Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 12 de abril de 2014

Flamengo x vasco: 40 mil ingressos vendidos para decisão do Campeonato Carioca



Até a véspera da decisão do Campeonato Carioca, foram vendidos cerca de 40 mil ingressos para o duelo entre Flamengo e vasco, segundo parcial divulgada pelo Rubro-Negro. A final será realizada neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã. Os bilhetes seguem à disposição em alguns pontos de venda no Rio de Janeiro até meio-dia, e no Maracanã até o horário da partida. Há meia-entrada para estudantes. Crianças menores de 12 anos, idosos acima de 65 e portadores de necessidades especiais têm acesso gratuito ao estádio.

Na primeira partida, pouco mais de 20 mil torcedores pagaram para assistir ao empate por 1 a 1. Por ter a melhor campanha, o Flamengo tem a vantagem do empate para faturar o título.

A Rede Globo transmite a partida para RJ, ES, TO, SE, AL, PB, RN, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF. O Premiere e Premiere HD exibem para todo o Brasil. O GloboEsporte.com acompanha todos os lances em Tempo Real, com vídeos. 

Confira os preços:

Norte Superior e Inferior (Flamengo): R$ 100 / R$ 50 meia e sócio-torcedor
Sul Superior e Inferior (vasco): R$ 100 / R$ 50 meia e sócio-torcedor
Leste Superior: R$ 120 / R$ 60 meia e ST
Leste Inferior: R$ 140 / R$ 70 meia e ST
Oeste Inferior: R$ 140 / R$ 70 meia e ST
Cadeira Maracanã: R$ 260 / R$ 130 meia e ST

Flamengo passa pelo Uberlândia na abertura do Torneio Touchdown 2014


O Flamengo Futebol Americano estreou com vitória no Torneio Touchdown 2014, que começou neste sábado com duas partidas. Jogando no estádio Luso Brasileiro, na Zona Norte do Rio, o Rubro-Negro bateu o Uberlândia Lobos por 57 a 0. No outro duelo deste sábado, o Jaraguá Breakers, atual campeão, enfrenta o Paraná HP, em Jaraguá do Sul (SC).

- Foi uma estreia muito boa. Soubemos controlar o jogo desde o começo e tivemos um quarto quarto quase perfeito. O destaque do jogo foi o conjunto, como foi ano passado. Agora é trabalhar e pensar no Jaraguá na próxima rodada - afirmou o cornerback do Flamengo, Bruno Sapo.

O primeiro touchdown da partida foi marcado por Rodrigo Vieira, que conseguiu os seis primeiros pontos para o Fla. Antes, Raiam dos Santos já havia convertido um field goal para o time carioca, que ainda ampliou para 10 a 0 com o chute de conversão de Felipe Leiria.

Com um safety de Fabio Buchner, o Rubro-Negro ampliou para 12 a 0, sendo que, logo a seguir, Adilson Junqueira conseguiu o único alento do Uberlândia na partida ao bloquear um field goal. Refeito do susto, o Flamengo voltou a dominar, aumentando o placar até o término do confronto. Pontuaram para a equipe da Gávea Matheus Henrique (touchdown), Raiam dos Santos (cinco extras points convertidos), Felipe Leiria (touchdown), Rafael Garcia (touchdown), Edilson Abreu (touchdown) e Yuri de Carvalho (touchdown).

Sem rachão, com tático: Jayme muda estilo antes da final e proíbe imagens


A necessidade faz com que providências sejam tomadas em dias de decisão. Na véspera da final do Campeonato Carioca, domingo, contra o Vasco, no Maracanã, o técnico Jayme de Almeida mudou seu estilo no treinamento do Flamengo, não liberou o tradicional recreativo, comandou um trabalho tático e a bola parada defensiva para deixar o time pronto para a partida - os rubro-negros jogam pelo empate.

Jayme até tomou a iniciativa de proibir as imagens do coletivo, ainda que já tivesse confirmado as entradas de Márcio Araújo e Luiz Antonio no time depois do treinamento de sexta-feira, algo incomum em sua passagem no comando do time desde setembro do ano passado. O treinador teve uma conversa mais longa antes do início da atividade com o time titular, que não contou com Leonardo Moura, poupado, substituído por Digão.

jogadores flamengo treino (Foto: Thales Soares) 
Jayme de Almeida conversa com o time antes do treino (Foto: Thales Soares)


Durante a atividade, o treinador parou diversas vezes as jogadas, tanto de ataque do time titular como para posicionar os jogadores defensivamente. Em um contra-ataque, chamou a atenção de Everton.

- Everton, toca a bola. O Luiz Antonio estava sozinho. Se dá nele, recebe na frente e sai na cara do gol. Luiz, pede a bola. Você estava livre - disse Jayme.

Na parte final do coletivo, treinou exaustivamente o posicionamento da defesa nas cobranças de escanteio. O time sofreu três gols de cabeça nos últimos dois jogos, um deles do Vasco, adversário de domingo, marcado pelo zagueiro Rodrigo. Ainda houve tempo para cobranças de pênalti e falta.

Com os desfalques de Elano, Cáceres, João Paulo, Léo e Hernane, Jayme vai escalar o time com Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Amaral, Márcio Araújo, Luiz Antonio e Everton; Paulinho e Alecsandro. 

Jayme sofre questionamentos e encara sua primeira crise no Flamengo


Jayme de Almeida no treino do Flamengo (Foto: Ivo Gonzalez / Agência O Globo)Respaldado, mas ao mesmo tempo contestado e sem a mesma sintonia de um passado recente. Efetivado como técnico do Flamengo em setembro, Jayme de Almeida deixou o rótulo de tampão para trás, conquistou a Copa do Brasil e assinou contrato até dezembro de 2015. Mas, passados quatro meses do ano, ele enfrenta a primeira turbulência à frente do time e vê a cobrança crescer na mesma proporção do sucesso da temporada passada.

Publicamente, o vice de futebol Wallim Vasconcellos e o presidente Eduardo Bandeira de Mello defendem e isentam o treinador pelo fracasso na Libertadores da América, mas nos bastidores o trabalho tem sido questionado. A falta de critérios em opções, escalações e substituições é alvo de críticas. Na diretoria, há quem diga que em caso de perda do título carioca para o Vasco, neste domingo, a permanência no cargo será avaliada. 

Jayme se mantém tranquilo e diz que sabe lidar com a pressão. O passado como jogador do clube e a ótima relação com a geração de 81, a mais vitoriosa do Flamengo, servem de escudo e dão ao treinador um pingo a mais de respaldo, mas o clima não é mais tão ameno quanto aquele de 2013.

- No Flamengo, tudo é igual. Se for disputar porrinha, vai ter pressão. Tem que jogar para ganhar o tempo inteiro. Qualquer coisa que for jogar entra a cobrança em cima do resultado. Isso obriga a ser forte o tempo inteiro – disse Jayme, nesta sexta-feira.

Andrade viveu situação parecida. De interino a técnico efetivado, conquistou o Brasileiro de 2009, foi eleito o melhor técnico da competição, mas cinco meses depois estava demitido, o que gerou reação de parte da torcida e de ex-companheiros de renome.

Pesa a favor da manutenção do técnico o fato de o Rubro-Negro não ter condições de fazer alto investimento no cargo. Sem dinheiro em caixa, gastar com salários milionários está fora de questão.

Internamente, é consenso que o treinador ajeitou o time de forma simples na temporada passada, mas que agora, com dificuldades, parece de mãos atadas. Existe o entendimento de que é preciso ter um choque enérgico no elenco, tecla que tem sido batida com força por membros da direção.

Jayme já teria começado a perder alguns jogadores. Continua querido por parte do grupo, mas a diminuição do diálogo, uma maior centralização de decisões e menor paciência foram logo notadas no Ninho do Urubu. A sintonia entre Jayme e jogadores já não é a mesma do ano passado. O auxiliar Cantarelle é o principal confidente do comandante.

Recentemente, a insistência na escalação do volante Muralha gerou questionamentos, assim como treinar pouco a parte tática do time. A ausência de Lucas Mugni até do banco de reservas na derrota por 3 a 2 para o León, quarta-feira, pela Libertadores, causou surpresa e contestações. Na partida decisiva e que encerrou a participação do clube na edição, só havia um meia entre os suplentes: Gabriel. O jogador, no entanto, entrou no lugar de Elano, que saiu machucado logo no primeiro tempo. Dessa forma, as opções de linha se resumiram a dois zagueiros (Chicão e Welinton), um volante (Feijão) e dois atacantes (Negueba e Nixon). Enquanto isso, Mugni assistia ao jogo ao lado do diretor de futebol Paulo Pelaipe no estádio.

A decisão de Jayme de deixar o argentino fora do jogo não caiu bem internamente. O camisa 10 havia marcado dois gols contra a Cabofriense, na semifinal do Carioca, ficado no banco no jogo contra o Emelec, no Equador, e sido titular na primeira partida da decisão do estadual, contra o Vasco (saiu no intervalo). Outras decisões e opções do treinador também são alvo de críticas.

- Mugni vivia um bom momento, tinha marcado gols, mas o treinador não soube aproveitar a confiança do jogador – disse um dirigente do clube.

O caso de Mugni não foi o único a causar estranheza. Na Libertadores, uma hora relacionou o jovem volante Recife. Depois, optou por Feijão. Em outro momento, o meia Carlos Eduardo foi titular na altitude de La Paz, contra o Bolívar, mas nem no banco ficou contra o León.

Jayme também foi criticado nos bastidores por ter apostado em três jogadores que voltavam de lesão na partida contra os mexicanos: Elano, que se machucou aos 12 minutos do primeiro tempo, Léo Moura, que teve atuação discreta, e André Santos, autor de um dos gols rubro-negros.

- Jayme aprovou os reforços, mas muitas vezes não soube utilizá-los. É normal que um técnico, ainda mais no Flamengo, esteja sempre sob análise – disse um outro dirigente ligado ao conselho diretor.

Logo depois da traumática eliminação na Libertadores, Wallim Vasconcellos garantiu a permanência de Jayme de Almeida no comando do Flamengo. Ainda no Maracanã na noite de quarta-feira, o dirigente disse que não vê motivos para mudanças drásticas. O técnico rubro-negro, porém, já não é unanimidade no clube. As críticas dos torcedores também começam a ficar mais duras e intensas. O muro da sede da Gávea foi pichado na madrugada de sexta-feira. As palavras escritas por vândalos focaram em Jayme, pedindo a saída do treinador ("Fora Jayme"). O técnico tem o voto de confiança de Bandeira e Wallim, mas o prazo de validade está em branco.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Sub-17: Flamengo despacha o São Paulo e vai à semi da Copa do Brasil



O Flamengo encarou o São Paulo, na noite desta sexta-feira, e garantiu sua classificação à fase semifinal da Copa do Brasil, categoria sub-17. A partida foi realizada no estádio Giulite Coutinho, no bairro de Edson Passos, em Mesquita, região metropolitana do Rio, e terminou com o placar de 3 a 1. O atacante Felipe Vizeu (dois) e o lateral Rocha marcaram os gols rubro-negros, com o zagueiro Rony descontando.

No jogo de ida, o São Paulo tinha feito valer o mando de campo saiu vencedor: 2 a 1. Nesta sexta, o Rubro-Negro abriu 2 a 0 logo no primeiro tempo. Os tricolores pressionaram em busca do gol que levaria a decisão para os pênaltis, mas o time carioca soube se segurar e respirou aliviado com mais um gol, já perto do fim, em bela jogada de Felipe Vizeu. Rony, de cabeça, só descontou nos acréscimos.

Na fase semifinal, o Flamengo vai pegar o vencedor de Vitória x Atlético-MG. No jogo de ida, triunfo mineiro por 3 a 0. A volta está marcada para este sábado, no estádio Pituaçu, em Salvador.

Volante Amaral, do Flamengo, volta a usar trancinhas

Amaral voltou a usar trancinhas. Em 2013, havia adota o visual parecido com o de Vagner Love, em vermelho e preto. Ele chegou até a renovar a cabeleira antes do segundo jogo da final contra o Atlético-PR, pela Copa do Brasil. Foi dele o gol no empate por 1 a 1 na partida de ida, e o corte "Amaralove" foi considerado pé-quente. Mas, até então, tinha sido abolido na atual temporada. Ele volta a utilizá-lo após a eliminação do Flamengo na fase de grupos da Taça Libertadores. 

Amaral flamengo, novo corte de cabelo (Foto: Thales Soares) 
Amaral exibe novo penteado (Foto: Thales Soares)

Flamengo acerta com patrocinador do Botafogo para a final do Carioca



O Flamengo acertou com mais um patrocinador. Pelo menos para a decisão do Campeonato Carioca, domingo, contra o vasco, no Maracanã. A empresa Viton 44 vai estampar a marca Guaravita nas mangas da camisa rubro-negra na grande final.

A Viton 44 já tem uma longa parceria com o Botafogo e estampa suas marcas em várias partes do uniforme do clube. A empresa também patrocina o Campeonato Carioca e usa a marca Guaraviton no nome da competição. Com o Flamengo, por enquanto, o anúncio acontecerá apenas nas mangas, com a marca Guaravita e para esse jogo.

O Flamengo já conta com patrocínio da Caixa Econômica Federal (peito e logo no ombro), da Peugeot (costas) e da Tim (no número), além da Adidas, fornecedora de material esportivo.

Existe a possibilidade de a parceria com a Viton 44 crescer ainda este ano. O Flamengo não quis se pronunciar sobre o acordo.

Vendidos 30 mil ingressos para a decisão do Campeonato Carioca


Foram vendidos 30 mil ingressos para a final do Campeonato Carioca entre Flamengo e vasco. O jogo acontece domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã. Na primeira partida, pouco mais de 20 mil torcedores pagaram para assistir ao empate por 1 a 1 - os rubro-negros jogam pelo empate.

Em um primeiro momento, as entradas estavam disponíveis apenas para os sócios-torcedores do Flamengo, mandante da partida, e 13 mil entradas já haviam sido comercializadas até a manhã de quarta-feira. Mas desde então, só mil bilhetes foram adquiridos pelos sócios do clube. Os cruz-maltinos fizeram filas na quinta e mostraram que também estarão presentes ao estádio.

Os bilhetes seguem à disposição nos pontos de venda e também pelo site Futebolcard. 

Há meia-entrada para estudantes. Crianças menores de 12 anos, idosos acima de 65 e portadores de necessidades especiais têm acesso gratuito ao estádio.

A Rede Globo transmite a partida para RJ, ES, TO, SE, AL, PB, RN, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF. O Premiere e Premiere HD exibem para todo o Brasil. O GloboEsporte.com acompanha todos os lances em Tempo Real, com vídeos. 

Confira os preços:

Norte Superior e Inferior (Flamengo): R$ 100 / R$ 50 meia e sócio-torcedor
Sul Superior e Inferior (Vasco): R$ 100 / R$ 50 meia e sócio-torcedor
Leste Superior: R$ 120 / R$ 60 meia e ST
Leste Inferior: R$ 140 / R$ 70 meia e ST
Oeste Inferior: R$ 140 / R$ 70 meia e ST
Cadeira Maracanã: R$ 260 / R$ 130 meia e ST

Confira os pontos de venda:

Maracanã
Engenhão
Gávea
São Januário (bilheteria 19 para os sócios e 9 para o público em geral)
Sede Calabouço
Sede Náutica da Lagoa
Casa Vila da Feira (Tijuca)
Loja Carioca FC (Shopping Méier)
Loja Fanático (Araruama)

Lusa desiste de brigar na Justiça: 'Vamos jogar a Série B', diz presidente

'VAMOS
JOGAR A
SÉRIE B' (Editoria de Arte)
A Portuguesa desistiu de brigar na Justiça para jogar a Série A do Campeonato Brasileiro. Depois de a CBF conseguir cassar a liminar que mantinha a Lusa na elite do futebol nacional, o presidente do clube, Ilídio Lico, se mostrou conformado com o rebaixamento.

- Não tem jeito. Tentamos, mas não deu e agora, a poucos dias (do início das Séries A e B do Brasileiro), nada vai mudar. Vamos mandar o time para Santa Catarina, está definido. Vamos jogar a Série B - disse Lico, por telefone, referindo-se ao jogo de estreia da Lusa na Segundona, contra o Joinville, na próxima sexta-feira (18). 

O rebaixamento da Portuguesa se deu após a perda de quatro pontos pela escalação do meia Héverton, em jogo contra o Grêmio, na última rodada do Brasileirão. O jogador não poderia atuar porque estava suspenso. Com a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), a Lusa ficou com 44 pontos, na 17ª colocação, salvando o Fluminense, que terminara com 46. O Flamengo também foi punido com a perda de quatro pontos pela escalação de um jogador irregular (André Santos) e ficou com 45.

A Lusa lutava para reverter a decisão do STJD, alegando que a suspensão de Héverton não havia sido comunicada no site oficial da CBF, como prega o Estatuto do Torcedor. Vários torcedores conseguiram liminares nesse sentido - todas acabaram sendo cassadas. Depois de muito relutar em entrar na Justiça comum, por medo de punições da CBF e da Fifa, a Lusa entrou com uma ação e chegou a obter uma liminar, que também foi cassada, na última quinta-feira.





Mais de mil policiais serão deslocados para decisão entre Flamengo e vasco

O clima de tensão na partida decisiva entre Flamengo e vasco, no domingo, pela final do Carioca, será monitorado por um efetivo de mais de mil policiais, que serão distribuídos dentro e fora do Maracanã. A estimativa é que o contingente destinado à partida evite, sobretudo, o conflito entre torcidas rivais no entorno do estádio.

O Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) vai mobilizar 350 homens, mesmo número deslocado para o primeiro jogo da decisão, há uma semana. O 4º Batalhão da Polícia Militar, por outro lado, vai destinar outros 310 homens, sendo quatro oficiais e 20 viaturas.

polícia Maracanã confusão Vasco x Fluminense (Foto: Hector Werlang) 
Policiamento no Maracanã será reforçado para Flamengo x vasco (Foto: Hector Werlang)

- Vamos adotar o mesmo esquema que vem sendo feito desde o início do campeonato carioca. A Polícia Civil possui uma unidade especializada e o nosso relacionamento com eles é muito bom. Vamos escoltar as torcidas, monitorar os veículos na área, vendo a movimentação de todos. Não é primeira vez que fazemos isto. Já temos experiência com este tipo de ação – reforça o comandante do Gepe, João Fiorentini.

Para a segunda partida decisiva do Carioca, mais de 26 mil ingressos já foram vendidos, sendo 13 mil deles adquiridos apenas por sócios-torcedores do Flamengo. Um total de 5.655 bilhetes foram colocados à venda.

A decisão entre Flamengo e vasco começa, a partir das 16h, no Maracanã. O GloboEsporte.com faz transmissão em tempo real da partida.

Confira o efetivo destinado à decisão do Carioca:

Gepe – 350 policiais militares
4º BPM – 310 policiais militares
CET Rio – 16 agentes
Guarda Municipal de Trânsito – 32 operadores
Guarda Municipal de Controle Urbano – 350 agentes
Polícia Civil – 1 delegado, 20 investigadores e 3 viaturas
CBMERJ – 30 militares
Metrô Rio – 20 agentes (São Cristóvão) e 40 agentes (Maracanã)  


Jayme não trata Carioca como alento para o Flamengo: 'É uma conquista'


Jayme de Almeida no treino do Flamengo (Foto: Ivo Gonzalez / Agência O Globo)Dois dias depois da eliminação na Taça Libertadores, o Flamengo tenta se recuperar do baque para disputar a final do Campeonato Carioca, domingo, contra o Vasco, no Maracanã. O time precisa do empate para conquistar o título e não trata essa oportunidade como um alento depois da decepção sofrida na derrota por 3 a 2 para o León, do México.

O técnico Jayme de Almeida fez questão de elogiar o desempenho de seus jogadores ao longo da temporada, mesmo depois da eliminação da Libertadores. Para ele, a disputa da final precisa ser encarada como uma conquista do grupo.

- A derrota traz um sentimento de muita tristeza, mas faz parte do esporte. Tenho o maior respeito e carinho pelos atletas, pois foram até o fim e não conseguiram passar. Felizmente, depois de dois dias, todo mundo está voltado para a final do Carioca. Não é um alento, mas uma conquista. Está todo mundo confiante em ser campeão carioca mais uma vez - afirmou o treinador.

Para Jayme, não há motivo para os jogadores baixarem a cabeça nesse momento. O treinador disse que o grupo fez o possível para conseguir a classificação na Libertadores.

- O importante é fazer o melhor. Se fez e não deu certo, não tem que baixar a cabeça. Se correu, lutou e não veio o resultado, faz parte do esporte. Não pode é sair lamentando que poderia ter feito algo mais ou se preparado melhor. No esporte, você tenta ganhar, mas não vai ganhar sempre - explicou Jayme.

Para a decisão contra o Vasco, o treinador não contará com Elano, Léo, Cáceres e João Paulo, machucados. No entanto, terá Márcio Araújo e Luiz Antonio, jogadores que não estavam inscritos na Libertadores.

Luiz Antonio e Márcio Araújo serão titulares na final contra o vasco



Para o segundo jogo da final do Campeonato Carioca, domingo, contra o vasco, no Maracanã, O técnico Jayme de Almeida vai apostar na dupla formada por Luiz Antonio e Márcio Araújo no meio de campo do Flamengo. Os dois jogadores foram titulares no empate em 1 a 1, no primeiro jogo.

Luiz Antonio e Márcio Araújo não estavam inscritos na Libertadores. O primeiro vivia um imbróglio jurídico contra o clube e ficou fora da lista. Já o segundo foi contratado depois do período permitido para a inscrição.

Luiz Antonio do Flamengo treinando (Foto: Thales Soares) 
Fora da Libertadores, Luiz Antonio será novamente titular no Carioca (Foto: Thales Soares)

- Eles vão estar à disposição e a gente está pensando nos dois juntos para o time de domingo - disse Jayme de Almeida.

Os titulares na derrota para o León não foram para o campo nesta sexta-feira. Eles fizeram um trabalho na academia, completando o regenerativo para a decisão. Jayme preferiu dar descanso para o grupo.

 - Esse grupo não tem necessidade de treinar nesse momento. Só uma coisa rápida, de 10 minutos para acertar algumas coisas. Tomamos dois gols em jogadas de bola parada e vamos treinar um pouquinho mais para domingo - disse Jayme.

Nesta sexta-feira, João Paulo, que se recupera de dores musculares, e Cáceres, que sofreu uma luxação no ombro direito, fizeram um trabalho físico no campo. Os dois jogadores não estarão à disposição para a final.
 
 

Presidente do Fla reconhece fracasso na Libertadores, mas isenta Jayme



A eliminação do Flamengo na primeira fase da Taça Libertadores ainda não saiu da cabeça de torcedores e dirigentes. A dois dias da final do Campeonato Carioca, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, definiu como um "fracasso" a participação do Rubro-Negro no torneio continental e isentou o técnico Jayme de Almeida de responsabilidade pela desclassificação precoce.

Em entrevista ao "Arena SporTV", o dirigente elogiou o trabalho do treinador, que levou o Flamengo ao título da Copa do Brasil em 2013, e afirmou que a diretoria continuará a trabalhar para reforçar o elenco, mas sem fazer "loucuras".

- Nós fazemos uma análise permanente, mesmo antes da eliminação. É preciso fazer uma autocrítica do que está dando certo e do que poderia ser melhorado (...) Esse fracasso na Libertadores não pode ser debitado no Jayme, um técnico que é uma revelação. Existem vários culpados, a começar por mim. Ele teve uma série de problemas de problemas com contusões. Se tivesse todos os jogadores, o resultado seria outro.
 
 Apesar de não ter conseguido êxito na Libertadores, o dirigente garantiu que não irá fazer grandes investimentos para contratar reforços. Para Eduardo Bandeira de Mello, o clube precisa continuar pagando os seus compromissão com funcionários e com o governo em dia.

- Eu tenho certeza de que estamos fazendo um trabalho de longo prazo no Flamengo, que irá render frutos. Temos limitações, que começam na área financeira. O Flamengo sofre muito todo mês para pagar os seus jogadores em dia, para poder pagar os seus impostos, manter nossas certidões negativas, para poder investir nos esportes olímpicos. Isso é uma limitação que acaba refletindo no time de futebol. Mas eu tenho certeza de que não existe outro caminho (a não ser) o caminho da responsabilidade. A era da responsabilidade veio para ficar no Flamengo e não vamos nos afastar dela.

Bandeira de Mello responde sobre gestão e estadual (Foto: Wilson Hebert / SporTV) 
 
Para Bandeira de Mello, contusões prejudicaram o Flamengo na Libertadores (Foto: Wilson Hebert / SporTV)
 
 

Operação, vasco vice de novo!


Flamengo x coisa maldita, vasco: transmissão

 

Campeonato Carioca

Domingo, 13

16h - Flamengo x Coisa maldita, vasco


Transmissão: TV Globo para RJ, ES, TO, SE, AL, PB, RN, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (Luís Roberto, Junior, Juninho Pernambucano e Arnaldo Cezar Coelho) e Premiere e Premiere HD (com Luiz Carlos Jr, Lédio Carmona e Edinho)

No Flamengo, titulares não vão a campo e Jayme pode ter mais desfalques


 Dois dias após a eliminação da Libertadores e às vésperas do clássico da decisão do Campeonato Carioca diante do vasco, a sexta-feira foi de aparente calmaria no Ninho do Urubu. Isso porque apenas os reservas foram a campo. Os titulares realizaram apenas um trabalho regenerativo na academia. Por outro lado, o dia foi de preocupação para o treinador com os jogadores que ainda seguem no departamento médico.

Isso porque além de Elano, Léo e Hernane que estão entregues ao DM e João Paulo e Cáceres, que já estão na transição para a parte física, Léo Moura e André Santos conversaram por um longo período com o chefe do departamento médico do clube, José Luiz Runco.

A atividade estava marcada para às 9h desta sexta e cerca de 40 minutos depois o primeiro jogador já deixou o CT. Entre eles, Felipe, Samir, Paulinho, Everton e Muralha.

Com isso, apenas os reservas fizeram uma atividade técnica, em campo reduzido e em seguida treinaram cobranças de faltas e aproximação com chutes ao gol.

Na manhã de sábado Jayme comandará a última atividade antes da decisão, porém, o treinador deve apenas comandar um recreativo devido ao desgaste do elenco. Flamengo e vasco se enfrentam no domingo, às 16h, no Maracanã. Para ser campeão, o Rubro-Negro pode até empatar.

Elano faz exame, sofre estiramento leve e está fora da final do Carioca


nova
lesão (EFE)Aos 12 minutos do primeiro tempo da derrota por 3 a 2 para o León, do México, quarta-feira, no Maracanã, Elano deixou o campo com dores na coxa direita. Na manhã desta sexta-feira, o jogador fez um exame de imagem e foi detectado um estiramento leve no local. Com isso, sua volta ao time tem previsão para acontecer em duas ou três semanas, ficando fora do início do Campeonato Brasileiro.

Elano ficou fora do time por quase um mês depois de sofrer uma lesão na coxa direita. Ele havia se machucado no empate em 2 a 2 com o Bolívar, no Maracanã, no dia 12 de março, e só retornou na quarta-feira, contra o León, quando saiu de campo precocemente para a entrada de Gabriel sob vaias dos torcedores.

Outro desfalque certo é o lateral-direito Léo. Ele sofreu uma rara lesão contra o Vasco, domingo passado. Um tendão do tornozelo direito saiu do lugar e será necessário submeter o jogador a uma cirurgia. A previsão de volta é de seis semanas.

Flamengo sofre baque com eliminação, fecha cofre de vez e repensa 2014


Flamengo x León (Foto: André Durão)
O Flamengo junta os cacos, mas os efeitos da eliminação precoce na Libertadores terão reflexo num futuro próximo. O baque financeiro previsto com a saída da competição depois da derrota por 3 a 2 para o Léon, na quarta-feira, é de R$ 10 milhões, segundo o departamento de finanças. Para o Campeonato Brasileiro – o time estreia dia 20, com o Goiás, no Mané Garrincha, em Brasília – a diretoria não fará contratações de impacto. E, mesmo com a competição esvaziada, o clube é unânime na exaltação sobre a importância do título carioca sobre o Vasco, domingo. A conquista, além de evitar que a crise de resultados se instale de vez, garante R$ 3,5 milhões aos combalidos cofres.   
 
- A parte de bilheteria que a gente contava (na Libertadores) não vai acontecer mais. Vamos ter que buscar outras fontes de recursos. Você tem que tirar de algum outro lugar para poder colocar o que a gente esperava ganhar. Vamos ver de onde vamos conseguir – afirmou o vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcellos, deixando clara a preocupação com a saúde financeira.   

A queda na Libertadores fez com que o Flamengo deixasse de faturar R$ 1,3 milhão com a classificação para as oitavas de final. Esse número se torna ainda maior com a expectativa de público que havia para a sequência da competição.  

Antes mesmo do jogo com o León, o vice de finanças do Rubro-Negro, Rodrigo Tostes, alertou para os efeitos que uma eliminação precoce causaria. Segundo Tostes, as contas estão em risco:  

- Previmos que cada jogo daria, no mínimo, um determinado valor de renda líquida, que geraria em torno de R$ 1,5 milhão. Fora isso, há toda uma consequência de sócio-torcedor, que é difícil calcular, mas há uma lógica. Quantos vamos deixar de ganhar? Quantos vão deixar de ser sócio por causa da Libertadores? No mínimo, deixa de aumentar. É um risco. Acredito que no total gira em torno de R$ 10 milhões que o clube planejou e deixaria de ganhar. Teríamos que fazer uma engenharia para compensar esse valor, ou através da redução de custos ou aumento de receita. Um lado vai sofrer para mantermos as contas em dia. Caberia a nós traçar prioridades. Não arrecadar o que prevíamos coloca as contas do Flamengo em risco.   

Premiação do Carioca não ilude

Na final do Carioca, domingo, uma cota de R$ 3,5 milhões será dada ao campeão. O segundo colocado leva R$ 1 milhão. O título, porém, amenizaria muito pouco as contas, já que a relação receita e despesa por jogo gera uma margem de lucro muito pequena.

A premiação ao campeão estadual deste ano aumentou consideravelmente: de R$ 800 mil em 2013 para R$ 3,5 milhões. A ideia era cativar os clubes num ano em que Botafogo e Flamengo participavam da Libertadores, e o Vasco estaria mais focado no segundo semestre, na disputa da Série B. Mas, segundo informou a coluna “Panorama Esportivo”, do jornal O Globo em janeiro, a “generosidade” teve um alto custo a ser arcado justamente por Fla e Vasco, pois a Ferj tirou de ambos 10% do que recebiam a título de televisionamento. Assim, se um deles for campeão, estará apenas recebendo de volta aquilo que lhe foi confiscado.

Por ora, Jayme fica. Mas sem grandes reforços

Jayme de Almeida, Volta Redonda x Flamengo (Foto: Celso Pupo/Agência Estado)Logo após à traumática eliminação, Wallim Vasconcellos garantiu a permanência de Jayme de Almeida no comando do Flamengo. Ainda no Maracanã na noite de quarta-feira, o dirigente disse que não vê motivos para mudanças drásticas. O técnico rubro-negro, porém, já não é unanimidade no clube. Ainda assim, tem um voto de confiança a seu favor, assim como a dificuldade de o Flamengo projetar altos gastos com treinadores renomados.
Questionado sobre carências e necessidades do elenco, Jayme passou longe de fazer cobranças por reforços - apesar da explícita necessidade:

- Isso tem que ser com calma. Fazemos um relatório, comentamos algumas coisas, mas é algo mais no geral.

Wallim rechaçou a possibilidade de o clube fazer contratações de alto nível financeiro para apagar a eliminação e disputar o Brasileirão.

- O Flamengo tem que sempre melhorar seu elenco. Mas dentro das possibilidades do clube. Não pode se desesperar. Pode melhorar o elenco? Pode. Mas de maneira que a gente honre compromissos de quem está aqui dentro. Ninguém vai sair do nosso planejamento que é de longo prazo. Ninguém vai fazer loucura - disse o vice de futebol.

Reavaliações e projeções para temporada

carlos eduardo flamengo x corinthians (Foto: MURILLO CONSTANTINO/Agência O Dia/Agência Estado)
Até domingo, o foco único é a final do Campeonato Carioca. Depois do 1 a 1 com o Vasco na primeira partida, o Flamengo leva o título com um novo empate. O principal objetivo do time na atual temporada era a Libertadores. Com a eliminação, a conquista regional ganhou maior dimensão para os rubro-negros.

- Não adianta lamentar mais. Acabou, tem que levantar a cabeça. Passado é passado. Domingo tem uma final e, se Deus quiser ,seremos campeões - afirmou Amaral.

Depois de domingo, comissão técnica e departamento de futebol farão reavaliações e definirão diretrizes para a disputa do Campeonato Brasileiro. Dispensas podem acontecer. Um caso de adeus é certo: Carlos Eduardo. O jogador tem contrato até junho, e recebe o maior salário do elenco. No meio do ano, Cadu - que não ficou nem no banco de reservas diante do León - será devolvido ao Rubin Kazan, da Rússia.


quinta-feira, 10 de abril de 2014

André Santos pede título, mas admite vazio: 'Nada substitui a Libertadores'

Cinco horas da manhã, e a cabeça de André Santos ainda se revirava em pensamentos. Apesar da eliminação, o dia seguinte significa retomar os trabalhos no Ninho do Urubu e mirar em um novo objetivo: a conquista do Campeonato Carioca sobre o Vasco. Autor do primeiro gol rubro-negro na derrota por 3 a 2 para o León, o lateral-esquerdo tentou explicar as sensações de uma noite frustrante. Um título sobre o grande rival, domingo, no mesmo palco em que tantos rostos desolados foram vistos na quarta-feira, daria ânimo ao elenco, segundo ele, que, em seguida, admite um vazio pelo fim do sonho de ser campeão da Libertadores em 2014.

- Nada substitui. Queríamos muito essa Libertadores, até mais que os torcedores talvez. Mas um título é algo que nos dá ânimo e força para encarar o ano. Um ano não pode se encerrar com uma competição. A pressão vem de fora, mas temos que nos blindar e ficar tranquilos. Se começarem a questionar e falar que está tudo errado, vamos mal o resto do ano todo .Temos que ter a cabeça no lugar, colocar a mão na consciência e saber onde erramos. É preciso uma auto-análise, e ganharmos o jogo de domingo, trazer o título. Sabemos que vai ser difícil, o Vasco é excelente. O jogo vai ser disputado, mas vai ser importante para um sequência boa no ano. Podemos começar com um título, depois vem o Brasileiro, a Copa do Brasil, e vamos buscar uma vaga na Libertadores para fazer um ano diferente - disse André Santos.

André Santos Treino Flamengo (Foto: Carlos Mota) 
Em entrevista coletiva, André Santos lamenta tropeço do Flamengo na Libertadores (Foto: Carlos Mota)

A busca por explicações para a eliminação é constante, tanto para os torcedores quanto para os jogadores. A ansiedade, a dificuldade de encaixar a marcação e o bom futebol apresentado pelo León são os fatores apontados por André Santos.

- É até difícil explicar. O León foi aguerrido, jogou futebol, e não conseguimos encaixar a marcação. A ansiedade em jogos como esses acaba atrapalhando também. Não conseguimos fazer a pressão que devíamos. Com isso, eles acabaram saindo com a bola, tocando.

Para André Santos, o abatimento por causa de mais um episódio decepcionante do Flamengo na primeira fase de grupos de uma Libertadores deve ser breve: é preciso "ser homem" para encarar a situação e não deixar que isso afete no desempenho dentro de campo diante do vasco.

- É difícil. Tudo é difícil depois de uma partida. Claro que queríamos estar vindo aqui por um motivo melhor. Prefiro encarar as coisas de frente, ser homem, por isso vim falar. Temos que parabenizar o León, que jogou um belo futebol, talvez melhor que nós, e levou a classificação. Temos que saber que lutamos, nos empenhamos. Agradecemos o torcedor, que fez a parte dele e foi incrível. Não conseguimos a classificação. É uma pena, muito difícil de falar, e nos sentimos tristes. Temos família, pessoas que torcem pela gente, e sabemos o quanto queríamos. Não vai ser a primeira derrota, nem a última. Somos profissionais e temos que encarar isso com uma certa naturalidade. Com tristeza, mas naturalidade por termos um clássico pela frente.

Flamengo e Vasco fazem o segundo jogo da final do Campeonato Carioca domingo, no Maracanã. A partida será realizada às 16 horas (de Brasília). Na primeira partida, as equipes empataram por 1 a 1. O Rubro-Negro tem a vantagem do empate. Já foram vendidos 26 mil ingressos para o clássico.

Operação coisa maldita, vasco, sempre vice!


CBF consegue cassar a liminar que mantinha a Portuguesa na Série A



O Tribunal de Justiça de São Paulo cassou na tarde desta quinta-feira a liminar que obriga a CBF a incluir a Portuguesa no Campeonato Brasileiro da Série A em 2014. Trata-de de uma decisão da 5a Câmara de Direito Privado do TJ, a mesma que nesta quarta-feira não aceitou um recurso do Ministério Público de São Paulo - que também pedia a inclusão da Lusa na primeira divisão.

Quase ao mesmo tempo, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que as ações sobre o caso devem ser julgadas na 2a Vara Cível da Barra, no Rio. O diretor jurídico da CBF, Carlos Eugênio Lopes, afirmou que "não espera mais ações da Portuguesa". Na semana passada, o presidente da Lusa, Ilídio Lico, afirmou ao blog que, se a liminar fosse cassada, "não iria desistir".

Decisão Efeito Suspensivo Portuguesa CBFDecisão Efeito Suspensivo Portuguesa CBF






Decisão Efeito Suspensivo Portuguesa CBF

Ressaca rubro-negra: após eliminação, Flamengo tem poucos motivos para sorrir


Pouco sorrisos, ritmo lento, e um Jayme de Almeida participativo, tentando reanimar o elenco. Assim foi a quinta-feira de ressaca do Flamengo após a eliminação precoce na Taça Libertadores da América, na noite anterior, com derrota por 3 a 2 para o León, diante de mais de 60 mil torcedores no Maracanã. Dos titulares contra os mexicanos, apenas Everton e Paulinho apareceram no campo 1, mas de chinelos - na companhia de Gabriel, que substituiu Elano nos minutos inicias. Enquanto isso, o restante do grupo participou de um trabalho técnico em espaço reduzido sob a orientação do treinador.

Everton, Paulinho e Gabriel no treino do Flamengo (Foto: Ivo Gonzalez / Agência O Globo) 
Everton, Paulinho e Gabriel no treino do Flamengo (Foto: Ivo Gonzalez / Agência O Globo)


Como é costume nos dias seguintes aos jogos, os titulares fizeram apenas um trabalho regenerativo na academia. Elano, substituído com 11 minutos de jogo, permaneceu no departamento médico e está fora da partida com o Vasco, domingo, pela decisão do Carioca. Em campo, Jayme de Almeida tentou motivar os jogadores que estiveram em campo, principalmente os mais jovens. A cada boa jogada, o treinador não se privava de elogiar os comandados. O abatimento de forma geral, entretanto, era evidente.

Único jogador a se dispor a dar entrevistas, André Santos admitiu o clima pesado, mas lembrou que o tempo é curto para se reanimar antes da decisão do Carioca, contra o vasco.


André Santos Treino Flamengo (Foto: Carlos Mota)- É sempre muito ruim. A maioria dos jogadores não dormiu, ou foi dormir às 5h, 6h da manhã. A adrenalina é muito forte, ficamos repensando os lances. Se não tivéssemos tomado tal gol, ou se tivéssemos feito outro... Muita coisa passa pela cabeça. Talvez, seja uma ressaca. É realmente muito difícil. Até mesmo para vir falar, se expor. Futebol tem muito disso. Cheguei em três finais de Copa do Brasil para ganhar uma. É preciso analisar as coisas de forma não tão ríspida. Você é atleta, vai ganhar e perder. É preciso assimilar as coisas o mais rápido possível para fazer uma grande partida domingo e na segunda estar feliz.

Para partida contra o vasco, o Flamengo deve ter o retorno de Luiz Antonio e Márcio Araújo, que não estavam inscritos na Libertadores, nas vagas de Muralha e Elano. O restante da equipe será a mesma que perdeu para o León, com Felipe, Léo Moura, Samir, Wallace e André Santos; Amaral, Márcio Araújo e Luiz Antonio; Everton, Paulinho e Alecsandro.


Com o 1 a 1 no jogo de ida, o Rubro-Negro joga pelo empate para conquistar o 33ª título carioca de sua história. A finalíssima do estadual está marcada para domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.



Final do Carioca: 26 mil ingressos vendidos para Flamengo x vasco


A decisão entre Flamengo e vasco terá recorde de público nesta edição do Campeonato Carioca. O que não diz muito, diga-se de passagem. Depois de pouco mais de 20 mil torcedores pagarem para assistir o 1 a 1 no jogo de ida, as vendas para a finalíssima já ultrapassaram a marca dos 26 mil ingressos, em parcial divulgada pela assessoria de imprensa rubro-negra no fim da tarde desta quinta-feira, dia em que as vendas tiveram início para todos os torcedores.

Em um primeiro momento, as entradas estavam disponíveis apenas para os sócios-torcedores do Flamengo, mandante da partida, e 13 mil entradas já haviam sido comercializadas até a manhã de terça-feira. Mas desde então, só mil bilhetes foram adquiridos pelos sócios do clube.

Com o 1 a 1 no primeiro jogo, o Mengão joga por um novo empate para chegar ao 33º título estadual. Já a coisa maldita, vasco precisa vencer para ser campeão carioca pela 23ª vez. O confronto acontece neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã. 

Confira os preços:
Norte Superior e Inferior (Flamengo): R$ 100 / R$ 50 meio e sócio-torcedor
Sul Superior e Inferior (Vasco): R$ 100 / R$ 50 meia
Leste Superior: R$ 120 / R$ 60 meia e ST
Leste Inferior: R$ 140 / R$ 70 meia e ST
Oeste Inferior: R$ 140 / R$ 70 meia e ST
Cadeira Maracanã: R$ 300 / R$ 170 meia e ST

Estreia do Flamengo pelo Brasileiro, contra o Goiás, é confirmada para Brasília



Assim como aconteceu no ano passado, a estreia do Flamengo no Campeonato Brasileiro de 2014 terá como palco o Estádio Mané Garrincha, em Brasília. A partida contra o Goiás, válida pela primeira rodada da competição, acontecerá no Distrito Federal, e a informação foi confirmada pela Federação Goiana de Futebol. O Rubro-Negro encara o Esmeraldino no domingo, dia 20 de abril, às 18h30 (horário de Brasília).

Em 2013, o mando de campo na primeira rodada era do Santos, que levou o jogo para a capital. Mesmo assim, o Flamengo gostou da ideia de realizar jogos no local. Foram seis partidas, além da estreia contra a equipe paulista e um clássico com mando de campo do vasco.

Além da partida de estreia, a diretoria terá que deslocar pelo menos mais três jogos do Maracanã, já que o estádio não estará liberado pela Fifa cerca de um mês antes da Copa do Mundo. Com isso, os confrontos contra São Paulo, na quinta rodada, Bahia, na sexta, e Figueirense, na oitava, terão de ter outros locais escolhidos.

A tendência é de que o duelo contra o Bahia seja realizado na Arena da Amazônia, em Manaus.

Cruzeiro confirma segundo jogo pelo Brasileiro em Uberlândia, contra o Flamengo


 O torcedor celeste do Triângulo Mineiro vai ter mais uma oportunidade de ver de perto o time do coração pelo Brasileirão. Após deslocar a partida contra o São Paulo, pela segunda rodada, para Uberlândia, o Cruzeiro confirmou nesta quinta-feira o confronto com o Flamengo para o estádio Parque do Sabiá. O jogo está marcado para o dia primeiro de junho, domingo, às 16h, pela nona rodada.

Segundo a assessoria da Prefeitura de Uberlândia, a realização da partida na cidade foi confirmada através de um documento enviado pelo clube ao município. A assessoria do Cruzeiro explicou que a decisão foi tomada após a Fifa anunciar que não vai liberar os estádios que serão usados no Mundial para jogos do Brasileiro perto do início da Copa.

Para a partida em Uberlândia, serão disponibilizados cerca de 50 mil ingressos. Os valores ainda não foram definidos. O último jogo do Cruzeiro em Uberlândia foi em novembro do ano passado, pela 35ª rodada do Brasileiro, contra a Ponte Preta. Já campeã à época, a Raposa mandou a campo um time misto e empatou por 2 a 2.

Jogadores do Flamengo tratam eliminação como passado e focam no Carioca


A eliminação da Taça Libertadores doeu para o torcedor do Flamengo que lotou o Maracanã para ver a derrota por 3 a 2 para o León, do México. O time precisava de uma vitória simples para chegar às oitavas de final. Os jogadores deixaram o estádio lamentando a queda, mas procuraram tratar o fato como passado na busca pelo apoio para a final do Campeonato Carioca, domingo, contra o vasco, no Maracanã.

Na decisão, o Flamengo entra em campo precisando do empate para conquistar o título carioca.

- Não adianta lamentar mais. Acabou, tem que levantar a cabeça. Passado é passado. Domingo tem uma final e, se Deus quiser ,seremos campeões - afirmou Amaral.

André Santos seguiu a linha do volante. Ele fez questão de elogiar a presença do torcedor no Maracanã e espera que o mesmo aconteça no domingo. Mais de 13 mil ingressos já foram vendidos apenas para a torcida do Flamengo.

- Quero parabenizar o torcedor que esteve presente. Lutamos, tentamos de todas as formas, mas não acertamos a marcação e isso facilitou para que a equipe deles jogasse mais com a bola. Quando não se consegue o que quer, vem o abatimento, a tristeza. Mas é levantar a cabeça, pois domingo temos uma decisão, um clássico. Temos que esquecer a Libertadores, pois não volta mais, e pensar nesse jogo - afirmou André Santos.

Wallim joga foco para final do Carioca

 O pensamento dos jogadores é o mesmo do departamento de futebol, que segue batendo na tecla do trabalho a longo prazo. Segundo o planejamento do vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcelos, a expectativa é disputar a Taça Libertadores todo ano, mas trata com importância a busca por mais um título carioca.

- Nosso planejamento é disputar todo ano a Libertadores, e conseguimos no nosso primeiro ano, vamos conseguir no ano que vem... Mas o foco total é na disputa do Carioca. Vamos trazer esse título que é importante para o grupo e a torcida, mostrando que o trabalho é de longo prazo. Ninguém prometeu ser campeão de tudo no segundo ano de mandato, mas, sim, fazer um trabalho consistente buscando um Flamengo grande - disse Wallim.

André Santos espera aprendizado: 'Se erramos em algo, Jayme tem que ver'



André Santos Flamengo x León (Foto: AP)O toque de bola apresentado pelo León-MEX no Maracanã desmontou qualquer tentativa do Flamengo de exercer uma pressão intensa, mesmo jogando em casa. O adversário esteve sempre em vantagem no placar e tomou conta de um jogo no qual o dono da casa precisava apenas de uma vitória simples para alcançar seu objetivo, que era a classificação para as oitavas de final.

No fim, a derrota por 3 a 2 para o León foi mais um resultado a entrar para a lista de vexames do Flamengo na disputa recente da Taça Libertadores. Foram quedas inexplicáveis principalmente para o América, do México, em 2008, e na fase de grupos em 2012.

Sem explicação para o que viu acontecer no Maracanã, André Santos disse que o Flamengo deve tirar proveito da lição de futebol que levou do León. De alguma forma, para a sequência da temporada, isso pode ajudar o time a evoluir.

- Se o León foi melhor, devemos tirar proveito de alguma coisa e tentar trazer para nossa equipe. Se erramos em algo, o Jayme tem que ver e fazer com que  possa melhorar - afirmou André Santos.

Apesar de o time não ter apresentado qualquer antídoto para a apresentação do León, André Santos garantiu que os jogadores estavam preparados para os pontos fortes dos rivais. No entanto, não conseguiram se encontrar na marcação.

- Talvez não estivesse adequada. Não que a gente não conhecesse o nosso adversário. A gente sabia as principais jogadas e forças. Tentamos neutralizar da melhor maneira. Mas não acertamos a marcação como queríamos - disse o lateral.

Agora, a esperança de André Santos é de que a derrota não cause um impacto ainda maior no time para a sequência da temporada. Domingo, o Flamengo enfrenta o Vasco, no Maracanã, pelo segundo jogo da final do Campeonato Carioca, com a possibilidade de poder empatar para ser campeão.

- A Libertadores é sempre difícil. Nosso grupo foi disputado desde os primeiros jogos. Talvez, tenhamos deixado escapar pontos em casa, o que não pode acontecer. Tive essa experiência com o Grêmio no ano passado. Temos que esfriar a cabeça e buscar nossos objetivos. Quando o time ganha, não comemoramos vários dias. Da mesma forma, temos que assimilar a derrota e domingo vestir a camisa do Flamengo em um grande jogo - comentou André Santos.

Léo Moura considerou que o Flamengo buscou o jogo, mas o gol não saiu contra o León

Léo Moura Flamengo León  Libertadores (Foto: Reprodução SporTV)Léo Moura também tentou encontrar explicações e destacou a dedicação rubro-negra em campo, apesar da eliminação diante de mais de 60 mil presentes no Maracanã.

- É ruim sempre ser eliminado em casa. Mas a equipe buscou o jogo, não se acovardou, mas infelizmente o gol não saiu - disse o lateral.

Resta agora ao Flamengo voltar as suas atenções para o Campeonato Carioca, já que no domingo tem a final com o vasco, em jogo que define o campeão estadual. A partida será no Maracanã, às 16h, e o time rubro-negro joga pelo empate para ficar com a taça.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Wallim garante permanência de Jayme no Flamengo: 'Não tem por que trocar'


 A campanha pífia na Taça Libertadores, sendo eliminado mais uma vez na fase de grupos, como havia acontecido em 2012, não foi suficiente para promover mudanças drásticas no Flamengo. Com a decisão do Carioca para disputar domingo, contra o Vasco, o técnico Jayme de Almeida segue no cargo.

O vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcelos, procurou manter a serenidade depois da eliminação precoce na competição. No entanto, garantiu a continuidade do treinador, que ainda sofre para reencontrar o ritmo de sucesso da conquista da Copa do Brasil de 2013.

- Não tem por que trocar o Jayme. Perdemos um jogo atípico. Os dois primeiros gols que tomamos normalmente não acontecem. Depois não conseguimos fazer o terceiro e levamos. O Jayme continua, o trabalho é de longo prazo. Não era para ser campeão do mundo em 2014. Se fosse, seria ótimo, mas não é esse o planejamento. Temos que crescer solidamente, sem achar que está tudo errado nas derrotas - afirmou Wallim.

Para o dirigente, a avaliação do trabalho de Jayme até o momento é positiva. O treinador assumiu o cargo em setembro do ano passado, quando substituiu Mano Menezes, que havia pedido demissão. Desde então, conquistou a Copa do Brasil e chegou à final do Carioca. A queda na Libertadores foi sua única frustração até o momento.

- A avaliação do trabalho é boa. Ninguém gostou da eliminação, mas temos que ver onde os erros aconteceram e precisamos melhorar. Vamos trazer peças e olhar para a frente - disse o vice de futebol.

Se não causou impacto no trabalho da comissão técnica, a queda na Libertadores fez com que o Flamengo deixasse de faturar R$ 1,5 milhão com a classificação para as oitavas de final. Esse número se torna ainda maior com a expectativa de público que havia para a sequência da competição.

- A parte de bilheteria que contava não vai acontecer e vamos ter que buscar outras fontes de recursos. Tirar de outro lugar - avisou Wallim.

Após eliminação, Jayme pede cabeça erguida e elogia grupo: 'Deu o melhor'



Depois de mais uma eliminação traumática na Libertadores, nada de buscar culpados. Após a derrota por 3 a 2 para o Léon em pleno Maracanã, o treinador Jayme de Almeida procurou manter a tranquilidade, mesmo sabendo das consequências que o revés pode causar. Assim, o comandante rubro-negro fez questão de falar bem sobre seus jogadores e garantir que a cabeça seguirá erguida para os próximos compromissos na temporada.

- (A eliminação) Causa um reflexo hoje, amanhã. Ninguém quer sair da competição. Quando entramos, pensávamos em ir mais longe. Todos ficaram muito tristes com a derrota. Jogo disputado, difícil, mas em nenhum momento tenho que reclamar do grupo, do que fizeram até agora em 2014. Só tenho a elogiar. O Flamengo deu o melhor, não conseguiu, mas a vida segue. Temos um caminho longo pela frente, disputar a final do Carioca e começar o Brasileiro. Vamos voltar a mente para o Carioca. A Libertadores acabou, e se o Flamengo sonhar em voltar tem que lutar e fazer melhor no próximo ano - resumiu.

O Flamengo tem pela frente a decisão do Campeonato Carioca, no domingo, às 16h, contra o Vasco no Maracanã. No domingo seguinte, dia 20 de abril, já estreia pelo Brasileiro, dentro de casa, contra o Goiás.

Confira outros trechos da entrevista do treinador do Flamengo após a derrota:

DESESPERO DA EQUIPE
- Não desespero, mas nosso time quis fazer o terceiro gol com muita vontade. Faltou organização no meio. Tinha falado no intervalo e era principalmente não querer sair. Acho que a torcida levou o time a isso. Faltou um pouco mais de calma, um jogador experiente para o time não sair afoito e fazer o gol a toda maneira. Percebemos isso lá de fora, pedimos calma, para ficar com a bola. Estávamos dando muito espaço para o contra-ataque do León.
 
 VACILOS NA CAMPANHA
- O Flamengo fez o melhor possível. Não tenho que reclamar de nada. Os jogadores se empenharam ao máximo, da melhor maneira possível. Isso de escorregar ou o juiz não marcar falta, faz parte do jogo. O Flamengo tentou. Chegamos perto. Poderíamos ter ido mais longe, acredito. Saímos com o coração partido. Tivemos problemas de contusão, jogadores machucados. Jogamos sempre trocando, improvisando. Por isso, tenho orgulho desse grupo que lutou até o final.

SAÍDA DE ELANO
- Ficaram três garotos que são muito rápidos. O Elano saiu e estávamos contando com ele pela experiência, Copa do Mundo, para dar uma tranquilizada. Infelizmente, ele saiu. No segundo tempo, o time saiu acelerado, a torcida começou a incentivar. Com a cabeçada do Gabriel, quase fizemos 3 a 2, a torcida empolgou e pedi calma. Passamos a jogar de uma maneira louca. Não tínhamos posse de bola e não ficamos agrupados. O jogo ficou aberto.

TOQUE DO LEÓN
- Eles jogam assim, sabíamos disso. Por isso, não queria que o time espalhasse para não darmos a facilidade dessa troca de passe. Saímos atrás, o León tinha qualidade no meio, jogou agrupado e nós ficamos correndo atrás do placar. Quando empatamos, nem pegamos na bola e sofremos o 2 a 1. Conseguimos empatar no primeiro tempo. Fica uma coisa doída. Nos esforçamos ao máximo, vou repetir, e tenho orgulho desses meninos. Não temos que pedir desculpas, porque o time lutou o tempo inteiro. Fica a lição de que podemos sempre qualificar mais o elenco para voltarmos no ano que vem, através da Copa do Brasil ou do Brasileiro. Tiramos lições para participar mais vezes.

DOMINGO
- De hoje para domingo, vai ser duro. Maracanã cheio, torcida querendo muito. Foi uma derrota que deixou todo mundo muito triste. Mas tenho confiança neste grupo. Decidir o título vai motivá-los, a mim também, e vamos tentar dar alegria para a torcida com o título. Temos que nos preparar bem, cabeça boa, para disputar de igual para igual.

NECESSIDADES DO ELENCO
- Isso tem que ser com calma. Fazemos um relatório, comentamos algumas coisas, mas é algo mais no geral. A diretoria tem condição de participar mais dos campeonatos sul-americanos. Não sei se um time que fica há muito tempo sem chegar, será campeão. Se participar mais da Libertadores, vamos ser campeões. Não vou dar desculpa, mas tivemos muitos problemas de contusão que nos deram muito trabalho. Lutamos para caramba, temos que dar os méritos para o Léon. Esporte é isso. Fizeram um grande jogo.

 FLA MERECIA VAGA?
- Acho que o Flamengo fez uma partida muito boa lá contra o mesmo León. Jogamos um segundo tempo contra o Emelec aqui muito bom. Não fomos bem contra o Bolívar, até viramos, mas estávamos inseguros. O jogo na altitude teve o escorregão do Samir, que acontece, mas ainda quase empatamos. E o jogo do Emelec lá foi muito bonito. O que acho que faltou foi o problema do primeiro jogo, que poderia ter feito um resultado melhor, e o Bolívar mesmo não jogando bem tomamos gols. Não tenho o direito de culpar os meus meninos. Convivo com eles e sei o que fizeram e lutaram. Sou responsável pelo Flamengo nesses quatro meses.

FLA, PASSIVO, NÃO SE IMPÔS
O número 5, até porque o Elano voltava de lesão, estava muito solto. Número 5, não, porque não sei o nome. O jogador que joga por ali, de volante. Na metade do primeiro tempo, o Elano saiu. Tentei botar o Gabriel com o Paulinho, melhorou um pouco, deu uma segurada. Da metade (do primeiro tempo) em diante, o time se portou melhor. O início foi ruim, deixamos muito o menino jogar. No segundo tempo, o time se abriu e tentou vencer desesperadamente, sem se agrupar. Queria ganhar de qualquer maneira, na vontade.

AUSÊNCIA DE MEIA NO BANCO
- O Paulinho joga pelo meio, o Everton jogou ali contra o Emelec. Eu tinha várias opções. O Negueba entrou bem lá (no Equador). Depois, coloquei o Nixon, que é atacante, faz gol, para tentar reverter. Mas logo que ele entrou, saiu o terceiro gol do León.

VACILOS NO ATAQUE E NA DEFESA
 - O Flamengo quando perde, perde todo mundo. Se tem que culpar alguém, como comandante... Não tem isso de ataque jogar bem. Quando vence, vence todo mundo. Quando ganha, ganha todo mundo.

Os gols de Flamengo 2 x 3 León


Protesto contra Bandeira de Mello gera bate-boca no Maracanã

 

Protestos coletivo e direcionado após a eliminação do Flamengo na Taça Libertadores da América, nesta quarta-feira, diante de mais de 60 mil presentes no Maracanã. Ainda com bola rolando, a torcida chamou o time de "sem vergonha". Ao apito final na vitória por 3 a 2 do León, um grupo de torcedores se virou imediatamente para o camarote onde estava localizado o presidente Eduardo Bandeira de Mello e o hostilizou. Acompanhantes do presidente não gostaram e rebateram, dando início a um forte bate-boca. O mandatário imediatamente se retirou do local. Um homem e uma mulher que estavam com ele, entretanto, seguiram retrucando, até que foram convencidos por seguranças a deixarem o espaço. 

Já após o terceiro gol dos mexicanos, a diretoria rubro-negra também foi alvo de protesto por conta do preço dos ingressos para partidas no Maracanã. Com a eliminação praticamente decretada, ouviu-se das arquibancadas: "Ôooo, abaixa o ingresso". Para o confronto com o Léon, o valor mais barato dos bilhetes era de R$ 100. No total, foram 53.230 pagantes (60.451 presentes) e renda R$ 3.091.047,50.

Neste panorama de pressão, o Flamengo volta ao Maracanã no próximo domingo, às 16h (de Brasília), para encarar o Vasco, na decisão do Campeonato Carioca. Com o 1 a 1 na partida de ida, o Rubro-Negro joga por um novo empate para ser campeão estadual pela 33ª vez em sua história.

Alecsandro pede desculpa e elogia León: 'É difícil fazer gol sem a bola'

 
 objeto
DISTANTE (Dhavid Normando/Futura Press)Parte da torcida rubro-negra chamou o time de “sem vergonha” no fim da derrota por 3 a 2 para o León. Na saída de campo, os jogadores ouviram algumas vaias e xingamentos por conta de mais uma eliminação precoce na Taça Libertadores. Abatido, o atacante Alecsandro pediu desculpas ao torcedor, mas reconheceu que o adversário foi superior e elogiou a equipe mexicana.

Para ele, o toque de bola do León, que raramente apelava para os chutões, surpreendeu e envolveu o Rubro-Negro. O artilheiro do Flamengo na temporada deu os parabéns para o time comandado por Gustavo Matosas.

 - Para mim, que já tenho duas conquistas de Libertadores (por Inter e Atlético-MG), é um sentimento muito ruim. Sei o gosto de ser campeão da América. Peço desculpas aos 60 mil torcedores que vieram aqui. Mas é bom lembrar que o León jogou muito bem. Eles devem ter tido mais posse de bola que a gente. Não encaixamos a marcação. É difícil fazer gol sem a bola – disse à Fox Sports Alecsandro na saída de campo.

No jogo, o Flamengo nunca esteve à frente do marcador. Conseguiu empatar em 1 a 1 com André Santos e depois por 2 a 2, com Alecsandro. Porém, não teve forças para reagir quando Peña anotou o terceiro gol aos 39 minutos da segunda etapa. O zagueiro Wallace foi outro a lamentar a jornada infeliz.

- Faltou jogar bem, o time não jogou bem, não conseguiu jogar. Quando falo isso, falo no contexto geral, me incluindo. A gente lamenta, mas paciência.

No domingo, às 16h, o Flamengo tem a decisão do Campeonato Carioca pela frente. Precisa apenas do empate diante do vasco para ser campeão. Alecsandro espera dar esse consolo ao torcedor.

- Agora é descansar. Futebol é assim. Vou chegar em casa e sobra para os meus filhos, para a minha esposa. Fico triste no canto, mas o futebol continua. Domingo temos final, contra o nosso rival, sabemos da importância do jogo. Não temos muito tempo para lamentar. Domingo o mesmo torcedor sairá muito feliz do Maracanã.

Os gols de Flamengo 2 x 3 León


Flamengo 2 x 3 León

             
                        Ficha técnica


Data:   09/04/2014
Hora:  19h45m (de Brasília)
Local:  estádio do Flamengo, Maracanã    
        
Público: 53.230 pagantes / 60.451 presentes
Renda:  R$ 3.091.047,50  

Cartões amarelos: André Santos, Amaral (Fla); Rafa Márquez, González, Montes, Boselli (Leon)


Flamengo: Felipe; Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos (Negueba, aos 26'/2ºT); Amaral, Muralha, Elano (Gabriel, aos 11'/1ºT); Paulinho (Nixon, aos 37'/2ºT), Everton e Alecsandro.
Técnico: Jayme de Almeida

Leóm:Yarbrough; Vazquez, Rafa Márquez, Magallón e González; Edwin Hernández, Elías Hernández, Montes e Peña (Rocha, aos 38'/2ºT); Arizala (Delgado, aos 37'/2º) e Boselli.
Técnico:Gustavo Matosas

Árbitro: Diego Abal
Auxiliares:  Gustavo Rossi e Ivan Nuñez.



Zico rechaça decisão do STJ: 'O título é do Flamengo e ninguém tira'



A polêmica da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que reconheceu apenas o Sport como campeão brasileiro de 1987 ganhou mais um capítulo. A decisão, por sua vez, causou uma grande irritação ao eterno camisa 10 da Gávea. Zico, ignorou a decisão do Tribunal e garantiu que o vencedor da Copa União é e sempre será apenas o Flamengo.

De acordo com o Galinho de Quintino, esse será um assunto que não será mais comentado por ele. Para o eterno ídolo rubro-negro, os julgadores nunca devem ter jogado futebol para entender o assunto.

- Não vou comentar sobre isso, pois já tomei muita pancada. O título é meu, e do Flamengo e ninguém vai tirar de nós. Nós que estávamos lá jogando e agora tem quatro caras julgando, que talvez nunca tocaram em uma bola. Nós que ganhamos e não falo mais sobre isso e fim de papo - comentou o Galinho no evento de lançamento do livro da Libertadores.

Vale lembrar que no início de 2011 a CBF reconheceu que houve dois campeonatos em 1987 e assim, dois campeões: Flamengo e Sport. Porém, a equipe pernambucana não concordou com a decisão e entrou com uma ação no Tribunal Regional Federal (PE) pedindo que a decisão da CBF fosse invalidada, o que aconteceu. A decisão ainda cabe recurso.