Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 17 de novembro de 2012

Flamengo perde o primeiro jogo da final do Torneio OPG


O Flamengo foi superior, mas não conseguiu vencer o Botafogo na primeira partida da final do Torneio Octavio Pinto Guimarães (OPG). Os juniores do Mengão perderam o jogo por 2 a 1 e vão para o segundo e decisivo duelo, marcado para o próximo fim de semana, no Caio Martins, em desvantagem. 

A partida começou com um gol relâmpago do Botafogo, marcado no minuto inicial do confronto. Apesar do susto, o Flamengo não se abalou e foi atrás do empate, que não aconteceu. E no minuto final da primeira etapa, o adversário surpreende e amplia o placar com um gol de rebote após uma cobrança de falta.

No segundo tempo só deu Flamengo. Rafinha foi o grande destaque do Mais Querido. O jovem atacante incomodou muito a defesa do Botafogo. E foi dos pés dele que originou o gol que descontou o resultado para o Rubro-Negro. O garoto cobrou bem uma falta e João Felipe, de cabeça, empurrou para o fundo da rede.

O lateral-esquerdo Felipe Dias, que na semana passada fez sua estreia no time profissional, contra o Náutico, destacou que o título da OPG ainda não está decidido. O camisa 6 está confiante numa vitória rubro-negra na semana que vem.

"Não tem nada decidido ainda. Nosso time batalhou para conquistar o empate, mas não deu. Mas agora no segundo jogo a gente vai brigar para levantar esse título lá no Caio Martins. É um título muito importante para a gente", comenta o canhota.

A equipe do treinador Cleber dos Santos jogou com Luan, João Felipe, Fernando, Samir e Felipe Dias; Recife (Digão), Victor Hugo (Romário), Rodolpho e Pedrinho (Lucas); Rafinha e Igor Sartori.

Zinho e jogadores do profissional apóiam o grupo

O diretor de Futebol Zinho acompanhou a partida à beira do campo e foi ao vestiário dar um apóio moral aos meninos. Luiz Antonio, Mattheus e Douglas Henrique também foram à Gávea para incentivar os juniores, onde há pouco tempo atrás estiveram. Adryan foi outro que assistiu o duelo, mas preferiu ficar como um clássico torcedor. O camisa 37 do Mengão viu o jogo das arquibancadas e recebeu o carinho dos torcedores presentes.

Após a partida, Mattheus, Adryan e Luiz Antonio foram para o hotel que serve de concentração para o time profissional, na Barra da Tijuca, e, com a delegação rubro-negra, seguiram para a cidade de Volta Redonda, onde enfrentam o Palmeiras amanhã.

 



Comerciante espera lucrar durante julgamento do ex-goleiro Bruno


O julgamento do ex-goleiro Bruno, e de outros quatro réus pelo sequestro e desaparecimento de Eliza Samúdio, que começa nesta segunda-feira já está mudando a rotina de Contagem, em Minas Gerais. O processo deve durar, pelo menos, duas semanas, segundo o Tribunal de Justiça de Minas. A quantidade de gente que vai entrar e sair do Fórum deixa dono de uma lanchonete próxima, Rivelino Ferreira, otimista.

- Vou trazer mais uns dois funcionários, espero uns 10% ou 20% de aumento, além de aumentar um pouquinho o estoque. Geralmente, a gente trabalha até as 19h aqui, mas eu acho que, "pelo andar da carruagem", deve ficar até as 20h, 22h - afirmou Rivelino.


A mãe de Eliza Samúdio, dona Sônia Moura, chegou neste sábado a cidade para acompanhar o julgamento do ex-jogador e dos outros quatro acusados de envolvimento no desaparecimento e morte de sua filha, em junho de 2010.

Veículos de comunicação de todo o país já estão posicionados em frente ao prédio e seguranças se revezam na função de vigiar os equipamentos e funcionários. Toda essa movimentação está atraindo muitos curiosos e para dona Neusa, estes serão os dias mais agitados desde que se mudou para um bairro vizinho ao Fórum, há 18 anos.

- Lá perto de casa está "assim" de curioso. De repente, um caso desse, com uma repercussão dessas no Brasil inteiro, no mundo inteiro. Então, Contagem vai ficar de cabeça para baixo - disse a moradora.

O julgamento
O júri popular do caso Eliza Samudio, marcado para começar às 9h desta segunda-feira (19), no Fórum Doutor Pedro Aleixo, em Contagem (MG), será presidido pela juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues. Além do goleiro Bruno, estão no banco dos réus outros quatro acusados de participação: Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Marcos Aparecido dos Santos, o Bola; Dayanne Rodrigues, ex-mulher de Bruno; e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do goleiro.

Os réus serão julgados por um grupo de sete pessoas, formado por cidadãos maiores de 18 anos residentes em Contagem (MG), sem antecedente criminal ou parentesco com os acusados. Eles são sorteados um a um ao início da sessão entre 25 pessoas previamente escaladas. A juíza Marixa pediu também que suplentes estejam à disposição.

Ao todo, 30 testemunhas serão ouvidas – cinco de acusação, que são ouvidas primeiro, e 25 arroladas pela defesa (cinco para cada réu). Não há limite de tempo para as oitivas. Cada testemunha é questionada pelo juiz, pelo promotor e pelos advogados de todos os réus.

Encerrada essa fase, que promete ser a mais longa, começa o interrogatório dos cinco réus, que têm o direito de permanecer em silêncio. Depois, acusação e defesa apresentam seus argumentos para tentar convencer os jurados de que os réus são culpados ou inocentes.

Por último, o júri se reúne em uma sala secreta para responder a quesitos formulados pelo juiz com "sim" e "não". Eles decidirão se os réus cometeram o crime, se podem ser considerados culpados e se há agravantes ou atenuantes, como ser réu primário. De posse do veredicto, a decisão final dos jurados, a juíza dosa a pena com base no Código Penal, se houver condenação. Se houver absolvição, o réu deixa o tribunal livre.

O crime
Conforme a denúncia, Eliza foi levada à força do Rio de Janeiro para um sítio do goleiro, em Esmeraldas (MG), onde foi mantida em cárcere privado. Depois, a vítima foi entregue para o ex-policial militar Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, que a asfixiou e desapareceu com o corpo, nunca encontrado. O bebê Bruninho foi achado com desconhecidos em Ribeirão das Neves (MG).

Do total de nove acusados, dois serão julgados separadamente – Elenílson Vitor da Silva e Wemerson Marques de Souza. Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, foi morto a tiros em agosto. Outro suspeito, Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, teve o processo arquivado.

Investigações
A polícia encerrou o inquérito com base em laudos que atestam presença de sangue de Eliza em um carro de Bruno, nos depoimentos de dois primos que incriminam o goleiro, em sinais de antena de celular e multas de trânsito que mostram a viagem do grupo do Rio de Janeiro até Minas Gerais e em conversas de Eliza com amigos pela internet, nas quais relata o medo que sentia.

Eliza também havia prestado queixa contra o atleta quando ainda estava grávida, dizendo que ele a forçou, armado, a tomar abortivos. Ela ainda deixou um vídeo dizendo que poderia aparecer morta se não tivesse proteção.


Love brinca: se time não trabalhar, 'próximo presidente manda embora'


Vagner Love declarou apoio publicamente à reeleição da presidente Patrícia Amorim no Flamengo. Mas, na entrevista coletiva concedida na manhã deste sábado, após o rachão no gramado da Gávea, ele buscou não explicitar preferências. Bem-humorado depois de vencer o recreativo, afirmou que os jogadores têm de mostrar serviço em campo, pois do contrário o próximo presidente pode "mandar todo mundo embora".


vagner love flamengo (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM) 
Love atende aos torcedores que pediam autógrafos (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)
 
Com a presença da mandatária no corredor de saída dos jogadores do campo, não se furtou a atender pacientemente os fãs que aguardavam no alambrado e gritavam seu nome. O jejum de oito jogos parece não interferir na relação com a torcida. Depois, autografou camisas e posou para fotos com o time de beach soccer do Ajax, da Holanda, que disputava um torneio na quadra da sede rubro-negra.


vagner love flamengo (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)- Na verdade a gente vem trabalhar tranquilo, deixa as coisas acontecerem, procura não fazer parte disso. Se a Patrícia continuar, bom. Se não continuar, as pessoas que assumirem farão o melhor pelo Flamengo. Se a gente não trabalhar e treinar, de repente o outro presidente manda todo mundo embora. Então temos de ralar para que isso não aconteça - disse o jogador.
 
O tom mudou ao falar do jejum de gols. Tranquilo, mas não tão sorridente, ele rebateu a pergunta sobre os oito jogos sem marcar. Nega que o problema seja estar recebendo poucas bolas.

- Até tive oportunidades, acho que de repente é um pouco da ansiedade. É muita vontade de fazer o gol. Procuro estar sempre treinando. Não desaprendi.




Com contrato no fim com o Corinthians, Lulinha pode parar no Flamengo



O atacante Lulinha, que na época de juvenil foi apontado como um fenômeno, mas que, como profissional, teve passagens discretas até em clubes como o Estoril, da Segunda Divisão de Portugal, pode parar no Flamengo. O jogador, que fez 22 jogos e nenhum gol neste Brasileiro pelo Bahia, acaba o contrato com o Corinthians no fim do ano.








Flamengo anuncia vencedor do Festival Mengo Popular Brasileiro



Saiu na noite desta sexta-feira o primeiro vencedor do Festival de Música MPB - Mengo Popular Brasileiro. O concurso promovido pelo departamento de Patrimônio Histórico/Instituto Museu do Flamengo deu o Troféu Wilson Batista aos compositores Leley do Cavaco, Ronilson Rodrigues e Leco do Cavaco pelo hit "Exaltação ao Flamengo".

patricia amorim flamengo (Foto: Divulgação) 
Patrícia Amorim entrega o troféu aos vencedores do Festival (Foto: Divulgação)

- Não tenho palavras para descrever esse momento. Só gostaria de agradecer a todos que votaram na gente e aos jurados por terem escolhido a nossa canção. Obrigado ao clube de maior torcida do país - disse Leley do Cavaco.

A presidente Patrícia Amorim esteve na cerimônia de premiação na noite desta sexta-feira, na sede da Gávea, para entregar o troféu aos vencedores. Ao todo, concorriam cinco canções, todas com o tema do centenário rubro-negro: “Isto é Flamengo”, de Douglas Floriano Bezerra; “Raça Amor e Paixão, de Vinicius Nagem; “Mengão, Mengão”, de Di Penna; “Fla Maior”, de Julian T. Probst; e “Exaltação ao Flamengo, de Leley e Leco do Cavaco e Ronilson Rodrigues.

Após a primeira fase, 12 músicas foram selecionadas, através de voto popular. A decisão coube ao corpo de jurados formado por Max Viana, Bebeto, Mestre Marcão, Cunhado, Ruth Alves, Célia Domingues, Tunico, Zequinha Santos e Tuninha.
 
 
 

Em clima político mais ameno, Fla faz rachão antes de pegar o Palmeiras


Patrícia Amorim e Hélio Ferraz em treino na Gávea flamengo (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)
Enquanto os jogadores brincavam no tradicional recreativo da véspera de jogos, o clima eleitoral na Gávea, para onde o treino foi transferido na tarde de sexta-feira, se mostrava mais ameno do que na quinta, quando o Flamengo festejou seus 117 anos. Apesar de não haver como chegar ao departamento de futebol sem passar por cabos eleitorais de praticamente todas as chapas que disputarão o pleito do dia 3 de dezembro, somente a presidente Patrícia Amorim, que concorre à reeleição, acompanhava a atividade ao lado do seu vice geral, Hélio Ferraz.

São distribuídos panfletos e realizadas pesquisas, em tentativa de medir a aceitação dos candidatos.  Uma dessas pesquisas, encomendada pela Chapa Azul, encabeçada por Eduardo Bandeira de Mello, criou discórdia na tentativa de união da oposição na sexta-feira. O clima esquentou em função dos números apontando que o candidato teria mais do que o triplo de votos da situação, liderada por Amorim. Após o encontro, o candidato Jorge Rodrigues chegou a declarar que a união com a Chapa Azul ficou inviável.

O trabalho também foi acompanhado por torcedores, que fizeram festa para Léo Moura, fora da partida deste domingo contra o Palmeiras, em Volta Redonda, por conta de dores na panturrilha direita. Outro desfalque é o goleiro Felipe, com entorse no tornozelo esquerdo, além de Liedson, com dor no joelho esquerdo.



Lesionados, suspensos e pendurados para a rodada #36 do Brasileiro



INFO - Suspensos e pendurados 36ª rodada  brasileirão (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

Agora aliviado, Zinho revela: ‘Em algumas noites era joelho no chão’


Zinho completou seis meses como diretor de futebol do Flamengo no domingo passado e chegou à conclusão: passou rápido e não foi fácil. De 11 de maio para cá, experimentou quase tudo no clube. Sobraram problemas, faltou tempo para relaxar. O distanciamento da família incomodou, a vida tranquila de comentarista de TV ficou para trás, e o desgaste foi inevitável.

- Não houve um momento em que eu pudesse falar: dá para relaxar, agora vou tirar dois dias de folga. Foi difícil acontecer isso. Só agora que está começando.

Com o time livre do rebaixamento no Brasileirão, Zinho ganhou um pouco mais de tempo para viver e também pensar em 2013. Os telefones celulares ainda tocam incessantemente. Do outro lado da linha, o assunto é sempre o mesmo: Flamengo.

No período em que está no cargo, Zinho teve de administrar problemas sérios, de extrema repercussão e que geraram enorme desgaste. O embate e a saída conturbada de Ronaldinho Gaúcho, o processo de fritura e queda de Joel Santana, o fracasso nas negociações com Diego e Juan, a ausência da contratação de um camisa 10, o caso Riquelme e a tentativa de recuperar Adriano são alguns dos exemplos de turbulência do comandante do futebol rubro-negro.

- Não foi fácil, não. Vou confessar que em algumas noites era joelho no chão para pedir a direção de Deus mesmo.


MONTAGEM - ZInho flamengo (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

A política fervilhante do clube também respingou no futebol, já que algumas crises internas envolveram o vice-presidente de finanças, Michel Levy, e o vice de futebol, Paulo Cesar Coutinho, que não ocupa mais a pasta. Zinho tentou defender o trabalho do dirigente, mas a pressão pela saída de Coutinho foi maior. O vazamento de informações também incomodou. A avaliação do diretor, no entanto, é positiva. Zinho acha que conseguiu começar a organizar a casa rubro-negra.

- Vejo pelo lado positivo. Ganhei muita experiência, são seis meses de aprendizado para o resto da minha vida. Até os erros que eu cometi, que eu não sou perfeito, até alguma coisa que o torcedor possa não ter ficado satisfeito. Isso serve de aprendizado para 2013, 2014, 2015. Acho que está terminando com saldo mais positivo do que negativo.

Zinho diz que ainda há muito a fazer. E se considera capaz de continuar à frente do futebol do clube. Só não sabe se terá tempo. O contrato do diretor termina em 31 de dezembro. Como o Flamengo passará por um processo eleitoral no dia 3, a chegada de um novo presidente pode representar a saída do dirigente, que aceitaria continuar o trabalho com outra gestão.

- Sou profissional, quero o melhor para o Flamengo.

Zinho tem o carinho e respeito dos jogadores pela forma de falar olho no olho. Ganhou moral com a presidente, já que segura algumas cobranças que seriam destinadas a ela, e tem planos. Muitos. O principal é conseguir montar um time de ponta para brigar por títulos na próxima temporada.

- Gostaria de ficar.

Permanência em 2013

- Acho que podemos ter um ano bem melhor. Dentro dessa filosofia que estamos implantando, com essa equipe que a gente formou, com os profissionais que trabalham aqui. Quando eu digo que não sei se vou estar aqui, é porque vai ter a eleição. A Patricia pode não ganhar. Já vi entrevistas dela falando que se ganhar ela quer me manter. Mas ela não falou isso para mim. Eu digo que não posso falar muito de 2013, mas já estou planejando 2013 focando esse ano. Nós, eu diretor, treinador, equipe de trabalho, já estamos fazendo reuniões, pré-temporada está definida, apresentação, treinamentos, número de atletas. Isso está tudo pronto há uma semana. Fizemos uma reunião geral. Já fiz reunião com a base toda, de quem vai subir, quem a gente pode emprestar. O Dorival quer 28, 29 jogadores no máximo. Não estou com meu contrato assinado, mas se eu ficar o meu trabalho vai ser esse. Preciso do aval da presidente, mas eu sei que isso vai ser depois da eleição. Para não repetir os erros desse ano, estamos planejando. Eu foco terminar o Brasileiro em quinto, sexto, no máximo. No ano em que todo mundo projetou desastre, podemos terminar na parte de cima na tabela.

Erros e acertos

- A todo momento eu me avalio. Eu me cobro bastante. Não aponto acertos ou erros. Algumas tentativas de contratação foram frustradas para mim. Gostaria que tivesse acontecido. Duas. Seria um zagueirão de nível de seleção e o número 10. Foram Juan e Diego. As únicas. Acho que isso não é erro. Foram tentativas que esbarraram na parte financeira, essas duas contratações que tentei. Porque aquele caso Riquelme eu nunca quis o Riquelme, não era a minha prioridade. No mercado, circunstâncias, e por desejo de alguns dirigentes, iniciou-se uma conversa com o empresário do Riquelme. Acabou que o empresário estava fazendo leilão. Fiquei satisfeito de não ter concretizado. Acho que foi um livramento para mim. Seria mais um problema para administrar. Acho que não está nem jogando. Nesses seis meses a gente foi trabalhando, foi lapidando, foi organizando o grupo, conscientizando os atletas, implantando algumas coisinhas de profissionalismo, horário, treino, CT. Isso leva um tempo para as pessoas se acostumarem. Houve a mudança de comissão técnica geral, um grupo que foi modificado dentro do campeonato. A gente fez algumas contenções de despesas na folha, ao mesmo tempo tivemos de buscar jogadores para o grupo. Agora está dando satisfação porque estou vendo os resultados começarem a acontecer. Pena que já no fim, sem chance de brigar pelo G-4.

Administrador de crises

- Acho que as polêmicas com os grandes ídolos, Ronaldinho, Adriano, a saída do Joel, foram desgastes. Tomou muitas horas de sono, mas acho que o saldo foi positivo. Não acho que houve desrespeito de nenhuma das partes, principalmente Adriano e Joel. Foi tudo honesto, olho no olho. O do Ronaldinho foi para a parte jurídica, mas no dia a dia com ele fui muito verdadeiro. Não escutou da boca de ninguém as coisas, tenho a consciência tranquila. Não criei inimizades com nenhum deles. Se estão chateados, é outra coisa. Mas não podem falar em desonestidade, covardia. Houve muito desgaste nesse período, mais do que eu achava. Minha convivência com vocês da imprensa teve pouquíssimos desgastes, considero até zero. Nunca fugi das coisas que tinha que responder.

Inexperiência

- Ganhei experiência em algumas coisas em que você tem que largar um pouco mais na frente. Muita gente falava da falta de experiência em cargo assim, tanto pepino para administrar. Teve a saída do Coutinho também, tive apoio da direção, tenho um diálogo muito bom com a Patricia. A chegada do Dorival foi muito boa, a convivência com o Joel foi um aprendizado, um cara que tem currículo, muitos anos. Não éramos tão íntimos de conversar, acho que pela diferença de idade, mas procurava ver a postura e tudo para estar aprendendo. Foram duas comissões técnicas diferentes, bons relacionamentos, muita gente. Estou satisfeito, não foi fácil, não. Vou confessar que algumas noites era joelho no chão para pedir a direção de Deus mesmo. É a família apoiando, aquelas coisas de contratação, necessidade de trazer alguém, fase de muitos jogos sem vitória. Legal que tive apoio da torcida. As torcidas organizadas mesmo. Todos apoiando, confiando, acreditando. Tanto é que os recebi naquela crise, foi um dos dias mais tensos para mim.

Avaliação do grupo

- Eu acho que estamos terminando o ano com uma base de razoável para boa, estamos tendo uma resposta, principalmente os jogadores que vieram, havia desconfiança. Acredito que mais três ou quatro peças de ponta, com esse grupo formado na reta final, vamos ter time para brigar por campeonato.

Reforços

- Tenho os nomes. Em algumas posições são opções A, B e C. Mas a A é o top. Já liguei para alguns representantes desses atletas. Vou iniciar a conversação e deixar bem encaminhado, mas nessas conversas sempre falo que o “ok” final tem que ser depois da eleição. Mas não me impede de deixar tudo alinhavado para não perder tempo. Se deixar para começar em 10 de dezembro, você perde tempo. Iniciar uma conversa, esse planejamento, isso eu posso fazer. Independentemente de ficar ou não. No dia 3 de dezembro vai estar tudo pronto. Não fiquei? Quem quiser permanece o trabalho. Quem não quiser vai correr atrás. Eu não posso perder tempo.

Seguir sem Patricia Amorim

- Eu não estou me envolvendo em política. Sou rubro-negro, mas no momento exerço função remunerada, sou profissional. Eticamente é até ruim expressar qualquer opinião. Não vou dizer que só fico se ela ganhar. Quero o melhor para o Flamengo. Eu sou desse clube, esse clube que deu a chance de começar a nova função. Sem demagogia nenhuma. Eu trabalho para o Flamengo. Se o melhor para o Flamengo for a Patricia, maravilhoso. Se os associados acharem que é outro, eu quero o melhor para o Flamengo. Claro que eu tenho intimidade muito maior com a Patricia, cheguei na gestão dela, me identifiquei, temos uma relação boa, há um respeito. Eu a considero uma pessoa boa, coração bom, do bem. Uma pessoa que trabalha pelo melhor para o Flamengo. Se cometeu erro, é porque todos são passíveis.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Mudança na sede da segunda fase da Liga Sul-Americana


A Associação Sul-Americana de Basquete (ABASU) anunciou mudança no local da disputa dos jogos do grupo do Flamengo na segunda fase da Liga Sul-Americana. As partidas, que aconteceriam em Brasília, serão realizadas em São Paulo, no ginásio do Pinheiros. As datas foram mantidas: 27 a 29 de novembro.

Com isso, a tabela também foi alterada. Em busca da vaga na final, o Flamengo estreia contra o Brasília, dia 27.11, às 20h. No dia 28.11, o Rubro-negro pega o Pinheiros, às 22h10, e encerra sua participação contra o Tiburones de Vargas (VEN), dia 29.11, às 20h. O Flamengo luta pelo bicampeonato da competição.

A estreia do Flamengo no NBB (Novo Basquete Brasil) será dia 24.11, contra o Vila Velha, na casa do adversário.




Zinho dá como certas as renovações de Renato e Léo Moura com o Flamengo


Léo Moura no treino do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)
Zinho pretende renovar os contrato de Léo Moura e Renato antes do início das férias dos jogadores. A última partida do Flamengo no Brasileirão 2012 será contra o Botafogo, no dia 2 de dezembro, e a partir daí, todos estarão liberados. Segundo o diretor de futebol, os dois casos estão bem encaminhados e terão um desfecho positivo. Ambos têm 34 anos e vínculo com o clube até 31 de dezembro. Há um acordo verbal para que o lateral-direito assine por duas temporadas, enquanto o meia deve acertar por mais uma.

- O Léo a gente iniciou uma conversa com o empresário dele, aí com essa sequência e tudo a gente deu uma esfriada, mas está muito bem encaminhada. Conversei com o empresário do Renato também. Não vai ter problema nenhum. O Renato quer ficar também. Antes de entrar de férias acredito que isso estará solucionado – disse Zinho.

Na última terça-feira, Léo Moura disse que quer ficar no Flamengo, mas deixou claro que a espera pela assinatura do contrato tem prazo de validade. Disse ainda que tem sido procurado por outros clubes.

- Não me preocupa (a demora), tenho respeito, carinho pelo Flamengo, mas sou sincero em tudo que falo. Não posso ficar esperando até o fim, as coisas acontecem no futebol, existem pessoas ligando, procurando, o mercado procura. A preferência é sempre do Flamengo, pelo amor que tenho pelo clube e pelo que já foi conversado, mas quero que o Flamengo decida para eu definir a minha vida – afirmou o camisa 2.

Assim como Léo Moura e Renato, outros nove jogadores estão em fim de contrato: o goleiro Marcelo Carné, os laterais Wellington Silva e Magal, o zagueiro Arthur Sanches, os volantes Amaral, Rômulo e Maldonado, o meia Bottinelli, e o meia-atacante Wellington Bruno. Zinho e o técnico Dorival Júnior já começaram a definir o grupo para 2013.

- Dorival e eu não fechamos o elenco ainda, essa é a última parte do planejamento. Mesmo porque você tem de ter cuidado, pois o vazamento pode prejudicar o andamento dos três jogos finais. São vários jogadores em fim de contrato, outros vão voltar de empréstimo e a gente tem de trazer reforços. Vamos decidir também a situação dos jogadores que vieram. Acredito que vamos exercer (direito de compra) no caso do Amaral e do Wellington Silva, que cresceram muito na reta final.

Os contratos de empréstimo de Amaral e de Wellington Silva chegam ao fim na virada do ano. Hoje, os dois são titulares. No caso de Wellington, o clube adquiriu 50% dos direitos econômicos quando o contratou do Resende, depois do Carioca, e tem a opção de compra do restante.


Divulgação de pesquisa causa racha entre chapas de oposição do Flamengo


Eduardo Bandeira de Mello, candidato da chapa azul no Flamengo (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)A 17 dias da eleição do Flamengo, as chapas de oposição se sentaram pela primeira vez à mesma mesa para discutir uma possível união para enfrentar nas urnas a presidente do clube, Patricia Amorim, que tentará o segundo mandato no pleito de 3 de dezembro. Na tarde desta sexta-feira, os cinco candidatos opositores se reuniram durante duas horas no restaurante de um hotel na Zona Sul do Rio. Porém, o clima não foi dos mais amenos. A publicação nesta sexta-feira de uma pesquisa feita pela Chapa Azul, encabeçada por Eduardo Bandeira de Mello, na coluna de Renato Mauricio Prado, no jornal O Globo, foi o estopim de uma tensa discussão que levou o candidato da Chapa Rosa, Jorge Rodrigues, a decretar ao fim do encontro que a aliança com Bandeira de Mello e seus pares é "impossível".

Eduardo Bandeira de Mello na saída da reunião (Foto)

A pesquisa aponta que o candidato da Chapa Azul teria 50,4% dos votos, com larga vantagem sobre Patricia Amorim, que apareceria na segunda posição, com 14,8%. Os números foram ironizados por Rodrigues.

- Foi o início de uma conversa, vamos começar a elaborar uma forma de nos juntarmos. Vamos fazer uma pesquisa séria, porque essa que foi divulgada a gente sabe que foi toda armada. Ninguém gostou, foi totalmente dirigida pela Chapa Azul, não tem cabimento. Se fosse verdadeira, acha que sentariam com a gente hoje? É uma prova que foi manipulada. Ninguém faz acordo sabendo que já é vencedor. Com a Chapa Azul, depois dessa pesquisa fajuta, não há como. Colocaram aquilo para sentar com a gente por cima. Com a Chapa Azul, não há a mínima possibilidade de acordo.

Jorge Rodrigues foi acusado recentemente pelos integrantes da Chapa Azul de fazer aliança com a chapa de situação, de Patricia Amorim, para forçar a impugnação dos nomes de Wallim Vasconcellos e Rodolfo Landim na reunião do Conselho de Administração realizada no último dia 8. O ex-presidente Marcio Braga, aliado da Chapa Azul, chegou a afirmar que o grupo combatia a chapa de "Jorge Amorim ou Patricia Rodrigues". Jorge Rodrigues, por sua vez, assegurou que só se tornou candidato por se sentir traído por Amorim e garantiu que não haverá aliança com a atual mandatária do clube.

Mauricio rodrigues, candidato no Flamengo (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)
Estiveram no hotel Eduardo Bandeira de Mello, Jorge Rodrigues, Lysias Itapicurú, Mauricio Rodrigues e Ronaldo Gomlevsky. O movimento de união das oposições vinha ganhando força nos últimos dias, porém a divulgação da pesquisa dificultou o acordo. O encontro foi convocado por Lysias, durante a comemoração dos 117 anos do Flamengo, na quinta-feira, na Gávea. A Chapa Azul foi convidada posteriormente.

Indagado sobre a evolução das tratativas, Eduardo Bandeira de Mello foi sucinto, sem mostrar muito otimismo. Ele deu a entender que espera que as conversas encaminhem o apoio das demais chapas de oposição ao grupo que sair vencedor no pleito.

Mauricio Rodrigues também esteve no almoço (Foto)

- Possibilidade sempre há, e a Chapa Azul está sempre aberta a conversar. Foi um início de entendimento, é bom conversar até para todos se conhecerem e garantir uma melhor governabilidade do Flamengo. É mais um entendimento para quem ganhar ter o apoio dos outros - disse Bandeira de Mello.

O candidato da Chapa Azul mostrou cautela ao ser perguntado se havia a chance de união das cinco chapas antes das eleições.

- Quem sabe mais para frente pode acontecer alguma coisa? A gente está sempre disposto a conversar. Ainda não está marcada outra reunião, mas, se me chamarem, estarei presente.

Mauricio Rodrigues também se revelou reticente quanto à união das chapas. Ele acredita que duas ou três delas podem se juntar, mas não crê em candidatura única de oposição.

- É difícil que todas se unam. Foi uma primeira conversa, as pessoas mostraram uma postura bastante rígida, todos querem ser presidentes, natural que seja assim em um primeiro encontro. A gente vai esperar mais um pouco, devemos conversar mais no fim da próxima semana. A minha proposta foi que seja feita uma pesquisa séria e que, a partir daí, a gente possa passar a definir uma possível união, aproveitando o melhor de cada chapa - afirmou.

Consultado, Ronaldo Gomlevsky também confirmou que houve tensão na reunião, mas procurou manter o otimismo, apesar de acreditar que a união de todas as chapas de oposição é inviável.

- Todas as chapas, acho muito difícil. É claro que houve momentos em que a coisa esquentou um pouco, por causa dessa pesquisa que saiu, mas política é assim. Na foto, sai todo mundo sorrindo. Vamos ver o que vai acontecer nas próximas conversas, tudo é possível.

Lysias Itapicurú adotou discurso semelhante, condenando a divulgação da pesquisa e demonstrando confiança na união de algumas candidaturas.

- A pesquisa causou um desconforto muito grande, até porque todos sabemos que não é verdade. mas há possibilidade de união, sim, as chapas vão continuar o diálogo, até porque eu estou trabalhando muito para isso.


Paulo Victor será mantido como titular até o fim do Campeonato Brasileiro


O técnico Dorival Júnior revelou que o goleiro Paulo Victor será mantido no gol rubro-negro mesmo com a recuperação do titular Felipe. O treinador informou que já havia um acordo para dar chance ao camisa 27 na reta final da competição, independentemente do que acontecesse no Campeonato Brasileiro.

- Sempre vou respeitar aquilo que foi feito. O Felipe vinha sendo titular, mas já estava combinado que o Paulo Victor terminaria a competição como titular, independetemente desta lesão. O Flamengo tem dois bons goleiros hoje - afirmou.

Quando Dorival Júnior foi contratado, Paulo Victor era escalado por Joel Santana entre os 11. Porém, foi sacado pelo treinador com a justificativa de que o momento exigia um jogador mais experiente no gol e Felipe, desde então, passou a ser o dono da posição.



Dorival repete escalação do último jogo e define time contra o Palmeiras

 
só uma
mudança (Maurício Val / VIPCOMM)Eliminado o risco de rebaixamento, o Flamengo quer aproveitar as três últimas rodadas do Brasileirão para conseguir melhorar sua posição na tabela e se aproximar de uma vaga na Copa Sul-Americana do ano que vem. Hoje, o time está em nono, com 47 pontos. No domingo, o Mengão enfrenta o desesperado Palmeiras, que tenta fugir da Série B. Na manhã desta sexta-feira, Dorival Júnior comandou um treino coletivo para preparar a equipe. O time titular da atividade teve Paulo Victor, Wellington Silva, Renato Santos, González e Ramon; Amaral, Ibson, Renato e Cleber Santana; Hernane e Vagner Love. Ramon, que cumpriu suspensão na vitória por 1 a 0 sobre o Náutico, volta à lateral esquerda.

Machucados, o goleiro Felipe, o lateral-direito Léo Moura e o atacante Liedson estão fora da partida. Eles fazem tratamento. Léo Moura reclama de incômodo na panturrilha direita. Felipe desfalcou o time nas partidas diante de Figueirense e Náutico. O goleiro teve uma entorse no tornozelo no empate por 1 a 1 com o Atlético-MG, na 33ª rodada. Já Liedson sentiu dores no joelho esquerdo - que já foi operado três vezes - às vésperas do jogo com o Náutico, e foi substituído por Hernane.

Para a Sul-Americana 2013, classificam-se os oito times com a melhor colocação, excluindo os que estiverem disputando a quarta fase da Copa do Brasil 2013 (oitavas de final). Todos os classificados para a Libertadores estarão automaticamente nas oitavas da Copa do Brasil e, portanto, não jogarão a Sul-Americana.

Flamengo e Palmeiras se enfrentam às 17h (de Brasília) deste domingo, em Volta Redonda. Se perder, o Palmeiras estará rebaixado, independentemente de qualquer outro resultado na rodada.



Longe da ‘vida loca’, Rafinha é aposta do Fla na final da OPG com Botafogo


Para o torcedor do Flamengo, ainda existe uma chance de gritar “é campeão” no futebol em 2013. Com o time profissional na 9ª colocação do Campeonato Brasileiro, está nos pés dos juniores a esperança de título no fim da temporada. Neste sábado, o Mengão faz o primeiro jogo da decisão da Taça OPG com o Botafogo. O GLOBOESPORTE.COM transmite a partida ao vivo direto da Gávea, às 16h. Pelo lado rubro-negro, uma das apostas atende pelo nome de Rafinha, atacante de 19 anos que luta para brilhar em meio à pressão que vem desde as categorias de base do Flamengo.

Rafinha, jogador dos juniores do Flamengo, com a noiva Gabrielle (Foto: Arquivo Pessoal) 
Rafinha posa com a noiva, Gabrielle, e o cachorro Taleco (Foto: Arquivo Pessoal)

Rafinha é titular do time que enfrentará o Botafogo. Nascido no Maranhão, ele logo foi com a família para Brasília e passou a jogar futebol. Há quatro anos, chegou ao Rio para defender o CFZ e, depois, se transferiu para o Flamengo.

- Neste ano, fomos eliminados da Copa do Brasil (derrota para o Cruzeiro), perdemos a Taça BH (nos pênaltis, para o Grêmio, na grande final), então vamos para ser campeões da OPG. Já enfrentamos o Botafogo desde a base, conhecemos o time deles, que é bom, joga solto. Quem errar menos vai conseguir a vitória, não podemos levar gol. E temos que aproveitar o primeiro jogo em casa – declarou Rafinha.

A segunda partida será no dia 24, no Caio Martins. Rafinha parece disposto a trabalhar no presente para vencer no futuro. Para isso, dribla as tentações e chuta para longe as badalações extracampo comuns no meio dos boleiros.

- Não gosto de night, de badalação. Sou tranquilão, caseiro, não conquistei nada ainda. Tem uns caras novos que já querem ficar na “vida loca” – disse Rafinha.

Rafinha Juniores Flamengo (Foto: Celio Messias / VIPCOMM) 
Rafinha celebra um gol pelos juniores do Flamengo (Foto: Celio Messias / VIPCOMM)

Aos 19 anos, o atacante é noivo de Gabrielle, com quem divide um apartamento na Zona Oeste do Rio. O “filho” do casal completou três meses recentemente: o cachorro Taleco.

No fim do ano passado, o jogador quebrou a tíbia da perna direita e ficou três meses afastado do gramado. Quando se preparava para voltar, teve um problema no músculo posterior da coxa esquerda. Mais 60 dias parado. De volta, ele reconquistou seu espaço como titular. E, com calma, espera uma chance entre os profissionais.

- A ansiedade é normal, mas Deus me deu o talento de jogar futebol, uma hora vai acontecer. O que tenho que fazer é me preparar e estar pronto para quando a oportunidade aparecer eu estar pronto. Estou jogando direto nos juniores, uma hora vai acontecer – afirmou o atacante, que tem contrato com o clube até o primeiro semestre de 2014.

Campeão em 2011

No ano passado, o Flamengo também decidiu a OPG, só que contra o Fluminense. E o Rubro-Negro venceu por 5 a 4 nos pênaltis, depois de empates por 1 a 1, nas Laranjeiras, e 3 a 3, na Gávea.

Fla se acerta com nova fornecedora e deve pagar R$ 3 milhões por distrato



nova camisa do Flamengo reprodução (Foto: Reprodução) Depois de revisar e discutir pontos de um contrato de 90 páginas oferecido pela Adidas, a direção do Flamengo tenta encaminhar a proposta para o Conselho Deliberativo até o fim do mês para ter a nova fornecedora de material esportivo a partir de maio, quando começa o Campeonato Brasileiro de 2013. A Olympikus já é tratada como futura ex-parceira. Mas o clube precisa depositar R$ 3 milhões para a empresa até o dia 10 de dezembro, conforme previsto no termo de distrato do vínculo que iria até 2014. Caso o Rubro-Negro não cumpra o acordo, a Olympikus tem direito de permanecer até o fim do contrato.

- Encaminhamos o contrato da Adidas, entregamos para o Conselho Deliberativo. Agora, sugerimos que seja votado até o dia 26, 27. A proposta da Adidas tem dois aspectos: o financeiro, que é muito bom, é o melhor contrato de fornecimento de material esportivo do Brasil. Serão R$ 38 milhões por ano, um caminhão de dinheiro; outro aspecto é a internacionalização da marca, passaremos a ser top five da Adidas, ao lado de Bayern de Munique, Chelsea, Milan e Real Madrid. Serão vendidas camisas do Flamengo em lojas de todo o mundo – afirmou o vice-presidente de marketing do Flamengo, Henrique Brandão.

A Olympikus exigiu R$ 13 milhões para deixar o clube antes do fim do contrato. Além dos R$ 3 milhões que precisam ser depositados até o dia 10 de dezembro, a fornecedora deixou de fazer os pagamentos desde outubro e ficaria assim até abril, ao término do Campeonato Carioca, o que totalizaria os R$ 13 milhões.

- A Olympikus foi parceiraça, atendeu todas as nossas solicitações, a relação foi ótima. Acho que eles não conseguiram cobrir a proposta – completou o vice de marketing.

Existe pressão de uma ala do clube a fim de que a votação aconteça antes das eleições para presidente marcadas para 3 de dezembro.Caso isso aconteça, a votação no Conselho promete ser quente. A oposição questiona o fato de uma decisão importante e que acarretará numa união para os próximos 10 anos ser votada antes do pleito.

No último mês, a Olympikus contabilizou a venda de apenas quatro mil camisas do Flamengo. Houve mês em que a empresa chegou a vender 120 mil peças.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Apostas dos torcedores se refletem em cobranças para Fla passar o vasco

 Durante a maior parte do Campeonato Brasileiro, o vasco rondou o topo da tabela, enquanto o Flamengo figurou do meio para baixo, com direito a risco de rebaixamento. Com apenas três rodadas para o fim da competição a diferença é de quatro pontos e nenhum dos times tem qualquer aspiração para a reta final. Restou a disputa entre os dois, para ver quem termina na frente. E a cobrança da torcida tem sido grande, principalmente pelas apostas entre rubro-negros e vascaínos.

.Uma das "vítimas" desses pedidos dos torcedores, o lateral-esquerdo Ramon contou alguns deles nesta quinta-feira e aproveitou para fazer o seu para os apostadores.

- Já me cobraram pedindo para ganhar (a aposta) porque apostaram almoço, jantar, garrafa de uísque... Uísque não gosto muito não, mas se for jantar, churrasco, podem me chamar que eu vou - brincou.

O meia Renato também afirmou que terminar na frente do vasco é o objetivo do Flamengo no Campeonato Brasileiro, para atender à torcida.

- Aqui no Rio a rivalidade é muito grande entre os dois times. A gente encontra torcedor na rua que fala que pode perder o título, mas tem que ganhar o vasco, e o vascaino é a mesma coisa. É a rivalidade entre eles que faz parte da nossa vida, mas não podemos levar o que vem de fora para dentro. Do outro lado há profissionais capacitados para ganhar da mesma forma que a gente almeja na competição. Creio que será um jogo dificil, mesmo com os dois sem ter muito o que brigar, mas é sempre bom terminar na frente de um rival - disse Renato.

O clássico entre os dois times será disputado no dia 24 de novembro, sábado, às 19h30m (de Brasília), no Engenhão, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Antes disso, o Flamengo encara o Palmeiras, neste domingo, às 17h, no Raulino de Oliveira.


‘Pelada de luxo’ é atração na festa dos 117 anos do Flamengo


Um encontro de gerações marcou as comemorações dos 117 anos do Flamengo. Craques do passado abrilhantaram a festa na sede do clube. Ex-jogadores disputaram uma partida festiva pela Flamaster, equipe formada por ex-atletas do Mengão. O grupo se dividiu em duas equipes para a exibição no sagrado gramado da Gávea. O jogo contou com a participação de ex-atletas como Zinho, Adílio, Jorginho, Claudio Adão, Piá, Marquinho, Julio Cesar Uri Gueler, Nélio, Jaime de Almeida, Leandro Ávila, entre outros.

Quem não estava para brincadeira mesmo era Zinho. O ex-meia e atual diretor de Futebol do clube foi o grande destaque do jogo, marcando 4 dos 6 gols da vitória do time de camisas rubro-negras. A equipe de camisas brancas balançou as redes quatro vezes.

"A gente até brinca antes do jogo, mas quando rola a bola é diferente, todo mundo quer ganhar (risos). Essa data é sensacional. Fico muito feliz de estar aqui comemorando os 117 anos do Flamengo. E é ótimo rever os amigos, alguns que você quase não encontra", diz Zinho, que pretende participar da pelada nos próximos anos.

"Os cabelos vão estar mais brancos e barriguinha deve estar maior (risos), mas vai ser uma honrar (participar dos jogos festivos). Independentemente de eu estar trabalhando no clube ou não, quero participar, afinal de contas, nós fazemos parte da história. E jogar uma pelada é sempre bom. Sempre que eu puder, vou estar aqui", completa.

Adílio, outro ídolo rubro-negro, mostrou que, mesmo aposentado, ainda bate um bolão. O ex-jogador esbanjou técnica e saudou os amigos no fim do duelo. 

"É uma emoção. São 117 anos. E estar aqui com Claudio Adão, Nélio, Zinho, Piá e tantos outros amigos, é muito legal. Então é muito importante participar dessa festa aqui. Se deixar a gente com a bola aqui, a gente fica brincando até e manhã", disse Adílio.

Nélio, que brilhou no Mengão, na geração posterior a de Adílio, também fez a alegria do público presente. O ex-jogador ressaltou que gostaria de jogar peladas como a de hoje por mais vezes. Ele diz que é bom para reencontrar amigos e matar a saudade do manto sagrado.

"É sempre bom estar aqui, no lugar onde eu começei. Quase 18 anos jogando aqui dentro, das categorias de base ao profissional. A gente fica sempre feliz de poder retornar. Queríamos nós que pudesse ter esse encontro não só de ano em ano, mas sempre. É bom poder rever amigos. Campeões, jogadores que eu era fã quando eu jogava. Então essa festa é muito legal no aniversário do Flamengo", disse o Nélio, que se diz rubro-negro de pele, alma e coração.

Além do jogo de masters, o gramado da Gávea recebeu mais duas partidas comemorativas: funcionários do clube enfrentaram um time formado por jornalistas e artistas duelaram entre si.
 
 

Lysias Itapicurú promete Sampaoli no Flamengo; agente confirma contato



O técnico Dorival Júnior não é unanimidade entre os candidatos à presidência do Flamengo. Lysias Itapicurú, da Chapa Verde, disse ao LANCENET! nesta quinta-feira que fez contatos com o agente de Jorge Sampaoli, treinador da Universidad de Chile. Em caso de vitória, ele promete tentar a contratação de Sampaoli para 2013.

- Eu darei ao Flamengo no aniversário de 118 anos o Jorge Sampaoli como técnico do clube. Ontem (quarta-feira) tive o prazer de conversar com o seu interlocutor, o Gelson, estamos apalavrados. Se eu for eleito ao cargo de presidente, quero Jorge Sampaoli ao meu lado como técnico - afirmou o candidato.

O ex-jogador Gelson Baresi, agente do treinador do clube chileno, confirmou o encontro com Lysias Itapicurú em conversa com a reportagem.

– Tivemos um jantar e ele manifestou esse interesse. É claro que está em um período eleitoral e não tem como conversar sobre algo concreto. Ele é conhecedor do trabalho do Sampaoli e sabe trabalhar com os jovens – contou o empresário.

Jorge Sampaoli tem vínculo com a La U até dezembro de 2013.

Durante festa, oposição à presidência do Flamengo cogita união de chapas



Candidatos à presidência do Flamengo (Foto: Bruno de Lima)
 
Os seis candidatos à presidência do Flamengo para o triênio 2013-2015 estiveram nesta quinta-feira, na Gávea, onde comemoraram 117 anos de existência do clube. Durante a festa, os opositores Maurício Rodrigues, Lysias Itapicurú, Ronaldo Gomlevsky e Jorge Rodrigues posaram juntos e estão dialogando para uma possível união para o pleito do dia 3 de dezembro. O LANCE!NET conversou com todos os candidatos.

- Estou tentando uma união entre os candidatos da oposição. Queremos deixar o Flamengo unido. Por isso que tiramos essa foto. Os quatro da foto estão conversando e comprometidos com o Flamengo. Estamos dialogando e bem avançado para ter um sucesso eleitoral, comemorando a vitória não do candidato, mas do Flamengo. Já chamamos a Chapa Azul, mas colocaram condições e não conversaram - declarou Lysias Itapicurú.

Outro candidato à presidência, Ronaldo Gomlevsky alfinetou a atual presidente Patricia Amorim e disse o que deseja dar de presente para o clube no aniversário de 118 anos:


Patricia Amorim distribui autógrafos para torcida na Gávea (Foto: Bruno de Lima)

   
- O Flamengo tem 117 anos e não são três anos ruins de uma presidente que vão empanar o brilho e a grandeza do Flamengo. Somos muito felizes da possibilidade do Flamengo comemorar os 117 anos, e muito feliz com a possibilidade de tirar a atual presidente nas próximas eleições. Quero dar de presente o título do Mundial de clubes - afirmou Ronaldo Gomlevsky.

Patricia Amorim, candidata a reeleição, não quis entrar muito no mérito da corrida eleitoral. A atual presidente ressaltou que o clube passou por mudanças e o torcedor merece o respeito por entendê-las:

- O torcedor merece sempre todo o nosso respeito. Esse ano não foi um ano de vitórias, mas de aprendizado. A coragem que nós tivemos de propor uma nova formação, consolidar patrimônio de jogador, formar na base, fomos campões da Copa São Paulo ano passado, chegamos à final da Taça BH. Hoje, o Flamengo forma e aproveita os jogadores. Isso tivemos a coragem de fazer e fizemos - afirmou a atual mandatária.

O candidato Maurício Rodrigues também comentou a possível a união entre a oposição. Segundo ele, o ruim atual momento no futebol rubro-negro acabará durante o próximo ano.

- Sempre prego uma união entre os candidatos, é saudável. Esse ódio e rancor se reflete em todos os departamentos e dentro do campo. Temos que nos unir. Chegamos até aqui com 40 milhões de torcedores. Não estamos atravessando um bom momento no nosso carro-chefe, que é o futebol. Mas tenho a absoluta certeza que uma fase negativa como essa que estamos atravessando, começará a se reverter em 2013 - disse Maurício Rodrigues.

Substituto de Wallim Vasconcellos, o candidato Eduardo Bandeira de Mello falou sobre a comemoração dos 117 anos do Flamengo nesta quinta-feira.

 
Visitantes tiveram que pagar R$ 10 para participar das comemorações (Foto: Bruno de Lima)

- Sempre é bom comemorar com o Flamengo. Não é a toa que é feriado. A Proclamação da República é um fato secundário ao lado da fundação do Flamengo. A torcida sofreu muito nos últimos três anos. No ano que vem, queremos comemorar o aniversário com uma nova etapa, com uma gestão melhor do clube - enfatizou Eduardo Bandeira de Mello.

Por fim, o candidato Jorge Rodrigues falou sobre a comemoração realizada na Gávea e já prometeu a primeira ação, caso consiga se eleger presidente do Rubro-Negro.

- Flamengo é uma união, uma confraternização. O dia de hoje mostra que a união faz a força. E, apesar de tudo, de todos os problemas, estamos na maior. Vamos comemorar os 117 anos e vamos comemorar em 2013 o ano da mudança, com uma nova gestão e pensamento. O Flamengo vai virar adulto com 118 anos. Quero cobrir a quadra de tênis. Esse será o primeiro presente que darei para a torcida do Flamengo - apontou Jorge Rodrigues.




Ramon descarta aliviar para ajudar o Palmeiras: 'É problema deles'



Ramon, Treino do Flamengo (Foto: Mauricio Val / Vipcomm) Uma vitória do Flamengo sobre o Palmeiras no próximo domingo decreta o destino dos paulistas para 2013, com mais um rebaixamento. Apesar dos rubro-negros não terem mais objetivos para alcançar na competição, engana-se quem pensa que isso pode facilitar a vida dos adversários. Quem garante é o lateral-esquerdo Ramon, que disse que não terá pena.

- Se fosse o Flamengo ninguém ia ter pena. A gente não tem nada a ver com essa fase do Palmeiras. Se vai rebaixá-los, é problema deles. Teremos a mesma entrega, porque o que envolve o jogo de domingo é muito grande, ganhar e rebaixar uma equipe como o Palmeiras. A gente não tem nada a ver com isso, com a fase do Palmeiras. Não temos que pensar neles, temos que pensar em ganhar e fazer os pontos para terminar em uma posição digna. Se vai rebaixá-los ou não, isso não cabe a nós - afirmou.

Emprestado ao Flamengo justamente pelo maior rival do Palmeiras, o Corinthians, Ramon quis evitar polêmica quando questionado se contribuir com o rebaixamento dos paulistas teria um sabor diferente para ele.

- Não vou entrar nessa de rebaixar o Palmeiras. Se eles forem rebaixados, quem rebaixou o Palmeiras, foi o Palmeiras, que foi mal desde o começo. Não quero entrar nessa questão, porque não quero polêmica em São Paulo - concluiu.

Flamengo e Palmeiras se enfrentam no próximo domingo, às 17h (de Brasília), pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.



Com contrato até o fim do ano, Renato reitera desejo de renovar com o Flamengo


Renato Abreu - Flamengo (Foto: Cléber Mendes)
Com contrato até o fim deste ano, o volante Renato declarou o desejo de permanecer no Flamengo. Segundo o jogador, o acordo entre ele e o clube tem tudo para ser concretizado após o término do Campeonato Brasileiro.

- Espero que o clube renove comigo. Tenho certeza de que essa renovação está se encaminhando aos poucos. Espero que nas férias isso tudo já esteja acertado - comentou o volante.

Após explicitar o desejo de continuar no clube da Gávea, o camisa 11, que teve recentemente seu nome eternizado na calçada da fama rubro-negra, explicou a emoção que sente no aniversário de 117 anos de fundação do Flamengo, que é celebrado nesta quinta-feira.

- Estou muito alegre pelo aniversário do clube. O que tenho a dizer é que eu faço parte dessa familia rubro-negra. Nós convivemos com pressão o tempo todo, mas temos uma torcida maravilhosa. São cinco anos no clube, quero desejar parabéns a todos que passaram pelo clube, atletas, funcionários e diretores - disse o jogador.



Flamengo x Ronaldinho: distância de R$ 9 milhões


Os advogados de Flamengo e Ronaldinho Gaúcho concordam em um ponto: os valores propostos pelo clube e pedidos pelo jogador permanecem distantes. E a distância, neste momento, é de R$ 9 milhões. A última oferta da Gávea foi de R$ 11 milhões, atendendo à exigência dos representantes do atleta de pagamento com garantias e em curto prazo. O clube chegou a oferecer a quitação em duas parcelas de R$ 5,5 milhões, uma delas vencendo na assinatura do acordo, outra com prazo até março para ser honrada. A verba seria garantida pelo  contrato de transmissão de jogos.

O atual camisa 49 do Atlético-MG rejeitou a proposta e seus representantes passaram aos rubro-negros o pedido de R$ 20 milhões. Os valores oferecidos pelo clube e o pedido de Ronaldinho englobam as duas ações que correm na Justiça do Trabalho, uma referente à rescisão de contrato de trabalho e de imagem, de R$ 40 milhões, e outra por danos morais, de R$ 15 milhões. Os processos estão suspensos até o dia 23 para que as partes tentem chegar a um consenso. Do contrário, será marcada nova audiência. O primeiro encontro no tribunal aconteceu no último dia 8.

No dia do aniversário, jogadores do Fla querem que 2012 sirva de lição

O aniversário de 117 anos do Flamengo é motivo de pouca comemoração para os jogadores. As campanhas ruins na temporada, com duas eliminações nas semifinais dos turnos do Campeonato Carioca para o arquirrival Vasco, queda na primeira fase da Taça Libertadores e fuga contra o rebaixamento até a 35ª rodada do Campeonato Brasileiro não agradaram à torcida. Para os atletas, 2012 tem que servir como um aprendizado para o ano que vem ser diferente.

Segundo o meia Renato Abreu, o desempenho no Campeonato Brasileiro foi comprometido pelo começo da competição, quando os rubro-negros não conseguiram arrancar e ficaram distantes dos líderes.

- Fica uma lição para não cometermos os mesmos erros ano que vem. Não tivemos uma sequência no começo do campeonato, de resultados positivos, por isso o ano não foi tão bom. Se fizéssemos uma sequência boa no primeiro turno, estaríamos brigando por algo melhor. É um campeonato competitivo, do começo ao fim tem briga intensa para ganhar título e para não cair e fica a lição para, no ano que vem, entrarmos diferentes e fazermos o máximo de pontos possíveis no começo da competição, que depois na frente é só manter - disse.

Já o lateral-esquerdo Ramon, que também bateu na tecla de que 2012 precisa ser uma lição para 2013, afirmou que o momento político do clube, que passará por eleições, atrapalhou os jogadores.

- Foi um ano muito complicado. Não estou querendo falar da política do Flamengo, mas ano de eleição no Flamengo é muito conturbado. Temos que pesar os prós e contras, esquecer o que foi ruim e tirar lição disso. O que a gente fez de bom, tem que manter para o começo do ano que vem. Tenho certeza que o Flamengo virá muito forte em 2013 - declarou o lateral.

Candidato impugnado no Fla ameaça Chapa Azul com 'visita a Deus'


Primeiro candidato a ser impugnado na eleição do Flamengo marcada para o dia 3 de dezembro, o sócio-proprietário José Carlos Peruano, famoso por ser ex-líder da Torcida Jovem do clube, fez uma séria ameaça aos integrantes da Chapa Azul, encabeçada por Eduardo Bandeira de Mello e Walter D'Agostino. Em entrevista ao blog "Ser Flamengo", publicada no YouTube no último dia 13, Peruano atacou o que chamou de "candidatura dos almofadinhas e mauricinhos" e deixou no ar uma ameaça grave:

- Se eles ganharem... e botarem o Flamengo na segunda divisão... eu vou parar em Bangu I (penitenciária de segurança máxima carioca). Já fiz uma reserva. Vou até falar pro governo do estado melhorar as condições lá, porque se eles colocam o Flamengo na segunda divisão, esse bando de mauricinhos que vieram lá de São Paulo, eles podem contar que não vão estar impunes enquanto eu estiver respirando. Vou para Bangu I tranquilamente, mas eles vão visitar Deus.

torcedores do Flamengo no treino (Foto: Janir Junior / GLOBOESPORTE.COM) 
Peruano (à esquerda) com membros de organizadas do Fla (Foto: Janir Junior / GLOBOESPORTE.COM)
 
Ao comentar, no último dia 12, a reunião do Conselho de Administração realizada no dia 8  e que impugnou as candidaturas de Wallim Vasconcellos e Rodolfo Landim pela Chapa Azul, Marcio Braga se referiu, endossado por Wallim, à intimidação por parte de "torcedores profissionais", sem citar nomes. A declaração foi dada em coletiva para apresentação dos novos candidatos.

- Eu me senti ameaçado dentro do Flamengo nesta reunião. Tal qual a mulher do João (Henrique Areias, sentado ao lado de Braga), o filho do Eduardo... Eu detesto homem me olhando de cara feia. E passei por constrangimento dentro do Flamengo, daquela corja que estava lá. Só compareço ao Flamengo daqui para frente com minha segurança pessoal - disse Braga.

Segundo integrantes da Chapa Azul, Peruano ofendeu a mulher de João Henrique Areias e, "acidentalmente", urinou no pé de um membro da Chapa Azul no banheiro durante a votação. O ex-candidato diz que gosta de quatro chapas - e só não quer a vitória da Azul:

- Esses mauricinhos e almofadinhas não vão tirar o Flamengo da gente. Nunca vieram aqui, nem conhecem o Flamengo - disse.

Na entrevista ao "Ser Flamengo", Peruano disse que a violência apenas "muda de lado":

- Eu não posso reclamar do Marcio Braga, ele me nomeou diretor de ouvidoria, me deu essa honra, nenhuma diretoria fez isso por mim. Devo essa a ele. Agora dizer que se sente ameaçado no Flamengo, se eu já quebrei minha cabeça para defendê-lo? Eu acho que a violência só muda de lado. Já briguei por ele... que levou um soco na cara na final do Santo André. Abriram minha cabeça quando fui defendê-lo. Tenho o maior carinho por ele.

Apesar desse "carinho", o ex-candidato não poupou Márcio de críticas por apoiar Wallim. Virou sua metralhadora também para o maior ídolo da história do Flamengo - dizendo que "Zico é incontestável, mas o Arthur gosta de dinheiro". E fez acusações:

- Eles não gostam de pobre. Querem pobre na arquibancada aplaudindo se possível longe. E vivem outro Flamengo, daquele filme Matrix, em que a vida é linda, a rua é limpa, os banheiros funcionam, a polícia não é corrupta, vivem num conto de fadas. Em que o Zico virá numa aeronave transformar o Flamengo no Barcelona, em que o Wallim não gosta de dinheiro, está nessa porque é rubro-negro fanático, em que o Landim adora o Flamengo, em que o Marcio Braga não usa drogas, tudo perfeito, o mundo é perfeito. A renovação no Flamengo começa com 80 anos. O doutor Marcio Braga daqui a pouco vai estar internado em uma clínica para idosos e vai mandar mensagem: "Doutor Wallim, o senhor está bem aí, está gerindo bem o Flamengo? Porque eu sou a renovação, estou quase morrendo, mas o senhor é a renovação e você tem o meu apoio". Está de sacanagem, não é?

Consultado, Marcio Braga ficou em dúvida se valeria a pena responder. Optou por uma rebatida curta:

- Será que vale a pena responder? Ao responder, se iguala. Mas para dizer alguma coisa, eu diria que também tenho muito carinho pelo Peruano. O vejo como um torcedor mais exacerbado do que os outros, mas vejo que quer o bem do Flamengo. É apenas um torcedor exacerbado. E pronto.

A assessoria da chapa liderada por Eduardo Bandeira de Mello informou que o candidato e seus pares não desejam responder às declarações de José Carlos Peruano.


Com a 10 do Fla, Cristina Mortágua diz que sabe pouco de futebol

Uma camisa 10 chamou atenção nesta quinta-feira, na festa pelos 117 anos do Flamengo, na Gávea. Não era nenhuma contratação de peso, mas sim Cristina Mortágua, que comprou um uniforme, gravou seu nome às costas, confessou que pouco entende de futebol, mas que tem paixão pelo Rubro-Negro.

- Quando eu era pequenininha, um infeliz me deu uma camisa do América, e todos meus amigos, amigas eram flamenguistas. Diziam que eu tinha que ser América. Eu respondia: “Pelo amor de Deus, eu quero ser Flamengo”. Só consegui depois de virar adolescente. Mas eu adoro, adoro. Adoro a torcida do Flamengo - afirmou a ex-mulher de Edmundo.

Cristina Mortagua na festa do Flamengo (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com) 
Cristina Mortágua participa do aniversário do Flamengo (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com)
 
A ex-modelo explicou sua participação na festa do Flamengo, e admitiu que pouco sabe do campo e bola:

- Hoje vim prestigiar, acabei de comprar a camiseta, coloquei meu nome. Se estive no Maracanã três vezes foi muito, mas foi onde nasceu a paixão. Mas não entendo nada de futebol, os nomes que o povo fala... Torço, mas fico arrasada quando algum jogador se machuca. Admiro o Neymar, pelo sucesso que vem fazendo. Para mim, que não entendo, é muito difícil falar.



Candidato de oposição lê a Bíblia na missa, e Patricia diz: ‘Tem que rezar’


Depois de um ano complicado para o futebol e às vésperas das eleições no Flamengo, no dia 3 de dezembro, Patricia Amorim brincou depois da missa realizada na capela de São Judas Tadeu, na sede do clube, na manhã desta quinta-feira.

- Tem que rezar - disse a presidente.

patricia amorim flamengo missa festa 117 anos (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com) 
Jorge Rodrigues, candidato da oposição, lê a Bíblia na missa, acompanhado de perto por Patricia Amorim (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com)


bolo flamengo aniversário (Foto: Alexandre Vidal / Flaimagem)Durante as orações, Jorge Rodrigues leu trechos da Bíblia, enquanto Patricia Amorim rezava junto, repetindo as rezas proferidas pelo candidato de oposição.
No início da semana, o ex-presidente Márcio Braga afirmou que Rodrigues e Amorim se uniram na votação do Conselho de Administração, que terminou com a impugnação das candidaturas de Wallim Vasconcellos e Rodolfo Landim, da chapa azul.

Jorge Rodrigues respondeu e rechaçou qualquer hipótese de união com a atual presidente do Flamengo, além de afirmar que só resolveu ser candidato por se sentir "traído" pela mandatária.

Além da missa, a festa pelos 117 anos do Flamengo também contou com a presença da Charanga rubro-negra, que rodou pela sede animando a celebração com músicas de exaltação ao clube.


Charanga flamengo festa 117 anos (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com) 
Charanga anima o aniversário do Fla na Gávea (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com)

Dinamite pede união dos cariocas para evitar a penhora de receitas


Roberto Dinamite na coletiva do Vasco (Foto: Gustavo Rotstein / Globoesporte.com)
A grave crise financeira que enfrenta no Vasco fez Roberto Dinamite fazer um desabafo e um apelo. O presidente clamou por união entre os quatro grandes times do Rio de Janeiro para tentar acabar com a penhora das receitas, que tem sido o calcanhar de aquiles do Cruz-Maltino com 100% de bloqueios atualmente. Ele utilizou o Fluminense como exemplo, já que o Tricolor estaria com dificuldades para pagar a premiação pelo título brasileiro, por ter suas receitas retidas pela Justiça.

- A situação do Vasco é muito parecida com a da maioria dos clubes do Brasil e dos clubes do Rio. Os quatro estão vivendo isso e hoje foi noticiado que o Fluminense, campeão brasileiro, com um grande patrocinador, está tendo problema para pagar a premiação, porque estão querendo reter a receita do clube. É bom colocar isso com relação ao futebol brasileiro, no que diz respeito à parte financeira, administrativa do clube. O Vasco tem esse problema, o Flamengo tem, o Fluminense tem, o Botafogo tem. Todos têm. Quando falo, até o torcedor do Vasco critica, mas temos de estar unidos em prol do futebol do Rio de Janeiro. Temos de tomar uma posição com relação a isso. Estamos fazendo um trabalho, temos de cumprir com nossas obrigações, que têm de ser viabilizadas, e dar condições para que isso aconteça. O Vasco tem uma situação crítica, porque tem penhora de cem por cento. Tem receitas, mas por entender que tem de cumprir com essas outras obrigações, o clube fica preso a uma situação em que todos sentem as dificuldades - afirmou Dinamite.

Para conseguir contornar a situação, o presidente do Vasco disse que entrou em contato com dirigentes de Botafogo, Flamengo e Fluminense recentemente para buscar alternativas para impedir que os clubes tenham suas receitas penhoradas integralmente.

- Estava ligando para Flamengo, Fluminense e Botafogo, para discutirmos essa coisa do que estamos passando neste momento. Aí entra em outra esfera, porque os clubes têm como reverter isso, mas para que isso aconteça, estamos querendo cumprir nossas obrigações de pagar, mas ao mesmo tempo do clube ser viável. Se sua empresa tiver retidos cem por cento do que arrecada, você também vai ficar sem receber seu salário. É importante colocar para vocês (jornalistas). O clube quer pagar, quer negociar, eu estou presidente e quero pagar as coisas do Vasco. Não é só de hoje, mas é do Vasco. Hoje, o Fluminense quer pagar premiação, mas pode ter dinheiro retido. Uma discussão que é importante, porque mexe com a vida e o dia a dia do clube. Vamos tomar uma posição com relação a isso, porque queremos cumprir, se nos derem essa condição - concluiu o presidente.