Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 22 de dezembro de 2012

Flamengo vira contra Bauru, cala Panela de Pressão e segue invicto




ninguém para (Sérgio Domingues/HDR Photo)O Flamengo calou a Panela de Pressão e manteve sua invencibilidade no Novo Basquete Brasil ao vencer o Bauru por 102 a 97, em jogo decidido na segunda prorrogação, na tarde deste sábado, no interior paulista.

Foi a sétima vitória consecutiva do Mengão, que se mantém na liderança isolada da competição e busca igualar o recorde de Brasília, que ganhou seus oito primeiros jogos na temporada 2009/2010.

O time de Bauru, que chegou a ter mais de 10 pontos de vantagem em boa parte da partida, soma agora quatro vitórias e quatro derrotas - três delas em casa. E, depois da trégua da última quinta-feira, quando o time venceu o Tijuca, a torcida voltou a vaiar muito a equipe na hora em que o cronômetro zerou.

Os dois times voltam a jogar apenas no dia 5 de janeiro do ano que vem: o Flamengo faz o clássico carioca contra o Tijuca, e o Bauru vai enfrentar o Joinville, fora de casa.

No grito da galera

O jogo foi bastante equilibrado no primeiro quarto, com as duas equipes se alternando na frente do placar, com boas jogadas e alguns erros. O primeiro quarto terminou com vantagem do time visitante por apenas um ponto: 19 a 18.

No segundo quarto, a simbiose entre o time do Bauru e sua torcida fez a diferença. O time começou a abrir vantagem, com belas cestas e roubos de bola, deixando os fãs alucinados. E, em troca, os jogadores e animavam mais e conseguiam abrir vantagem - o período acabou com Bauru sete pontos à frente: 60 a 53.

O cenário se manteve depois do intervalo, com o time da casa puxando o jogo e conseguindo abrir mais um pouco a vantagem. Ao fim do terceiro quarto, o jogo seguia com vantagem do Bauru por 71 a 59.

Reação rubro-negra

Mas o Flamengo mostrou, no período final, que não é líder do campeonato por acaso. Estimulado pelos gritos do técnico José Neto, o time acertou a marcação e reduziu a diferença aos poucos - a vantagem de Bauru era de três pontos quando uma cesta de Larry e uma bola roubada por Pilar que acabou em bandeja deram um pouco de ar ao time da casa.

O Bauru parecia ter decidido o jogo num lance todo de Larry: ele tentou o arremesso, errou, mas apanhou o rebote ofensivo, marcou a cesta e ainda sofreu a falta, conseguindo um ponto extra e abrindo a vantagem para 86 a 80, a pouco mais de um minuto para o fim.

Mas ainda não havia acabado: Marquinhos converteu dois lances livres e, com forte pressão na defesa, o Fla roubou duas bolas, conseguindo o empate com cestas de Duda e Benite: 86 a 86.

Haja coração!

No tempo extra, cada time errou suas duas primeiras tentativas e Larry Taylor se redimiu do erro, inaugurando o marcador com uma cesta de três pontos. Mas o jogo continuou lá e cá, e o Flamengo voltou à frente com dois lances livres cobrados por Marquinhos: 90 a 89.

A emoção não parou: Jeff Agba recuperou um rebote ofensivo e colocou Bauru na frente; Marquinhos errou um chute de três; Pilar acertou apenas um de dois lances livres; Caio Torres e Larry desperdiçaram perto do garrafão e Benite voltou a igualar o marcador com dois lances livres: 92 a 92.

No minuto final, Larry perdeu novamente a bola no ataque e Benite conseguiu o roubo, mas Caio Torres, embaixo da cesta, não só perdeu o arremesso como cometeu falta de ataque. Com 11s para o fim da partida, Bauru teve a bola, mas Agba e Fischer não conseguiram uma boa posição de arremesso e o empate permaneceu.

No segundo tempo extra, o Flamengo impôs sua maior experiência e conseguiu abrir vantagem com tranquilidade, marcando os primeiros dez pontos sem que Bauru conseguisse pontuar. O time da casa ainda reagiu nos útlimos minutos, mas não teve pernas nem cérebro para buscar uma nova virada.

Marquinhos terminou o jogo como cestinha, com 22 pontos, além de pegar oito rebotes. Benite, com 20 pontos, e Kojo, com 19, também se destacaram. Por Bauru, Larry foi o cestinha, com 21 pontos, seguido por Fernando Fischer, com 17.

Veja a classificação do NBB



CLASSIFICAÇÃO Aprov. P J V D Pró Contra Avg.
1 Flamengo 100 14 7 7 0 611 507 1.21
2 Uberlândia 77 16 9 7 2 742 666 1.11
3 Paulistano 77 16 9 7 2 761 705 1.08
4 Pinheiros 75 14 8 6 2 724 684 1.06
5 Franca 70 17 10 7 3 791 676 1.17
6 São José 66 15 9 6 3 712 689 1.03
7 Brasília 66 10 6 4 2 517 484 1.07
8 Minas 62 13 8 5 3 647 648 1.00
9 Basquete Cearense 50 12 8 4 4 580 619 0.94
10 Bauru 50 12 8 4 4 660 620 1.07
11 Limeira 40 14 10 4 6 842 825 1.02
12 Joinville 40 14 10 4 6 742 762 0.97
13 Vila Velha 33 12 9 3 6 702 729 0.96
14 Mogi das Cruzes 30 13 10 3 7 723 765 0.95
15 Palmeiras 25 10 8 2 6 594 644 0.92
16 Liga Sorocabana 25 10 8 2 6 534 606 0.88
17 Suzano 22 11 9 2 7 694 850 0.82
18 Tijuca 10 11 10 1 9 665 762 0.87



QUARTAS DE FINAL 
OITAVAS DE FINAL  
Aprov Aproveitamento P colPontos V Vitórias D Derrotas Pró Cestas Pró Contra Cestas contra Avg Average
Ridículo

Futuros cargos podem mudar com a permanência de Alexandre Wrobel



Alexandre Wrobel e Patricia Amorim (Foto: Paulo Sérgio)O vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, que faz parte da gestão de Patricia Amorim, foi convidado pela futura diretoria a parmanecer na função.

Caso o dirigente aceite a proposta da futura gestão, que assume o clube no dia dois de dezembro, Luiz Eduardo Baptista, Bap, que seria vice-presidente de planejamento e marketing, ficaria só no marketing. Já Rodolfo Landim, que assumiria a vice-presidência de patrimônio, ficaria com a pasta de planejamento.

Wrobel foi responsável direto pela campanha de arrecadação de fundos para a construção do Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande.



Para trocar de fornecedora, Fla abriu mão de R$ 10,4 milhões no total que é maior do que o patrocínio do vasco


Para rescindir o contrato de fornecimento de material esportivo com a Olympikus, o Flamengo depositou na sexta-feira R$ 2.474.745,48. Porém, o clube teve de abrir mão de um valor bem maior do que este montante para ficar livre para assinar o acordo com a Adidas, o que ocorreu na última quinta-feira. O valor total do qual o clube da Gávea abriu mão é de R$ 10,4 milhões. O GLOBOESPORTE.COM teve acesso ao acordo de rescisão do contrato.

Distrato Flamengo Olympikus (Foto: Vicente Seda) 
Flamengo teve de reembolsar Olympikus por adiantamento para museu não concluído (Foto: Vicente Seda)
 
Os R$ 10,4 milhões devidos têm origem nos R$ 8 milhões de adiantamento, complementados com R$ 2,4 milhões, destinados à construção do museu do clube, que não foi concluído antes do distrato. Para cobrir o montante, o Flamengo isentou a Olympikus da quitação dos R$ 6.098.649,40 de royalties mínimos de setembro de 2012, quando a fornecedora interrompeu os pagamentos, a abril de 2013 - o contrato com a Adidas passa a valer em 1º de maio. Caso o valor apurado dos royalties supere o mínimo, a Olympikus terá de reembolsar o excedente. Também houve isenção de R$ 1.826.605,00, referente ao pagamento fixo anual de luvas, que deveria ser efetuado em 2 de janeiro. O acordo ressalta que todos os valores foram corrigidos de comum acordo entre as partes.

A pressa para assinatura com a Adidas teve motivo. Caso o depósito não fosse feito até a última sexta-feira, a Olympikus não encerraria o contrato em abril e teria o direito de reter dos pagamentos futuros os R$ 2.474.745,48 que deveriam ser depositados pelo clube. Dessa forma, não houve possibilidade de negociação com a Nike, visto que, após o anúncio da oferta da Adidas e a notória intenção do clube de mudar sua fornecedora, a permanência da Olympikus passou a ser enxergada como inviável - por ambas as partes. Com a investida da Nike, a Adidas concordou em antecipar R$ 20 milhões de receitas até fevereiro, e o clube, por sua vez, acelerou o processo no Conselho Deliberativo - especialmente a produção dos pareceres das comissões jurídica e de finanças - e a rescisão foi resolvida no prazo.

Parceria prevê atividades promocionais para jogadores

O acordo com a fornecedora alemã exige do Flamengo uma postura profissional e organização. São diversas obrigações comerciais que a instituição e seus funcionários, especialmente os atletas, terão de compreender e seguir, sob pena de prejudicar os cofres rubro-negros. A partir da assinatura da parceria, todo jogador que chegar terá de fazer um contrato de cessão de direitos de imagem com o clube. Quem for flagrado usando marca concorrente obriga o Rubro-Negro a pagar multa de R$ 25 mil.

No momento, nove jogadores têm contrato de imagem: Vagner Love, Ramon, Felipe, González, Ibson, Airton, Cáceres, Cleber Santana e Liedson. Esse instrumento é a chave para a utilização dos atletas em atividades promocionais. O Flamengo é obrigado a fornecer toda a programação para a temporada, incluindo treinamentos, já no início do ano. Esse calendário será usado pela empresa para traçar o planejamento dessas atividades.

Contrato entre Flamengo e Adidas (Foto: Vicente Seda) 
Contrato de Flamengo e Adidas prevê amistoso e atividades promocionais para atletas (Foto: Vicente Seda)
 
Um amistoso por ano

A verba de marketing da Adidas, de R$ 1,5 milhão ao ano, servirá, entre outras coisas para produção, instalação e manutenção de peças de publicidade, como placas a serem colocadas nos campos de jogo e treinamento. Mas o clube será responsável pela organização e entrega desses serviços. A Adidas poderá alterar as propagandas uma vez por ano. No caso de uma segunda alteração, a empresa é obrigada a arcar com os custos antecipadamente, ou o Flamengo não será obrigado a promover a mudança. O clube deverá fazer com que a Adidas seja vista e percebida como um dos dois patrocinadores principais.

A mesma verba de marketing poderá ser usada para custear as despesas do Flamengo ao cumprir a obrigação de auxiliar a Adidas na organização de uma partida de exibição em qualquer lugar do país - a escolha é da empresa que, por escrito, se compromete a consultar o clube. A data tem de ser acertada com um ano de antecedência. Todas as receitas da partida, à exceção dos direitos de transmissão, ficarão com a Adidas. Pelo contrato, o clube tem de assegurar a participação do "time mais forte possível".

No acordo, está explícito que o clube deverá fazer com que seus membros que tenham contrato de imagem realizem um mínimo de quatro atividades promocionais em cada ano de contrato em qualquer lugar do território nacional. A Adidas terá o direito de exigir ao menos duas vezes por ano serviços de todo o time principal, desde que o clube detenha os direitos de imagem dos membros e de duas vezes por ano os serviços do treinador principal/gerente do time, juntamente com pelo menos quatro atletas que venham atuando regularmente na equipe principal, incluindo o capitão.

A participação nessas atividades não pode ser alegada para justificar a ausência dos membros do time principal nos eventos de lançamentos oficiais do clube da primeira, segunda e terceira camisas de jogo. A empresa frisa que as atividades promocionais não deverão conflitar com o tempo e o lugar de treinamentos. Cada atividade promocional não deverá, mas poderá em certas circunstâncias, exceder sete horas de duração, excluindo o tempo de viagem.
 
Os membros com quem o clube tiver contrato de imagem cederão sua imagem para produção de comerciais de televisão e sessões de fotografia com objetivo de divulgar a parceria entre Flamengo e Adidas. Se qualquer dos membros faltar a um desses compromissos, mesmo que por resultado de um compromisso de futebol do clube (incluindo treinamentos e competições não combinados previamente e reuniões não programadas de qualquer natureza), o clube arca com as despesas não canceláveis. No acordo, a Adidas recebe também os direitos sobre 60 minutos de vídeo para "filmagem histórica do primeiro time do clube por ano de contrato" para uso promocional.

Fla muda slogan e estampa na Gávea: 'O mais querido do mundo'

Na sua história, o Flamengo sempre se autodenominou o time mais querido do Brasil. Mas, mesmo depois de um ano complicado no futebol, com insucessos no Campeonato Carioca, na Libertadores e no Brasileirão, a diretoria da gestão de Patricia Amorim fez uma alteração no seu slogan ao pintar um dos muros da Gávea. No espaço onde aparece a inscrição funcionava um posto de gasolina, mas o clube conseguiu retomar o terreno depois de uma briga na Justiça. Agora, no local funciona um estacionamento e, para o futuro, está prevista a construção de uma arena para jogos de basquete e vôlei. 

Visível de vários pontos da Lagoa Rodrigo de Freitas, o muro que cerca parte da sede traz a frase em nova versão: "O mais querido do mundo".

- O Flamengo tem, de fato, a maior torcida do mundo, isso é comprovado por pesquisa. Agora, com o novo contrato da fornecedora de material esportivo, se tornará ainda mais uma marca internacional, então nada mais justo do que colocarmos a frase "o mais querido do mundo" num cartão-postal do Rio, do Brasil e do mundo - disse o vice-presidente do Fla-Gávea, Cacau Cotta.

gavea muro flamengo (Foto: Janir Junior/Globoesporte.com) 
Novo slogan pintado em um dos muros da Gávea (Foto: Janir Junior/Globoesporte.com)
 
 
 

Contrato chega ao fim, e Adriano não é mais jogador do Fla de forma oficial


Adriano flamengo treino (Foto: Cezar Loureiro / Agência Globo)
Adriano não é mais jogador do Flamengo. A manchete pode parecer velha, mas, agora, é oficial, no papel. Termina neste sábado o contrato e o vínculo formal do atacante com o Rubro-Negro, que não chegou a fazer a rescisão. O documento foi redigido, mas não foi assinado. O jogador - que não disputou uma partida e deixou o clube no começo de novembro depois de uma série de indisciplinas - tem futuro incerto no futebol e já foi descartado pela nova diretoria.

Ao deixar o clube, Adriano declarou que gostaria de retornar ao Flamengo em 2013, hipótese rechaçada pelo novo comando do departamento de futebol.

- O Adriano tem que se ajudar. Todos que gostam dele têm que ajudá-lo a se recuperar. Tem que recuperar a pessoa, o ser humano. Como jogador de futebol, o Flamengo não pensa no Adriano - afirmou o diretor Paulo Pelaipe.

Na passagem do atacante pelo Flamengo - quando não atuou em nenhum jogo - o clube pagou apenas R$ 15 mil referentes aos dias em que ele treinou em agosto. Além disso, um acordo ainda por conta de pendências da passagem do atacante em 2009/2010 fez o Rubro-Negro desembolsar R$ 100 mil.

Em agosto, o clube acertou com o atacante um contrato que previa R$ 50 mil mensais - referentes a direito de imagem - e mais R$ 50 mil por cada jogo disputado, sem carteira assinada. O vínculo terminou neste sábado. Como Adriano saiu sem entrar em campo, nada ganhou por produção. Além disso, as advertências por indisciplina suspenderam o pagamento por direitos de imagem.

Adriano BIRA Flamengo (Foto: FFERJ) 
Data final do contrato de Adriano indica término do contrato neste sábado (Foto: FFERJ)
Recentemente, em entrevista para o jornal “La Gazzetta dello Sport”, o Imperador afirmou sentir falta da Itália, e cogitou retornar ao país.

- Eu penso em voltar para a Itália, os melhores momentos da minha vida foram lá. Tenho grandes recordações do país. Tenho saudade da comida, das pessoas e dos fãs. Nunca vou esquecer meu tempo lá – declarou o atacante.

Mas a última passagem pelo futebol italiano, no Roma, não traz boas recordações. Após ter sido campeão e artilheiro do Brasileirão com o Flamengo em 2009, o Imperador participou da má campanha do time rubro-negro no primeiro semestre de 2010 e decidiu voltar à Itália, onde já havia defendido Internazionale de Milão, Parma e Fiorentina. Em sua despedida do clube da Gávea, o atacante prometia recuperar a boa imagem no futebol italiano, pois deixou o Inter em abril de 2009 dizendo que queria abandonar a carreira.

A passagem pelo Roma foi marcada por polêmicas. Depois da festa no dia 9 de junho de 2010, quando ganhou a camisa 8, Adriano nunca se firmou como titular. O Imperador sofreu com lesões. Já na pré-temporada, teve problemas musculares. No fim de setembro teve uma torção no tornozelo esquerdo e parou quase dois meses.

O atacante ficou muito tempo fora de forma e ainda gerou polêmicas por causa de viagens ao Brasil. Para piorar, ainda foi apontado como pior jogador da Itália de 2010 na eleição do "Bidone d'Oro". No final de 2010, o atacante foi liberado para passar o revéillon no Rio de Janeiro, mas atrasou seu retorno e irritou o clube.

Em janeiro de 2011, Adriano sofreu uma lesão no ombro direito e teve que passar por operação. Mais uma vez, recebeu autorização para visitar a família no Brasil. À época no Rio, foi visto bebendo cerveja, perdeu a carteira de habilitação em uma blitz da Lei Seca e, de novo, demorou mais tempo para retornar à Itália do que o previsto.

Em dois anos, apenas 16 jogos

Desde junho de 2010, há mais de dois anos, Adriano disputou apenas 16 jogos – oito pelo Roma e oito pelo Corinthians – e marcou dois gols. Nesse tempo, atuou uma única vez durante 90 minutos. Foi no dia 25 de fevereiro da atual temporada, na vitória do Timão por 1 a 0 sobre o Botafogo-SP, pelo Paulistão.

A última partida do atacante aconteceu ainda com a camisa do Corinthians, no dia 4 de março.



Flamengo age com cautela, avança negociação e está perto de anunciar Dátolo

Jesús Dátolo, do Internacional, está próximo de acertar com o Flamengo.

A nova diretoria do clube toma posse na semana que vem e o objetivo do futuro presidente, Eduardo Bandeira de Mello, é anunciar a contratação do jogador argentino na quinta-feira, dia 27.

As negociações estão avançadas e são conduzidas pelo diretor executivo, Paulo Pelaipe.

Dátolo já trabalhou com Dorival Junior, conquistou o título gaúcho de 2012 e foi eleito o melhor jogador da competição. O jogador porém perdeu espaço no time pelo limite de estrangeiros e não estava sendo aproveitado pelo ex-técnico Fernandão. Dátolo ganha cerca de R$ 300 mil por mês no Internacional.


Dorival Júnior defende a permanência de Zinho no Flamengo em 2013


Dorival Júnior e Zinho - Flamengo (Foto: Cléber Mendes)A permanência de Zinho no Flamengo em ainda é uma incógnita. Mas, se dependesse somente da vontade de Dorival Júnior, ele ficaria. O técnico revela estar na torcida pela continuidade do diretor de futebol no clube, sobre quem afirma ter unicamente boas coisas a falar.

- Gostaria (que ficasse). Sou sincero. Coloquei isso para a diretoria. Há muito tempo, joguei quatro, cinco meses com ele no Palmeiras. Depois, perdi contato. Sempre citei ele como exemplo profissional. Aprendi muito mais com ele do que com muitos outros jogadores com mais idade com ele, com os quais tive convivência maior. Para mim, ele sempre foi uma referência profissional. Tive uma possibilidade de voltar a trabalhar com ele, conhecendo mais. Torço para que ele continue para seguirmos com o trabalho agora com o Pelaipe. É uma das pessoas com maior possibilidade de crescimento e tem índole, coisa rara nos dias de hoje. Torço muito para que isso aconteça - disse em entrevista ao Fox Sports.

Enquanto a sequência ou não de Zinho no Flamengo não se confirma, Dorival Júnior já começa a fazer planos para melhorar a equipe na temporada. Para o técnico, isso passa pela aquisição de alguns reforços de peso.

- Sempre vou trabalhar com o elenco que tiver nas mãos. Vejo que o Flamengo para voltar a ser uma grande equipe, com respeitabilidade no mercado, teremos de trazer três, quatro grande jogadores, que não deixem dúvidas, que possam dar uma encorpada na equipe. E mais alguns que venham para uma briga de posições. Só assim reencotnraremos um grande Flamengo. É uma equipe promissora, mas que precisa se reforçar para voltar a dar uma confiança maior para o seu torcedor - explicou.

Fla mantém silêncio, mas 'coisas andam rápido' em relação a Robinho


Robinho gol Milan (Foto: EFE)
Desde o surgimento do interesse, a diretoria do Flamengo trabalha em silêncio. Mas, aos poucos, dá passos importantes nos bastidores para contar com Robinho em 2013. Na próxima segunda-feira, o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, chegará ao Rio – onde tem um apartamento no Leblon – para passar as festas de fim de ano. E, para amigos próximos, o jogador disse que “as coisas estão andando muito rápido” para um acerto com o Rubro-Negro. De uma só vez, o dirigente italiano deixou claro que não recebeu proposta do Santos pelo atacante, mas revelou o desejo do jogador de voltar ao Brasil. 

Robinho tem interesse em jogar no Flamengo e considera que o Santos foi "devagar demais" na tentativa de repatriá-lo. A vontade do jogador pode pesar na negociação.

- O Robinho já disse que quer jogar no Flamengo, o que nos dá vantagem em relação a outros clubes - disse o vice-presidente de futebol Wallim Vasconcellos, na última quinta-feira.

Inicialmente, a diretoria elaborou uma estratégia para tentar a contratação do atacante do Milan e indicou o empresário Eduardo Uram para tratar do negócio. O agente Fifa viajou para a Itália e teve uma reunião inicial com os representantes do clube de Milão.

De acordo com informações recentes da imprensa italiana, o Milan liberaria o atacante por € 10 milhões (R$ 27 milhões). O ex-santista autorizou o clube negociar com o Milan e sinalizou quanto deseja receber mensalmente (entre R$ 800 e 900 mil livres de impostos).

Camisa do Flamengo e diploma para Galliani

Quando negociava a transferência de Ronaldinho Gaúcho do Milan para o Flamengo, no fim de 2010, Galliani chegou a receber de um torcedor uma camisa do Rubro-Negro carioca e um diploma de torcedor. O dirigente italiano fazia questão de reiterar o carinho pelo time carioca.

- Se eu pudesse escolher, meu coração diria o Flamengo. Mas tem que ser uma negociação entre o Milan e o Flamengo - disse Galliani, à época, ao ser questionado sobre qual seria o destino de Ronaldinho Gaúcho.


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Cúpula atual do Flamengo consegue liberação para pagar atrasados


A poucos dias do Natal, a atual cúpula do Flamengo conseguiu na noite desta sexta-feira, a liberação de uma parte dos valores referentes aos direitos de transmissão da TV Globo para fechar o ano de 2012 e quitar os vencimentos de dezembro, além de 50% do décimo terceiro dos funcionários do clube. Os salários estavam atrasados há duas semanas.

A verba também será destinada para o pagamento da dívida referente ao mês de outubro dos jogadores e comissão técnica, que tem vencimento em 25 de novembro. Ainda ficarão de pendência os vencimentos de novembro, dezembro, 13 e as premiações, que devem ser quitados no início do ano que vem.

O atraso no pagamento dos funcionários foi o primeiro da gestão de Patricia Amorim durante os três anos à frente do clube. A penhora de R$ 20 milhões referente a problemas judiciais dificultaram o pagamento das obrigações do clube.

A nova diretoria já está se prontificando para tentar evitar futuras penhoras do dinheiro da Adidas.

Joia 2013: Samir vence a balança, ganha ajuda da mãe e espaço no Flamengo



Samir zagueiro Seleção sub 20 (Foto: Divulgação)
Há um ano e meio, Samir chegou ao Flamengo para retomar o sonho de ser jogador de futebol. Pouco a pouco, ele começa a realizá-lo. Destaque do time júnior do Flamengo, o zagueiro de 18 anos foi eleito o craque da Taça BH deste ano, desempenho que o levou à seleção brasileira sub-20. Na Granja Comary, em Teresópolis, Samir se prepara para a disputa do Sul-Americano da categoria, que será realizado entre janeiro e fevereiro, na Argentina, e surge como forte candidato a joia rubro-negra para a próxima temporada. Em breve, espera figurar entre os profissionais do clube.

- Posso dizer que esse é o primeiro grande ano da minha vida. Houve uma reviravolta depois que saí do Fluminense, a minha participação na Taça BH, fui eleito o melhor jogador, e ter sido convocado para a seleção brasileira.

A passagem frustrante pela base do Fluminense quase o fez desistir. O zagueiro mudou de planos, trabalhou a ideia de cursar a faculdade de Engenharia Civil e aprender inglês. Os pais o incentivaram a persistir no futebol. A mãe, Dona Mara, bateu de porta em porta, de clube em clube, à procura de testes para o filho.

- Fico muito feliz por ter passado por isso e por dar a volta por cima. Minha mãe está muito feliz, sempre me incentivou, sabia que eu tinha qualidade. Correu atrás para mim no Vasco, no Audax-RJ.

Entre os problemas para ficar no Fluminense, ele encarou a briga com a balança. Gordinho e baixinho, não conseguiu se firmar. No Audax-RJ, conseguiu aparecer e chamou a atenção do Flamengo. Samir chegou emprestado, mas o Rubro-Negro comprou 60% de seus direitos econômicos e firmou um vínculo até 2015. O menino gordinho e baixinho esticou, agora está com 1,88m e tem a versatilidade como um dos pontos fortes.

- Fui revelado como zagueiro, passei pelo Fluminense como zagueiro, mas no Audax cheguei a jogar como volante um ano todo. Quando cheguei ao Flamengo, cheguei como zagueiro, mas também atuei como volante em alguns jogos na temporada, joguei na lateral esquerda também porque o técnico estava precisando. Sou canhoto, jogo em qualquer posição, tenho certa habilidade (risos).

Samir zagueiro do Flamengo sub 20 (Foto: Divulgação) 
Samir, abraçado a Mattheus, companheiro no Fla e na seleção sub-20 (Foto: Divulgação)

A rotina de preparação na Granja Comary tem sido intensa. A participação no Sul-Americano ainda não é certa. O técnico Emerson Ávila fará cinco cortes.

- A preparação está sendo puxada, o grupo não está formado ainda, todo mundo está querendo garantir um lugar. Tenho trabalhado forte para estar na lista final e ser campeão do Sul-Americano. Depois, queremos o Mundial. Isso com certeza vai ajudar a chegar ao profissional do clube.

Na Seleção sub-20, Samir tem a companhia de outros dois rubro-negros. O meia Mattheus e o meia-atacante Adryan já fazem parte da equipe profissional do Flamengo e servem de exemplos para o defensor.

Samir zagueiro do Flamengo sub 20 (Foto: Divulgação)
 - Só falta um empurrãozinho para virar profissional. Acho que depende muito do meu desempenho na Seleção também. Joguei com Mattheus e Adryan no Carioca, na Copa São Paulo. Desejo o melhor para os meus amigos e sei que logo estarei com eles no profissional. Não tenho pressa.

No que depender de Dona Mara, empurrão não vai faltar. Filho único, Samir tem a mãe como maior incentivadora. A mais rigorosa também.

- Ela é muito ciumenta, cobra muito. Chega a ser chata, mas é para o meu bem (risos). Sou filho único, tem hora que fico bolado com ela. Antigamente, quando não tinha Seleção, ele pegava mais leve. Agora cobra muito, mas é um grande incentivo.

 Samir em treino no Ninho (Foto: Divulgação)

Ficha do jogador:

Nome: Samir Caetano de Souza Santos
Posição: zagueiro
Naturalidade: Rio de Janeiro
Idade: 18 anos (05/12/1994)
Chegada ao Flamengo: 2011
Clubes que defendeu: Fluminense e Audax-RJ



Zinho ouve proposta para reduzir salário, e saída é o mais provável


Zinho, Desembarque Flamengo, Rio de Janeiro (Foto: Janir Junior / Globoesporte.com) Depois de não responder às chamadas telefônicas do vice-presidente de futebol Wallim Vasconcellos por dois dias, nesta sexta-feira, enfim, Zinho ouviu, por telefone, a proposta e condições para sua permanência em 2013. Para seguir no clube, além de deixar de ser diretor e passar à função de gerente, ele teria uma significativa redução salarial para 60% do valor que recebe atualmente. O grande corte no vencimento mensal não agradou nem um pouco ao ex-jogador, que pediu para dar a resposta depois do Natal. Internamente, porém, a saída do dirigente - que tem contrato até o dia 31 de dezembro - é tratada como o caminho mais provável.

Diante do trabalho realizado nos sete meses em que ficou no clube em 2012, Zinho já revelara para pessoas próximas que não via com bons olhos um corte nos seus vencimentos.  Pelo contrário: ele chegou a pensar na valorização. Com a chegada do diretor executivo Paulo Pelaipe, mudaram a função e os salários do ex-jogador.

A primeira rodada de negociações entre Zinho, Pelaipe e Wallim foi apenas verbal e aconteceu na semana passada. Diretor e vice de futebol questionaram se ele teria o desejo de permanecer em 2013. O dirigente disse que sim, mas teria que saber as condições.

Nos últimos dois dias, Zinho ficou incomunicável e se deslocando da Barra para Nova Iguaçu, onde o pai, seu Crizan, enfrenta problemas de saúde. O "sumiço" do diretor não agradou a Wallim, responsável pela proposta oferecida ao ex-jogador.



Wellington Silva não quer ficar no Flamengo


Wellington Silva - Flamengo (Foto: Paulo Sérgio)O ciclo do lateral-direito Wellington Silva no Flamengo está no fim. A diretoria já havia avisado que não entraria em leilão pelo jogador e, nesta sexta-feira pela manhã, um fato esfriou mais ainda as negociações pela permanência do jogador. O lateral mandou uma notificação avisando que não deseja permanecer no clube. O documento foi entregue ao advogado do Fla, André Galdeano.

O Flamengo tinha uma liminar que fazia exercer a prioridade para manter o lateral. A partir deste comunicado, porém, o clube fica de mãos atadas, uma vez que cabe ao jogador decidir o futuro.

- Nós temos uma liminar e vamos correr atrás para proteger o Flamengo do que for possível - avisou o vice de futebol, Wallim Vasconcellos.

Wellington teria mais duas propostas além da rubro-negra, de Fluminense e Internacional. A do Flu é bem parecida com a do Fla em termos salariais e tempo de vínculo - R$ 70 mil por mês e contrato de três temporadas. Já a oferta colorada é de quatro anos, com onerários de cerca de R$ 100 mil, além de R$ 2 milhões por 50% dos direitos.

- Essa notificação existe, fui informado, através de uma pessoa de dentro do Flamengo, mas posso garantir que não fui eu quem a redigiu. Não sei se foi o Alberto Macedo (advogado do Resende e do jogador), pois ele não me falou nada - disse o empresário Léo Rabello.

Além de Rabello, Wellington tem outro empresário que garante representá-lo, Marcos Marinho. Nesta sexta-feira, ele teria uma reunião marcada com o jogador, porém, Wellington pediu para cancelá-la por conta de compromissos pessoais. O LANCE!Net tentou contato com Alberto Macedo, mas ele estava podendo falar no momento.



O único poupado

Elogiado até pela oposição durante a gestão de Patricia Amorim, o vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, foi convidado pelo presidente eleito Eduardo Bandeira de Mello a continuar no cargo no próximo triênio.

Wrobel será o único vice-presidente de Patricia mantido. Rodolfo Landim, que anteriormente foi indicado pela Chapa Azul como vice de patrimônio, assumirá a pasta de planejamento.





Parceria entre Fla e fornecedora prevê rescisão ou multa por vexames


O contrato de parceria assinado entre Adidas e Flamengo na última quinta-feira traz um aporte de receitas à Gávea de fazer inveja aos rivais. Porém, a contrapartida também é digna de um clube agora incluído entre as marcas classe A da empresa alemã, no mesmo status de Real Madrid, Chelsea, Bayern de Munique e Milan. Quedas para a Série B e não classificações para a Copa Sul-Americana, por exemplo, acarretam multas que podem chegar a 50% dos pagamentos a serem feitos pela empresa. Já um rebaixamento para a Série C do Campeonato Brasileiro implica a rescisão do contrato, ao qual o GLOBOESPORTE.COM teve acesso.

Em relação ao desempenho esportivo, estão estabelecidas premiações por títulos em uma escala de metas. Com desempenho excelente, que significa dois títulos do Brasileiro da Série A e um título da Libertadores, o clube tem reajuste nos valores e gorda premiação pelas conquistas. Contudo, um desempenho pífio também será "premiado".

Se o clube for expulso ou suspenso da CBF ou Conmebol, a Adidas pode reduzir em 50% o pagamento. Caso o Flamengo não se classifique em qualquer ano do contrato, multa de 10%, e, se isso se repetir por dois anos seguidos, o percentual sobe para 25% no segundo ano. A mesma lógica vale para rebaixamento para a Série B do Brasileiro: no primeiro ano, a multa é de 15% e, se a situação se repetir na temporada seguinte, a mordida passa a 50% do valor a ser pago pela Adidas no determinado ano. Confira no fim desta reportagem a íntegra das cláusulas que tratam do tema.

Contrato entre Flamengo e Adidas (Foto: Vicente Seda) 
Contrato entre Flamengo e Adidas prevê rescisão por rebaixamento para Série C (Foto: Vicente Seda)
 
Em caso de violação pelo clube do contrato que acarrete rescisão com a fornecedora, o Rubro-Negro deverá pagar todas as receitas previstas, incluindo danos e custos como honorários advocatícios. Essas receitas englobam pagamento anual, mínimo garantido, royalties e produtos a serem fornecidos em todo o período de contrato. O pagamento deve acontecer 30 dias após a Adidas informar o montante devido acompanhado de seu discriminativo. Se o contrato for rescindido em função de o clube disputar a Série C do Brasileiro, o clube ficará livre de pagamento. A responsabilidade máxima das partes no caso de rescisão é limitada a R$ 100 milhões.

Há diversos outros itens que podem acarretar a rescisão imediata da parceria. Uma das cláusulas diz que o Flamengo "não deverá tomar ou se omitir a tomar qualquer atitude ou se envolver em uma situação que causará ao clube e/ou qualquer um dos seus membros descrédito público, desprezo, escândalo, ou ridículo, ofenderá a opinião pública, ou causará danos ou refletirá desfavoravelmente sobre a reputação da Adidas". Durante a gestão Patrícia Amorim, o clube viveu problemas dessa natureza em relação a Adriano e Ronaldinho Gaúcho, que entrou com ação por danos morais contra o clube.

Contrato entre Flamengo e Adidas (Foto: Vicente Seda) 
Os pagamentos fixos anuais e a taxa de início de parceria entre Flamengo e Adidas (Foto: Vicente Seda)
 
A Adidas também tem o direito de rescindir, apesar de poder optar por redução de pagamento, "se o clube não participar, por expulsão ou suspensão (ficando excluída a não participação por não qualificação), em reconhecida competição CBF, Fifa ou Conmebol, nacional e internacional, a qualquer momento durante o contrato". A empresa alemã se resguarda também quanto à utilização de produtos de outras marcas. Se qualquer membro do clube for flagrado usando produtos de concorrente, a multa é de R$ 25 mil.

Caso a empresa atrase a entrega de qualquer pedido de produtos Adidas e do clube com a marca da fornecedora, o clube deverá notificar por correio eletrônico com aviso de recebimento ou por carta com AR, para que a entrega do pedido ocorra em até 60 dias. Caso o prazo não seja cumprido, o clube poderá rescindir o contrato através de notificação escrita com efeito imediato. Uma diferença de 10% entre o pedido e a entrega efetiva não provocará rescisão, sendo certo que o clube poderá cobrar os 10% que faltaram, como reza o contrato.

O Flamengo só poderá buscar novos fornecedores de material e negociar outro contrato 12 meses antes do fim da parceria. Havendo oferta de terceiros, o clube é obrigado a comunicar a Adidas, que tem 30 dias para igualar ou não aceitar os termos-chave da oferta de terceiros. Cobrindo ou igualando a oferta, a Adidas terá o direito de exigir que o Flamengo inicie imediatamente procedimentos que possibilitarão a assinatura de um novo contrato com a empresa alemã. Na hipótese de rescisão antecipada de contrato, o clube será obrigado a pagar uma proporção pró-rata de taxa de início de parceria, em razão de uma parceria de dez anos.

O valor mínimo da parceria do primeiro ao quinto ano de contrato é de R$ 30,3 milhões (resultado da soma do mínimo de royalties, R$ 8 milhões, teto de material fornecido, R$ 9,8 milhões, e pagamento fixo anual em dinheiro de R$ 12,5 milhões). Somadas a taxa de início de parceria (R$ 38 milhões), e a verba de ações de marketing da Adidas (R$ 1,5 milhão), chega-se a R$ 35,6 milhões por ano, número que passa a R$ 40,6 milhões (fixo anual em dinheiro aumenta para R$ 17,5 milhões) do sexto ao décimo ano de contrato (não incluída a correção monetária) e pode crescer ainda mais dependendo do sucesso de vendas de produtos, uma das alterações obtidas pela nova diretoria do clube.

Os alemães ainda ressaltam em contrato que, após uma eventual rescisão, o clube tem de ser respeitoso com a empresa na nota oficial para noticiar e justificar o fim da parceria. O contrato entre Flamengo e Adidas se encerrará em 30 de abril de 2023.

Cláusulas do contrato:

13.1 - Caso o clube não participe da(s) competição(ões) nacional(is) de mais alto nível (atualmente Campeonato Brasileiro da Série A e/ou Copa Sul-Americana), por motivo de expulsão ou suspensão, e se o clube for suspenso ou expulso da CBF ou Conmebol durante o período do contrato, a Adidas poderá, a seu critério, reduzir o pagamento anual e o mínimo garantido em 50% para cada ano de contrato que perdurar esta situação. O clube deverá a voltar a receber o montante no nível anterior quando voltar a participar da competição respectiva de mais alto nível.

13.2 - Se o clube não jogar a Copa Sul-Americana em qualquer ano de contrato, por motivo de não qualificação devido ao desempenho, durante o período do contrato, a Adidas poderá, a seu exclusivo critério, reduzir o pagamento anual e o mínimo garantido ao clube em 10%, a começar com a primeira parcela do pagamento anual devido no ano de contrato imediatamente subsequente a tal falha em se qualificar na forma acima mencionada. Caso o clube não consiga qualificação por igual motivo para a Copa Sul-Americana a partir do segundo ano consecutivo, a redução, a exclusivo critério da Adidas, será de 25% do pagamento anual e do mínimo garantido, a começar com a primeira parcela do pagamento anual devido no ano de contrato imediatamente subsequente a tal falha em se qualificar na forma acima mencionada.

13.3 - Se o clube não jogar o Campeonato Brasileiro da Série A em qualquer ano de contrato, por motivo de não qualificação devido ao desempenho, durante o período de contrato, a Adidas poderá, a seu exclusivo critério, reduzir em 15% o pagamento anual e o mínimo garantido, a começar com a primeira parcela do pagamento anual devido no ano de contrato imediatamente subsequente a tal falha em se qualificar na forma acima mencionada. Caso o clube não consiga qualificação por igual motivo para a partir do segundo ano consecutivo para o Campeonato Brasileiro da Série A, a redução será de 50% do pagamento anual e do mínimo garantido, a começar com a primeira parcela do pagamento anual devido no ano de contrato imediatamente subsequente a tal falha em se qualificar na forma acima mencionada.

13.5 - Caso ocorram simultaneamente as hipóteses previstas nas cláusulas 13.1 e/ou 13.2 e/ou 13.3 em um mesmo ano de contrato, as partes acordam que a redução máxima do pagamento anual e do mínimo garantido será limitada ao percentual de 50%.



Flamengo entra com liminar para garantir apresentação de lateral


Wellington Silva - Flamengo (Foto: Cleber Mendes)O assédio de outros clubes e a possibilidade de perder Wellington Silva fizeram com que o Flamengo entrasse com uma liminar na Justiça, na quinta-feira, para assegurar que o lateral se apresentará no Ninho do Urubu em 3 de janeiro. A medida acontece exatamente no momento em que o Internacional também entra na disputa para contratar o jogador e reforça o leilão promovido pelo Resende.

O clube do interior do carioca, porém, deverá cassar a liminar. Alberto Macedo, proprietário da empresa que faz a gestão do Resende, não atendeu às ligações do L! e tem evitado falar com a imprensa desde semana passada. Marcos Marinho, um dos empresários que se diz representante do jogador e detentor de metade dos direitos econômicos do lateral, também não foi encontrado.

Com uma proposta de R$ 2 milhões para ficar com 50% dos direitos econômicos e uma oferta salarial de R$ 100 mil por um contrato de quatro anos, o Colorado desbanca os números oferecidos pelo Fluminense.

O Tricolor aumentou os vencimentos para R$ 70 mil com acréscimos progressivos durante os três anos de contrato. Enquanto isso, o Flamengo oficializou uma proposta de R$ 70 mil mensais de salário esta semana encaminhada diretamente para o jogador. O clube não quer incorrer no erro de tratar com Léo Rabello ou Marcos Marinho, que dizem ser os representantes do jogador.

Terminará no dia 31 de dezembro o contrato de empréstimo de Wellington Silva com o Flamengo. O clube tinha também até o início do mês para oficializar ao Resende um documento, mostrando que exerceria a prioridade na compra de 34% dos direitos econômicos – os outros 16% já foram adquiridos em abril – restantes. O Rubro-Negro, então, se comprometeria a pagar o Resende até 31 de janeiro de 2013.


Rapidinhas do Mengão



Sem milagre
A antecipação extra de R$ 20 milhões que o Flamengo conseguiu junto à Adidas logo antes da votação do contrato de dez anos no Conselho Deliberativo é só um desafogo momentâneo de caixa. O dinheiro será descontado dos valores que o clube terá a receber em 2013, em maio e novembro. Depois disso, restarão apenas R$ 10 milhões no ano que vem.

Ilusão e realidade
Conselheiros do Flamengo que apoiaram a Chapa Azul temem que a torcida possa se frustrar se não vierem resultados no curto prazo. Segundo eles, mudanças estruturais requererem alguns anos para exibir resultados expressivos. Ao menos no primeiro ano, todo o esforço será consumido pelos buracos existentes.



Bottinelli e Amaral seguem com futuro indefinido no Flamengo




Bottinelli - Flamengo (Foto: André Portugal)O contrato do meia argentino Bottinelli com o Flamengo termina no dia 26 de janeiro e até o momento o Rubro-Negro não mostrou interesse em renovar o vínculo com o atleta, já que o jogador não foi procurado por Zinho, nem pelo futuro diretor executivo, Paulo Pelaipe.

No clube desde 2011, o meia de 27 anos marcou 11 gols em 90 partidas. Com a permanência de Dorival Júnior no comando da equipe na próxima temporada, a situação do jogador pode se complicar. Bottinelli foi pouco aproveitado pelo treinador rubro-negro.

O jogador está passando férias com a família em um sítio no interior da Argentina e se reapresenta normalmente junto com o elenco  no dia três de janeiro para iniciar a pré-temporada no Ninho do Urubu.

Outro jogador que também segue com a situação indefinida é volante Amaral, que pertence ao Nova Iguaçu e tem contrato de empréstimo com o clube até o dia 31 deste mês. O camisa 40 terminou a temporada como titular da equipe de Dorival.






Natal sob risco: nova penhora ‘trava’ R$ 27 mi, e Fla sofre asfixia financeira



O Papai Noel ainda não passou pela Gávea. E o fundo do saco do Bom Velhinho está vazio. Depois de o Conselho de Administração do Flamengo ter aprovado o adiantamento de cotas de TV para quitar salários atrasados, antigas dívidas geraram penhoras que travaram R$ 27 milhões. O montante está bloqueado pela Justiça. Um clima de apreensão tomou conta do clube nesta quinta-feira. Em recesso, a Justiça só volta a funcionar no dia 7 de janeiro. Uma possível liberação teria que ser conseguida no plantão judiciário.

O atual vice de finanças Michel Levy esteve na Gávea nesta quinta-feira, assinou documentos e disse para alguns funcionários que nesta sexta-feira depositaria alguns atrasados.

treino Flamengo (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com) 
Jogadores ainda não receberam salário de outubro (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)

O problema de penhoras também atingiu Vasco, Botafogo e Fluminense. O Flamengo sofreu pela segunda vez. Uma dívida de impostos tributários de 2007-08-09 que não foram pagos causou recentemente a retenção de R$ 20 milhões, o que deu início ao atraso de salários.

O salário de novembro dos funcionários ainda não foi pago. Além disso, ainda falta o pagamento dos 50% restantes do 13º.

Entre os jogadores, o vencimento de outubro não foi quitado. No próximo dia 25, o atraso completará dois meses.

Patricia Amorim pediu R$ 27 milhões para equilibrar a situação financeira do Rubro-Negro antes de passar a presidência a Eduardo Bandeira de Mello. A futura direção colocou uma condição para apoiar o pedido de adiantamento: todos os gastos têm de ser justificados pela gestão de Patricia.

Os jogadores do Flamengo entraram de férias sem que a promessa de que receberiam o salário de outubro e alguns prêmios atrasados fosse cumprida. Além disso, o departamento financeiro ainda não resolveu pendências em relação à quitação de R$ 30 mil de bichos por atleta.

Por fim, o clube ainda precisa quitar a dívida que tem com o Avaí ainda por conta das contratações de Renato Santos e Cléber Santana.

A nova gestão está assustada com as contas e a situação financeira calamitosa do Flamengo.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Fora de área: Zinho não atende ligações e desenha saída do Flamengo



Zinho no CT do Flamengo (Foto: Marcos Tristão / O Globo)
Durante toda quarta-feira, o vice de futebol Wallim Vasconcellos e o diretor Paulo Pelaipe tentaram contato com os telefones celulares de Zinho para definir a permanência ou não do dirigente em 2013. Nesta quinta, novas ligações. E nada. Só fora de área. Mensagens foram deixadas na caixa postal, mas não tiveram retorno. Não houve contato. Do outro lado da linha, Zinho não aceita uma redução salarial para ser gerente. A paciência da nova gestão com o “sumiço” do responsável pelo futebol na atual temporada chegou ao fim e a saída do Flamengo está desenhada.

A primeira rodada de negociações entre Zinho, Pelaipe e Wallim foi apenas verbal e pouco evoluiu. Eles questionaram se Zinho teria o desejo de permanecer em 2013. O dirigente disse que sim, mas teria que saber as condições. Foram passadas as atribuições da nova função, mas o tempo de contrato e salário ficaram em aberto.

Na quarta, o ex-jogador não respondeu aos chamados do departamento de futebol.

- O Wallim está tratando disso. Eu liguei duas vezes, deixei recado, mas não consegui falar com o Zinho – revelou Pelaipe.

Para pessoas próximas, Zinho reiterou que não aceita um corte nos seus vencimentos – fato que já é de conhecimento de Pelaipe e foi passado para Wallim.

O vice de futebol ficou incomodado com o “sumiço” do atual diretor de futebol.

O contrato de Zinho se encerra no dia 31 de dezembro. Trabalhando na transição, alguns relatórios apresentados pelo atual diretor tinham muitas questões em aberto.

Pelaipe tem trabalhado 24 horas por conta da proximidade do início da próxima temporada. A reapresentação do grupo está marcada para o dia 3 de janeiro. Situações como de Wellington Silva, Renato, Léo Moura, entre outras, seguem em aberto. A diretoria também faz um mapeamento para a contratação de reforços.

A reportagem tentou contato com Zinho, que tem evitado declarações públicas, mas o telefone estava desligado.


Após atraso, Flamengo derrota Liga Sorocabana e segue invicto no NBB


O Flamengo superou a chuva, a falta de luz e a Liga Sorocabana para manter a invencibilidade e a liderança no Novo Basquete Brasil. Depois de pouco mais de uma hora de atraso, ocorrido por causa de um forte temporal que atingiu Sorocaba na noite desta quinta-feira, provocando a queda de energia elétrica e a "aparição" de diversas goteiras no teto, o Rubro-Negro superou os anfritriões por 87 a 59, no ginásio Gualberto Moreira.

Foi a sexta vitória consecutiva da equipe carioca, que igualou a série invicta conseguida pelo Paulistano neste começo do NBB 5. O time volta a jogar no sábado, às 18h, contra o Bauru, que venceu o Tijuca por 81 a 68. A equipe sorocabana recebe justamente o Tijuca, num duelo entre lanternas - ambos somam apenas uma vitória na competição.

Marquinhos foi o destaque númerico da partida, com 23 pontos, seguido por Olivinha, com 17, e Kojo, com 15. Pelo time da casa, Neto marcou 17 pontos e Kenny Dawkins, 13.







Seleção sub-20 goleia o Macaé por 6 a 2 em jogo-treino na Granja Comary



A seleção brasileira sub-20 venceu, nesta quinta-feira, a equipe profissional do Macaé por 6 a 2, na Granja Comary. Essa foi a segunda partida durante o período de preparação em Teresópolis para o Sul-Americano da categoria, que acontece entre janeiro e fevereiro, na Argentina. No último domingo, a garotada havia derrotado o Volta Redonda, por 2 a 1.

No primeiro tempo, com as duas equipes titulares, o jogo terminou empatado por 2 a 2. Mattheus, do Flamengo, abriu o placar para o Brasil, mas o Macaé virou com gols de Ricardinho e Gedeil de cabeça. Felipe Anderson, do Santos, deixou tudo igual no fim.

Felipe Anderson Macaé x Seleção Sub-20 (Foto: Tiago Ferreira / Macaé) 
Felipe Anderson marcou um dos gols da vitória da Seleção sub-20 (Foto: Tiago Ferreira / Macaé)
 
Na etapa final, com os times reservas, a Seleção fez mais quatro gols. Bruno Mendes, do Botafogo, fez 3 a 2. Douglas, do Náutico, ampliou de fora da área. Em seguida, Adryan, do Flamengo, fez de pênalti, e Leandro, do Grêmio, decretou a vitória por 6 a 2.

O Brasil começou o jogo com Matheus Caldeira, Jadson, Luan, Doria e Mansur; Misael, Felipe Anderson e Mattheus; Fred, Marcos Junio e Ademilson. Na segunda etapa, o técnico Émerson Ávila trocou todo a equipe, e o time que voltou do intervalo foi Luis Gustavo, Igor Julião, Antonio Carlos, Samir e Douglas; Lucas Candido (Gabriel) e Felipe; Adryan, Leandro e Biteco; Bruno Mendes.

Do grupo de 26 jogadores que atualmente se prepara na Granja, quatro serão cortados até o final do ano. A delegação brasileira embarca para a Argentina no dia 7. A estreia no Sul-Americano será contra o Equador, três dias depois, em San Juan.

Em meio a conflito de empresários, Fla admite perder Wellington Silva


Wellington Silva no treino do Flamengo (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)
Ainda com futuro incerto, Wellington Silva pode estar realmente de saída da Gávea. Com dificuldades para estabelecer contato com os representantes do lateral-direito, que está emprestado ao Flamengo até o 31 de dezembro, o clube já admite a possibilidade de perder o jogador. Dono de 16% dos direitos econômicos do atleta, o Rubro-Negro tenta comprar mais 34% por R$ 1 milhão junto ao Resende (pelo acordo inicial, o Fla teria que ter oficializado sua prioridade para compra até o último dia 10). Mas sem conseguir respostas e perto do fim do vínculo, o diretor executivo de futebol do Fla, Paulo Pelaipe, observou falhas no contrato e demonstrou pessimismo com a negociação.

- Ele deve sair. Não posso olhar para trás, tenho que olhar para frente. Quando houve a negociação eu não estava no clube. Esse assunto está sendo tocado pelo Zinho. O Flamengo tentou contato com Resende, com o Alberto Macedo (gestor do Resende) e não obteve retorno. Quando foi feito o contrato, já tinham que ter sido feitas algumas cláusulas como questão de reajuste salarial numa possível renovação. O que não foi feito - explicou Pelaipe, que anteriormente avisou que não entraria em leilão pelo jogador.

Aos 24 anos, Wellington Silva foi um dos destaques do Flamengo no Campeonato Brasileiro e despertou interesse no mercado. Mas o que complica as negociações é o fato do lateral ter dois agentes que o representam: Léo Rabello e Marcos Marinho (empresário do grupo For Winner). Além disso, a negociação tem que ser aprovada por Alberto Macedo, que é gestor do Resende.

O Flamengo não descarta entrar com uma ação judicial contra os demais donos dos dieitos federativos do atleta para tentar resolver a questão. Se nada mudar até o dia primeiro de janeiro de 2013, Wellington Silva estará mais perto do Fluminense, que vem sondando o jogador desde o início do mês e já apresentou proposta pelo jogador. A oferta foi considerada muito boa pelo lateral e também teria agradado ao Resende. Mas o Grêmio também pode entrar na briga. Correndo por fora, o Tricolor gaúcho observa o atleta como um possível substituto de Pará, que deve retornar para o Santos.