Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 21 de setembro de 2013

Futebol 7: Botafogo goleia o Macaé, e Flamengo perde invencibilidade no Carioca


Duas partidas movimentaram a rodada deste sábado do Campeonato Carioca de futebol 7, no Iate Clube Jardim Guanabara. O líder Flamengo viu sua invencibilidade cair com a derrota por 1 a 0 diante do São Cristovão. Por outro lado, o Botafogo goleou o Macaé por 7 a 1 e assumiu a segunda posição da competição.

Botafogo goleia no Futebol 7 (Foto: Eduardo Aires/JornalF7.com) 
Botafogo atropelou o Macaé no Carioca de futebol 7 (Foto: Eduardo Aires/JornalF7.com)

O Botafogo fez um primeiro tempo arrasador e foi liderado por Paulinho PH. O jogador anotou os três primeiros gols do alvinegro, sendo dois deles já nos minutos iniciais do duelo. Duda também deixou sua marca, assim como Gabriel Xeréu, que fez dois gols. Diante da desvantagem de 6 a 0, o Macaé apenas conseguiu mandar uma bola no travessão ao fim da etapa inicial. O domínio do Bota se estendeu no segundo tempo, com um gol de Diego Marcelino, mas o ritmo caiu, e Fernando da Silva anotou o gol de honra do Macaé.

O Flamengo também foi superior em quase toda a partida deste sábado, criando muitas oportunidades de gol. Só que Mikimba e Vitor Boleta estavam com a mira descalibrada. O São Cristovão apostou nos contra-ataques e conseguiu chegar ao gol com André Juquinha já no segundo tempo, derrubando o último invicto da competição.

Apesar do tropeço, o Rubro-Negro manteve a ponta da classificação, mas viu o Botafogo colar em seu encalço. Os dois podem ser ultrapassados pelo Fluminense, que tem um jogo a menos.

Flamengo perde invencibilidade no futebol 7 (Foto: Eduardo Aires/JornalF7.com) 
Flamengo perde invencibilidade, mas mantém liderança (Foto: Eduardo Aires/JornalF7.com)

Em tempos de crise, presidente e vice de futebol acompanham elenco

 
 
presentes (Richard Souza)
Em momento de crise, os jogadores do Flamengo são acompanhados pelos principais dirigentes do clube. Chegaram na tarde deste sábado ao Recife o presidente Eduardo Bandeira de Mello e seu vice de futebol, Wallim Vasconcellos. Eles ficam no mesmo hotel dos atletas. O diretor executivo Paulo Pelaipe já estava na cidade com o elenco.

A mobilização da diretoria mostra que o clube vive momento crítico. A presença dos cartolas não acontece em todos os jogos longe do Rio.

O Flamengo encara o Náutico às 16h, na Arena Pernambuco. A equipe rubro-negra tem 26 pontos, na 15ª colocação. Jayme de Almeida comanda o time depois do pedido de demissão de Mano Menezes.

CORREÇÃO: inicialmente, esta matéria informava que Bandeira e Wallim não haviam viajado a Campinas e Belo Horizonte para acompanhar o time, mas os dirigentes estiveram nestas cidades. A informação foi publicada às 17h36m e corrigida às 19h48m.

Motivação milionária: Flamengo tem bicho polpudo previsto para próximos jogos

motivação
no bolso (arte esporte)Um milhão de reais. Este é o valor da premiação oferecida pelo Flamengo caso vença Náutico e Criciúma nas duas próximas rodadas do Brasileirão. O acordo não é específico para estas partidas. Em reunião com líderes do grupo, antes do início do segundo turno, a diretoria acertou o montante diante de uma meta pré-estabelecida: dez pontos nas cinco rodadas a partir do jogo contra o Santos. Como triunfou diante do Peixe e empatou com a Ponte Preta, a derrota para o Atlético-PR não inviabilizou a combinação de resultados necessária para encher os bolsos rubro-negros.

A premiação é progressiva e, uma vez com a meta alcançada, cada ponto conquistado a partir do confronto com o Coritiba, dia 2, até o fim da competição valerá R$ 100 mil - ou seja, R$ 300 mil por vitória. O montante será repartido por todos os funcionários do departamento de futebol (jogadores, comissão técnica e staff). A parcela, no entanto, seguirá divisão proporcional à participação de cada um nas partidas.

Treino Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)Um bom início da segundo turno é considerado fundamental por todos no clube para um fim de ano tranquilo. O próprio ex-treinador, Mano Menezes, repetiu em entrevistas coletivas a importância de uma arrancada e citou o começo ruim de Brasileirão como determinante para proximidade do Flamengo da zona de rebaixamento. Nas quatro rodadas iniciais, ainda sob o comando de Jorginho, apenas dois pontos foram conquistados em 12 disputados - dois empates e duas derrotas. Mesmo com o decepcionante revés para o Atlético-PR, no Maracanã, o clube já superou a marca: tem quatro pontos em três jogos.

Atualmente, o Flamengo é o 15º colocado no Brasileirão, com 26 pontos, dois a mais que o Criciúma, primeiro time no Z-4. No domingo, o rival é o lanterna Náutico, às 16h (de Brasília), na Arena Pernambuco, pela 23ª rodada do Brasileirão. Caso vença, a premiação gorda dependerá apenas de um novo triunfo diante do Criciúma, dia 29, no Maracanã.


Surpreso com saída de Mano, Jayme avisa: ‘Não vou inventar’



motvação bolso Se vcer Náutico e Bahia, elenco
ganhará "bicho" de R$ 1 milhão
‘Não vou inventar’ (Janir Junior)Simplicidade é um dos traços da personalidade de Jayme de Almeida, seja à beira de campo ou na vida pessoal. Auxiliar de Mano Menezes, ele não esconde que o pedido de demissão do treinador depois da derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, na quinta-feira, pegou a todos de surpresa. Mesmo com conhecimento de todo grupo, Jayme teve apenas dois dias de trabalho antes da partida deste domingo, contra o Náutico, às 16h, na Arena Pernambuco. Ao mesmo tempo em que tenta reerguer um time cansado e abalado psicologicamente, o treinador deixa claro que não vai inventar.

- Não sou maluco, não vou inventar nada. Temos uma equipe que jogou na quinta, vamos jogar domingo. O pessoal está cansado, e o resultado também foi ruim mentalmente. Tenho a formação, não terá mudança radical. Uma coisa simples e objetiva - afirmou Jayme de Almeida, depois do treino deste sábado pela manhã, em Recife.

Jayme não anunciou a equipe que enfrentará o Náutico. Para a zaga, o técnico tem à disposição Samir, Wallace e Chicão. Com Cáceres suspenso, Amaral poderia ser uma das opções. Outra hipótese seria fortalecer o setor defensivo com três zagueiros e testar Hernane e Marcelo Moreno na frente. Mas nada confirmado pelo treinador.

O técnico lembrou a saída de forma repentina de Mano, que anunciou sua demissão ainda no vestiário do Maracanã.

- Saída do Mano pegou a todos nós de surpresa, não adianta dizer que não, a todos. É hora de baixar a bola, acalmar, temos que vencer, com todo respeito ao Náutico - analisou Jayme.

O técnico ainda não pensa em efetivação. Jayme quer apenas a vitória diante do Náutico. E comenta o fato de estar à beira do campo em momento delicado do time, que é 15º colocado, com 26 pontos, apenas dois a mais do que o Criciúma, primeira equipe da zona de rebaixamento:

- Sou profissional, funcionário do Flamengo. Infelizmente, quando acontece essa saída, a responsabilidade fica a meu cargo. Espero corresponder à expectativa da diretoria, da torcida que cobra, pois tem que cobrar. Tenho que dar segurança e tranquilidade para os jogadores para fazer um grande jogo.



Jayme vê treino descontraído, e torcida vibra... com Denis Marques

Um grupo de torcedores na entrada do estádio do Arruda, no Recife, poderia indicar que se tratava de uma busca para ter contato com algum jogador do Flamengo, que treinou no local na manhã deste sábado. Mas, não. Eram fanáticos pelo Santa Cruz, que também realizou uma atividade e tem no atacante Denis Marques, que teve passagem pela Gávea, um dos seus principais jogadores. Sem badalação, o Rubro-Negro realizou a primeira movimentação de fato sem Mano Menezes, já que na sexta-feira, dia seguinte ao jogo com o Atlético-PR, o grupo fez apenas trabalho regenerativo.

Jayme de Almeida no treino do Flamengo (Foto: Janir Júnior) 
Jayme de Almeida comanda treino do Flamengo (Foto: Janir Júnior)

Jayme de Almeida acompanhou o trabalho em campo reduzido à beira de campo. Durante a movimentação, os jogadores demonstraram descontração.

O técnico não deu pistas sobre o time que enfrentará o Naútico, neste domingo, na Arena Pernambuco. Samir, que cumpriu suspensão diante do Furacão, está à disposição. Adryan sequer foi relacionado e não viajou para Recife. Léo Moura e Felipe seguem fora, com Luiz Antonio e Paulo Victor sendo os substitutos.

No fim da atividade, alguns jogadores como Carlos Eduardo, André Santos, Gabriel e Hernane ensaiaram cobranças de pênalti. Outros com Marcelo Moreno e João Paulo treinaram cobranças de faltas.

O diretor executivo Paulo Pelaipe também está em Recife com a delegação.

Neste domingo, no mesmo dia que o Flamengo enfrenta o Náutico, o Santa Cruz, com Denis Marques e André Dias, outro ex-rubro-negro, no ataque, vai a Goianinha pegar o Baraúnas pela Série C do Brasileiro.

chicao flamengo (Foto: Janir Junior) 
O zagueiro Chicão comemora um gol no treino recreativo do Flamengo (Foto: Janir Junior)
 
 
 

Showbol: Marquinhos marca no fim, Flamengo bate Galo e vai à final do Brasileiro

Um gol de Marquinhos a 54 segundos do fim da partida contra o Atlético-MG colocou o Flamengo na final do Campeonato Brasileiro de showbol. Na segunda semifinal da competição, neste sábado, em Águas de Lindóia (SP), o Rubro-Negro eliminou o Galo com uma emocionante vitória por 9 a 8, gols de Djalminha (três), Fábio Baiano (dois), Jorginho, Selé, Maurinho, além de Marquinhos. Para o Atlético balançaram a rede: Reinaldo (três), Hilton (dois), Jefferson Feijão, Luiz Cláudio e Thiago Gosling. Neste domingo, às 13h30m, Flamengo e São Paulo fazem a grande decisão, às 13h30m, com transmissão ao vivo do SporTV. Mais cedo, o Tricolor Paulista goleou o Internacional por 16 a 6.

Flamengo Marquinhos Atlético-MG Brasileiro de showbol (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação) 
Jogadores do Flamengo comemoram o gol da classificação (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação)
O jogo começou com um ritmo cadenciado, com as duas equipes se expondo pouco ao ataque. Aos sete minutos, Jefferson Feijão tirou o primeiro zero do placar em chute da intermediária - o goleiro rubro-negro Sérgio falhou no golpe de vista. O Flamengo não demorou a reagir. Aos nove, Djalminha finalizou quase sem ângulo para marcar 1 a 1. Aos 13, o Atlético voltou a passar à frente em conclusão de pé esquerdo de Hilton.

Aos 15, o Galo conseguiu colocar dois gols de vantagem, quando Luiz Cláudio fez 3 a 1. Aos 16, Jorginho recebeu passe rasteiro e bateu de primeira para reduzir o marcador. Um minuto depois, o mesmo Jorginho lançou Djalminha na frente e ele empatou mais uma vez: 3 a 3. Aos 21, Selé dividiu na área e colocou o time carioca em vantagem. Dois minutos depois, Fábio Baiano ampliou em cobrança de pênalti, mas, a 12 segundos do término, Thiago Gosling anotou o segundo do Galo, aumentando as esperanças atleticanas para a segunda etapa.

Flamengo Atlético-MG Djalminha Brasileiro showbol (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação) 
O craque Djalminha teve mais uma boa atuação no showbol (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação)
Dito e feito. O time mineiro voltou para o segundo tempo mais motivado e, logo no segundo minuto, Reinaldo fez 5 a 5. Entretanto, após a saída de bola, Djalminha driblou Ronaldo e fuzilou para marcar o sexto do Flamengo. Aos quatro, Fábio Baiano voltou a deixar o Rubro-Negro com dois gols de vantagem, mas, aos 12, Hilton voltou a reacender as esperanças atleticanas com um chute cruzado da esquerda: 7 a 6.

O jogo ficou aberto, e, aos 20, Gelson Baresi avançou e serviu Maurinho, que fez o oitavo do time carioca. O Atlético não desistiu e diminuiu aos 21, com Reinaldo. Segundos depois, o mesmo Reinaldo recebeu de Luiz Cláudio e tocou de calcanhar para fazer 8 a 8, resultado que forçaria uma prorrogação. Só que, a 54 segundos do fim, Marquinhos aproveitou jogada de contra-ataque e bateu sem ângulo para colocar o Flamengo na final. O Rubro-Negro vai em busca do seu quarto título brasileiro.

Escalações:

Atlético-MG:
Cristiano, Thiago Gosling, Ronaldo, Hilton, Reinaldo e Jefferson Feijão. Entraram: Rodrigo, Luiz Cláudio, Jorge Mutt, Marcelino e Leandro. Técnico: Reinaldo.

Flamengo: Sérgio, Gelson Baresi, Emerson, Marquinhos, Fábio Baiano e Djalminha. Entraram: Jorginho, Braga, Selé, Maurinho e Benjamin. Técnico: Ernesto Paulo.


Lesionados, pendurados e suspensos para a 23ª rodada do Brasileirão

Confira abaixo a lista completa com os lesionados e suspensos da rodada#23:

Info - Suspensos e Lesionados 20/09 (Foto: Editoria de Arte)
 

Sofrendo com o Flamengo em Ica, Fabi quer fim de má fase: 'Não pode cair nunca'


Fabi treino Brasil vôlei (Foto: Thierry Gozzer)
Dentro de quadra Fabi não tem do que reclamar. Os últimos anos foram perfeitos. Bicampeã olímpica e atual campeã do Grand Prix, a líbero é considerada uma das melhores do mundo em sua posição e junto da seleção brasileira está passeando em cima das rivais no Sul-Americano de vôlei em Ica, no Peru. Mas quando o assunto é uma de suas paixões, a jogadora não pode dizer o mesmo. "Direto do deserto", a experiente atleta está acompanhando e sofrendo com o momento do Flamengo no Campeonato Brasileiro. Pela internet, Fabi ficou sabendo da derrota por 4 a 2, de virada, para o Atlético-PR, e do pedido de demissão do técnico Mano Menezes.

Triste com a situação, a jogadora espera que o time não passe o sufoco de brigar contra o rebaixamento, e lamenta a saída do "chefe", como ela chamou Mano Menezes, que ao deixar o clube, disse que nos três meses à frente do Flamengo não tinha conseguido fazer os atletas assimilarem o que ele havia pedido.

- Não dá para sofrer tanto. O time não pode cair nunca, meu Deus. Eu tenho saudade do Flamengo disputando decisões. O país fica mais feliz com o Flamengo. Para o Brasileirão é bacana. A política do país já nos traz tantas notícias malucas, ruins, e a única alegria que temos é o esporte, é o Flamengo, e nem isso estou conseguindo. Eu espero que o Flamengo termine o campeonato dignamente, que não passe o sufoco para não cair, mas quero ver o time lá em cima de novo - entrega Fabi.


Fabi no Flamengo com a medalha olímpica (Foto: Fernando Azevedo / Fla Imagem) 
Fabi no Flamengo com a medalha olímpica conquistada em Londres (Foto: Fernando Azevedo / Fla Imagem)

Depois do jogo contra a Colômbia, o segundo do Sul-Americano, vencido por 3 sets a 0, Fabi voltou para o hotel. E ao ver as notícias, a jogadora sofreu mais um pouco. Confiante numa reviravolta, ela dá um voto de confiança ao grupo Rubro-Negro, apesar de não ter gostado da saída do treinador. A equipe ocupa a 15ª posição no Campeonato Brasileiro e enfrenta o Náutico na próxima rodada, neste domingo. Fabi, por sua vez, volta a jogar neste sábado, quando o Brasil enfrenta a Venezuela, às 18h (de Brasília), e pode garantir a vaga no Mundial.

- Eu estou acompanhando as notícias aqui de Ica, vi que o Mano caiu, que o Flamengo perdeu. Fiquei triste com mais uma derrota e não queria que o Mano tivesse saído, é o chefe, o comandante. O Flamengo está vivendo um momento difícil. Deu para perceber que eles estão tentando fazer um trabalho bom, mas algumas coisas refletem ali dentro. Vi o jogo contra o Cruzeiro, o gol do Elias no finalzinho (pelas oitavas da Copa do Brasil). O time compreende o que é o Flamengo, a importância da camisa. O Flamengo esse ano teve lampejos de Flamengo, o Elias se emocionando, o time brigando até o final. Eu espero que seja um ano com mais cara do Flamengo em 2014 - sonha Fabi.

Sonho de um dia ser campeã no Fla

fabi e zico vôlei flamengo (Foto: Reprodução/Instagram)Aos 33 anos, Fabi já conquistou quase tudo que uma jogadora poderia querer. É pentacampeã do Grand Prix, bicampeã olímpica, já venceu Pan-Americano e foi por duas vezes prata no Mundial, além de campeã da Copa dos Campeões. Um sonho porém, ela ainda guarda no coração Rubro-Negro. O de ser campeã no Flamengo caso o clube um dia volte com um time profissional de vôlei. A jogadora começou a carreira na base do clube, em 1992, voltou em 1999/2000, e pela coisa maldita, vasco , logo no arquirrival, foi vice-campeã perdendo para o Mengão, de Leila e Virna, a final da Superliga daquele ano.

- O Flamengo é minha paixão. Não sei se terei tempo hábil de jogar lá de novo comigo em atividade, mas é um sonho. Vou fazer nove anos de Rio de Janeiro, é uma história bonita, mas o Flamengo transcende o profissional, vem de pequena, desde sempre eu acompanho o Flamengo, não teria como não ser - diz Fabi.

A jogadora também ficou triste com o fim de alguns esportes olímpicos do clube, como o judô. Mas espera que a diretoria cumpra com o que prometeu: voltar com as modalidades quando a parte financeira for sanada.

- Eu fico muito triste quando acaba com um esporte amador dentro do país que vai trazer as Olimpíadas. Eu procuro acreditar nas pessoas. O Flamengo disse que não tinha condições de manter. A diretoria pediu um voto de confiança e estou dando. Eu, como Rubro-Negra, estou dando esse voto. Eles prometeram que iriam parar e voltar quando pudessem. Espero que seja assim - finaliza a jogadora.


Postura de jogadores e passividade da diretoria minam paciência de Mano

Antes mesmo do jogo com o Atlético-PR, na noite de quinta-feira, no Maracanã, Mano Menezes estava com sua paciência no limite. O motivo: o descontentamento com a postura de alguns jogadores fora de campo. Episódios recentes, como os que envolveram Carlos Eduardo e André Santos, não foram bem digeridos pelo técnico. Somado a isso está a dificuldade da diretoria em melhorar as condições apresentadas para um bom trabalho. Após três meses, apenas o próprio André e Chicão chegaram como reforços de uma lista extensa de tentativas frustradas. A satisfação com a matéria-prima que tinha em mãos era longe do aceitável.

A notícia de uma agitada festa na noite de segunda-feira na casa de Carlos Eduardo, num condomínio de casas na Barra da Tijuca, incomodou Mano. A batida de carro de André Santos na mesma madrugada também não foi vista com bons olhos, e os dois jogadores eram observados de perto treinador. Em entrevista coletiva, ele disse que não vigiaria ninguém em seu horário livre, mas tomaria atitudes se achasse que o rendimento em campo estava sendo afetado.

Mano Menezes flamengo atlético-pr (Foto: Dhavid Normando / Agência Estado) 
A derrota de virada para o Atlético-PR em pleno Maracanã foi apenas a gota d'água para Mano pedir o boné (Foto: Dhavid Normando / Agência Estado)
 
Nesta sexta-feira, um dia depois do pedido de demissão, Mano Menezes almoçou num restaurante na zona oeste do Rio, e aparentava chateação com o cenário apresentado recentemente. Durante a refeição, o treinador chegou a deixar claro para pessoas com quem conversou uma falta de mobilização e atitude pelos líderes do clube:

- Se ninguém toma atitude, quem tem que tomar atitude sou eu para não acontecer o que todos temem (rebaixamento).

Embora nunca tenha externado, o treinador ficou frustrado com a pouca ação do Flamengo na janela de transferências. Ele esperava de três a cinco nomes de peso para o elenco. O clube tentou Cristian, Dentinho, Fagner, Emerson Sheik, Felipe Melo, Leandro Castán, Rodolpho... E fechou apenas com André Santos e Chicão.

Com o elenco enfraquecido, ele teve de recorrer a jogadores contratados do interior de São Paulo - Paulinho, Val, Diogo Silva e Bruninho - e aos meninos das divisões de base. Na última entrevista coletiva, na véspera da derrota para o Atlético-PR, o treinador criticou estes últimos, a quem chamou de superestimados.

A relação com os chefes diretos, Wallim Vasconcellos (vice de futebol) e Paulo Pelaipe (diretor) era considerada boa, sem rusgas. Porém, apenas o segundo foi comunicado diretamente da saída. O vice de futebol recebeu uma mensagem de texto com um pedido de desculpas.

Empresário de Mano Menezes, Carlos Leite também ficou surpreso com a decisão da saída, mas compreendeu e refutou a hipótese de o treinador ter um pré-acordo com outro clube.

- O futebol precisa aprender a conviver com a verdade. A atitude do Mano causa espanto, mas é verdadeira. Ele assumiu a responsabilidade e não jogou a culpa em ninguém – disse.



Em meio à má fase, Flamengo é recebido por poucos torcedores no Recife


Nem mesmo a sempre calorosa torcida rubro-negra no Recife se empolgou. Na quinta-feira, o Flamengo sofreu mais uma derrota no Brasileirão, a oitava em 22 jogos. Dessa vez, com requintes de crueldade e consequências. Depois de fazer 2 a 0 em oito minutos no Maracanã, o time viu a partida terminar em 4 a 2 para o Atlético-PR e se espantou com o pedido de demissão de Mano Menezes. O time está na 15ª colocação, com 26 pontos, apenas dois a mais do que Criciúma, primeiro da zona de rebaixamento. Em meio ao momento delicado, o time desembarcou no Aeroporto dos Guararapes por volta de 23h40m desta sexta-feira. E, ao contrário de outras recepções badaladas até mesmo quando o time estava mal, poucos torcedores esperavam a equipe.

Desembarque Flamengo em Recife (Foto: Janir Júnior) 
Após a derrota para o Furacão no Rio, jogadores do Fla desembarcam em Recife sob os olhares de poucos torcedores (Foto: Janir Júnior)
 
Com a movimentação, alguns curiosos se juntaram para acompanhar o deslocamento da delegação do saguão até o ônibus. O bolo aumentou, mas na mais completa paz. Os jogadores do clube da Gávea atenderam aos poucos torcedores e pararam para fotos, casos de Paulo Victor, Elias e Chicão. Jayme também posou com um torcedor com a camisa rubro-negra. O grupo seguiu para o hotel onde ficará concentrado em Recife. Na manhã deste sábado, a equipe realiza a última movimentação antes da partida com o Náutico, domingo, às 16h.

Na quinta-feira, depois da derrota para o Furacão em pleno Maracanã, Mano Menezes pediu demissão. Nesta sexta, o presidente Eduardo Bandeira de Mello concedeu entrevista coletiva, demonstrou sua surpresa e confirmou que Jayme de Almeida comandará a equipe diante do Náutico, domingo, em Recife. Nos próximos dias, departamento de futebol e diretoria decidirão sobre a manutenção ou não de Jayme. O nome de Abel Braga despertou o interesse, mas o técnico se mantém firme na decisão de não trabalhar em nenhum clube até o fim do ano.

Elias e torcedor, desembarque Flamengo em Recife (Foto: Janir Júnior) 
Elias posa para foto com três rubro-negros (Foto: Janir Júnior)
 
Chicão e torcedor, desembarque Flamengo em Recife (Foto: Janir Júnior) 
Chicão também fez questão de dar atenção ao fã (Foto: Janir Júnior)
 
Jayme de Almeida, técnico do Flamengo (Foto: Janir Júnior) 
Sereno como sempre, o interino Jayme de Almeida chega ao Recife (Foto: Janir Júnior)
 
Desembarque Flamengo em Recife (Foto: Janir Júnior) 
A normalmente calorosa e volumosa torcida do Fla foi representada na recepção por poucos representantes (Foto: Janir Júnior)
 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Fora contra Atlético-PR por dores na coxa, André Santos pega o Náutico


Andre Santos desembarque Flamengo (Foto: Richard Souza)
Dores no músculo adutor da coxa esquerda foram responsáveis pela ausência de André Santos da partida contra o Atlético-PR, quinta-feira, no Maracanã. Do banco de reservas, o lateral-esquerdo viu o Flamengo ser derrotado por 4 a 2, após veto do departamento médico. O camisa 27, no entanto, seguiu normalmente com a delegação para Recife e não é problema para enfrentar o Náutico, domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Pernambuco, pela 23ª rodada do Brasileirão. Chicão, que também foi poupado por Mano, ficando somente entre os suplentes, é outro que tem retorno garantido no time de Jayme de Almeida.

Na quarta-feira, após trabalho técnico no Ninho do Urubu, André Santos informou a Mano Menezes que havia sentido uma forte contratura no músculo. O treinador, por sua vez, pediu que fosse feito um esforço e o relacionou para fazer tratamento intensivo na concentração. Não foi suficiente para que o lateral tivesse condição de jogo. Com isso, João Paulo foi escalado em seu lugar.

Há cerca de duas semanas, o próprio Mano já tinha levantado a possibilidade de poupar André Santos e Elias de alguns jogos para evitar lesões. O volante ficou fora do empate com a Ponte Preta, por 1 a 1, mas o lateral ainda passava por avaliação. Somente no período em que o treinador esteve no Flamengo, oito jogadores sofreram algum tipo de problema muscular. O mais recente foi Diego Silva, que, com um estiramento grau três na coxa direita, desfalca o time por um mês.

Com 26 pontos, dois a mais que o Criciúma, primeiro time no Z-4, o Flamengo é o 14º colocado no Campeonato Brasileiro.



Brasileiro: Internacional encara São Paulo enquanto Flamengo pega Atlético-MG

Considerada a competição mais importante do showbol, o Campeonato Brasileiro chega à sua semifinal neste sábado com dois clássicos interestaduais. Sede da competição, a cidade de Águas de Lindóia (SP) recebe os confrontos Internacional x São Paulo, às 9h30m, e Flamengo x Atlético-MG, às 10h30m - o SporTV transmite as duas partidas ao vivo.

Flamengo Botafogo Showbol (Foto: Luiz Carlos Quadro Junior) 
O Flamengo, de Djalminha, ganhou os pontos do clássico com o Bota (Foto: Luiz Carlos Quadro Junior)
 
Com a melhor campanha da competição, o Colorado abre a fase decisiva embalado pela boa fase do artilheiro Caíco. Classificado como primeiro lugar do grupo B, o time do Beira-Rio enfrentará o Tricolor Paulista, vice brasileiro em 2011.

A equipe do Morumbi conseguiu a classificação graças a uma punição ao Palmeiras. Por ter escalado irregularmente o goleiro Guilherme na primeira fase, o Alviverde perdeu todos os pontos conquistados no grupo A, deixando o segundo lugar da chave para o São Paulo, que avançou por ser o melhor segundo dentre os três grupos.

Caíco Internacional Cruzeiro Brasileiro de showbol (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação) 
Vivendo excelente fase, o habilidoso Caíco comanda o Inter (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação)
 
O Flamengo, do craque de Djalminha, também chegou à semifinal em situação semelhante à do Tricolor Paulista. Após ser derrotado pelo Botafogo, na segunda rodada, o Rubro-Negro recorreu e conseguiu os pontos da partida, já que o rival escalara quatro jogadores entre 30 e 35, dois a mais que o permitido. Com sete pontos no grupo C, o time da Gávea ficou à frente do Santos, que teve os mesmos sete pontos, mas saldo de gols inferior - o Peixe também ganhara os pontos do duelo com o Botafogo.

Líder do grupo A e adversário do Fla na semifinal, o Atlético-MG chega à partida decisiva com cinco desfalques. São eles: o goleiro Rafael, o zagueiro Adriano, os experientes Toninho Pereira e Moacir e o artilheiro Glenn Piu. Em seus lugares, o time mineiro terá o goleiro Cristiano, melhor da posição no Brasileiro 2008, e os estreantes Luiz Cláudio, Jorge Mutt, Marcelino e Leandro.

Atlético-MG São Paulo Brasileiro showbol (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação) 
Atlético-MG e São Paulo se classificaram no grupo A (Foto: Luiz Carlos Quadro Jr/Divulgação)
 
O Flamengo também tem problemas para a partida deste sábado. O Rubro-Negro não contará com o goleiro Robertinho e, o seu substituto será Sérgio, que defendeu o clube profissionalmente em 1995.

Dentre os quatro semifinalistas, apenas o Flamengo já foi campeão brasileiro de showbol. O Rubro-Negro é o maior vencedor da competição, com três títulos.

Sem Felipe e Léo Moura, Flamengo embarca em clima pacífico para o Recife

Em clima de paz, o Flamengo embarcou na noite desta sexta-feira para Recife, onde encara o Náutico, domingo, pela 23ª rodada do Brasileirão. Após encarar um longo engarrafamento, a delegação rubro-negra passou sem maiores problemas pelo setor de embarque do Aeroporto Internacional do Galeão. Não havia torcedor no local e não foi realizado nenhum tipo de manifestação, nem de apoio nem de protesto pelos maus resultados. As baixas no grupo que viaja para Pernambuco são Felipe e Léo Moura.

O goleiro ainda se recupera de lesão no tornozelo direito, enquanto o lateral está na fase final de tratamento na coxa direita. Adryan, que teve má atuação na derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, na noite de quinta-feira, no Maracanã, foi outro não relacionado por Jayme de Almeida. O auxiliar técnico permanente é o substituto da Mano Menezes, que se demitiu. Em entrevista coletiva, o presidente Eduardo Bandeira de Mello levantou a possibilidade de manutenção do profissional no cargo, mas a condicionou a uma reavaliação após a partinda contra o Timbu.
 
Jayme Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Jayme comanda o Flamengo contra o Náutico, no domingo (Foto: Cahê Mota)

O confronto até marcado para 16h (de Brasília), de domingo, na Arena Pernambuco. O Flamengo é o 14º colocado no Brasileirão, com 26 pontos, apenas dois a mais que o Criciúma, primeiro time no Z-4, enquanto o Náutico é o lanterna, com apenas nove pontos.

Confira toda a delegação do Flamengo:

Goleiros: Paulo Victor e César
Laterais: Luiz Antonio, André Santos e João Paulo
Zagueiros: Chicão, González, Samir e Wallace
Volantes: Amaral, Val e Elias
Meias: Carlos Eduardo e Gabriel
Atacantes: Hernane, Moreno, Bruninho, Nixon, Rafinha, Fernandinho e Paulinho



Flamengo convoca torcida a doar impostos

O Flamengo vai lançar no dia 15 de outubro uma campanha para estimular os torcedores a destinarem parte do seu Imposto de Renda a pagar para os projetos olímpicos do clube aprovados pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte. O clube, que já criou um sistema para emitir notas de recebimentos, diz que espera receber milhares de doações para ajudar na captação, que também terão o apoio de empresas.

Com milhões de torcedores, a diretoria do Flamengo aposta que a arrecadação pode até ser mais fácil do que fidelizar novos sócios para. Em maio, o Cruzeiro lançou o projeto Diamante Azul, para captar R$ 5,9 milhões para a base.

– No caso de sócio-torcedor o cara precisa desembolsar um dinheiro por mês, é mais complexo. Para o Imposto de Renda, não. É uma doação. Ou ele vai dar esse dinheiro para o governo ou para o Flamengo. Vamos explicar direitinho como ele faz para destinar o dinheiro para o clube – afirmou o vice-presidente de Esportes Olímpicos do Flamengo, Alexandre Povoa.

O trabalho faz parte do planejamento do Flamengo para recuperar a tradição em esportes olímpicos. Como o clube de futebol mais tradicional em esportes olímpicos, a nova diretoria do Flamengo tem como objetivo resgatar a sua história. Fundado em 1895 para disputas de remo, desde então, o clube formou e consagrou atletas de diversas modalidades. Nos últimos anos, os destaques eram a natação, o basquete e a ginástica artística, contando com atletas de ponta, como César Cielo, Daniele e Diego Hipólito. A última edição das olimpíadas em que o Flamengo teve representantes foi a de Pequim, em 2008, quando a delegação brasileira convocou cinco atletas (ginástica artística, judô e nado sincronizado) e três técnicos do clube para a competição.

CBF divulga calendário para 2014 e antecipa principais estaduais do país



A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou na tarde desta sexta-feira o calendário do futebol brasileiro para 2014, ano da Copa do Mundo no país. A bola começa a rolar no território nacional no dia 12 de janeiro, com os campeonatos estaduais e a Copa do Nordeste, e para em 4 de junho para o Mundial, que inicia oito dias depois. A Seleção fará um último amistoso em março, antes da convocação no dia 7 de maio. Com a lista final, o time de Felipão ainda disputará alguns amistosos de preparação no país. Depois da Copa, o Brasil tem mais seis amistosos previstos em datas Fifa no segundo semestre, além do Superclássico das Américas contra a Argentina, nos dias 28 de agosto e 17 de setembro. O cronograma do ano que vem continua sem prever paralisação das competições nacionais durante os amistosos da Seleção, levando os jogadores convocados do país a desfalcarem os seus clubes.

O calendário fará com que os atuais clubes da Série A antecipem suas pré-temporadas em 2014, já que todos os estaduais terão seu encerramento antecipado para o dia 13 de abril. Com isso, os principais regionais do país terão que começar mais cedo: a Copa do Nordeste e os campeonatos Paulista, Carioca, Gaúcho, Pernambucano, Baiano, Catarinense, Paranaense e Goiano serão antecipados em uma semana em relação à atual temporada. Já o Mineiro começará duas semanas antes do que em 2013. Outros estaduais sofrerão situação inversa e só verão a bola rolar mais tarde, como o Cearense e o Paraibano, que este ano iniciaram suas disputas nos dias 5 e 6 de janeiro, respectivamente.

Campeonatos Datas
Estaduais 12/01 a 13/04
Copa do Nordeste 12/01 a 23/02
Libertadores 29/01 a 13/08
Sul-Americana 27/08 a 10/12
Copa do Brasil 12/03 a 26/11
Série A 20/04 a 07/12
Série B 19/04 a 29/11
Série C 27/04 a 16/11
Série D 27/07 a 16/11
Mundial de Clubes 10/12 a 20/12
Copa do Mundo 12/06 a 13/07

As Séries A, B e C do Brasileiro serão outros campeonatos que começarão mais cedo. A Primeira e a Segunda Divisão vão se iniciar nos dias 20 e 19 de abril, respectivamente, cinco dias antes do que a atual temporada. Já a Terceirona será antecipada em um mês, com previsão para 27 do mesmo mês. A Série D, por sua vez, será adiada em quase dois meses, começando em 27 de agosto (em 2013, seu início foi no dia primeiro de junho).

Outra mudança será na Taça Libertadores. Assim como ocorreu nesta temporada para a Copa das Confederações, a competição será interrompida para o Mundial, mas a final será adiada para o dia 13 de agosto, três semanas depois da decisão entre Atlético-MG e Olimpia, em julho. A Copa Sul-Americana também começará tardiamente e só terá bola rolando no dia 27 de agosto, quase um mês mais tarde do que iniciou este ano. Já o Mundial de Clubes da Fifa seguem sendo disputado na mesma semana, entre os dias 10 e 20 de dezembro.

Presidente reforça confiança em Jayme e afirma: 'O Flamengo não cai'


No turbilhão de problemas do Flamengo, só mesmo o sempre tranquilo Eduardo Bandeira de Mello para tentar botar panos quentes. E foi justamente o presidente o responsável por apontar os futuros do futebol rubro-negro, no Ninho do Urubu, nesta sexta-feira, dia seguinte ao pedido de demissão de Mano Manezes. De fisionomia serena em entrevista coletiva, como de costume, o mandatário deixou clara a surpresa pela decisão do treinador, revelou que a informação chegou aos seus ouvidos pelas ondas do rádio e deu duas garantias com prazo de validade ao torcedor: Jayme de Almeida é o novo técnico e o clube não será rebaixado para a Segunda Divisão.

Sobre a primeira, o próprio Bandeira de Mello foi rápido ao deixar claro que tudo dependerá de uma avaliação após a partida com o Náutico, domingo, no Recife. A medida dá tempo para que o Fla mapeie o mercado, mas já está definido que caso não surja um nome incontestável o interino terá tempo para desempenhar seu trabalho - salvo, obviamente, uma tragédia contra o lanterna, em Pernambuco. Já a certeza da manutenção do Rubro-Negro na Série A terá que ser provada pela equipe em campo. E a campanha de seis vitórias, oito empates e oito derrotas, que colocam o time na 14ª colocação, com 26 pontos, dois a mais que o Criciúma, primeiro no Z-4, deixam o sinal de alerta ligado.

- Garanto que o Fla não cai. Simples assim - decretou o presidente, sem se alongar em argumentos.

Eduardo bandeira de mello presidente flamengo (Foto: Cahê Mota ) 
Eduardo Bandeira de Mello não escondeu surpresa com a saída de Mano (Foto: Cahê Mota )

Para a profecia de Eduardo Bandeira de Mello ser cumprida, o Flamengo precisa começar a volta por cima já diante do Timbu. A situação é semelhante à que Jayme de Almeida encontrou exatamente um turno atrás, quando assumiu o lugar de Jorginho após derrota para o próprio Náutico e venceu o Criciúma, por 3 a 0, em Santa Catarina. Ciente da importância de dar tranquilidade ao elenco, o presidente bancou o interino, mas com algumas ressalvas.

- Não há substituto. Não esperávamos a saída do Mano e não tínhamos nada planejado. Por sorte, temos uma comissão competente e existe exatamente para isso. O substituto (do Mano) é o Jayme. Está viajando para Recife, vai dirigir o time contra o Náutico e faz parte da comissão técnica permanente. Tem todo o respaldo para dirigir contra o Náutico. Daí para frente, vamos conversar. Nosso técnico hoje é o Jayme e estamos muito bem servidos. Ele tem nossa confiança.

Nesta sexta-feira, além de Bandeira de Mello, o vice de futebol, Wallim Vasconcellos, também esteve no centro de treinamento do Ninho do Urubu e conversou por mais de uma hora com o elenco a portas fechadas. O que foi abordado no encontro e muitos outros assuntos que giram em torno da demissão de Mano foram abordados na coletiva do presidente, que segue abaixo, na íntegra:

Futuro treinador
Não há substituto. Não esperávamos a saída do Mano e não tínhamos nada planejado. Por sorte, temos uma comissão competente e existe exatamente para isso. O substituto é o Jayme. Está viajando hoje para Recife, vai dirigir contra o Náutico e faz parte da comissão técnica permanente. Tem todo respaldo para dirigir contra o Náutico e daí para frente, vamos conversar. Nosso técnico hoje é o Jayme e estamos muito bem servidos.

Questionamentos sobre quem manda no clube
Ninguém está preocupado com isso. Minha relação com o Wallim é a melhor possível, nos conhecemos há décadas, somos amigos e o Flamengo tem coisa mais importante para lidar do que esse tipo de fofoca.

Comportamento da torcida contra o Atlético-PR
Só tenho a agradecer ao torcedor, que incentivou o time durante os 90 minutos, mesmo quando estávamos perdendo. Quando sofremos o terceiro gol, eles continuaram cantando, apoiando. É natural que no final algumas pessoas mais exaltadas extravasem. O comportamento da torcida foi irrepreensível.

Argumentos apresentados por Mano
Não sabemos dos argumentos. Não tivemos oportunidade de conversar com o Mano Menezes sobre a saída. A minha resposta fica prejudicada por conta disso. Foi uma surpresa para todos nós. Foi dada uma razão técnica. Imagino que, mais cedo ou mais tarde, poderemos conversar para ter um feedback, compreender as razões com algo mais fundamentado, desenvolvido. Por enquanto, sei tanto quanto a imprensa. Soube da demissão ouvindo o rádio no carro.

Situação definitiva de Jayme
Podemos dizer que hoje ele é o treinador e tem toda confiança. A partir de domingo, vamos avaliar junto com ele. Temos a sorte de ter uma comissão técnica de qualidade, mas pode acontecer dele continuar mais tempo ou não. Vai depender do que for planejado. Estamos no meio de uma situação que não foi planejada.

Presença no Ninho
Estamos aqui para dar nosso apoio ao elenco, ao Jayme, ao Pelaipe. O Léo Moura é o capitão do time e nosso interlocutor junto ao elenco. Nada mais natural do que também ter uma conversa amistosa com ele e de estímulo.

Risco de queda
Garanto que o Flamengo não cai. Simples assim.

Noite mal dormida
A noite não foi boa para todos os rubro-negros. Pelo resultado e também com a notícia do treinador.

Reunião com o elenco
Viemos dar apoio para sequência do Brasileiro e da Copa do Brasil. Foi um encontro normal, onde alguns se manifestaram.

Multa de Mano
Ainda não tinha nem pensado nisso. É a última coisa que se pensa. Mas está sendo analisado pelo jurídico e pelo financeiro antes de tomar uma decisão. Sinceramente, nem sei o que está estabelecido.

Continuidade de Pelaipe
O Pelaipe está junto conosco nessa briga para o Flamengo terminar esse Brasileiro em uma condição digna para suas tradições.

Questionamentos de Marcos Braz
Estamos procurando fazer o melhor. O fato de nunca termos passado pela diretoria antes não quer dizer que não entendemos de futebol. Alguns de vocês têm contato comigo, com o Wallim, e cada um forma sua própria opinião.

Arrependimentos por medidas em 2013
Vale a pena porque o Flamengo está mudando de patamar em muitos aspectos. Avançamos na parte financeira, jurídica, administrativa, e o futebol é consequência disso.

Quarto treinador no ano
Este último não é por culpa do Flamengo. Chegamos com o Dorival, mas vocês sabem que a opção foi pela postura de austeridade. Trouxemos o Jorginho, que saiu por condições que não cabe voltar, e trouxemos o Mano que saiu por sua vontade. Se trouxermos outro para o lugar do Jayme, será a nossa segunda escolha.

Receber notícia pelo rádio
Sou torcedor do Flamengo há muitos anos e estou acostumado a isso. Sou apenas mais um. Como presidente, reconheço que não é o normal, mas aconteceu em uma circunstância inesperada. Ainda bem que temos o rádio.

Efeitos ao planejamento para 2014
Evidentemente, já tínhamos começado o planejamento para 2014 e essa mudança vai ter interferência. Mas ainda estamos em setembro, podemos manter o que foi iniciado e aprimorar para que o próximo ano não seja influenciado.

Ano decepcionante no futebol
O desempenho não é o que esperávamos, sou torcedor também. Mas avaliando o trabalho feito e os jogadores, acho que podemos ter uma virada e chegar a uma posição bem diferente. Quanto a Copa do Brasil, estamos no caminho certo. Quem sabe não teremos uma boa surpresa para torcida na sequência.

Após demissão de Mano, diretoria se reúne com elenco a portas fechadas

Campo vazio e porta fechada. A reapresentação do elenco do Flamengo, após a derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR e a demissão de Mano Menezes, foi de muita conversa no Ninho do Urubu, nesta sexta-feira. Ao contrário do que é costume, o presidente Eduardo Bandeira de Mello e o vice de futebol, Wallim Vasconcellos, estiveram no centro de treinamento e se reuniram no vestiário com o elenco e toda comissão técnica para falarem sobre a situação atual do futebol do clube por uma hora e meia. De quebra, comunicaram que Jayme de Almeida é o técnico interino para a partida com o Náutico, domingo, no Recife, pela 23ª rodada do Brasileirão. Diante da escassez no mercado, o auxiliar permanente ganha força até mesmo para sequência da competição.

CT vazio reunião no Ninho (Foto: Cahê Mota ) 
Campo do Ninho ficou vazio durante reunião entre diretoria e jogadores (Foto: Cahê Mota )

Menos de 12 hora após o pronunciamento de Mano Menezes, informando que não seria mais técnico do clube, o elenco já estava no Ninho do Urubu para começar os trabalhos visando à partida contra o Timbu. A atividade marcada para 10h (de Brasília), no entanto, foi sem bola e com muito diálogo. Após a conversa, apenas os reservas foram a campo.

Para o duelo em Pernambuco, o Rubro-Negro deve ter as voltas de Felipe e Léo Moura, que, lesionados, não enfrentaram o Atlético-PR. Chicão e André Santos, que ficaram no banco de reservas poupados, também têm retorno garantido.

Com 26 pontos, o Flamengo tem apenas dois a mais que o Criciúma, primeiro time no Z-4, e ocupa a 14ª colocação na tabela de classificação. A partida contra o Náutico está marcada para 16h (de Brasília), na Arena Pernambuco.

Jogadores tentam fazer Mano desistir de demissão e ouvem: 'Me respeitem'

Incredulidade e súplica por uma reviravolta. Esse foi o clima no vestiário do Flamengo após Mano Menezes comunicar ao elenco e comissão técnica o pedido de demissão feito aos dirigentes minutos antes. Ainda abatidos pela derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, os jogadores não esconderam a feição de surpresa pela informação, mas agiram rapidamente e pediram muito para que o treinador mudasse de ideia. Firme em sua decisão, Mano se mostrou irredutível e pediu apenas que o respeitassem.

Atordoados, alguns atletas tentaram demovê-lo da ideia até o último segundo. Chicão, Hernane, André Santos e Marcelo Moreno o perseguiram até a porta que dava acesso ao auditório onde seria dada entrevista coletiva. Não teve jeito. Mano Menezes seguiu firme, com a fisionomia fechada, até o microfone para revelar a todos que tinha pedido demissão. Era o ato final de uma passagem de três meses e dois dias, desde sua apresentação no Flamengo.

Aos jogadores, Mano Menezes seguiu a mesma linha do discurso dito a imprensa, mas foi mais profundo e se mostrou duplamente decepcionado: com a dificuldade do elenco a executar suas ordens e com a postura apresentada diante do Atlético-PR. Diante do grupo, as palavras seguiram a seguinte linha:

- Vocês não estão conseguindo assimilar o que peço. Já são quase quatro meses e não é feito o que peço em campo. Vou fazer uma coisa que nunca fiz, que é pedir demissão. O Flamengo não pode ficar nesta situação. É inadmissível perder um jogo desses. Estávamos ganhando por 2 a 0, mais próximos de fazer o terceiro e conseguimos perder.

Mosaico Mano Menezes Flamengo (Foto: Editoria de Arte)

Sem acreditar no que estavam ouvindo, os jogadores reagiram imediatamente e disseram que precisavam do treinador, pediram que a demissão fosse reavaliada, mas logo ouviram:

- Nada vai mudar. Respeitem minha decisão.

 Assim como os jogadores, o diretor executivo Paulo Pelaipe foi outro que ficou espantado com o comunicado de Mano e apenas exclamava: “Que isso!? Que isso?!”. Membros da comissão técnica e do staff rubro-negro também não acreditavam na informação e a checavam constantemente com jornalistas e funcionários que passavam pelos corredores do Maracanã.

Na saída do estádio, o abatimento era evidente em toda delegação do Flamengo. Alguns membros, no entanto, não escondiam a frustração e até certa irritação com a decisão de Mano. Surpresos, frustrados ou irritados, os rubro-negros terão cerca de 12 horas para assimilar a saída do treinador. Nesta sexta-feira, às 10h (de Brasília), já tem treino no Ninho do Urubu, sob o comando do interino Jayme de Almeida. A posição de momento é essa, mas até o jogo com o Náutico, domingo, em Recife, tudo pode acontecer.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Mano Menezes não é mais o técnico do Flamengo


A demora de quase uma hora para se dirigir até a sala de entrevista coletivas do Maracanã era um indício: a derrota por 4 a 2, de virada, para o Atlético-PR, nesta quinta-feira, no Maracanã, não tinha sido bem digerida por Mano Menezes. A paciência e serenidade habitual do treinador chegaram ao fim, assim como sua passagem pelo Flamengo. Exatamente três meses e dois dias após assumir o comando rubro-negro, ele encarou os jornalistas, evitou perguntas e apenas informou que acabara de pedir demissão.

- Vamos conversar um pouco diferente. Acabo de ter uma reunião com todos e comuniquei oficialmente que não sou mais técnico do Flamengo. Primeiro informei ao Paulo Pelaipe. Depois do jogo, fiz o comunicado a todos os jogadores. Estávamos fechando um ciclo de quatro meses e senti no resumo do jogo de hoje que não consegui passar para esse grupo aquilo que penso de futebol. E quando é assim, é porque o técnico precisa sair. Com essa visão, tomei essa decisão difícil e inédita na minha carreira, mas julgo ser a mais correta neste momento para que o Flamengo trilhe outro caminho que não seja esse, mais perto da zona de rebaixamento do que na parte de cima da tabela - comunicou o treinador, que foi contratado em junho para dar um perfil de mais peso ao comando técnico do Flamengo depois de uma experiência negativa com Jorginho, uma opção de baixo investimento dentro da política de austeridade financeira da diretoria ao assumir o clube.

Mano Menezes derrota Flamengo Atlético-PR (Foto: Bruno Gonzalez / Ag. O Globo) 
Mano Menezes comandou o Fla em 22 jogos, com 50% de aproveitamento (Foto: Bruno Gonzalez/Ag.O Globo)
 
A decisão surpreende por acontecer somente 24 horas depois do próprio Mano dizer, em entrevista no Ninho do Urubu, que as coisas no Flamengo estavam acontecendo exatamente da maneira como ele esperava, com dificuldades e que era necessário ter paciência. O treinador não teve, e deixa o clube após ter 50% de aproveitamento em 22 partidas, com nove vitórias (incluindo um amistoso contra o São Paulo), seis empates e sete derrotas - na 15ª posição no Brasileirão, com 26 pontos, dois a mais que o Criciúma, primeiro no Z-4, e nas quartas de final da Copa do Brasil. Sob seu comando, o time não conseguiu sequer duas vitórias consecutivas. Como de costume, Jaime de Almeida assume a equipe interinamente para a partida com o Náutico, domingo, no Recife.

Cerca 20 minutos após o pronunciamento de Mano, o diretor executivo, Paulo Pelaipe, também apareceu na sala de entrevista, mas não conseguiu dar muitas explicações para o ocorrido. Sucinto, disse que não se tratava de uma coletiva, adiou a decisão sobre o futuro treinador e se mostrou surpreso com o pedido de demissão.

- Fomos surpreendidos pela decisão do Mano Menezes. Após o jogo, ele procurou a direção e disse que não era mais treinador do clube, se despediu dos atletas. Lamentamos por ser um grande profissional. Vamos conversar com calma. Quando sair daqui (do Maracanã), vou conversar com o Mano mais longamente. Por obrigação, eu tinha que vir comunicar a vocês (jornalistas), mas não é uma coletiva. Estou apenas informando o fato com tristeza. Vou me reunir agora com o vice de futebol, diretoria, e depois indicaremos as providências a serem tomadas.

O próximo treinador será o quarto do Flamengo em uma temporada que começou com Dorival Júnior e teve ainda Jorginho, ambos mandados embora antes do pedido de demissão de Mano. Nesta sexta-feira, o elenco rubro-negro se reapresenta no Ninho do Urubu e viaja durante o dia para Pernambuco.


Flamengo 2 x 4 Atlético-PR, melhores momentos - Brasileirão 19/09/2013


Elias e Marcelo Moreno alertam contra relaxamento do Flamengo

Os jogadores rubro-negros tiraram uma lição após início avassalador do Flamengo na derrota por 4 a 2 sobre o Atlético-PR: é preciso ficar ligado durante toda a partida. Elias, principal jogador do time na temporada, alertou contra isso e lembrou que pontos como os deixados no Maracanã nesta quinta-feira podem fazer falta lá na frente.

- São coisas do futebol, acho que fizemos um bom primeiro tempo, mesmo tomando o 2 a 1. E no segundo tempo a gente não soube marca o time deles. É levantar a cabeça, mas fica a lição: não basta jogar bem 20 minutos, tem que ser assim durante os 90. Não pode vacilar em casa, a gente estava invicto. Domingo tem mais e a gente precisa vencer. Quando o adversário faz dois gols é difícil virar. Então não podemos permitir. Não dá para deixar para depois. Precisamos recuperar rápido porque senão vai ficar difícil - reclamou.

Marcelo Moreno lançou mão do mesmo discurso e apontou um relaxamento flamenguista após a abertura dos 2 a 0 no placar.

- Conseguimos os gols no primeiro tempo, mas no futebol tem que jogar os 90 minutos. Relaxamos um pouco e acabamos sofrendo. Agora temos que levantar a cabeça - encerrou.
 
jogadores derrota Flamengo Atlético-PR (Foto: Alexandre Cassiano / Ag. O Globo) 
Elias parece não acreditar na derrota rubro-negra (Foto: Alexandre Cassiano / Ag. O Globo)
 
 

Acabou o encanto: torcida chama time de sem vergonha e xinga Pelaipe

Em momentos de crise, a torcida do Flamengo costuma bradar nas arquibancadas que "acabou o amor". É a deixa para o início de protestos. Nesta quinta-feira, não deu nem tempo para "anunciar" o protesto. A derrota de virada por 4 a 2 para o Atlético-PR, pela 22ª rodada do Brasileirão, colocou um ponto final entre time e público desde o retorno ao Maracanã e deu início, ainda antes dos 40 minutos do segundo tempo, a uma avalanche de críticas que, mais uma vez, teve como principais alvos o meia Carlos Eduardo e o diretor Paulo Pelaipe.

Maracanã torcida Flamengo x Santos (Foto: Janir Junior) 
Maracanã não viveu noite feliz para os rubro-negros, no fim das contas (Foto: Janir Junior)

O início avassalador, com 2 a 0 em oito minutos e chances desperdiçadas em série, até dava a entender que o Rio de Janeiro continuaria a ser a válvula de escape rubro-negra na campanha ruim no Brasileirão. Até então, eram dez pontos conquistados em 12 disputados. A reação do Furacão, com amplo domínio, no entanto, expôs a fragilidade do time de Mano Menezes e deixou claro que só o apoio da torcida não será suficiente para manter a equipe longe da zona de rebaixamento.

Apático, o Flamengo foi dominado no segundo tempo e acabou com a paciência do torcedor. Como já tinha acontecido mais timidamente em outros jogos, Carlos Eduardo foi o primeiro alvo. Ao errar passe no meio-campo, deu início a uma vaia quase que uníssona vinda das arquibancadas a cada toque na bola e que ganhou volume ao substituir Adryan. No setor das organizadas, um grupo tentou amenizar e gritou o nome do meia. Minutos depois, Rafinha também saiu numa mistura de reações, entre vaias e aplausos, para a entrada de Nixon.

As mudanças não surtiram efeito, e o que já era ruim com o 2 a 2 passou a ficar muito pior. Adryan errou passe na intermediária e o Furacão virou com Marcelo. Foi a deixa para que o volume dos protestos das arquibancadas aumentasse, e muito. A primeira vítima foi o próprio Adryan, que substituiu Cadu também nas vaias. As críticas, porém, afetaram o time todo. Em um primeiro instante, o grito foi "queremos raça", que logo deu lugar ao "vergonha, time sem vergonha".

A esta altura, boa parte dos torcedores localizados nas cadeiras especiais, já deixava o Maracanã e muitos nem viram o quarto gol paranaense, marcado por Roger. Já o restante dos rubro-negros tirou o foco do elenco e passou a questionar o diretor executivo, Paulo Pelaipe com "Ei, Pelaipe, vai tomar..." e "Pelaipe, vai se f..., o meu Flamengo não precisa de você".

Há dez dias, após a derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro, no Mineirão, o dirigente já tinha sido alvo de manifestação no Aeroporto Santos Dumont - uma semana antes, um grupo menor tentou fazer o mesmo por conta do 4 a 0 sofrido para o Corinthians, mas não encontrou nenhum membro da diretoria. Já na terça-feira, dia 10, o protesto foi na Gávea e atingiu toda diretoria. Além de Pelaipe, o vice de futebol Wallim Vasconcellos também foi alvo e acusado de manipular o presidente Eduardo Bandeira de Mello.

A situação, inclusive, fez com que a diretoria se reunisse com chefes de torcidas organizadas, na Gávea, horas antes da partida com o Santos - há uma semana - para colocar panos quentes na situação. O Flamengo venceu o Peixe, empatou com a Ponte e tudo caminhava para dias de paz até os oito minutos do primeiro tempo da partida com o Furacão. A partir daí, a coisa andou, o "amor acabou" e as fortes vaias ao apito final no Maracanã deixaram claro a insatisfação das arquibancadas.

Com 26 pontos, o Flamengo é o 14º colocado no Brasileirão, mas tem apenas dois pontos a mais que o Criciúma, primeiro time no Z-4. Domingo, o adversário é o lanterna Náutico, no Recife.


Wallace classifica derrota do Flamengo como 'vergonhosa'




Ao deixar o gramado do Maracanã na noite desta quinta-feira, o zagueiro Wallace classificou como vergonhosa a derrota do Flamengo por 4 a 2 para o Atlético-PR e garantiu que não sabia explicar o motivo de o time rubro-negro ter tomado a virada após abrir 2 a 0 no placar.

Assim como aconteceu após a goleada sofrida para o Corinthians, o camisa 14 afirmou que a equipe tem de rever alguns conceitos.

– Quero descobrir também (motivos para derrota). O time jogou muito abaixo do esperado.  Vergonhoso. Temos de rever algumas coisas. É inadmissível perder desta forma e dentro de casa – disse.

O Atlético-PR conseguiu fazer três de seus quatro gols no segundo tempo da partida. O empate saiu logo no começo da etapa final, e os outros dois aos 32 e 35 minutos.


Suspenso, volante Cáceres, do Flamengo, não encara Náutico





Furacão no Maraca! Flamengo leva virada inacreditável do Atlético-PRPara a partida contra o Náutico, domingo, na Itaipava Arena Pernambuco, o técnico Mano Menezes terá mais um problema para escalar o time titular. O volante Cáceres, (à direita),  recebeu o terceiro cartão amarelo e não joga. Para seu lugar, Mano terá como opção Amaral – que foi relacionado para o jogo desta quarta-feira – e Val, uma vez que Diego Silva está lesionado e ficará afastado por aproximadamente um mês.

Por outro lado, pode ser que o treinador conte com o retorno do zagueiro Chicão, recuperado de dores musculares na coxa direita. O lateral-direito Léo Moura e o goleiro Felipe são outros que podem voltar ao time titular contra o Timbu.

Vale ressaltar que o volante Luiz Antonio vem sendo utilizado improvisado na lateral direita por conta do desfalque de Léo Moura, e, caso o camisa 2 volte, o jogador pode ser mais uma opção para compor o meio de campo rubro-negro sem Cáceres.


Flamengo 2 x 4 Atlético-PR

                        
                              Ficha técnica             


Data: 19/09/2013

Hora: 19h30m (de Brasília)

Local: Maracanã

Cartão amarelo: Marcelo,  João Paulo, Manoel, Everton, Léo(Atl) Caceres,  Elias, Carlos Eduardo, Wallace(Fla)

Gols: Hernane, Luiz Antonio(Fla)Fran Mérida, Dellatorre, Marcelo, Roger(Atl)

Renda/público: R$ 675.745,00/ 16.014 pagantes / 20.899 presentes

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares:  Fábio Pereira (TO) e Janette Mara Arcanjo (MG).

Flamengo:  Paulo Victor; Luiz Antonio, Wallace, Marcos González e João Paulo; Cáceres, Elias e Carlos Eduardo(Adryan); Rafinha(Nixon), Paulinho e Hernane(Moreno).
Técnico:Mano Menezes

Atlético-PR:  Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Maranhão; Bruno Silva(Dellatorre), João Paulo, Everton e Fran Mérida(Deivid); Marcelo e Ederson(Roger).
Técnico: Vagner Mancini 


Flamengo 2 x 4 Atlético-PR


Flamengo 2 x 3 Atlético-PR


Flamengo 2 x 2 Atlético-PR


Flamengo 2 x 1 Atlético-PR


Flamengo 2 x 0 Atlético-PR


Flamengo 1 x 0 Atlético-PR




Elias e Mano são denunciados pelo STJD por cartão amarelo forçado

O volante Elias e o técnico Mano Menezes foram denunciados nesta quinta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A decisão foi motivada pelo fato de o jogador ter admitido que forçou o cartão amarelo no fim da vitória por 2 a 1 sobre o Santos, ação, que, segundo o camisa 8, foi orientada pelo treinador..

- O Mano falou para eu tomar (o cartão) lá na frente. É bom ficar um ou dois jogos fora. Todos brasileiros e estrangeiros estão sentindo o desgaste e eu não fujo disso. Fiz 19 de 20 jogos, fora os da Copa do Brasil. Agora é descansar, torcer para a equipe vencer o confronto direto no domingo e botar o Flamengo lá em cima - disse Elias, na saída de campo.

A atitude do jogador provocou um enorme constrangimento em Mano Menezes, que não escondeu a irritação durante entrevista coletiva concedida minutos após o jogo.

A dupla foi enquadrada no artigo 258 do Código Desportiva de Justiça Brasileira - assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras. A pena prevista varia de um a seis jogos de suspensão.

O meia Valdivia, do Palmeiras, já foi punido por ter feito o mesmo em 10 de agosto, em jogo contra o Paraná. Ele pegou dois jogos de suspensão.

Elias Flamengo e Santos (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem) 
Elias recebeu cartão no fim do jogo contra o Santos (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)
 

Vice do Flamengo admite decepção com Cadu e acha difícil trazer craque em 14


O vice de marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, respondeu a um conjunto de perguntas de torcedores reunidas pelo rubro-negro Sandro Rilho no Facebook e publicadas no blog "Ser Flamengo". Entre os principais temas, Bap admitiu estar decepcionado com Carlos Eduardo, embora ainda acredite numa reviravolta do atleta, tratou a questão do estádio próprio como algo distante, negou que o clube esteja sendo elitizado e esfriou as expectativas da torcida por um craque em 2014.

Perguntado se não valeria mais tentar um craque de repercussão internacional, um camisa 10 clássico, do que contratar jogadores oriundos do interior paulista ou Carlos Eduardo, Bap fez mea-culpa, reconhecendo a contribuição ineficaz de Cadu até então, porém lembrou ter conversado com Kaká.

- A maioria destes jogadores a que você se refere foram destaques em seus respectivos clubes, e contratados com valores muito abaixo dos que se imaginam. Todos eles, exceção feita ao Carlos Eduardo, não custam mais que R$ 120.000/mês. Então, com esse dinheiro não se paga nem meio Elias. Ou seja, se um deles vingar, está tudo pago. Foi assim que o Corinthians "descobriu" o Ralf, o Paulinho, o Elias. Agora, há que se ter sorte. A camisa pesa muito para alguns, o momento é difícil. Então o cara novo entra com a pressão de arrebentar e, infelizmente, não acontece com a maioria, mas vai dar certo. É uma questão de tempo. Em relação a um "clássico camisa 10": onde está esse cara hoje no Brasil? Eu sempre digo: me passem os nomes e onde estão. Temos dinheiro? Os poucos que estão por aqui ganham fortunas e seus passes são caríssimos. Tentamos o Kaká, que nem é um "clássico 10" e não funcionou, infelizmente. Decidimos pelo Carlos Eduardo. Era uma aposta. Brigamos contra Inter, Santos e Fluminense. Ganhamos ali, por milímetros. Ele está conosco há oito meses. O Forlan no Inter demorou um ano para se provar. Pena que o Carlos Eduardo não tenha atingido o ponto que se esperava dele, mas quem sabe? - afirmou.

Luiz Eduardo Baptista BAP Flamengo (Foto: André Durão / Globoesporte.com) 
Luiz Eduardo Baptista crê que o Flamengo pode ir bem em 2014 (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
 
A possibilidade de contar com um craque na próxima temporada, aliás, é remota, segundo o vice de marketing. Para ele, os nomes são escassos. Em contrapartida, mirando-se no Corinthians campeão do mundo em 2012, crê que astros não sejam necessários para a formação de um time competitivo.

- Um grande nome: quem? Me diga. Realmente, difícil. Seria ótimo? Claro. Seria fundamental? Não. Veja o time do Corinthians campeão do mundo. Apenas o Paulinho na Seleção. E olha que, apesar de ótimo jogador, ele não é esse craque, certo? Portanto, a escolha dos jogadores certos, com o DNA rubro negro, com vontade de vencer, é que vai ser determinante. E é isto que iremos priorizar. Agora, se aparecer "outro Elias" na área, é bola na rede.

A construção de um estádio próprio foi colocado momentaneamente em segundo plano por Bap, que deixa isso para o futuro. Para ele, prioridade é o futebol dar certo, algo que vê automaticamente ligado ao sucesso do projeto sócio-torcedor. Vencida esta etapa, aí sim ele crê ser possível pensar numa arena. Sobre o sócio-torcedor, aliás, ele disse não ser viável a popularização das tarifas. O plano mais econômico atualmente cobra R$39,90 mensais. Um fã propôs a redução para R$ 10, algo que o vice tratou como algo muito complicado.

- Tudo na vida depende do momento, não é? Hoje, o Flamengo mais do que nunca precisa muito de sua torcida, esteja ela onde estiver. Os preços estão mais caros que os de outros times, mas este é o "preço" que todos estamos pagando por termos começado dez anos depois do Inter, cinco anos depois do Corinthians. É duro, mas é a nossa realidade. Anos e anos de incompetência e letargia, agora nos obrigam a diversos sacrifícios. Temos que fazer cinco anos em um, no mínimo. E faremos. Ainda assim, somos o plano que mais cresce desde o lançamento (abril de 2013), estamos com 38 mil sócios-torcedores, sendo que 50% deles de fora do Rio, o que só confirma o que todos sabemos: somos a maior torcida em pelo menos 19 estados do Brasil! Teremos novidades em breve, de forma a melhorarmos o plano, expandirmos a possibilidade de acesso para uma gama maior de torcedores, com mais benefícios. Agora, seria mentiroso de minha parte dizer que vejo a possibilidade de criarmos no curto prazo uma ponta de preços a R$ 10,00, ainda que eu acredite que, com o crescimento do plano e sua maturidade, isto seja possível, mas vai levar tempo, ainda que os preços tendam a ficarem mais acessíveis.

Questionado se o Flamengo e outros clubes estão sendo elitizados, prática da qual a atual diretoria é acusada por seus opositores, Bap negou veementemente.

- Olha não se deixe iludir por essas bobagens que a gente lê toda hora na imprensa. Essa história de "elitização" é uma p... burrice, para não dizer sacanagem. Hoje - diferentemente de dez anos atrás, milhões de pessoas podem assistir jogos do Flamengo na TV aberta. De graça. No Rio de Janeiro, de cada quatro pessoas que vão ao estádio, uma não paga nada, duas pagam meia. Jornalistas não pagam nada, nunca. Hoje, os jogadores ganham de 30 a 40 vezes mais do que na época do Zico. Deixam o país e o clube ao menor sinal de dinheiro da Sibéria. Hoje, a lei protege primeiro: os jogadores - joguem eles bem ou não, dediquem-se, ou não. Honrem o Manto Sagrado ou não; segundo: os "agentes" que ganham fortunas dos clubes apenas para "negociar". E os clubes estão se elitizando? Onde, meu Deus? A verdade é que os clubes de futebol em geral estão "sucateados" por estas questões acima, mais uma pitada de má-fé e incompetência. É muito mais fácil falar (e escrever) do que fazer. O mundo está repleto de "professores de Deus", sabem tudo, de tudo entendem. Aqui no Flamengo de hoje eu tenho muito orgulho de dizer que "não temos professores de Deus", mas temos fora de campo um time de guerreiros "fazedores". E que isto vai se refletir dentro de qualquer quadra/campo/piscina muito em breve, porque isso aqui é Flamengo.