Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 28 de julho de 2012

RIO CIDADE LIMPA




Do sertanejo ao hip-hop: saiba o que o elenco do Mengão escuta na concentração


Mattheus escuta música durante viagem para SPVocê já deve ter visto nas imagens de noticiários que os jogadores de futebol sempre estão com fones de ouvido escutando música. E com o elenco rubro-negro não é diferente. Seja na concentração, no ônibus ou no avião, lá estão eles relaxados ao som de alguma melodia. E para matar a curiosidade do torcedor sobre o que os atletas curtem ouvir, o Site Oficial do Flamengo conversou com alguns jogadores a respeito do assunto.

Paulo Victor, que nasceu em Assis, interior de São Paulo, é fã declarado do gênero sertanejo. O goleiro diz que seus artistas preferidos são Anselmo e Rafael, Alan e Alison e João Bosco e Vinícius, dupla que fez sucesso com o hit "Chora, Me Liga".

"Eu gosto muito de sertanejo. Sou fã demais do João Bosco e Vinícius. A música ajuda a passar o tempo, relaxar e tirar um pouco a tensão do jogo", afirma o arqueiro rubro-negro.

Já o jovem Mattheus diz ter um gosto eclético, embora seja mais chegado num pagode. Mas ele destaca que sua preferência musical está no som do cantor Thiaguinho, ex-Exaltasamba.

"Eu escuto de tudo um pouco, desde música gospel até Thiaguinho, que gosto muito. Mas meu estilo é bem variado", conta o meia.

Fã do gênero gospel e companheiro de quarto de Mattheus, Adryan confessa que também gosta de escutar músicas antes dos jogos para ficar relaxado e mais calmo antes de entrar em campo. O camisa 37 conta que seus artistas preferidos são Marquinhos Gomes e Bruna Karla.

O lateral-esquerdo Magal curte um som com mais atitude. É normal vê-lo chegar ao CT com o som do carro em alto volume, arrebentando nas batidas do grupo Racionais MC’s, por exemplo. Durante as viagens e concentrações, o atleta não desgruda de seu tablet, que é repleto de músicas. O jogador é apaixonado por hip-hop e rap e diz que na sua playlist não pode faltar Soulja Boy, 50 Cent, Ja Rule, Racionais e RZO. 

Luiz Antonio é outro que gosta de hip-hop, porém, num estilo mais romântico. O telefone celular do camisa 8 é cheio de músicas. Ele diz que não há nada melhor que uma boa melodia para relaxar a tensão pré-jogo. 
"Gosto de pagode, hip-hop e um funkzinho de vez em quando. Mas meu forte mesmo é hip-hop, ouço muito Eminen, 50 Cent, Chris Brown e Ne-Yo. A música distrai a mente até a hora do jogo", conta o volante.

Flamengo desembarca em São Paulo


Os jogadores do Flamengo e a comissão técnica chegaram ao aeroporto de Congonhas, no início da tarde deste sábado (28.07). E o pensamento da equipe é um só: vencer o São Paulo, amanhã, no Morumbi, para acabar com o incômodo jejum de vitórias - nas três últimas partidas do Brasileirão, derrotas para Corinthians e Cruzeiro e empate sem gols com a Portuguesa.

No embarque, no Rio de janeiro, os jogadores tiraram muitas fotos e distribuíram autógrafos. O atacante Vágner Love foi um dos mais assediados pelos fãs.

O Flamengo joga contra a equipe do São Paulo, neste domingo (29.07), às 16h, no Morumbi. O Mais Querido do Brasil ocupa a 10ª posição do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos somados.


Quissamã e Audax sobem para a Série A do Carioca


O Campeonato Carioca 2013 terá dois 'novatos'. Na tarde deste sábado, Quissamã e e Audax-RJ confirmaram o acesso para disputar a elite do Rio. O time do Norte Fluminense venceu o Barra Mansa por 2 a 0 e ficou com o título. Já o Audax goleou o São João da Barra por 4 a 1 e também subiu.

O acesso premiou os times mais regulares da competição. Os dois se mantiveram o tempo todo no topo da tabela e conseguiram subir na última rodada. O campeão Quissamã terminou com 46 pontos. Já o time de São João de Meriti anotou 44 pontos.

Autor de um dos gols da vitória do campeão da Segundona, o meia Bruno Reis exaltou o título e a campanha da equipe na competição.

- Meu gol saiu em uma hora incrível, não poderia ter sido melhor. Já marquei muitos gols em outros campeonatos e até fui artilheiro da equipe, mas desta vez ajudei muito o time e o gol não saia nesta fase final. E saiu justo hoje, para coroar essa campanha espetacular - disse.

Quem também fez uma bela campanha mas acabou batendo na trave foi o Goytacaz. Mesmo vencendo a partida contra o Tigres do Brasil de virada, por 3 a 2, a equipe ficou em terceiro lugar, com 43 pontos.

Em meio a drama familiar, Camacho ganha chance com novo técnico


A chance de ser titular contra o São Paulo é um alento para Camacho. Fora de campo, o meia do Flamengo vive um drama familiar. Na madrugada do dia 7 de julho, o irmão dele, Leonardo de Aguiar Camacho, de 27 anos, foi baleado na altura da cintura no centro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O autor do disparo foi o policial militar Eduardo Thales Lopes Pires. Leonardo foi atingido na coluna, passou por uma neurocirurgia para fixação da lesão e retirada do projétil e corre risco de ficar paraplégico. Na época, o jogador havia sido relacionado para o Fla-Flu do centenário, que seria realizado no dia seguinte, mas foi liberado para ficar ao lado do irmão.

Camacho, Dorival e Renato, treino do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem) 
Camacho ganha chance com Dorival Júnior (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)

Camacho, que tem 22 anos, fez apenas dez jogos pelo Flamengo na temporada. Foi titular em três oportunidades. A última delas em março, na vitória por 2 a 1 sobre o Duque de Caxias. Além da opção do técnico Joel Santana, as lesões impediram que ele tivesse uma sequência. Também em março, o jogador torceu o tornozelo direito e demorou a se recuperar. Depois, em maio, sofreu uma fratura na mão esquerda durante um treino e ficou fora do início do Brasileirão. A primeira e única partida disputada por ele no campeonato até aqui foi contra o Cruzeiro, na derrota por 1 a 0, domingo passado. O jogador entrou na parte final do segundo tempo.

Cria da base rubro-negra, o meia é uma promessa que ainda não conseguiu se consolidar. Foi promovido ao time profissional em 2009 e participou de dez partidas. No ano seguinte, as chances diminuíram. Camacho jogou apenas oito vezes e acabou emprestado ao Goiás em setembro. O Esmeraldino foi rebaixado para a Séria B e vice campeão da Copa Sul-Americana. Em 2011, foi emprestado ao Bahia e teve desempenho regular. Na volta ao Flamengo nesta temporada, reencontrou Joel Santana, com quem trabalhou em Salvador. O treinador chegou a elogiar o armador, mas quase não o escalou.

Após dois treinos, o técnico Dorival Júnior gostou do que viu do jogador e decidiu dar a ele uma chance como titular. Mattheus deixa o time. A escalação para a partida contra o São Paulo terá Paulo Victor, Léo Moura, Welinton, González e Ramon; Airton, Luiz Antonio, Ibson e Camacho; Adryan e Vagner Love.

O Flamengo é décimo colocado e tem 16 pontos. As equipes se enfrentam às 16h (de Brasília), no Morumbi.

Sem rachão: Dorival faz coletivo e escala Camacho entre os titulares


Dorival Júnior não tem tempo a perder. E tem mostrado isso nos primeiros dias de Flamengo. Na manhã deste sábado, o treinador comandou o primeiro treino com todo o grupo à disposição. Foi a única atividade tática antes da partida contra o São Paulo, neste domingo, pela 13ª rodada do Brasileirão. A véspera de jogo foi diferente para os jogadores. O tradicional rachão foi abolido. Dorival, que não tem o hábito de liberar recreativos, aproveitou para testar a equipe e chegar a uma escalação. Apesar de ter comandado o time no empate sem gols com a Portuguesa, na quinta-feira, a formação havia sido escolhida e treinada pelo auxiliar Jaime de Almeida.

A base daquela equipe foi mantida. A única mudança ocorreu no meio-campo. Sai Mattheus, e entra Camacho. Pouco aproveitado pelo antecessor Joel Santana, o meia começará pela primeira vez como titular neste Brasileiro. E sua única participação foi na derrota para o Cruzeiro, no domingo passado, substituindo Renato no segundo tempo. Na temporada, Camacho disputou dez jogos, sendo titular três vezes, a última em 4 de março, na vitória por 2 a 1 sobre o Duque de Caxias, pelo Carioca. Contra o Bonsucesso, na estreia no estadual, Camacho marcou um gol na vitória por 4 a 0 sobre o Bonsucesso.

- O menino (Camacho) vem se destacando nos trabalhos realizados. Ontem (sexta-feira) foi o único treinamento e chamou a atenção. Tirei algumas informações em relação a isso. Preciso modificar o padrão desse meio. Estamos com Mattheus, Ibson, jogadores que estão, cada um com suas particularidades, atuando numa mesma faixa de campo, o que nos faz muito previsíveis. O Camacho nos mostrou qualidade, ficamos com o Mattheus como possibilidade de uma entrada novamente. É um garoto que está sendo preparado, tem muitas qualidades, mas taticamente preciso pensar numa formação diferente - disse Dorival Júnior após o treino.

Até o momento, a temporada de Camacho também foi marcada por lesões e longos períodos no departamento médico. Em março, torceu o tornozelo direito. Em maio, sofreu uma fratura na mão esquerda durante um treino.

Conversa com o elenco

Na manhã deste sábado, a imprensa teve acesso ao Ninho do Urubu 1h15m depois do início do treinamento. O time estava escalado com Paulo Victor, Léo Moura, Welinton, González e Ramon; Airton, Luiz Antonio, Ibson e Camacho; Adryan e Love.

Dorival Junior conversa com o elenco no treino do Flamengo (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com) 
Dorival conversa com o elenco após o treino: nada de rachão (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)

Depois do coletivo, Dorival reuniu os jogadores e a comissão técnica para uma conversa no centro do campo principal do CT. Foram cerca de dez minutos de papo. Só ele falou. O técnico gesticulou muito e foi observado atentamente pelo grupo.

- Cobrei que tenhamos uma postura dentro do que foi planejado, é uma posição que não condiz com aquilo que nós todos gostaríamos de estar vivenciando. Temos obrigação de assumir um pouco mais de responsabilidade para botar um pouco mais de pressão nas equipes que estejam na nossa frente. A resposta foi muito positiva, é um grupo compenetrado, interessado, e isso é um passo importante para a busca de uma recuperação.

O Flamengo está em décimo na tabela, com 16 pontos. A partida contra o São Paulo será às 16h (de Brasília), no Morumbi. A delegação embarca na tarde deste sábado para a capital paulista.


À espera de reforços, Dorival elogia Mattheus: ‘Quilate maravilhoso’


Mattheus no treino do Flamengo  (Foto: Rafael Cavalieri / Globoesporte.com) A busca do Flamengo por um camisa 10 continua. Agora, restrita ao mercado nacional. Recém-chegado, o técnico Dorival Júnior já conversou com o diretor de futebol Zinho sobre reforços, que poderão ser garimpados até nas Séries B e C. Enquanto isso, o novo treinador busca alternativas. Para o jogo contra o São Paulo, Camacho vai ganhar uma chance. Dorival gostou do que viu do meia nos dois treinos que comandou até aqui. Mattheus, titular contra a Portuguesa por escolha do auxiliar Jaime de Almeida, voltará ao banco. Preterido, mas não esquecido. Pelo contrário. O treinador tem planos para o garoto de 18 anos e enxerga nele uma possível solução para a carência de criatividade no meio-campo rubro-negro.

- É difícil achar esse jogador, mas o Mattheus tem um quilate maravilhoso. Fatalmente vai encontrar uma sequência de jogos e pode vir a ser um jogador para exercer a função. Mas até que você tenha a possibilidade de reposição, não podemos jogar a responsabilidade nas costas desses garotos. Estão num momento de adaptação. O pouco que nós vimos da equipe do Flamengo nos faz acreditar que teremos coisas boas num futuro bem próximo. É uma equipe determinada, que está passando por um momento de transição, vai oscilar um pouco, mas vamos trabalhar para diminuir esse período de adaptação - disse Dorival.

Para o jogo contra o São Paulo, neste domingo, a única mudança em relação ao jogo passado será a saída de Mattheus. Dorival quer ver menos espaços entre os setores da equipe e disse que o meia e Ibson, apesar das características diferentes, ocupam a mesma faixa de campo.

- Identifiquei a falta de compactação da equipe. A nossa marcação está muito distante, nossa transição fica comprometida em razão de algumas características. Quando alguns jogadores começarem a jogar dentro de uma normalidade, teremos um acréscimo grande na equipe. Teremos que trabalhar muito nesse sentido para recuperar esse grupo. É questão de tempo, trabalho, e tem que partir muito mais deles.

Camacho, Dorival e Renato, treino do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem) Dorival optou por Camacho como titular neste domingo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)


O treinador não dá detalhes sobre as primeiras conversas com Zinho a respeito dos reforços e volta a dizer que espera receber novos jogadores.

- Já conversamos, estamos trabalhando intensamente. Alguma coisa vai acontecer, com certeza. A diretoria tem trabalhado com muito afinco. Estamos em busca de nomes, elementos. Não vou citar posições, pois fatalmente eu estaria compromentendo quem aqui já está. Tenho que valorizar esse grupo, tentar tirar o máximo deles. Caso venha a acontecer, será importante. Temos a obrigação de trabalhar, independentemente do que venha a acontecer. Confio sempre no trabalho. Na maioria dos clubes atingimos os objetivos. Eu vejo com bons olhos a equipe do Flamengo. Nós não temos a percepção de um tempo, se alguns meses, algumas rodadas, se vai demorar. Mas isso nos motiva. É um elenco que tem qualidades, condições. Teremos que estar atentos. Reforços que venham vão nos fortalecer.

O Flamengo é o décimo na tabela, com 16 pontos. A partida contra o São Paulo será às 16h (de Brasília), no Morumbi, válida pela 13ª rodada do Brasileirão.




Renato traça passo a passo modesto para o Fla: 'Primeiro é vencer'



Renato Abreu, Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)
Quinze pontos atrás do líder Atlético-MG e a oito do Grêmio, o último time do G-4. Estacionado no meio da tabela do Campeonato Brasileiro, o Flamengo tenta se mexer. O primeiro passo da diretoria foi a troca de técnico. Saiu Joel Santana, chegou Dorival Júnior. Contratado na quarta-feira, ele comandou a equipe do banco de reservas na quinta. No empate sem gols com a Portuguesa, diagnosticou muito mais defeitos do que virtudes. A avaliação do desempenho do time foi dura e negativa. Dorival, inclusive, deixou claro que quer reforços, ainda que sejam das Séries B e C.

Os jogadores do Flamengo têm dificuldades para definir o papel do clube na competição. O discurso do diretor de futebol Zinho é cauteloso, mas confiante. Ele acredita que a conquista da vaga na Libertadores 2013 é possível. Renato pensa de maneira parecida, mas vai ainda mais devagar.

- O papel do Flamengo no campeonato primeiro é vencer (o que não ocorre ha três rodadas). Depois, o segundo plano é poder chegar ao pelotão da Libertadores, e o terceiro brigar por título. Não adianta dar um passo maior que a perna. É trabalhar com calma, ter humildade de saber que é uma situação difícil. A gente precisa crescer. Tem que ser passo a passo. Não adianta passar do limite. É vencer o primeiro jogo, o segundo, e ganhar confiança para chegar ao pelotão da frente.

O caminho é longo, mas Renato não descarta um arrancada como a de 2009. Ele não estava no clube, mas viu o Flamengo superar os concorrentes na reta final e conquistar o título brasileiro.

- É distante, a distância é grande, mas o Flamengo já mostrou que é capaz. Vocês lembram em 2009 como foi. Tinha um time na frente, que era o Palmeiras, e o Flamengo foi chegando, chegando, e conquistou o título. A gente tem que fazer dessa forma. É diferente hoje, são outros jogadores, mas é uma coisa que temos de seguir como exemplo.

Dorival Júnior é o terceiro técnico do Flamengo no ano, o sexto da gestão de Patricia Amorim, iniciada em 2010. Renato reconhece que a troca constante atrapalha.

- O futebol brasileiro tem a cultura de que as coisas têm que acontecer rapidamente. Futebol às vezes é de médio a longo prazo. O Flamengo trocou três treinadores nessa temporada (Vanderlei Luxemburgo e Joel Santana foram os outros). Para os jogadores, fica complicado. Quando você começa a entender o sistema tático, ainda não está dando o resultado esperado, aí troca. A gente acaba não se adaptando.

Dorival terá pouco tempo para armar o time que enfrenta o São Paulo, neste domingo, no Morumbi. O último treino antes da viagem à capital paulista ocorre na manhã deste sábado, no Ninho do Urubu.
 


Dorival convoca: 'Peço paciência ao torcedor, que lute com a equipe'


Dorival Junior treino Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla imagem)
Dorival Júnior acertou sua contratação pelo Flamengo num dia, dirigiu a equipe na partida contra a Portuguesa no seguinte, e somente nesta sexta-feira pôde comandar um treinamento. O que ele viu em campo no empate sem gols com a Lusa não o agradou e está em sintonia com o torcedor. Mas nada de desânimo, Dorival chama os rubro-negros para participarem ativamente na recondução do Flamengo a dias melhores e não deixar 2012 com as mãos abanando. Até agora, nem turno de Campeonato Carioca a equipe conseguiu.

- Acho que temos de ser realistas com o torcedor, não colocarmos nada leviano, é uma equipe que tem qualidade, acredito que possamos melhorar. Mas não é o momento que realmente estejamos passando essa confiança ao torcedor. Nós temos de trabalhar muito para que voltemos a ter uma equipe confiável, competitiva, vibrante, determinada em busca de resultados. Demanda tempo, peço paciência ao torcedor, que lute com a equipe, que venha com a equipe - disse Dorival.

O treinador parece escolher as palavras quando se refere ao time, que ele já mencionou, precisa ser reforçado. Por outro lado fala diretamente com o torcedor, por intermédio da assessoria do clube:

- O torcedor flamenguista em momento nenhum deixou de abraçar a equipe. É um momento de transição, algumas alterações foram feitas, alterações essas que demandam mais tempo, paciência para que caminhemos e encontremos novamente aquela condição que todos nós esperamos e queremos. É um período difícil, moroso, mas que com certeza vai nos trazer coisas boas no futuro.

O próximo desafio do treinador é contra o São Paulo, no Morumbi, neste domingo, às 16h (de brasília), pela 13ª rodada do Brasileirão.


A vez de Dorival Júnior: dez desafios para o novo técnico do Flamengo

dorival junior Flamengo x Portuguesa (Foto: Marcelo Theobald/Globo)
Dorival Júnior assinou na última quarta-feira um contrato de um ano e meio com o Flamengo, mas sabe que terá de começar a apresentar os primeiros resultados em um curto espaço de tempo. Ele chega ao Rubro-Negro para iniciar um trabalho cujo foco principal é levar o time à Libertadores da América. A diretoria exigirá do substituto de Joel Santana não menos do que uma vaga na edição de 2013 do torneio, para abafar a queda na primeira fase em 2012. A reboque do desafio principal, o novo comandante tem metas paralelas, que envolvem um vestiário com necessidade de renovação, o crescimento de atletas saídos das categorias de base, a recuperação de alguns medalhões e definir um padrão de jogo.

Dorival assume o leme rubro-negro com o time em situação ruim no Brasileirão. A décima colocação, com 16 pontos, mostra a equipe a oito da zona de classificação para a Libertadores, que é fechada pelo Grêmio. Depois do empate sem gols com a Portuguesa em sua estreia, o próximo adversário será o São Paulo, domingo, no Morumbi. Até o fim do primeiro turno, o ex-técnico do Inter terá sete jogos, sendo quatro no Engenhão: Atlético-MG, Náutico, Vasco e Botafogo.

Mas terá pouco tempo para trabalhar. As sete partidas ocorrerão em intervalo de menos de um mês. Será jogar, descansar, treinar e jogar de novo. A largada será importante, porque fundamental é manter a esperança da Libertadores. Paralelamente, Dorival terá que pensar em nomes que possam suprir as carências do grupo. Desde a saída de Ronaldinho Gaúcho, por exemplo, o Flamengo ainda não tem um camisa 10. A diretoria fracassou durante a janela de transferências internacionais e o treinador admite que terá de olhar para o mercado brasileiro, incluindo as Séries B e C.

O treinador foi apresentado aos torcedores na quinta-feira, no Engenhão. Ele e os jogadores ouviram os rubro-negros chamarem o time de “sem vergonha”. A esperança é ficar no clube mais tempo do que seu antecessor. Joel foi demitido com menos de seis meses no cargo. Para isso, Dorival terá que cumprir objetivos a curto, médio e longo prazo. Dez deles são listados abaixo pelo GLOBOESPORTE.COM.

1) Classificar para a Libertadores: aí está o grande desafio do treinador. Quando decidiu pela troca de comando, o diretor de futebol Zinho traçou a meta. Ele acredita que o Flamengo tem condições de ficar entre os quatro primeiros do Brasileirão e retornar à disputa continental depois de cair precocemente, na primeira fase, em 2012.

2) Renovar o elenco: existe a necessidade de renovar o grupo. Mas o processo, por ser delicado, vem ocorrendo de forma muito lenta. Dorival terá essa missão: mexer no vestiário sem causar grandes traumas e sem enfraquecer o grupo. É uma meta a longo prazo. Medalhões como Renato e Ibson têm sido contestados pelos torcedores, enquanto garotos como Luiz Antonio e Muralha são queridos pelos rubro-negros.

3) Apostar em jovens atletas: apostar em jovens atletas, casos de Adryan, Mattheus, Marllon e Thomás, é uma das exigências para a renovação do elenco. O Flamengo espera que o treinador tenha capacidade de fazer os garotos crescerem na hora certa, sem atropelos, mas sem demora. Dorival era o técnico do Santos quando Neymar e Ganso despontaram. Conquistou o Paulistão e a Copa do Brasil de 2010, mas teve problemas de indisciplina com a dupla. Um desentendimento com Neymar provocou sua demissão.

Mattheus e Adryan, treino do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)Mattheus e Adryan: jovens ganham espaço no time (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)
 
4) Implementar um esquema confiável: Joel Santana passou pelo Flamengo sem estabelecer um padrão de jogo. A torcida sempre se mostrou incomodada com a reincidência do uso de quatro volantes. O novo comandante rubro-negro precisará definir um esquema que seja confiável, sem perder a posse de bola característica do time, mas acrescentando poder de fogo.

5) Achar um camisa 10: o Flamengo ouviu “não” de Diego, Riquelme e Felipe, e chegou tarde quando tentou contratar o argentino Diego Morales. A janela internacional foi encerrada em 20 de julho sem que a diretoria conseguisse um reforço de peso. Agora, resta olhar para o mercado nacional, mas não há muitas opções para a posição. Os principais nomes são caros e já chegaram ao limite de sete partidas por suas equipes. Dorival já disse que terá de olhar para as Séries B e até C para tentar garimpar um reforço.
 
6) Melhorar a defesa: a defesa vem sendo um problema para o Flamengo. Entre os dez primeiros colocados do Brasileirão, o Rubro-Negro, ao lado do Botafogo, é o time com mais gols sofridos: 17. Os dois laterais, Léo Moura e Ramon, não vivem um bom momento, e as jogadas aéreas também preocupam. Dorival Júnior precisa encontrar a dupla de zaga ideal e sanar os problemas. Hoje, o grupo conta com Welinton, Marcos González, Marllon, Thiago Medeiros, Arthur Sanches e Frauches. A diretoria tentou contratar Juan, mas ele foi jogar no Inter.

Vagner Love treino Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla imagem)
7) Recuperar Vagner Love: o Artilheiro do Amor é o goleador do time em 2012 com 15 gols em 27 partidas, mas vive o maior jejum dele com a camisa rubro-negra. Love não marca há sete jogos, desde 9 de junho. Tudo bem que o time não vinha jogando com meias capazes de colocá-lo na cara do gol, mas o desempenho individual caiu. O jogador tem desperdiçado chances claras, algo pouco comum.

8) Dar ânimo para Felipe: Dorival ganhou um problema ao assumir o Flamengo. O goleiro Felipe perdeu a posição para Paulo Victor depois de ter sido diagnosticado com dengue e está insatisfeito com a reserva. A chegada de um novo técnico renova a esperança do camisa 1 de reassumir o posto, mas ele terá de trabalhar cada vez mais. PV tem mantido uma sequência de boas atuações.

9) Ter empatia com a torcida: Dorival Júnior chega ao Flamengo com bom respaldo da torcida, mas sem grande margem para erros. Afinal, boa parte dos rubro-negros começou a pedir a saída de Joel Santana logo depois das eliminações no Carioca e na Libertadores. É por isso que os primeiros jogos são tão importantes. Se engatar uma sequência de vitórias em um período que inclui dois clássicos, contra vasco e Botafogo, ele dará um grande passo para ter a parceria das arquibancadas.

10) Acompanhar a recuperação de Adriano: na primeira entrevista como técnico do Flamengo, Dorival Júnior foi questionado sobre Adriano e disse que o Imperador está em seus planos. No entanto, fez questão de destacar que tudo depende da completa recuperação do atacante, que passou pela segunda cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo em abril. Ele tem previsão para começar a intensificar o trabalho com bola em agosto, mas deixou de fazer a fase final de recuperação no Ninho do Urubu. O Imperador, porém, segue na pauta rubro-negra.



sexta-feira, 27 de julho de 2012

Flamengo 2012 = Flamengo 2009?


O torcedor do Flamengo anda meio desconfiado do que o time pode alcançar no Campeonato Brasileiro. Com uma campanha irregular, acabou demitindo o técnico Joel Santana, muito criticado pela torcida. Motivos para temer o rebaixamento? Para os mais supersticiosos, o cenário é bastante parecido com o do último título nacional rubro-negro, em 2009.

O dia era 23 de julho de 2009 quando, na 13ª rodada do Brasileirão, o técnico Cuca foi demitido do cargo. A esta altura, o Atlético-MG era o líder do campeonato com 28 pontos.

Exatamente três anos depois, em 23 de julho de 2012, Joel Santana teve o contrato rescindido pelo Rubro-Negro. O líder do campeonato? Atlético-MG, com 28 pontos.

A diferença é que na atual temporada as equipes tinham fechado a 11ª rodada, duas a menos que em 2009. No entanto, vale observar que em ambos os campeonatos o Flamengo somava 15 pontos na rodada 11.

Motivos para crer no título ou apenas coincidências? Vale lembrar que em 2009, o Flamengo efetivou o técnico interino Andrade, enquanto em 2012 optou pela contratação de um treinador de fora do clube, Dorival Júnior.



Renato, sobre risco de virar reserva: ‘A roda gigante não está para mim’


Renato coletiva Flamengo (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)
Há um ano, Renato disputava e vencia um dos jogos mais espetaculares dos últimos tempos. Na Vila Belmiro, contra o Santos de Neymar e Paulo Henrique Ganso em excelente fase, o Flamengo, comandado por Ronaldinho Gaúcho, começou a partida da 12ª rodada do Brasileirão 2011 assustado. Sofreu três gols de cara, mas teve força para reagir. No fim, um brilhante placar de 5 a 4 num jogão inesquecível. A roda gigante girou, e o primeiro aniversário daquela vitória é amargo para o Rubro-Negro. Sem Ronaldinho, Thiago Neves, Junior Cesar e Willians, todos titulares daquela equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo, o time vive um momento ruim. É só o décimo na tabela, com 16 pontos. Naquela época, brigava pelo título.

- É difícil você manter uma sequência muito grande no futebol, envolve muita coisa, é tempo de trabalho, entrosamento, é técnica, tática. Aquela era uma época boa, excelente. Temos de buscar inspiração naquele momento e levar para dentro de cada um. Precisamos procurar fazer sempre mais. Estamos numa parte incômoda da tabela, mas não quer dizer que o grupo não tem qualidade. Só que a qualidade ainda não saiu. Está chegando o nosso treinador para dar mais qualidade, mais confiança, para buscarmos a primeira vitória, a segunda vitória, e embalar – disse o meia Renato, titular naquele dia 27 de julho.

Dorival comandou o primeiro treino dele como técnico do Flamengo nesta sexta-feira. Curiosamente, um dia depois do primeiro jogo. Ele assinou contrato na quarta e ficou na área técnica no empate sem gols com a Portuguesa, nesta quinta.

A roda gigante também girou para Renato. Aos 34 anos, o camisa 11 experimenta uma sensação diferente no clube. Duzentos e quarenta jogos e 64 gols depois, ele não sabe se vai continuar como titular da equipe. O jogador foi barrado pelo auxiliar Jaime de Almeida contra a Portuguesa. Foi Jaime quem montou o time enquanto Dorival não acertava.

Renato aceitou a decisão tomada pelo técnico interino sem chiar. Na volta do intervalo da partida, entrou no lugar de Ibson. A torcida não teve a mesma postura que o jogador assumiu diante da barração. E chiou. Ele foi perseguido por vaias de grande parte dos 8.184 torcedores presentes (5.732 pagantes) ao Engenhão. Ainda no gramado, desabafou. E fez o mesmo nesta sexta.

- Sou um jogador comum, não sou internacional, sei das minhas qualidades, elas estão aí. Não tenho Seleção Brasileira nas costas (foi convocado apenas uma vez, no ano passado). Foi um momento que o treinador achou a melhor opção. Não sei se o problema era esse, se a falta de resultados é minha culpa. Acredito que não. Sei da minha capacidade, da personalidade para jogar. A roda gigante hoje não está para mim. Peguei lá embaixo e ela quebrou. Estou embaixo hoje. O torcedor sabe do que estou falando. Desde 2005 estou Flamengo, talvez tenha vivido a pior fase do Flamengo (de luta contra o rebaixamento), e a torcida está cobrando. Se está vaindo alguém, é porque ela sabe que pode render mais. Mas não posso render mais sozinho. Se o time todo render, eu também vou render - avaliou.

Renato disse ainda que a hora pede maturidade dos jogadores.
 
- Temos de ser maduros no momento, saber que é hora de simplicidade. Se eu puder fazer o time jogar, vou fazer o simples para isso. Não tenho que falar sobre ficar no banco. São coisas do futebol. A preferência às vezes é por outro, outro vive um momento melhor. Temos de aceitar, ser maduros, entender. Não posso chegar aqui e dizer que tenho que ser titular na lábia, mas mostrar no dia a dia. Faz parte do meu perfil nunca desistir.

Nesta sexta-feira, Dorival Júnior trabalhou apenas com os atletas que não participaram de toda a partida contra a Portuguesa. O treinador terá apenas a atividade da manhã deste sábado para montar a equipe que vai enfrentar o São Paulo, neste domingo, no Morumbi. O time titular ainda é um ponto de interrogação.

- Eu confio no trabalho, tem que ser dessa forma, com confiança. Chega um treinador novo para motivar, ele está querendo tabalhar, quer nos ajudar. Ele vai ver quem está trabalhando, vai ver quem está no melhor momento. Quem me conhece sabe que eu trabalho, independentemente de momento, de ficar no banco ou não.

O Flamengo enfrentou a Lusa com a seguinte escalação: Paulo Victor, Léo Moura, Welinton, González e Ramon; Airton, Luiz Antonio, Ibson e Mattheus; Adryan e Vagner Love.



Enquete Sem-Vergonha




Depois da estreia, o primeiro treino: Dorival Júnior apresenta o seu estilo


Dorival Júnior com os jogadores (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)
Depois do primeiro jogo, o primeiro treino. Foi na ordem inversa que Dorival Júnior iniciou o trabalho dele no Flamengo. Despois de ter ficado na área técnica no empate sem gols com a Portuguesa, nesta quinta-feira, no Engenhão, ele trabalhou pela primeira vez no Ninho do Urubu na tarde desta sexta.

Os jogadores que disputaram quase toda a partida fizeram um treino regenerativo na academia. Os demais, incluindo Renato, Ibson, Thomás e Bottinelli, que estiveram em campo contra a Portuguesa, foram ao campo principal do CT para uma atividade tática em campo reduzido. Divididas em dois grupos, quatro equipes se enfrentavam. A ideia era exercitar a troca rápida de passes, com no máximo dois toques, e a marcação sob pressão.

Dorival, que conversou muito com o auxiliar Jaime de Almeida, mostrou-se ativo e ficou bem próximo dos atletas. Chamou vários deles pelo nome e gritou. Gritou muito. Bem diferente de Joel Santana, que costumava observar este tipo de exercício sentado à beira do campo ou parado no centro do gramado, e tinha dificuldade para falar os nomes de todos os jogadores.

- É agressiva a marcação! Muito bom, muito bom, muito bom! Boa! Vamos, vamos! – gritava Dorival.

Com outros dois grupos, o auxiliar Lucas Silvestre, filho de Dorival, seguia o estilo do pai e também trabalhava com intensidade e voz firme.

- Tem que todo mundo marcar!

Antes de o treino começar, Dorival reuniu todo o grupo para uma conversa de aproximadamente meia hora. O auxiliar Ivan Izzo e o preparador físico Celso de Rezende ainda vão se juntar ao treinador, que após a atividade técnica pôs os jogadores para trabalhar a parte física, sempre olhando de perto e incentivando.

O técnico terá pouco tempo para armar o time para a partida contra o São Paulo, domingo, no Morumbi. Ele só terá todos os jogadores em campo na manhã deste sábado, no último treino antes da viagem à capital paulista. O Rubro-Negro está em décimo, com 16 pontos.

- É um treinador vitorioso, conquistou títulos por onde passou. Mostrou no primeiro dia muita disposição para trabalhar, o trabalho foi até mais tarde, diferente do que a gente vinha fazendo. Tem muito a dar para a gente ainda, tem pouco tempo para trabalhar, vai ter pouco tempo para colocar o time como ele quer, mas na conversa, no treino deste sábado, vamos tentar pegar o máximo que ele tem para dar para jogarmos contra o São Paulo - disse o meia Renato.

O camisa 11 do Fla elogiou ainda a postura do novo técnico, que foi para a beira do campo no jogo contra a Portuguesa sem comandar sequer um treinamento do time.

- Eu acho que ele teve personalidade. Não sei se outro treinador entraria em campo em tão pouco tempo. Deu a palavra de confiança, a gente acredita nele. Ele chegou para ajudar, há muito tempo as coisas estão assim. Vamos confiar no trabalho dele - acrescentou.



Para jogar no Flamengo, Cáceres abre mão da seleção paraguaia


Cáceres - Flamengo (Foto: Alexandre Loureiro)
Continua a novela para o volante Victor Cáceres poder fazer a sua estreia pelo Flamengo. Devido a resistência da Associação Paraguaia de Futebol (APF) para liberar o jogador, seu empresário, Régis Marques, pretende entrar com um processo por danos morais nos próximos dias na Fifa contra a APF e o Libertad (PAR), seu ex-clube. Caso entre realmente com o processo por danos morais, a APF ameaçou Cáceres de não ser mais convocado para a seleção paraguaia.

- Aqui é uma terra sem lei. A Associação Paraguaia ameaçou não convocar mais o Victor Cáceres para a seleção caso entremos com esse processo de danos morais contra eles na Fifa. Eu disse para o Cáceres, é melhor não jogar mais na seleção do que não jogar mais futebol e ele concordou - disse o empresário do jogador, por telefone, ao LANCENET!

Sem vínculo com o Libertad desde o fim de junho, Cáceres segue lutando para conseguir regularizar a sua documentação de transferência internacional para poder fazer a sua estreia pelo Flamengo. Com a demora, o Flamengo entrou nessa semana com um pedido na Fifa e, segundo Régis Marques, a sua regularização pela entidade máxima do futebol acontecerá até o próximo dia 9 de agosto, com a sua estreia não passando do jogo contra o Náutico, dia 11 do mesmo mês.

- O Flamengo já entrou com um processo na Fifa. Daqui no máximo 13 dias, a própria Fifa regularizará Cáceres e ele poderá entrar em campo contra o Náutico, não precisando esperar nada daqui do Paraguai. Se dependesse de algo do Paraguai, o jogador já iria se aposentar - afirmou.

Régis Marques ainda falou que a APF é conivente com toda essa situação, não merecendo o respeito de ninguém no futebol mundial.

- Se aqui no Paraguai eles fossem honestos, ele já teria sido liberado. Como a Associação Paraguaia é comandanda pelos presidentes de todos os clubes, eles fazem de tudo para dificultar. O Libertad sabe que ele não jogará mais aqui e estão sacaneando o Cáceres. A Associação é muito conivente com toda essa palhaçada, não merecem o respeito de ninguém no futebol mundial - concluiu o empresário.





Capanema: processo contra Patricia 'só cabe com flagrante de ilegalidade'


Presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, Silvio Capanema recebeu, nesta sexta-feira, o pedido de impeachment da presidente Patricia Amorim feito pelo ex-mandatário Márcio Braga. O conselheiro disse que ainda não tomou conhecimento dos termos da representação, mas já adiantou que o processo só cabe em caso de flagrantes de ilegalidade e que o estatuto do clube proíbe esse tipo de ação durante o período eleitoral, que começa no dia 31 de agosto. Capanema, no entanto, ainda pode deferir o pedido de liminar para afastar Patricia do cargo imediatamente.

- Eu, como presidente do Conselho, recebendo essa documentação, terei que primeiro decidir se defiro ou não o pedido de liminar para afastar a presidente. Feito isso, nomeia-se uma comissão com no mínimo três conselheiros, mas normalmente são cinco, ou até mais. E essa comissão intima o requerido para defesa. Apresentada a defesa, a comissão inicia a averiguação dos fatos, ouvindo testemunhas, e aí o processo se dirá com a produção das provas. A comissão devolve à presidência, que pode ouvir a comissão jurídica ou não, e impõe o processo em votação secreta. Pelo estatuto, o prazo é de 60 dias, mas prorrogável alegando fatos de força maior. Mas isso só caberá em caso de flagrantes de ilegalidade. E o estatuto proíbe esses processos em período eleitoral - explicou o dirigente em entrevista à Rádio Brasil.

Se o processo for adiante, Capanema explica que é necessário um quorum de um terço do Conselho Deliberativo, que possui dois mil membros, para que se dê a perda do mandato. Ainda segundo ele, a presença de 600 conselheiros ocorreu uma única vez no clube, com o ex-presidente Edmundo Santos Silva.

Silvio Capanema disse ainda que a eleição presidencial do Flamengo ainda não tem data marcada para acontecer, mas, por estatuto, deve ocorrer na primeira quinzena de dezembro.

A presidente Patrícia Amorim está em Londres para acompanhar os atletas rubro-negros nos Jogos Olímpicos. A argumentação de Márcio Barga para tirá-la do cargo tem mais de 40 páginas e aponta, dentre outros pontos, a relação entre Flamengo e a empresa Locanty, a falta de patrocínio e os contratos do atacante Deivid e de Ronaldinho Gaúcho. Um dos anexos do documento encaminhado ao Conselho terá a minuta do contrato entre Flamengo e Ronaldinho. Este é o maior foco de revolta do ex-presidente. Ele alega que há uma cláusula lesiva: se o clube deixasse de pagar duas prestações teria de quitar o restante do contrato de forma integral, acrescido de uma multa de R$ 5 milhões.

A comissão de inquérito tem 30 dias para analisar o processo. Se não conseguir afastar Patricia imediatamente do cargo, Marcio Braga pretende impedi-la de concorrer às eleições de dezembro.

- Minha preocupação, com minha postura isenta, é evitar a politização do processo, para não ser utilizado com fins exclusivamente políticos – finalizou o presidente do Conselho rubro-negro.



Escudo de Dorival: proteção para não queimar jovens promessas do Flamengo

No empate em 0 a 0 com a Portuguesa na noite desta quinta-feira, no Engenhão, Adryan e Mattheus começaram como titulares. Thomás entrou no segundo tempo no jogo que marcou a estreia de Dorival Júnior no comando do Flamengo. Joel Santana, seu antecessor, pouco utilizou as jovens promessas, e sofreu pressão por conta disso. O novo treinador destacou a qualidade dos jogadores, mas apresentou um escudo para que eles não carreguem o peso de ter que mudar o atual panorama do time. Mais do que bombeiros para apagar focos de más atuações, Dorival quer evitar que eles se queimem.

Dorival Júnior, treinador do Flamengo (Foto: Janir Júnior / Globoesporte.com)Dorival pede paciência e responsabilidade na utilização das joias rubro-negras (Foto: Janir Júnior / Globoesporte.com)

- Tem muita qualidade na chegada desses garotos. Agora, não podemos jogar responsabilidade excessiva em cima desses meninos, correndo um risco de queimá-los prematuramente – afirmou Dorival Júnior.

No Santos, em 2010, o técnico teve o mérito de apostar nos meninos da Vila, então promessas alvinegras. Um deles era Neymar. E, ao mesmo tempo em que apostava no sucesso do atacante, Dorival teve postura enérgica com o jovem talento. Durante um jogo contra o Atlético-GO, pelo Brasileirão, o treinador não deixou o jogador cobrar um pênalti, pois já havia desperdiçado cobranças em outras partidas. Revoltado, o jovem se descontrolou e xingou o técnico.

Mattheus e Adryan, treino do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem) 
Mattheus (à frente) e Adryan são algumas das apostas no Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)

O ato de indisciplina causou a Neymar uma suspensão imposta pela diretoria. Dorival considerou a punição muito branda. Na véspera do clássico com o Corinthians, ele anunciou que o jogador continuava fora, surpreendendo os dirigentes, que o demitiram. No fim das contas, porém, Dorival perdeu a briga. Foi demitido pouco depois das punições ao jovem atacante.

Ao analisar o atual cenário do futebol brasileiro, Dorival enxerga precipitação em algumas apostas feitas em jovens valores.

Thomás treino Flamengo (Foto: Maurício Val / Vipcomm)
- Tem acontecido lançamento prematuro de garotos. O país está passando por um processo como esse. Infelizmente, estamos antecipando etapas importantíssimas na formação dos meninos, tem sido um risco muito grande. Já estamos há alguns anos perdendo em qualidade. Alguns clubes insistem e perdem a oportunidade de preparar melhor os jogadores para que os meninos se consolidem – afirmou o treinador rubro-negro.

Dorival dá a receita para que os jovens do Flamengo possam ter sucesso, mescla paciência com trabalho, e faz um pedido:

- O Brasileiro é um campeonato com várias dificuldades. O lançamento de vários meninos demanda um pouco de tempo, paciência e muito trabalho, o torcedor tem que entender.

O técnico não confirmou se Adryan, Mattheus, Thomás, entre outros, serão lançados como titulares. E apontou um fator que facilitaria o processo.

- De repente podem (ser titulares). Mas desde que a equipe esteja compacta – completou.

O time volta a campo domingo para enfrentar o São Paulo, no Morumbi, às 16h.



Veja os resultados de quinta pela Série A



Campeonato Brasileiro 2012: (12ª rodada)


Palmeiras 0 x 2 Bahia
Flamengo 0 x 0 Portuguesa
Atlético-MG 2 x 0 Santos


Técnico diz que gostaria muito de contar com Adriano no Flamengo

Adriano segue em recuperação da cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo, tem previsão para começar a intensificar o trabalho com bola em agosto, mas deixou de fazer a fase final de recuperação no Ninho do Urubu. O atacante, porém, segue na pauta rubro-negra. Na sua primeira entrevista coletiva como treinador do Flamengo, questionado se teria interesse em contar com o Imperador, Dorival Júnior deixou claro que sim, acrescentou que o jogador precisa estar disposto e rasgou elogios.

- Penso, sim, claro que penso. Todo grande jogador. Desde que ele queira, esteja disposto a voltar a ser o grande profissional que sempre foi, o grande atleta que o levou a grandes equipes e à Seleção Brasileira, gostaria e muito de contar com Adriano – afirmou Dorival Júnior.

Depois de deixar o Corinthians, em março, Adriano foi recebido pelo Flamengo para tratar seu problema no tendão de Aquiles do pé esquerdo. Chegou-se à conclusão de que uma nova cirurgia se fazia necessária, e assim foi feito. Ultimamente, o atacante intensificava no Ninho do Urubu seu trabalho de fisioterapia. Ele já havia, inclusive, trabalhado com bola, ainda que sozinho, no CT do Flamengo.

No clube, o atacante faltou a diversas sessões de fisioterapia. Na semana passada, ele decidiu seguir com sua recuperação em uma academia e com treinos fora do CT.


quinta-feira, 26 de julho de 2012

'Todo mundo aqui tem vergonha na cara', diz Love, sem marcar há 7 jogos

Vagner Love teve mais uma atauação decepcionante. Além de completar sua sétima partida sem fazer um gol sequer, o atacante errou vários passes e perdeu facilmente algumas bolas atrapalhando o ataque rubro-negro. A torcida protestou muito contra o time, vaiando e chamando a equipe de sem-vergonha durante e após o empate sem gols com a Portuguesa, nesta quinta-feira, no Engenhão, mas o atacante procurou se manter tranquilo.

- Todo mundo aqui tem vergonha na cara. A torcida tem todo o direito de protestar, o time não ganhou, ela pode protestar. Mas sempre entro em campo com o pensamento de marcar. Hoje eu tive uma chance, mas não consegui. Agora é descansar e pensar no jogo contra o São Paulo - disse Love ao SporTV, logo após o jogo.

O lateral-direito Léo Moura lamentou o resultado e os erros, principalmente de passes (foram 39 ao todo):

- A gente tem de melhorar. Não pode num jogo dentro de casa deixar de ganhar os três pontos. É melhorar para na hora do passe acertar. E trabalhar para não acontecer tanto erro nos próximos jogos.

 O Flamengo enfrenta o São Paulo no próximo domingo, no Morumbi, a partir das 16h (de Brasília), pela 13ª rodada do Brasileirão.


Titular após mais de um mês, Welinton diz ter sentido falta de ritmo

De volta ao time titular do Flamengo, o zagueiro Welinton não comprometeu e ajudou a equipe a sair de campo sem sofrer gol no empate por 0 a 0 contra a Portuguesa, na noite desta quinta-feira, no Engenhão, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O defensor, barrado há mais de um mês, afirmou que sentiu a falta de ritmo de jogo e disse que a equipe precisa melhorar para voltar a vencer, após o terceiro tropeço consecutivo.

- Eu me senti seguro com certeza, mas senti um pouco a falta de ritmo. Agora é pensar no São Paulo, acertar os detalhes que estamos errando para a bola começar a entrar e a gente voltar a vencer no campeonato – analisou o jogador, que cometeu duas faltas, além de conseguir cinco roubadas de bolas (quando recupera e sai jogando) e nove desarmes (quando apenas tira a bola do rival).

Já para o goleiro Paulo Victor, o Flamengo precisa mostrar mais empenho nos próximos jogos. Ele admitiu que a fase do time é ruim.

- O momento é delicado e só a gente para mudar. Temos que nos empenhar um pouco mais, entrar em campo com mais vontade e tenho certeza de que os resultados virão naturalmente - concluiu.

O Flamengo soma 16 pontos e ocupa a décima colocação no Campeonato Brasileiro. O time volta a campo neste domingo, contra o São Paulo, no Morumbi.


Dorival já fala em reforços e não gosta do jogo: ‘Todos saímos desconfiados’

 Sem ter treinado o time do Flamengo uma vez sequer, Dorival Júnior demonstrou personalidade e foi direto para o banco de reservas. À beira do campo, o treinador pôde ver de perto o quanto de trabalho que terá daqui para frente. E, sem apresentação oficial, o técnico concedeu entrevista coletiva depois do empate em 0 a 0 com a Portuguesa, onde teve que responder sobre a atuação da equipe. E fez uma análise franca, disse que não gostou da equipe e já falou sobre a necessidade de reforços. E terá pouquíssimo tempo para fazer ajustes, já que nesta sexta-feira os titulares deverão fazer trabalho regenerativo e, domingo, o Rubro-Negro enfrentará o São Paulo, no Morumbi.

- Não tivemos uma boa partida, essa é a verdade, temos que reconhecer. Deixamos a desejar em muitos aspectos. A avaliação de todo jogo é negativa. É uma fase de transição. Todos nós queremos resultado imediato, mas esse é um processo lento, temos que ter muito trabalho para que melhoremos – afirmou Dorival Júnior.

O treinador também comentou sobre a utilização dos jovens talentos como Adryan, Mattheus, Thomás, e a perseguição a alguns jogadores, caso de Renato. O jogador entrou na vaga de Ibson no intervalo.

- Tenho que tentar fazer com que a equipe tenha uma postura coletiva. Vi o jogo de domingo, e foi completamente diferente. Alguns jogadores estão sendo penalizados, de uma forma de outra. É um grupo, mas não podemos jogar em cima de um único elemento. Concordo que a equipe não teve boa atuação. O torcedor queria os garotos na equipe, eles estão sendo colocados, mas isso demanda tempo, mas temos que ter o entendimento do torcedor, que sai aborrecido, todos nós saímos desconfiados – disse Dorival.

O treinador elogiou o time, mas deixou clara a necessidade de buscar reforços.

- Acredito no potencial (da equipe), não podemos jogar mentiras para o torcedor. A equipe precisa de outros elementos para reforçar. Sei que é difícil buscar contratações, ficamos sem opções de jogadores de fora, temos que buscar atletas que fizeram apenas seis jogos, ou na série B, ou C. Precisamos de elementos para reforçar, não tenho dúvida disso – destacou Dorival.

O técnico estará pela primeira vez no Ninho do Urubu na tarde desta sexta-feira.



Flamengo 0 x 0 Portuguesa


Ficha técnica



Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 26/7/2012

Hora: 21h (de Brasília)

Público: 8.184 presentes (5.732 pagantes, para uma renda de R$ 145.875)

Cartão amarelo: Valdomiro (POR)

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Carlos Brekenbock (SC-FIFA) e Marcus Vinicius Gomes (SC)

FLAMENGO: Paulo Victor, Léo Moura, González, Welinton e Ramon; Aírton, Luiz Antonio, Ibson (Renato intervalo) e Mattheus (Thomás 14'/2ºT); Adryan (Bottinelli 26'/2ºT) e Vagner Love.  
Técnico: Dorival Junior.

Portuguesa: Dida, Valdomiro, Rogério e Gustavo; Luís Ricardo, Ferdinando, Léo Silva, Moisés e Marcelo Cordeiro; Héverton (Henrique 35'/2ºT) e Ricardo Jesus (Diego Viana 31'/2ºT).
Técnico: Geninho.




Zico reclama de salários atrasados e ameaça deixar seleção do Iraque


Zico na partida do Iraque (Foto: AFP)
Quase um ano após assumir a seleção iraquiana, a paciência de Zico parece ter acabado com a falta de estrutura para comandar a equipe. Em um desabafo em seu site oficial, o Galinho afirmou que está há cinco meses sem receber salário e ameaçou deixar o Iraque.

Com Zico, a seleção iraquiana está no segundo lugar do Grupo A da quarta fase das eliminatórias asiáticas para a Copa do Mundo de 2014. Os dois líderes e os dois vices das chaves ganham vaga no Mundial do Brasil. Os dois terceiros farão um mata-mata para decidir quem fará a repescagem contra um representante da América do Sul. No total, desde que assumiu no ano passado até o momento, o Galinho comandou o Iraque em 19 partidas, venceu dez, empatou seis e perdeu três.

Na sua coluna no "Zico na rede", o técnico revelou os problemas que tem tido com a federação iraquiana. Segundo o Galinho, seu irmão Edu e o preparador físico Moraci Sant'anna, que fazem parte da comissão técnica, não recebem salários há dez meses.

- Eu mesmo não recebo há cinco meses, mas segui trabalhando da mesma forma até o final da Copa Árabe. Lá em Jedah, durante a disputa da competição, chamei um representante da federação e falei sobre o que estava acontecendo. Deixei bem claro que a minha ideia era não voltar mais, a não ser que houvesse uma reviravolta. O trabalho em si, com todos os problemas, me deixa satisfeito e acho que podemos conseguir a vaga para 2014. A questão é essa falta de respeito por profissionais como nós, principalmente o Edu, que tem um histórico de serviços prestados ao futebol iraquiano - disse Zico, lembrando que o irmão também já treinou a seleção do país.

O ídolo do Flamengo contou ainda que foi chamado pelos iraquianos para negociar, mas que dificilmente aceitará a oferta para continuar no Iraque:

- Agora, eles me chamam para conversar sobre o contrato e tentar chegar a um acordo para que eu permaneça. Como disse, parece um acerto difícil porque preciso de garantias de que teremos tranquilidade para trabalhar. Pelo menos nessa parte de estrutura, já que sei que o Iraque sofre com uma série de outros problemas. Por tudo isso, a tendência é que agora eu fique de vez no Brasil até que surja nova proposta. Vamos ver o que vai acontecer.





Brasil 3 x 2 Egito - Jogos Olimpicos - Londres 2012 - 26/07/2012



Brasil 3 x 2 Egito


Ficha técnica
 

Local: Millenium Stadium, em Cardiff, no País de Gales.

Árbitro: Gianluca Rocchi (Itália)
Auxiliares: Elenito di Liberatore (Itália) e Gianluca Cariolato (Itália).

Brasil: Neto, Rafael, Thiago Silva, Juan e Marcelo; Sandro (Danilo), Rômulo e Oscar; Neymar, Hulk (Ganso) e Leandro Damião (Alexandre Pato).
Técnico: Mano Menezes.

Egito:  Elshenawy; Eldin, Aboutrika, Hegazi e Fathi; Mohsen (Salah), Meteab, Ramadan e Gomaa (Ahmed Shehab); Hossam e El Neny (Magdy).
Técnico: Hany Ramzy

Gols: Rafael, aos 16, Leandro Damião, aos 25, e Neymar, aos 29 minutos do primeiro tempo; Aboutrika, aos 6, Salah, aos 30 minutos do segundo tempo.

 Cartões amarelos: Hulk (BRA); Gomaa, Eldin, Ramadan (EGI).



Técnico da Inglaterra visita sede do Fla e ganha camisa personalizada


O treinador da seleção da Inglaterra, Roy Hodgson, e representantes da Federação Inglesa de Futebol (FA) visitaram nesta quinta-feira o Ninho do Urubu, CT do Flamengo localizado em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O técnico, que recebeu de presente uma camisa rubro-negra, também esteve na sede do clube carioca, na Gávea.

O objetivo da visita foi avaliar os locais para receber a seleção inglesa no caso de classificação para a Copa do Mundo de 2014. É a segunda vez que a comitiva britânica visita o clube carioca.

Treinado Roy Hodgson da seleção inglesa visita a Gávea (Foto: Fernando Azevedo / Fla Imagem) 
Hodgson mostra a camisa personalizada que ganhou do Flamengo (Foto:Fernando Azevedo/Fla Imagem)
 
Além de Roy Hodgson, que está no Brasil desde o começo da semana e já visitou outros clubes como Palmeiras, Atlético-MG e Cruzeiro, também estiveram presentes a diretora de operações da equipe, Michelle Farrer, o representante da FATV, Damien Cullen, o coordenador de Competição e Serviço às Equipes do COL, André Bello, e o gerente de eventos da Match/FAO, Federico Dunzelmann.

Em 2012, o Flamengo já recebeu as visitas da delegação holandesa e da comissão de arbitragem da Fifa, também interessadas em utilizar as instalações rubro-negras. Além disso, o Rubro-negro firmou uma parceria com Comitê Olímpico dos Estados Unidos, para que a sede do clube seja o centro de treinamento da equipe americana antes e durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016.

Treinado Roy Hodgson da seleção inglesa visita a Gávea (Foto: Fernando Azevedo / Fla Imagem) 
Roy Hodgson veste a camisa que ganhou de presente (Foto: Fernando Azevedo / Fla Imagem)
 
 
 

Flamengo sinaliza, mas não cumpre acordo com Deivid


Deivid - Treino do Flamengo (Foto: Alexandre Loureiro)
A promessa feita pela presidente Patricia Amorim em reunião para tratar da dívida milionária com Deivid não está sendo cumprida. Há cerca de um mês, a mandatária e o diretor de futebol Zinho procuraram o atacante para costurar um acordo a fim de diminuir o débito e garantiram que o clube voltaria a pagar os direitos de imagem. Até o momento, porém, os meses de junho e julho ainda não foram depositados e a dívida, que era de mais de R$ 8 milhões, chega próximo a R$ 9 milhões.

- O acordo não está sendo cumprido. Até o momento nada foi pago. O Deivid está tendo uma boa vontade, vem se dedicando e chegou a se lesionar treinando. O que não entendemos é como um clube quer contratar Diego, Riquelme pagando um salário de quase R$ 1 milhão, sem antes acertar o que deve, mas vamos aguardar. Se o Flamengo prefere assim - explicou o procurador de Deivid, Felipe Carrilho.

Desde que Deivid acionou o Flamengo na Justiça Cível, no dia 30 de janeiro deste ano, para cobrar os dois anos de direitos de imagem (maior parte do salário do atacante), o clube parou de pagar essa fatia dos vencimentos do camisa 9. Ele só vem recebendo salários em carteira (regime de CLT). São 24 meses de pagamentos de imagem atrasados.

- Por enquanto ainda não cogitamos entrar na Justiça do Trabalho para conseguir a liberação. O Deivid quer cumprir o contrato e é flamenguista. Vamos aguardar. Ainda não estipulamos um limite para o Flamengo pagar o que deve - esclareceu Carrilho, que afirmou que o atacante não recebeu propostas de outros clubes.

Foi passado para a diretoria do Flamengo que qualquer tipo de acordo, referente ao valor cobrado na Justiça, só poderia ser resolvido em juízo.

- Não existe nenhum tipo de acordo. Eu nunca fui procurada para negociar a dívida. E se o Flamengo quiser propor qualquer tipo de acordo, tem que ser feito judicialmente - explicou a advogada de Deivid, Marisa Alija Ramos.

A reportagem do LNET! tentou entrar em contato com a presidente Patricia Amorim (viajou para Londres) e sua assessoria de imprensa, e com o diretor de futebol Zinho, para falar sobre a dívida com Deivid, mas as ligações não foram atendidas.

O atacante não anda satisfeito com a situação no Flamengo e chegou a reclamar publicamente ao torcer o tornozelo direito em um buraco do campo do CT Ninho do Urubu.

- Pisei em um buraco no treino de terça-feira e a dor foi bem forte. Pensei até que a coisa tinha sido grave. Felizmente, os médicos me disseram que não houve nenhum comprometimento dos ligamentos - afirmou Deivid, que só deve ser liberado em 20 dias para voltar aos treinos e está fora da partida contra a Portuguesa, nesta quinta-feira.


Copa Fla Nordeste promete movimentar unidades da EscolinhaFla da região


Neste final de semana, na cidade de Feira de Santana, na Bahia, será realizada a primeira Copa Fla Nordeste, competição divida em quatro categorias (sub-11, 13, 15 e 17) e que envolve sete unidades da EscolinhaFla – Teresina, Porto Seguro, Eunápolis, Aracaju, Salvador, Feira de Santana e Vitória do Espírito Santo.

Para engrandecer ainda mais a competição, que classificará os campeões de cada categoria para as finais da Copa Fla Brasil, realizada na Gávea, em dezembro, estará presente o ex-jogador e ídolo da Nação Julio Cesar ‘Uri Gueller’.

No domingo (29.07), dia das finais da competição, os jogos serão realizados no Estádio Joia da Princesa, gentilmente cedido pela prefeitura da cidade de Feira de Santana, que estará representada pelo prefeito Tarcízio Pimenta.

Responsável pelas franquias da EscolinhaFla, José Martins exaltou a competição, que ficará, segundo ele, marcada para sempre.

"Este evento é um marco importante para as franquias da EscolinhaFla, que fazem seu primeiro evento fora do Rio de Janeiro, reunindo escolas de uma região em competição", finalizou.


Dorival tem primeiro contato com grupo e fica no banco contra a Lusa



Já como novo técnico do Flamengo, Dorival Júnior teve o primeiro contato com o grupo. Na noite dessa quarta-feira, o treinador esteve no hotel que serve de concentração para o time na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Conhecido por todos do elenco, o treinador rubro-negro chegou já à noite e foi recebido de forma carinhosa pelos jogadores. Ele vai estar à beira do campo no jogo com a Portuguesa, nesta quinta-feira, às 21h, no Engenhão, e concede sua primeira entrevista coletiva como treinador depois da partida.

Com contrato até o fim de 2013, Dorival terá logo de saída dois jogos difíceis pela frente. Depois da Portuguesa, o time enfrenta o São Paulo, domingo, no Morumbi. Sob pressão, o Tricolor, derrotado por 4 a 3 pelo Atlético-GO na noite desta quarta, precisa da vitória a todo custo. Depois, será a vez do embalado Atlético-MG, no Engenhão.

Depois de derrotas para Corinthians (3 a 0) e Cruzeiro (1 a 0), que culminaram na demissão de Joel Santana, o time precisa da vitória sobre a Portuguesa para amenizar a pressão que vem da arquibancada. Contra o Timão, torcedores vaiaram a equipe e ficaram de costas para o gramado.

Jaime de Almeida, que treinou o time interinamente, decidiu fazer mudanças na equipe, promoveu o retorno de Welinton nos treinamentos, e barrou Renato. Com isso, o time que vai a campo para enfrentar a Portuguesa deve ter: Paulo Victor, Léo Moura, Welinton, González e Ramon; Airton, Luiz Antonio, Ibson e Mattheus; Adryan e Vagner Love.

- O Flamengo necessita muito de uma grande vitória. Procurei colocar o time um pouco mais ofensivo - justificou Jaime.





Pouco tempo, muitos problemas: o desgaste de Zinho como diretor



O telefone toca incessantemente e, para ter alguns momentos de paz, é preciso desligar o aparelho celular. A pressão e o vazamento de informações afetam o trabalho. O distanciamento da família incomoda. Algumas declarações geram questionamentos. O dia a dia de Zinho mudou radicalmente desde 11 de maio, quando assumiu a função de diretor de futebol do Flamengo, e deixou para trás uma tranquila vida de comentarista de TV. Dois meses e meio depois, o dirigente confessa:

- Estou desgastado.

No tempo em que está no cargo, Zinho teve de administrar problemas sérios, de extrema repercussão e que geraram enorme desgaste. O embate e a saída conturbada de Ronaldinho Gaúcho, o processo de fritura e queda de Joel Santana, o fracasso nas negociações com Diego e Juan, a ausência da contratação de um camisa 10 e a condução do caso Riquelme são alguns dos exemplos de turbulência do comandante do futebol rubro-negro.

montagem caras e bocas do Zinho Flamengo (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com) 
Em pouco mais de dois meses, Zinho enfrentou mutos problemas (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)
 
A política fervilhante do clube também respinga no futebol, já que algumas crises internas envolvem o vice-presidente de finanças, Michel Levy, e o vice de futebol, Paulo Cesar Coutinho. Apesar da pressão sobre Coutinho, Zinho defende o trabalho do dirigente. O vazamento de informações também incomoda.

- Percebi nesses dois meses que não vou conseguir mudar isso no Flamengo - afirmou Zinho.

A mulher e filhos de Zinho foram passar férias nos Estados Unidos. Foi uma solução para o dirigente garantir uma diversão para a família, e conseguir trabalhar sem o peso de não conseguir dar atenção em casa.,

Zinho tenta arrumar outra casa, a rubro-negra. Tem o carinho e respeito dos jogadores pela forma de falar olho no olho. Ganhou moral com a presidente Patricia Amorim, já que segura algumas cobranças que seriam destinadas a ela. Mas, em pouco tempo, o diretor sentiu na pele a dificuldade de colocar ordem no clube, em funções que nem grandes ídolos como Zico e Junior conseguiram passar imunes. Zinho, porém, não pensa em abandonar o barco e deixar o futebol rubro-negro à deriva.


Caso Ronaldinho Gaúcho


Logo que assumiu sua função, Zinho já teve um grande problema para resolver, que atendia pelo nome de Ronaldinho Gaúcho. Responsável direto pela queda de Vanderlei Luxemburgo, o ex-camisa 10 tinha uma rotina de problemas disciplinares. De início, o novo diretor conversou com o jogador e chegou a encobrir indisciplinas e defendê-lo quando apareceu sem condições ideais para treinar. Aos poucos, porém, a situação ficou insustentável. Na viagem do time para um amistoso em Teresina, Ronaldinho não apareceu e nem ligou para Zinho. Na ocasião, Paulo Cesar Coutinho, vice de futebol, foi flagrado por torcedores dizendo que o jogador estava afastado. O diretor foi acordado no hotel da delegação no Piauí já tendo que desarmar mais uma bomba. Horas depois, porém, veio à tona que o ex-camisa 10 entrara na Justiça contra o clube. Zinho, então, falou abertamente sobre as indisciplinas do jogador e afirmou:

- Acabou a festa, acabou a bagunça.


Fritura e queda de Joel Santana

Desde o começo da fritura interna de Joel, Zinho foi obrigado a conviver com notícias de possíveis substitutos e foi o principal responsável por manter o treinador no cargo. O diretor teve de ir à imprensa para esclarecer que não tinha procurado Dunga, nem Jorge Sampaoli, e pediu paz para o técnico. Mas o próprio dirigente já não estava satisfeito com o trabalho de Joel. Zinho se desgastou ao servir de escudo para o ex-treinador. Depois da derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro, no último domingo, a demissão, enfim, foi consumada. E logo em seguida Zinho já teve de esclarecer que não fizera nenhum contato com Dorival Júnior.

Juan, Diego e o caso Riquelme

Outros desgastes para o dirigente. Depois de iniciar a negociação com Juan em maio, o zagueiro preferiu o acerto com o Internacional. Zinho deixou clara sua insatisfação. Mas a busca sem sucesso por um camisa 10 foi mais penosa. O diretor mantinha contato com Diego em sigilo, quando o vice de finanças Michel Levy comentou abertamente sobre a vontade do clube de contar com o jogador. O Flamengo deu sua cartada para tentar a contratação junto ao Wolfsburg-ALE, mas o negócio não foi adiante.

Quase ao mesmo tempo, Zinho mantinha contatos com o plano B, que era Riquelme, mas em suas declarações evitava admitir a negociação. Foi noticiado, então, que Levy teria uma conversa com representantes do jogador - o que não aconteceu. Mas o episódio deixou Zinho extremamente irritado, e ele chegou a cogitar um pedido de demissão. O clube intensificou as negociações com o argentino às vésperas do fechamento da janela de transferências internacionais. Mas, depois da derrota por 3 a 0 para o Corinthians, o camisa 10 do Boca Juniors recusou o convite, segundo Zinho, com a alegação de que teria ficado assustado com a atuação do time e pressão.

- Houve uma polêmica com o vice de finanças, porque eu estava negociando com o jogador, mas, como no Flamengo é impossível negociar sem que as coisas vazem... A primeira opção era o Diego, mas haveria novas possibilidades. Eu não falava da minha boca, parecia que não queria o Riquelme. Belíssimo jogador, nome maravilhoso, mas infelizmente não virá - justificou Zinho, ao ser questionado sobre o fato de ter negado as conversas com Riquelme.

Reunião com Adriano

Adriano no treino do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)

Mesmo sem o atacante ter contrato com o clube, Zinho teve de responder sobre Adriano várias vezes. O atacante, que usava as instalações do clube para se recuperar de uma cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo, faltou a algumas sessões de fisioterapia. O diretor teve de intervir, fez uma reunião com o Imperador e deixou claro que ele teria de se enquadrar nas regras do Rubro-Negro. Na semana passada, Adriano deixou de treinar no CT.