatro matérias foram publicadas neste dia 1º de outubro na página oficial do Fla. Em nenhuma delas a saída do Galinho foi citada. Na primeira, a nota convoca a torcida rubro-negra, dizendo que outubro será um mês decisivo, e que o time fará cinco dos seis jogos no Rio de Janeiro.

Em outra matéria, o volante Willians pede a vitória sobre o Botafogo, no clássico deste sábado no Engenhão, para o Fla 'sair dessa situação chata'. A terceira nota publicada nesta sexta informa que o serviço de SMS (mensagem por celular) do Flamengo bateu recorde, superando a marca de 156 mil assinantes, enquanto a última repete o mote da primeira, lembrando que serão cinco jogos em casa, este mês.


Leonardo Ribeiro: Zico 'abandonou o barco' na véspera do clássico

Presidente do conselho fiscal do Flamengo, Leonardo Ribeiro lamentou a decisão de Zico, que na madrugada desta sexta-feira pediu demissão do cargo de diretor executivo. Não pela saída em si, mas pelo efeito que ela poderá causar na equipe, especificamente no clássico deste sábado, contra o Botafogo. Em entrevista por telefone, ele afirmou que "um rubro-negro não pode abandonar o barco na véspera de um jogo como esse" e que não teme ser apontado como vilão pelo fim da era Zico como dirigente.

- A força dos documentos e da verdade reverte isso com o tempo.

Em carta aberta publicada em seu site, Zico explicou que não podia carregar a desconfiança do conselho fiscal, "um dos setores mais importantes do clube", e não aceitava acusações envolvendo sua família e o CFZ. Confira abaixo a entrevista com Leonardo Ribeiro, o Capitão Léo.

GLOBOESPORTE.COM: O que achou da saída de Zico?
Leonardo Ribeiro: Seria muito mais simples se ele tivesse recebido os ofícios que ficaram sem resposta e são mais de 15, entre eles da dispensa de diversos atletas. Ele saiu porque o nosso objetivo é trazer de volta os direitos de clube formador que foram transferidos para esse fundo (MFD). Determinei que seja feita uma comissão para saber os termos da rescisão do contrato do Flamengo com o CFZ. Depois do relatório podemos voltar à carga.

Esperava que ele tomasse essa decisão?
Lamento o corrido na véspera de um grande classico. Quem é rubro-negro não pode abandonar o barco na véspera de um jogo como esse.

Na internet, a torcida elegeu você como grande vilão...
Essa internet funciona como o Clarim Diário perseguindo o Homem Aranha. Mas a força dos documentos e da verdade reverte isso com o tempo. Havia perigo real, pelo procedimento adotado, de dispensa de 20 atletas, com contratação de jogadores do CFZ. E o clube sofreria um prejuízo de milhões. As divisões de base seriam terceirizadas. No momento eu respeito a opinião da torcida. Sei da idolatria, mas os procedimentos nao foram bons.

Teme alguma reação?
Não vou precisar me defender porque sou torcedor do Flamengo. Essa matéria eu conheço de cor e salteado. Inclusive, amanhã (sábado), irei assistir ao jogo na Torcida Jovem.

Qual a análise do torcedor Leonardo Ribeiro do dirigente Zico?
A decepção maior foi com a demissão na véspera do jogo. Mas no geral ele foi mal. Demitiu uma comissão técnica campeã (preparador físico Alexandre Sanz, preparador de goleiro Roberto Barbosa e o auxiliar Marcelo Salles), colocou no Bruno a culpa dos problemas do Flamengo e fez contratações no último dia, inflacionando os preços. A própria imprensa diz isso.

Qual é o futuro do Flamengo?
A instituição provou que é mais forte do que qualquer pessoa. Havia reclame para a mudança. O Flamengo ganha (do Botafogo) com dois gols de Val Baiano. É o melhor remédio contra a crise.


Flamengo 10 títulos nacionais

Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!