Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 10 de maio de 2014

Léo Moura aposta em Mugni no clássico contra o Flu: 'Ele é ousado'


O Flamengo terá uma novidade no time titular no clássico deste domingo, contra o Fluminense: o argentino Lucas Mugni. E a alteração tem deixado os companheiros do Rubro-Negro animados. Prova disso é que o lateral-direito e capitão do time, Léo Moura, rasgou elogios ao camisa 10 em coletiva concedida neste sábado, no Ninho do Urubu.

- Vou te falar que o Mugni é um jogador técnicamente especial. Ousado, diferenciado, gosta daquele passe mais difícil e de deixar o atacante na cara do gol. O que aconteceu com o Conca vai acontecer com ele também. Ele está dentro de um tempo bom e estás mostrando um bom futebol. Apostamos nele para amanhã (domingo) e para o resto do ano.






Felipe brilha em recreativo do Flamengo antes de clássico contra o Flu


A lógica no Flamengo é sempre a mesma: antes de jogos, um rachão para descontrair os ânimos. E neste sábado, véspera do clássico diante do Fluminense, quem brilhou foi o goleiro Felipe que, na atividade, participou como centroavante. Com um belo gol de cabeça, ele, sempre bem-humorado, deu o tom no treinamento.

- Ei, Luiz! Dá em  mim, pô. Dá em mim que eu vou cravar! - brincava o camisa 1 enquanto era abraçado por Luiz Antonio e Nixon na comemoração.

Outras presenças percebidas na atividade foram Elano, Hernane e Everton. Se recuperando de lesões, eles tiveram boa movimentação e seguem em trabalho intensivo para retornar no duelo contra o São Paulo, no próximo dia 18.

Léo Moura lembra derrota para o Flu e diz que história hoje é diferente


Em 2014 o Flamengo foi avassalador em clássicos. São duas vitórias, dois empates e uma derrota, justamente contra o Fluminense, rival deste domingo, no Maracanã. E o capitão rubro-negro, Léo Moura, lembra daquela partida e diz que a história entre os dois times é totalmente diferente  hoje em dia.

- Não fico muito pilhado por aquele jogo, mas te digo que é uma equipe forte. Lógico que se não tivesse perdido aquele jogo no Carioca podia ter sido campeão invicto. Fica aquele lamento, mas tudo bem. É um jogo diferente, precisamos de uma vitória em um clássico para dar moral - afirmou o camisa 2 em coletiva concedida no Ninho do Urubu.

Venda antecipada de ingressos ao Fla-Flu de domingo chega a 15 mil


 O Flu leva mais gente ao estádio, mas é o Flamengo quem lucra mais. E quando os dois clubes se enfrentam como a torcida se comportará? A julgar pela venda antecipada, o público ao clássico das 16h (de Brasília), deste domingo, no Maracanã, não será dos maiores. O último balanço divulgado pelo Tricolor, mandante da partida, ao final da manhã desde sábado, indica 15 mil bilhetes comercializados.

Não há informação de quanto cada torcida adquiriu. Apenas se sabe que existe um equilíbrio. Na temporada, o maior público com mando do Flu foi de 44.975 pagantes (derrota por 2 a 1 para o Vitória, sábado passado). E, na véspera desta partida, a torcida tricolor havia comprado mais de 25 mil entradas. Já o Fla atuou apenas uma vez no estádio neste nacional e levou 16.318 pagantes contra o Palmeiras.

O Flu, quinto com seis pontos, busca recuperação. Em nono, com cinco pontos, o Flamengo tenta manter a boa fase após vencer o Verdão.

Preço dos Ingressos:

Setor norte: R$30/ R$15 (meia)
Setor sul: R$30/ R$15 (meia) 
Leste superior: R$60/ R$30 (meia ou sócio-torcedor)
Leste e oeste inferior: R$80/ R$40 (meia ou sócio-torcedor)
Maracanã Mais: R$180/ R$110 (meia ou sócio-torcedor)

Pontos físicos de venda - de quinta a sábado - 10h às 17h (no dia da partida venderá no Maracanã):

- Cariocas FC - Méier
Rua Dias da Cruz, 255, Shopping Méier
- Casa da Vila da Feira
Hadoock Lobo, 195 - Tijuca
- Engenhão (Bilheteria Sul)
Rua das Oficinas, s/n,  Engenho de Dentro
- Maracanã - Estádio Bilheteria 2 - Fluminense
Eurico Rabelo s/nº
- Maracanã - Estádio Bilheteria 1 - Flamengo
Av. Maracanã s/nº
- Loja Fanático
Av. John Kennedy, 292, Loja  217, Lagoa Shopping, Araruama
- Sede das Laranjeiras
Álvaro Chaves, 41
- Sede do Flamengo
Av. Nossa Senhora Auxiliadora s/nº

Flamengo treina a bola parada na véspera de clássico com Fluminense


 
ensaio final (Gilvan de Souza / Flamengo)O tradicional rachão de véspera de jogo aconteceu, mas não foi ele que protagonizou o último treinamento do Flamengo antes do clássico contra o Fluminense, pelo Brasileirão. Na véspera do confronto, a manhã de sábado foi de muito treinamento de bola parada no Ninho do Urubu.

O técnico Jayme de Almeida posicionou seus jogadores e trabalhou à exaustão tanto a parte ofensiva quando a defensiva pelo alto. Durante a semana, Cristóvão, treinador tricolor, já havia tido a mesma preocupação nas atividades comandadas nas Laranjeiras.

Somente após muitas orientações e repetições de jogadas, Jayme encerrou o ensaio e liberou o elenco para a disputa do rachão. Em relação ao time, não fez mistério e confirmou a escalação com Felipe; Leonardo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres, Márcio Araújo, Luiz Antonio e Mugni; Paulinho e Alecsandro.

Se vencer o clássico deste domingo, às 16h, no Maracanã, o Flamengo ultrapassará o rival na tabela de classificação. No momento, o Tricolor inicia a quarta rodada na quinta posição, com seis pontos, enquanto o Rubro-Negro tem quatro, em nono lugar.

Veja os confrontos, datas dos jogos e resultados das semifinais do NBB



Após as vitórias de Paulistano e Mogi das Cruzes, dois estreantes na fase decisiva da competição, a Liga Nacional de Basquete divulgou a tabela das semifinais do Novo Basquete Brasil. Atual campeão, o Flamengo começa sua campanha em busca do terceiro título dentro de casa, diante do Mogi, na segunda-feira, dia 12, às 19h, no Ginásio do Tijuca Tênis Clube. Já na outra semifinal, o São José duela contra o Paulistano, na terça-feira, 13, às 19h30, fora de casa, no Ginásio Antônio Prado Júnior.

As duas semifinais são disputadas em playoffs de cinco jogos. Com melhores campanhas, Flamengo e Paulistano jogam a quinta partida, caso necessária, dentro de casa. O Rubro-Negro, líder da primeira fase, também leva a vantagem para uma possível decisão do NBB 6. No ano passado, Flamengo e São José fizeram a decisão do Novo Basquete Brasil, o que pode se repetir esse ano.

Confira a tabela

Flamengo x Mogi das Cruzes
Jogo 1 - 12/05 - 19h - Flamengo x Mogi - Tijuca Tênis Clube
Jogo 2 - 14/05 - 20h - Flamengo x Mogi - Tijuca Tênis Clube
Jogo 3 - 17/05 - 20h30 - Mogi x Flamengo - Ginásio Hugo Ramos
Jogo 4 - 19/05 - 19h - Mogi x Flamengo - Ginásio Hugo Ramos*
Jogo 5 - 24/05 - 17h - Flamengo x Mogi - Arena da Barra*

Paulistano x São José
Jogo 1 - 13/05 - 19h30 - Paulistano x São José - Ginásio Antônio Prado Jr.
Jogo 2 - 15/05 - 19h30 - Paulistano x São José - Ginásio Antônio Prado Jr.
Jogo 3 - 18/05 - 16h - São José x Paulistano - Ginásio Lineu de Moura
Jogo 4 - 20/05 - 21h - São José x Paulistano - Ginásio Lineu de Moura*
Jogo 5 - 23/05 - 21h - Paulistano x São José - Ginásio Antônio Prado Jr.*

* Se necessário


sexta-feira, 9 de maio de 2014

Após briga, Fla e Corinthians podem perder até dez mandos de campo



Paulo Schmitt julgamento STJD brasileirão 2013 (Foto: Edgard Maciel de Sá)A briga entre torcedores do Flamengo no Pacaembu após a partida contra o Corinthians, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro pode ter consequências ruins para os dois clubes. Nesta quinta-feira, o procurador geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, entrou com denúncia contra os dois clubes, que pode acarretar em perda de mando de campo por até dez partidas.

As duas equipes foram enquadradas no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que determina punição a quem "deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto". A previsão é que o julgamento aconteça na próxima semana.

- Após assistirmos às imagens, fizemos a denúncia, e o tribunal vai avaliar a responsabilidade das equipes. O artigo determina que o mandante deve ser responsabilizado de acordo com sua culpabilidade - afirma Paulo Schmitt, em entrevista por telefone.

A punição pode ser uma multa, que varia de R$ 100 a R$ 100 mil, ou até mesmo a perda de mando de campo de dez jogos para cada equipe.

- Se o tribunal avaliar que a briga foi muito grave, pode punir os clubes com jogos em portões fechados - completou Paulo Schmitt.


Fla-Flu, Bota e vasco: 453 agentes em rodada de clássico carioca na Série A


A quarta rodada do Campeonato Brasileiro será marcado pelas disputas de inúmeros clássicos regionais, o que acirra a disputa entre clubes nas primeiras rodadas do torneio, aumenta o clima de rivalidade entre as torcidas rivais e, também, redobra atenção das autoridades de segurança pública pela movimentação sobre os espetáculos. A Guarda Municipal do Rio de Janeiro divulgou, nesta sexta, que um efetivo de 453 agentes será deslocado para policiamento das partidas entre Botafogo e Criciúma, bem como o clássico entre Flamengo e Fluminense, disputadas no sábado e domingo, respectivamente, no Maracanã.

estádio Maracanã chamada TR (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo) 
Maracanã vai receber dois jogos na rodada e policiamento será reforçado na rodada do Brasileiro (Foto: Cezar Loureiro)
 
Para para partida do Glorioso, serão deslocados 194 guardas municipais, que iniciam o policiamento a partir das 17h nos arredores do Maracanã. A bola começa a rolar a partir das 21h. No Fla-Flu, um maior número de policias estará em ação. Para o clássico carioca, serão 259 homens em trabalho de monitoramento no estádio, a partir das 16h, do domingo.

Por um lado, o clima ameno no entorno de São Januário vai atrair um menor contingente. O Vasco recebe o Oeste sem a presença de torcedores, ainda como punição aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo confronto entre cruz-maltinos na arena Joinville ano passado. O policiamento será, em sua maioria, no entorno do estádio na zona norte do Rio, onde torcedores se aglomeram para acompanhar as partidas do clube com portões fechados nas rodadas inicias da Série B do Brasileirão.

Jayme estuda Fluminense contra o Vitória: "Deu algumas certezas"


Jayme flamengo treino (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Na véspera do jogo contra o Palmeiras, o técnico Jayme de Almeida não teve condições assistir à derrota do Fluminense para o Vitória no Maracanã. Na ocasião, o confronto foi transmitido apenas em sistema pay per view e no hotel não havia. A semana, no entanto, foi dedicada ao rival deste domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

Jayme analisou o Fluminense, que venceu o Flamengo por 3 a 0 no Campeonato Carioca. O técnico estudou as virtudes e encontrou pontos favoráveis ao seu jogo para o clássico. Ele conta com a volta de Léo Moura, que cumpriu suspensão, e com isso o volante Luiz Antonio atuará  na sua posição. Lucas Mugni será titular.

- A gente tem a maneira ideal para esse jogo. Observando, você vê muitas virtudes, mas também coisas das quais pode tirar proveito. Trabalhando em cima disso, esse jogo deu algumas certezas. Cada um é uma história e será decidido lá dentro. Temos condições de fazer um grande jogo. O Fluminense começou melhor que a gente nos pontos, mas estamos reagindo. Não tem favorito e vamos tentar fazer nosso melhor - disse Jayme.

A derrota no Carioca não assusta o treinador. Naquele jogo, o Flamengo acabou sucumbindo ao talento de Conca, que mais uma vez estará em campo. Jayme confia na qualidade de seu grupo e que ele pode fazer uma boa campanha no Campeonato Brasileiro.

- Um grupo que venceu a Copa do Brasil e o Carioca não pode ser tão fraco. Vamos jogar de igual para igual. Aquele jogo foi lá atrás. Algumas coisas aconteceram, mas não tiro o mérito do Fluminense, mas não foi para 3 a 0. A gente aprende com o jogo e não pode bobear. É um time de qualidade, com o centroavante da seleção brasileira - comentou o treinador.

No confronto com o Fluminense, Jayme vai reencontrar Cristóvão Borges, atual técnico do rival. São sete anos de diferença de idade. O comandante do Flamengo mostrou sua admiração pelo rival.

- Eu o conheci aqui no Flamengo, quando veio como auxiliar do Ricardo Gomes. Já o conhecia como jogador e tinha admiração pelo seu futebol. É uma pessoa bonita, muito educado, um adversário que respeito muito e torço para que consiga muitas coisas em sua carreira - disse Jayme.



Bap faz contas e diz que preços populares são inviáveis para o Flamengo



Coletiva Flamengo novo Uniforme Patrocinio Luiz Eduardo Baptista (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)Números, taxas, descontos, leis estaduais e metas a cumprir. A calculadora do Flamengo não para a cada partida realizada no Rio de Janeiro, e a certeza da diretoria continua sendo a mesma: é impraticável oferecer preços populares no valor cheio dos ingressos tendo em vista abastecer o caixa com receitas de bilheterias. Desde o início da gestão Eduardo Bandeira de Mello, o montante cobrado para assistir as partidas em que o Rubro-Negro é mandante tem sido alvo de questionamentos. Com política de redução radical dos bilhetes adotada pelo Fluminense - como, por exemplo, no Fla-Flu de domingo, que custará a partir de R$ 30 -, o questionamento voltou à tona: por que o clube da Gávea não adota medida semelhante? O GloboEsporte.com ouviu Luiz Eduardo Baptista, o Bap, vice-presidente de marketing, para defender seus argumentos.
 
 Em longa conversa por telefone, Bap foi claro ao culpar o sistema adotado no Rio de Janeiro pelo aumento dos preços. De um montante de R$ 50 milhões arrecadado em bilheterias na temporada passada, a renda líquida do Flamengo não alcançou a marca de 40%. O dirigente comparou a situação com a realidade apresentada pelo Mineirão ao Cruzeiro, que tem acesso a quase o dobro do percentual destinado ao Rubro-Negro e não poupou críticas às exigências feitas pela Odebrecht, responsável pela gestão do Maracanã, nos termos firmados com o clube. Luiz Eduardo Baptista se mostrou contrário ainda aos 10% cobrados pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro a cada partida, além da forma como é conduzido o cumprimento de lei estaduais que permitem gratuidade e meia-entrada. No somatório destes fatores, uma conclusão: os preços adotados dificilmente fugirão do padrão apresentado nos últimos 17 meses.

- Se o Flamengo fosse o Cruzeiro e jogasse no Mineirão, faturando R$ 50 milhões, ficaria com 78%. Ou seja, R$ 39,5 milhões. Se jogasse em Brasília, ficaria com 60%. No Maracanã, fica com 40%. Por que isso? Entre o Governo e o Cruzeiro, não há Odebrecht, como no Maracanã. O clube paga as despesas do Mineirão e fica com o restante. No caso do Flamengo, a Federação Carioca cobra 10%. Isso é uma extorsão. Nas outras, a federação que mais cobra, cobra 5%, outras 3% e até 2%. Ainda há taxas federativas, como associação de cronistas, escoteiros, que tiram mais 3,5%. Só de aluguel, a Odebrecht cobra em média 23% da renda bruta. Vai combinando estes aspectos e há agravantes. O Rio é o único estado onde há gratuidade. Em São Paulo, há, mas é convite, o que dá mil, dois mil ingressos. No Rio, não. De cada quatro que vão ao estádio, um não paga. Há ainda a lei de meia-entrada, onde vai muito mais gente do que pagando inteira. Algumas situações vão contra a arrecadação no Rio. Quando colocamos isso tudo na conta, pesa.

Matemáticas simples, como as que surgiram após o sucesso de público dos primeiros jogos do Fluminense em casa no Brasileirão, foram rechaçadas por Bap. O dirigente garantiu que há diferença no faturamento de R$ 600 mil com 6 mil torcedores pagando R$ 100 e 60 mil pagando R$ 10. O motivo? Os contratos firmados por tricolores e rubro-negros com o consórcio que toma conta do Maracanã. Diante dessa realidade, o time das Laranjeiras teria conseguido um acordo mais benéfico? Bap responde:

- Com o tamanho da torcida do Flamengo, ia queimar dinheiro (se fizesse um contrato com o do Flu). Assim, eu ia levar de R$ 8 a 10 milhões para casa no ano passado (o clube arrecadou R$ 19,6 milhões).

Durante a conversa, Bap comparou ainda os acordos firmados por Fla e Flu, bradou contra os responsáveis pela fiscalização das leis de gratuidade e meia-entrada, justificou a não contratação de Elias mesmo após promessas envolvendo a renda da Copa do Brasil e levantou a possibilidade de redução de preço dos bilhetes com a estabilização do sócio-torcedor somada à fidelização de um público médio no Maracanã. Confira abaixo todo bate-papo:

Você revelou que o Flamengo arrecadou R$ 50 milhões em bilheteria no ano passado e ficou com somente R$ 19,6 milhões deste montante. Qual seria o percentual tido como justo por vocês, tendo em vista custos naturais de um mandante? Você considera as taxas impostas abusivas? Quais são? Como é feito o cálculo do que é direcionado para os cofres do clube a partir de uma renda bruta?

Se o Flamengo fosse o Cruzeiro e jogasse no Mineirão, faturando R$ 50 milhões, ficaria com 78%. Ou seja, R$ 39,5 milhões. Se jogasse em Brasília, ficaria com 60%. No Maracanã, fica com 40%. Por que isso? Entre o Governo e o Cruzeiro, não há Odebrecht, como no Maracanã. O clube paga as despesas do Mineirão e fica com o restante. No caso do Flamengo, a Federação Carioca cobra 10%. Isso é uma extorsão. Nas outras, a federação que mais cobra, cobra 5%, outras 3% e até 2%. Ainda há taxas federativas, como associação de cronistas, escoteiros, que tiram mais 3,5%. Só de aluguel, a Odebrecht cobra em média 23% da renda bruta. Vai combinando estes aspectos e há agravantes. O Rio é o único estado onde há gratuidade. Em São Paulo, há, mas é convite, o que dá mil, dois mil ingressos. No Rio, não. De cada quatro que vão ao estádio, um não paga. Há ainda a lei de meia-entrada, onde vai muito mais gente do que pagando inteira. Algumas situações vão contra a arrecadação no Rio. Quando colocamos isso tudo na conta, pesa.

Adotar postura similar a do Fluminense, com redução drástica do valor dos ingressos, é algo fora de cogitação? Por qual motivo?

O custo operacional do Flamengo é de R$ 14 a R$ 15 por pessoa que entra no Maracanã. Vamos perder dinheiro se, de alguma maneira, cobrarmos um valor que não inclua este e outros custos. Por que o Flu vende a R$ 10? O Fluminense pega 20 mil lugares atrás do gol, onde a receita é toda sua. Paga o custo, mas não paga o aluguel ou outra contrapartida. O Flamengo tem um conceito de parceria, onde quanto maior for a renda, mais o clube ganha. O que define qual contrato é melhor? O contrato que o Flu assinou é o maior possível para eles, que garantiram que jamais terão prejuízo. Por isso, vendem mais barato. Se vender por R$ 5, não terá o custo que nós temos. Mas o Flamengo no ano passado ficou com R$ 20 milhões, o Flu com R$ 4 ou 5 milhões. O Fluminense tem uma capacidade de trazer menos gente que o Flamengo. É claro, se baixa o preço, traz mais. Se não perde dinheiro, prefere encher. O Flamengo tem um acordo diferente e cobra mais caro. Se fosse no Mineirão, a cada R$ 100, R$ 78 ia para casa. Lá não tem gratuidade, intermediário... O Cruzeiro fez um acordo espetacular. Se a final da Copa do Brasil fosse no Pacaembu, o Flamengo pagaria R$ 100 mil de aluguel. No Maracanã, o aluguel foi de R$ 2 milhões. Se o show do Paul McCartney for no Maracanã, não iam cobrar isso. Eles assumiram que vão ganhar dinheiro no Maracanã com o Flamengo.

E não há uma maneira de reduzir essas taxas e despesas no panorama atual de relacionamento entre Flamengo, consórcio e tudo que envolve a organização de jogos no Maracanã?

Acho muito difícil. A única coisa que não tem jeito na vida é a morte, mas acho muito difícil. É difícil operar no Maracanã. Tem menos catracas, não pode vender bebidas... Fica todo mundo bebendo nos arredores do estádio e quando dá cinco a dez minutos para o jogo, todo mundo entra. Quando a PM vê, libera para evitar tumulto e todo mundo paga meia. Um rapaz de 18 anos diz que tem 13 e entra, um de 50 fala que tem 73... Cria-se um ambiente permissivo para uma série de coisas que atacam o preço dos ingressos. Quando vamos colocar o valor, temos que incluir isso tudo. Acham caro, mas o que nos cobram no Maracanã é caríssimo. Se firmam com o Flamengo. Não consigo pagar atletas como Elias, como Paulinho, com meia-entrada. Se fosse a Suderj, seria mais barato o ingresso e o Flamengo ainda levaria mais dinheiro. Não posso perder dinheiro.

Em entrevista a um blog, você disse que não dá no mesmo e nem vale a pena ter 60 mil pagando R$ 10 do que 6 mil pagando R$ 100. Que nestas condições o Flamengo teria prejuízo. Sendo que a renda, neste panorama, seria a mesma, qual a variação de custos apresentado pelo consórcio?

Tenho um custo mínimo para abrir o Maracanã. Se eu vender o ingresso a R$ 10, perco R$ 5 em cada torcedor. O dia que o Fluminense colocar 60 mil pagando mais caro, o dinheiro vai para Odebrecht. O Fluminense jamais perde dinheiro, mas a empresa coloca um limite na hora que ele vai ganhar. O Flu nunca vai perder, o Flamengo precisa ganhar. Somos sócios nos camarotes, na comida do Maracanã, nos assentos Premium. No contrato, se eu colocar 60 mil torcedores pagando R$ 10, ia pagar para jogar. O custo fixo é altíssimo. Quem determina o custo é a Odebrecht. É como fazer uma festa de casamento e o buffet levar tudo, eu tiver que comprar com ele.

Você bate muito na tecla da gratuidade e meia-entrada, que este é o principal motivo do aumento dos valores. Você encontra algum outro tipo de solução para este problema? Sendo o Flamengo gestor da partida, juntamente com o consórcio, não podia se dispor a fazer uma fiscalização mais rígida?
 
Esse assunto tem sido excessivamente discutido com o Consórcio e a Polícia Militar. Não vou dizer que é impossível, mas vou dizer que estamos cansando. Sou contra a lei da meia-entrada, acho um horror. Como dirigente, acho o fim do mundo. Mas lei é lei, temos que cumprir. Já quem tem o poder público não cumpre a função que é exigir. Se vai ficar uma fila de 1km, se o cara deixar para tentar entrar aos 44 do segundo tempo, deixa entrar na fila. Mas acaba que em cima da hora do jogo abrem as catracas para evitar tumulto. Quem pagou o valor cheio, se acha um idiota. Quem tem 18 anos, fala que tem 12. Isso acontece aos milhares. Quem tem que ver isso é quem toma conta do estádio, já que o estádio não é do Flamengo. Se fosse nosso, íamos falar: "Meu irmão, vai ter que esperar e cumprir todo ritual para verificação". Não contamos com o apoio público neste sentido. Quem paga a conta é o torcedor que é correto.

Você cita ainda que os R$ 20 milhões de 2013 não cobrem 20% do custo anual do futebol. Tendo em vista que a bilheteria é somente mais uma fonte de renda, não seria natural que cobrisse mesmo "somente" parte deste montante?

A bilheteria devia ser de 30 a 35%. Se aumento um pedaço da bilheteria e aumento o sócio-torcedor, fecho essa conta. Anualmente, terei a certeza que tenho aquela renda e posso baratear o ingresso. Quando fecho um contrato com um jogador, tenho que cumprir tendo jogo ou não, tenho que pagar. O sócio-torcedor crescendo ajuda neste fator.

Qual o valor desejado para receita líquida anual de bilheteria na opinião de vocês? E qual o caminho viável para chegar a este montante a curto prazo?

Isso vai muito do que é possível. Tenho que mirar no exemplo do Cruzeiro, que levou de R$ 38 a 40 milhões (em 2013). Com todo o respeito ao Cruzeiro, mas faz sentido o Flamengo, com a força da torcida, jogar, ser campeão da Copa do Brasil, levar metade? Não quero colocar o Flamengo acima do Cruzeiro, mas o modelo de Minas deu um jeito do Cruzeiro levar R$ 20 milhões a mais. Todo mundo acha ótimo jogar no Mineirão, o ingresso é mais barato, não há gratuidade, nem o festival de meia-entrada. Se arrecadarmos R$ 60 milhões, levamos R$ 24 milhões e deixamos R$ 15 milhões para Odebrecht. O dinheiro não é para o Flamengo. Alô, alô, se não cobrarmos isso, não levo dinheiro para casa. Vou jogar para pagar a gratuidade, os 50% de desconto, alimentar a Odebrecht e ficar com quanto? Essa é a questão perversa do Rio por conta do Consórcio. É só ter filas separar, evitar a confusão e as pessoas entrarem correto, mas liberam. A frustração é nossa.

O torcedor, às vezes, fica com a impressão de que para a diretoria é indiferente o estádio cheio ou vazio, desde que se arrecade...

Era garoto e ia ver o Zico jogar. É óbvio que jogar para 50 mil é melhor. É óbvio que pagar R$ 50 é melhor do que pagar R$ 100, mas isso é simplificação. Falam como se acordássemos e pensássemos: "Vamos sacanear a torcida". Essa não é a razão. A Federação leva 10% da arrecadação bruta do Flamengo. O Inter joga e paga 2%.

Sendo bem objetivo, quais as taxas e fatores que o Flamengo combate, principalmente no que diz respeito à Ferj e afins?

Diferentemente da Federação, já tentamos de todas as formas reverter isso. Cansamos de dar sugestões e fazem ouvido de mercador. É uma luta inglória. São gratuidades, carteiras falsificadas... Esperamos ajuda, mas tenho pouca esperança que mude alguma coisa com essas pessoas.

Diante dos fatos, uma pergunta natural é: por que o Flamengo não fez um contrato como o do Fluminense para poder ter mais gente no estádio?
 
Com o tamanho da torcida do Flamengo, ia queimar dinheiro. Assim, eu ia levar de R$ 8 a 10 milhões para casa no ano passado. Antes de encher o estádio, temos que pagar as contas. A maior alegria de um torcedor é um time forte. Como que vou lotar o estádio com um time que não bota dinheiro em casa? O torcedor não vai ao estádio se o time não estiver bem. Se existissem mais lugares para o Flamengo x Atlético-PR, ia encher tudo. Todo mundo quer ver uma final, quer estar lá. O Flamengo da Patrícia cansou de levar 10 mil torcedores com o ingresso a R$ 10. Dobramos o público médio no ano passado. Quem paga meia e é sócio-torcedor, pagou R$ 15 contra o Palmeiras. Abaixamos o preço, e por R$ 29,90 pode ser sócio-torcedor. Quanto mais sócios, mais barato será o ingresso. Não quer ser sócio, mas quer pagar barato? Isso não dá. Para ser competitivo, não dá. Uma das razões do jogo fora é trazer mais dinheiro e ajudar a pagar as contas.

Mas essa questão de fortalecer o time com o dinheiro dos jogos tem o exemplo clássico da promessa que o Elias seria comprado com o valor arrecadado na final da Copa do Brasil...

O caso Elias é o seguinte: é claro que o dinheiro da renda ajudava, mas o Elias custava R$ 20 milhões, a renda líquida foi de R$ 5 milhões. A matemática é simples. A torcida quer reforço? De onde vamos tirar dinheiro? Não há jogador que jogue por 50% de desconto ou por gratuidade por jogar no Rio. O Cruzeiro, por exemplo, tem mais poder de compra exatamente por isso.
 
Tendo como base o jogo com o Palmeiras, o Flamengo hoje cobra R$ 60 no valor integral de seu ingresso. Esta redução - de um valor que por muitas vezes foi R$ 80 - chegou ao seu limite ou é possível esperar mudanças para breve?


Isso é dinâmico, buscamos um equilíbrio. Se soubéssemos que em todos os jogos iriam 20 mil pagantes, como contra o Palmeiras, acho que poderia ser um pouco mais barato. Não dá para saber antes. É uma busca constante. E se o time fosse mal? No jogo seguinte poderia colocar a R$ 30 que iriam menos pessoas.

Por fim, qual sua opinião da linha adotada pelo Fluminense?

Não sei qual é a realidade do Fluminense e os respeito. Eles sabem o que fecharam. Não tenho acesso aos dados. Não vão nunca perder, mas não vão ganhar. É só fazer as contas. Se botarem R$ 100 mil reais por jogo, quem paga o Fred? Se perder a Unimed, como sobrevive? Não sei da realidade do clube, das receitas que têm. Sei do que o Flamengo precisa para manter a contas em dia.


Patrocinadora volta a oferecer troféu ao vencedor do Fla-Flu

A Adidas, fornecedora do material esportivo tanto de Flamengo, quanto de Fluminense anunciou nesta sexta-feira que o vencedor do clássico de domingo, às 16h, no Maracanã levará além dos três pontos, o troféu oferecido pela patrocinadora. Atualmente, o troféu está na posse do Tricolor, por ter vencido o último encontro entre os rivais por 3 a 0, no Campeonato Carioca.

Desde 2013, ano que os clube passaram a ser patrocinados pela Adidas simultanemente, houve três confrontos. O Flamengo está vantagem com duas vitórias, enquanto o Fluminense venceu apenas um, justamente o último. Esta foi foi a primeira ação em conjunto da patrocinadora entre os clubes.


O troféu oferecido pela fornecedora tem dois lados, um de cada time (Foto: Divulgação/ Adidas)


RESULTADOS:
11/08/2013 - FLAMENGO 3 x 2 FLU
03/11/2013 - FLAMENGO 1 x 0 FLU
08/02/2014 - FLAMENGO 0 x 3 FLU



Curtinha: presidente do Flamengo recebe cônsul holandês

No processo de estreitar as relações com os holandeses, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, recebeu nesta sexta-feira o cônsul geral do Reino dos Países Baixos, Arjen Uijterlinde. A seleção da Holanda vai treinar na Gávea durante a Copa do Mundo de 2014.

Arjen Uijterlinde ganhou uma camisa personalizada do Flamengo. Já Bandeira foi presenteado com o livro "O Brasil holandês".

- Eles gostaram muito, as obras ainda estão em andamento, mas puderam constatar que certamente estarão prontas antes de a seleção da Holanda passar a usar nossas instalações. Uma das representantes que veio ao encontro tem um namorado rubro-negro, os possíveis filhos já terão felicidade garantida - brincou Bandeira.

Eduardo Bandeira de Mello, presidente flamengo consul holanda (Foto: Fla Imagem) 
Eduardo Bandeira de Mello recebe o cônsul geral do Reino dos Países Baixos (Foto: Fla Imagem)
 
 
 

Camisa 10 do Flamengo, Mugni é confirmado como titular para o clássico

ue 0 anos nesta
seta
chance
de ouro (Gilvan de Souza/Fla Imagem)A entrada no segundo tempo contra o Palmeiras valeu ao argentino Lucas Mugni a chance de ser titular no clássico com o Fluminense, domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Camisa 10 na numeração fixa da temporada, ele vai atuar na vaga que seria de Everton, ainda fora do time em recuperação de um problema na coxa direita.

O técnico Jayme de Almeida comandou um treinamento tático nesta sexta-feira para confirmar o time. Luiz Antonio volta ao meio-campo como volante e Léo Moura está novamente à disposição depois de cumprir suspensão pela expulsão contra o Corinthians.

- Seria uma incoerência tirar o Mugni agora. Ele nos ajudou a virar o jogo contra o Palmeiras. Teve participação direta em dois gols no segundo tempo e vamos dar moral para o menino - afirmou o técnico Jayme de Almeida.

Everton teve uma conversa com o comandante depois do treinamento desta sexta-feira e demonstrou ainda estar incomodado com o problema na coxa direita. Ele vai desfalcar o time pelo terceiro jogo consecutivo. Jayme aposta na evolução de Mugni.

- Alguma coisa ajuda a partir do momento em que você passa a entender mais o idioma, a cultura do futebol brasileiro, que é diferente, conhecer mais a cidade, conviver com a saudade dos familiares. Não sou imediatista, tem que dar tempo para se adaptar. O mesmo acontece com os meninos. Cobram muito dos que sobem da base. Tem que ir com calma, dando apoio para as coisas irem se encaixando - comentou o treinador.

Com relação ao comportamento em campo, Jayme acredita que Mugni precise encontrar o seu espaço ainda para colaborar efetivamente na criação de jogadas. Segundo ele, o argentino tem pecado pelo excesso de vontade de colaborar em campo.

- É bom que ele respeita e tenta fazer. Acho que às vezes quer fazer tudo ao mesmo tempo, pegar a bola na defesa. Tentamos fazer com que ele trabalhe em um espaço do campo em que possa nos ajudar quando o Flamengo tiver a bola, ligando o meio com o ataque. Claro que deve ajudar na marcação, mas extrapola em alguns momentos por ter muita vontade de acertar - explicou Jayme.

Contra o Fluminense, o treinador também não poderá contar com Hernane, Elano, Chicão, Gabriel e Léo, todos em recuperação de lesão, além de Éverton. A expectativa é de que Hernane, Elano e Éverton estejam à disposição contra o São Paulo, dia 18, no Maracanã.

CBF divulga locais de jogos de Santos e Flamengo antes da Copa e altera horários


Morumbi (Foto: Marcos Ribolli)A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou na manhã desta sexta-feira alguns dos locais dos jogos do Santos e do Flamengo que estavam pendentes na tabela entre a 5ª e a 9ª rodada do Campeonato Brasileiro, período em que a Vila Belmiro e o Maracanã estarão cedidos à Fifa. O estádio paulista servirá como centro de treinamento da seleção da Costa Rica a partir do dia 16, enquanto o carioca será entregue no dia 22 para receber partidas da Copa do Mundo.

Com isso, o Peixe enfrentará o próprio Rubro-Negro no Morumbi, o Atlético-MG na Arena Pantanal e o Criciúma no Estádio 1º Maio, em São Bernardo Campo. Já o Flamengo enfrentará o Bahia no Moacyrzão, em Macaé, um dia antes do Maracanã ser cedido à Fifa. Porém, o estádio já receberá nesta data o jogo Fluminense x São Paulo. O clube chegou até a cogitar fazer uma rodada dupla na ocasião.

A CBF também alterou data e horários de partidas envolvendo Atlético-PR, Chapecoense, Coritiba, Atlético-MG, Criciúma, Botafogo e Vitória.

Confira todas as alterações na tabela (horários de Brasília):

5ª rodada
- Atlético-PR x Chapecoense passa de sábado para domingo, dia 18, às 16h no Willie Davids
- Santos x Atlético-MG, do dia 18, é definido para a Arena Pantanal às 18h30

6ª rodada

- Flamengo x Bahia, do dia 21, é definido para o Moacyrzão, em Macaé, às 19h30

7ª rodada

- Atlético-PR x Coritiba, do dia 25, tem o horário alterado de 18h30 para 16h no Willie Davids
- Atlético-MG x Criciúma, do dia 25, tem o horário alterado de 16h para 18h30, sem local definido
- Botafogo x Vitória, do dia 25, tem o horário alterado de 16h para 18h30, sem local definido
- Santos x Flamengo, do dia 25, é definido para o Morumbi às 16h.

9ª rodada

- Santos x Criciúma, em 1/6, é definido para o 1º Maio, em São Bernardo Campo, às 18h30


Jornal Extra

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Conselho Deliberativo aprova contas do Flamengo referentes ao ano passado

passo
adiante (Reprodução/SporTV)
O Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou nesta quinta-feira o demonstrativo financeiro do exercício de 2013, que contava ainda com retificações nos balanços de 2011 e 2012. A votação havia sido adiada por mais de uma semana a pedido de alguns conselheiros, que reclamavam da falta de tempo de análise dos pareceres do Conselho Fiscal. Houve apenas um voto contra na sessão. O quórum foi considerado baixo, com cerca de 200 presentes.

A aprovação das contas era tratada pela diretoria como fundamental para a sequência de um ano tranquilo financeiramente. O clube agora se enquadra na Lei Pelé e pode receber verbas federais destinadas aos esportes olímpicos, que apresentam prejuízos seguidos nos balanços anuais.

Mensagens enviadas por e-mail e um comunicado distribuído na sede do clube alertavam os sócios para a urgência da votação. No balanço, o Flamengo apresentou, inclusive, os percentuais de direitos econômicos que detém de cada jogador.

Sem o Maracanã, Flamengo decide pegar o Bahia em Macaé

Sai do Maracanã, mas fica no Rio de Janeiro. O Flamengo decidiu mandar a partida com o Bahia, pela sexta rodada do Brasileirão, no estádio Cláudio Moacyr, em Macaé. Marcado para o dia 21, às 19h30 (de Brasília), o jogo não poderá ser no palco tradicional do Rubro-Negro porque o duelo entre Fluminense e São Paulo acontecerá no mesmo dia. As diretorias cogitaram a realização de uma jornada dupla, mas a ideia não avançou. A partir do dia seguinte, o estádio ficará à disposição da Fifa para Copa do Mundo.

Gramado do Estádio Moacyrzão, em Macaé, em junho de 2013 (3) (Foto: Júnior Costa) 
Fla vai receber o Bahia no Moarcyrzão pela sexta rodada do Brasileiro (Foto: Júnior Costa)

Com a impossibilidade da realização do jogo no Maracanã, algumas possibilidades fora do estado surgiram. Manaus e Cuiabá se mostraram interessados na partida como último evento-teste antes do Mundial. O desejo do departamento de futebol, comissão técnica e jogadores, por sua vez, prevaleceu. Depois da experiência frustrada contra o Goiás, em Brasília, na primeira rodada, o grupo manifestou a preferência por permanecer no Rio de Janeiro.

 Antes da entrega do Maracanã para Fifa, o Flamengo terá mais duas partidas em sua casa tradicional: domingo, contra o Fluminense, e no fim de semana seguinte, diante do São Paulo. Com quatro pontos em três rodadas, o Rubro-Negro é o nono colocado no Brasileirão.

Felipe retorna a lixão com André Santos para distribuir alimentos


Uma semana depois de visitar o Aterro Sanitário de Jardim Gramacho, incentivado por sua mulher, Katherine, Felipe voltou ao local. E desta vez acompanhado por André Santos. Na última quarta-feira, o goleiro do Flamengo cumpriu a promessa de retornar ao lixão com mais companheiros de clube para ajudar as pessoas que vivem num lugar de extrema pobreza no Rio de Janeiro, sem água e saneamento básico. Os dois jogadores distribuíram alimentos, jogaram bola com as crianças e visitaram algumas moradias do local.

Esposa de Felipe, Katherine já havia visitado o lixão antes da Páscoa. Ela revelou que um sonho a fez tomar a iniciativa de fazer doações, e aproveitou algumas ações da Igreja Batista Cristã da Barra da Tijuca para ajudar outras pessoas.


André Santos e Felipe Projeto Social Flamengo (Foto: Reprodução / Site Oficial Flamengo) 
Felipe e André Santos vestem boneco com uma camisa do Flamengo (Foto: Reprodução / Site Oficial Flamengo)
 
André Santos Projeto Social Flamengo (Foto: Reprodução / Site Oficial Flamengo) 
Goleiro e lateral-esquerdo jogaram bola com as crianças no lixão (Foto: Reprodução / Site Oficial Flamengo)


Felipe Projeto Social Flamengo (Foto: Reprodução / Site Oficial Flamengo) 
Dupla levou um carro cheio de alimentos para distribuir para a população local (Foto: Reprodução / Site Oficial Flamengo)


Everton é liberado para treinar, mas Jayme opta por escalar Luiz Antonio

Um treino fechado, mas não tão secreto assim. Jayme de Almeida fez um rápido coletivo na manhã desta quinta-feira, no Ninho do Urubu, antes mesmo da atividade ser aberta para imprensa - o padrão é de 30 minutos após o seu início. O trabalho, no entanto, não foi misterioso e Luiz Antonio preencheu a vaga pendente na equipe, ao lado de Cáceres, Márcio Araújo e Lucas Mugni, no meio-campo. Everton, que está recuperado de lesão, participou do treinamento no time reserva.

Everton Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Everton treina entre os reservas e deve ficar no banco contra o Fluminense (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Na véspera, Jayme de Almeida tinha dado indícios da equipe que escalará no Fla-Flu com apenas nove jogadores de linha, em atividade técnica. No primeiro trabalho tático, a opção foi por Luiz Antonio, deixando assim o time com três volantes e Lucas Mugni livre na criação de jogadas. Ausente desde a partida contra o Goiás, há três semanas, Everton está liberado pelo departamento médico, mas deve começar no banco de reservas. O primeiro time escalado foi Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres, Márcio Araújo, Luiz Antonio e Lucas Mugni; Paulinho e Alecsandro.

Após o coletivo, o treinador comandou um longo trabalho de finalização. Em um primeiro momento, meias e atacantes tentavam superar uma barreira formada pelos defensores. Em seguida, foi hora de bombardear os goleiros com chutes da entrada da área, após tabelas com o próprio Jayme de Almeida, que estava na meia-lua.

Flamengo e Fluminense se enfrentam domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela quarta rodada do Brasileirão. Com quatro pontos, o Rubro-Negro é o nono colocado, enquanto o Tricolor, com seis, está em quinto.

Mobilização na internet funciona, e Flamengo passa Cocorinthians no Facebook


  nação fiel (Editoria de Arte) 

A página oficial do Flamengo no Facebook anunciou nesta quinta-feira que chegou a um objetivo estipulado em fevereiro: ter mais curtidas do que a fanpage oficial do Corinthians na referida rede social. São mais de 7,8 milhões de "likes" rubro-negros contra aproximadamente 7,4 milhões de alvinegros.

- A maior torcida do mundo começa a mostrar sua força nas redes sociais! Somos a maior página de futebol no facebook fora da Europa! - postou o moderador da página oficial do Fla na rede social, ainda utilizando a hashtag #AConcorrênciaPira.

Em fevereiro, a diretoria rubro-negra convidou blogueiros influentes a estimularem curtidas com a clara meta de ultrapassar o Corinthians. Na mesma ocasião, sinalizou com a possibilidade de que estes passem a integrar o site oficial do clube, algo ainda não concretizado.

imagem Flamengo Facebook (Foto: Reprodução) 
Ainda em seu Facebook, o Flamengo garantiu ter a página de um clube mais curtida fora da Europa (Foto: Reprodução)

No STJD, Lusa perde pontos de jogo, leva multa, mas é mantida na Série B

O abandono de campo no jogo contra o Joinville, em Santa Catarina, dia 18 de abril, pela primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, custou muito aos cofres da Portuguesa e de seus dirigentes, mas não resultou na exclusão do clube da competição. Em julgamento que durou mais de quatro horas, na tarde desta quarta-feira, no Rio de Janeiro, a 5ª comissão disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determinou que os três pontos fossem dados ao Joinville (contabilizando vitória por 3 a 0).


O técnico Argel, o presidente Ilídio e o filho, Marcos Lico, no tribunal (Foto: Edgard Maciel de Sá)

Fora a punição nas quatro linhas, o STJD determinou multa de R$ 50 mil para a Lusa, suspensão de quatro jogos para o técnico Argel e gancho de 240 dias para o presidente Ilídio Lico e seu filho, Marcos Rogério, responsável por tirar o time de campo – eles ainda foram multados em R$ 100 mil e R$ 80 mil, respectivamente. Todos os valores precisam ser pagos até sete dias. Mas a decisão nesta quarta-feira foi em primeira instância e cabe recurso. O advogado da Lusa, José Luiz Ferreira, já disse que vai recorrer da suspensão a Argel e que ainda vai analisar as demais.

– Tínhamos como certo de que não cairíamos para a Série C. Não infringimos nenhuma regra para cair de divisão. Agora vamos avaliar os recursos, mas um é certo: o do Argel, pois a suspensão dele foi incabível – disse José Luiz Ferreira, após a decisão.

Flamengo vota balanço de 2013 e precisa de aprovação para evitar prejuízos


Carta do Flamengo aos sócios (Foto: Reprodução)Depois de uma pequena novela, o Conselho Deliberativo do Flamengo coloca em votação nesta quinta-feira, às 19h30m, na Gávea, os demonstrativos financeiros relativos ao exercício de 2013. A decisão deveria ter acontecido no dia 29 de abril, mas acabou adiada a pedido de alguns conselheiros, alegando falta de tempo para analisar os pareceres do Conselho Fiscal.  A diretoria encara a votação como determinante para o futuro do clube. Tanto que enviou e-mail para os sócios alertando sobre a importância da aprovação dos demonstrativos, que incluem ainda retificações nos balanços de 2011 e 2012.

Em comunicado exposto também para os sócios na portaria principal da Gávea, o Conselho Diretor chama a atenção para urgência da reunião e enumera pontos que considera determinantes para o futuro saudável do clube. De acordo com o texto, uma reprovação implicaria em uma dívida de R$ 60 milhões, já que há risco de se perder a isenção de pagamento de impostos, e levanta a possibilidade de ter retirada até mesmo as tão badalas certidões negativas de débito (CNDs).

Apesar do tom alarmista, o presidente Eduardo Bandeira de Mello se mostrou confiante em receber o aval da maioria dos conselheiros. Ressaltando a importância do tema, o mandatário deixou claro que a reprovação não causa perdas imediatas ao clube, mas coloca em risco benefícios conquistados ao longo do primeiro um ano e meio de gestão.

- Existe uma interpretação de que a não aprovação possa gerar uma situação desconfortável para aprovação dos projetos do Flamengo para obtenção de incentivos fiscais, recurso do setor público.. Tudo isso que conseguimos a duras penas com as certidões negativas. Acho que não devemos correr esse risco. Afinal de contas, as demonstrações financeiras estão aí, auditadas e publicadas desde 22 de abril. Não vejo o que levaria o conselheiro do Flamengo a não aprovar. Não há nenhuma razão técnica para que não seja aprovado, mas o Conselho Deliberativo é soberano.

Presidente do Conselho Deliberativo, Delair Dumbrosk acredita que a reunião transcorrerá sem maiores problemas. Ele justificou ainda o adiamento da votação, que a princípio aconteceria nove dias atrás.

- Não é minha função examinar, mas não vi nada que merecesse observações maiores, como foi no caso anterior, não teve qualquer representação de informação na secretaria. Esse adiamento foi uma solicitação dos conselheiros que não tiveram acesso aos documentos - comentou.

Uma das preocupações da diretoria é alinhar o clube à Lei Pelé. Para receber verbas federais destinadas aos esportes olímpicos, divididas entre os clubes formadores, é preciso enquadrar o seu estatuto e estar com os balanços em dia.

- Foi por isso que houve essa preocupação da diretoria. Para se habilitar a esses incentivos fiscais, o clube precisa aprovar as contas em um determinado prazo. Ela não quer que seja mais adiado - comentou Delair.

A votação começa às 19h30 (de Brasília) na sede do clube, na Gávea. É única pauta da reunião do Conselho Deliberativo nesta quinta-feira.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Ingressos do Fla-Flu: "preço popular" em pontos físicos nesta quinta-feira


 Os ingressos para os não sócios do Fluminense e torcedores do Flamengo começam a ser vendidos nesta quinta-feira. Os sócio-torcedores rubro-negros não terão desconto de 50% no Setor Norte - somente a meia-entrada está liberada para eles neste local. O mando do clássico de domingo, válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, no Maracanã, é tricolor. Aos associados do Flu, a venda online começou no início da semana, com desconto de 83% (R$ 5). O preço das arquibancadas atrás dos gols é de R$ 30.

A estratégia do clube das Laranjeiras é baratear os preços dos ingressos na disputa do Brasileiro. Para jogos realizados no Maracanã, o Fluminense pretende cobrar o valor de R$ 30 para clássicos. Jogos contra equipes de São Paulo, Minas Gerais e possivelmente Rio Grande do Sul devem custar R$ 20. Demais partidas permanecem valendo R$ 10.  Ao anunciar a venda para sócios, o Fluminense chegou a citar em nota que "está no movimento contra a elitização".

Preço dos Ingressos:

Setor norte: R$30/ R$15 (meia)
Setor sul: R$30/ R$15 (meia)
Leste superior: R$60/ R$30 (meia ou sócio-torcedor)
Leste e oeste inferior: R$80/ R$40 (meia ou sócio-torcedor)
Maracanã Mais: R$180/ R$110 (meia ou sócio-torcedor)

Pontos físicos de venda - de quinta a sábado - 10h às 17h (no dia da partida venderá no Maracanã):

- Cariocas FC - Méier
Rua Dias da Cruz, 255, Shopping Méier

- Casa da Vila da Feira
Hadoock Lobo, 195 - Tijuca

- Engenhão (Bilheteria Sul)
Rua das Oficinas, s/n,  Engenho de Dentro

- Maracanã - Estádio Bilheteria 2 - Fluminense
Eurico Rabelo s/nº

- Maracanã - Estádio Bilheteria 1 - Flamengo
Av. Maracanã s/nº

- Loja Fanático
Av. John Kennedy, 292, Loja  217, Lagoa Shopping, Araruama

- Sede das Laranjeiras
Álvaro Chaves, 41

- Sede do Flamengo
Av. Nossa Senhora Auxiliadora s/nº


Renegociação das dívidas é aprovada e segue para plenário da Câmara


O projeto de renegociação das dívidas dos clubes foi aprovado nesta quarta-feira na comissão especial formada para discutir o tema na Câmara dos Deputados. Após mais de quatro meses de debates e polêmicas, os parlamentares aprovaram quase por unanimidade o texto do relator Otávio Leite (PSDB / RJ), que prevê prazo de 25 anos para que os times paguem seus débitos. Em contra-partida, as equipes ficarão sujeitas até mesmo ao rebaixamento em caso de dívidas com a União.

A proposta segue agora para apreciação no plenário da Câmara dos Deputados. Se aprovada, terá que passar ainda por votação no plenário do Senado Federal.

- É um projeto que melhora o futebol no ponto de vista da gestão administrativa dos clubes. Há uma série de imposições que foram estabelecidas para permitir que os clubes sejam mais transparentes e tenham maior responsabilidade fiscal. Ao mesmo tempo, permite uma saída do atoleiro - defendeu o relator Otávio Leite.

Otávio Leite relator de projeto da renegociação das dívidas (Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados) 
Otávio Leite é o relator de projeto da renegociação das dívidas (Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados)
- Estou otimista de que seja votada o quanto antes no plenário, até porque há uma necessidade urgente. A Copa do Mundo está aí e é necessário que a gente deixe esse legado aos clubes brasileiros e ao esporte como um todo, porque não trata somente de times de futebol - completou o presidente da comissão, deputado Jovair Arantes (PTB / GO).

Principal interlocutor do Ministério do Esporte nos debates sobre o tema, o secretário nacional de Futebol, Toninho Nascimento, também se mostrou satisfeito com a aprovação na comissão e voltou a defender o projeto.

- Porque só o futebol não pode ter refinanciamento? O governo vai ganhar algo em torno de R$ 140 milhões por ano. Não estava ganhando nada nos últimos anos. O governo vai receber de volta tudo o que devem. E se os times não pagarem, serão rebaixados, a dívida volta integral, não vão conseguir as certidões de débitos. Vamos forçar os times a terem uma gestão mais moderna, mais transparente - afirmou o secretário.

Único a votar contra, Romário questiona deputados ligados a times

Ao contrário da última tentativa de votação, quando houve muita discussão e polêmica, a sessão desta quarta-feira foi rápida e tranquila. O único deputado que se posicionou contra a aprovação do projeto foi Romário (PSB / RJ). A principal reclamação do ex-jogador foi por conta da retirada do texto de artigos que previam o aumento nos tributos da CBF e a possibilidade de submeter a entidade a auditorias por órgãos de fiscalização.

- Se estivessem aprovando a íntegra do relatório, podem ter certeza que eu estaria de acordo. Mas, infelizmente, o texto acabou ficando bem diferente do que eu entendo que teria que ser. Respeito todos que votam sim, mas o meu voto e do PSB é não - afirmou o Baixinho.

Romário também questionou o envolvimento de pelo menos cinco deputados da comissão com times de futebol. Vicente Cândido (PT / SP) é vice-presidente da Federação Paulista de Futebol e tem ligações com o Corinthians; Guilherme Campos (PSD / SP) é vice-presidente da Federação Paulista de Futebol e ex-presidente da Ponte Preta; Arnaldo Faria de Sá (PTB / SP) é conselheiro da Portuguesa; José Rocha (PR / BA) é conselheiro do Vitória; e o presidente da comissão, Jovair Arantes, é vice-presidente do Atlético-GO.

Segundo o Baixinho, o fato de os deputados terem ligações com os clubes os impediria de participarem da votação de acordo com o regimento interno da Câmara.

- O regimento diz que tratando-se de causa própria ou de assunto com interesse individual, o deputado deverá se fazer como impedido. Os parlamentares têm interesse na matéria e, por isso, peço que os votos sejam considerados em branco - protestou o ex-jogador.

O pedido foi rejeitado pelo presidente Jovair Arantes, que disse que se Romário quisesse levar a reclamação adiante deveria procurar a Comissão de Constituição e Justiça da casa.

Citado pelo Baixinho, o deputado Vicente Cândido se defendeu.

- Se assim fosse, trabalhador não poderia votar matéria de trabalhador e empresário não poderia votar matéria de empresário. Não estou votando em causa própria, não sou dono de clube e não sou beneficiado pessoalmente em qualquer voto meu aqui. Estou votando em uma matéria de repercussão geral para o esporte brasileiro.

Entenda detalhes do projeto de renegociação das dívidas

A proposta de renegociação das dívidas dos clubes - que podem chegar a R$ 4 bilhões - começou a ser discutida no Congresso Nacional em 2013, com a apresentação do Proforte (Programa de Fortalecimento dos Esporte Olímpicos). A ideia inicial era de que os times pudessem quitar até 90% das dívidas por meio de investimentos em esportes olímpicos, com a concessão de bolsas a atletas e compra de equipamentos. Os 10% restantes seriam pagos em dinheiro.


Romário Deputado Federal (Foto: Reprodução SporTV)A proposta enfrentou rejeição na comissão especial formada para discutir o tema. O relator, Otávio Leite, apresentou então um projeto substitutivo, que ganhou o nome de Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE). De acordo com o novo texto, será dado um prazo de 25 anos para que as instituições esportivas - o que não inclui apenas clubes de futebol - possam quitar suas dívidas com a União (débitos relacionados ao INSS, Imposto de Renda, FGTS, Timemania e Banco Central).

Apesar de acabar com a possibilidade de troca de parte dos débitos por incentivos em esportes olímpicos, o substitutivo prevê algumas condições especiais. A taxa de juros aplicada ao parcelamento seria a TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo), que conta com índices bem menores do que a Selic, taxa normal. Há ainda a possibilidade de pagar apenas 50% das 36 primeiras parcelas, facilitando a adequação financeira dos clubes. Os outros 50% deste período seriam pagos apenas ao fim do parcelamento. 

Romário foi único deputado a votar contra (Foto: Reprodução SporTV)

O substitutivo mantém os conceitos do "fair play financeiro", propostos no texto inicial. A ideia é que os clubes sejam obrigados a apresentar as Certidões Negativas de Débitos (CNDs) para poderem participar das competições. Os times que não cumprissem a regra, correriam risco até de rebaixamento. Para entrarem no refinanciamento, os clubes também ficariam proibidos de antecipar receitas que estejam além do fim do mandato das diretorias. Os mandatos ficam restritos a um período máximo de quatro anos, com a possibilidade de apenas uma reeleição.

Para compensar o fim da possibilidade de troca de dívidas por investimentos em esportes olímpicos, o novo texto também propõe a criação de um Fundo de Iniciação Esportiva (IniciE), destinado a apoiar projetos para crianças e jovens matriculados em escolas da rede pública ou em instituições especializadas reconhecidas pelo Ministério da Educação. A distribuição do fundo seria descentralizada - cada estado seria responsável por gerir seus próprios recursos. O dinheiro seria arrecadado por meio da loteria e da Lei de Incentivo ao Esporte.

Entre as novas formas de loteria que seriam autorizadas pelo projeto, está a criação de uma raspadinha ligada aos clubes. O texto prevê também a possibilidade de criação de um sistema de apostas online, que seria executado, direta ou indiretamente, pela Caixa Econômica Federal ou por algum novo órgão que poderia ser criado pelo Poder Executivo.

A proposta ainda autoriza a Caixa a promover mudanças na Timemania, de forma a tornar o sorteio mais atraente, e isenta os prêmios da Loteca, da Lotogol e da própria Timemania do desconto do Imposto de Renda, aumentando o benefício pago aos apostadores.


Ligado em Fred, Márcio Araújo vê clássico como trampolim para o Flamengo


Marcio Araujo treino Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)O Flamengo tem uma missão e uma preocupação para o Fla-Flu de domingo, no Maracanã, pela quarta rodada do Brasileirão. Após encerrar um jejum de cinco partidas na temporada e vencer a primeira na competição, o Rubro-Negro olha para parte de cima da tabela e sabe que uma vitória diante de um rival - além de automaticamente ultrapassá-lo - será determinante para uma arrancada antes da parada da Copa, na nona rodada. Para cumprir essa missão, será preciso ficar 100% ligado em quem mais preocupa do lado tricolor: Fred.

Recém-convocado por Felipão, o atacante do Fluminense fará seu primeiro jogo como nome certo na Copa do Mundo de 2014. E Márcio Araújo não quer saber de ser a vítima da vez. Ciente das qualidades do rival, o volante rubro-negro cobrou atenção a todos os passos de Fred e alertou: por mais que não participe muito da partida, é sempre perigoso.

- Temos que estar os 90 minutos ligados. É um cara que aparece pouco no jogo, mas é sempre decisivo. Não é um cara de arrancadas, mas é inteligente, e com uma simples movimentação se coloca em boa condição para finalizar. Não podemos dar espaço, porque é um cara que decide a partida.

O camisa 8 do Flamengo rechaçou qualquer possibilidade de ter pela frente um Fred mais precavido para evitar problemas que o possam tirar do Mundial.

- Ninguém quer perder, ser colocado em dúvida. Ele não vai tirar o pé. Até porque, não tem mais tanta preocupação com contusões.

Para Márcio Araújo, a segunda vitória consecutiva pode mudar a realidade do Flamengo no Brasileirão. Com quatro pontos, o Rubro-Negro é o nono colocado e, caso supere o Flu, depende de uma combinação de resultados para voltar ao G-4 depois de 80 rodadas consecutivas.

- Clássico é sempre bom vencer. Vai dar uma confiança muito grande, ainda mais diante de um grande time. O Fluminense fez belos jogos e teve um tropeço. Se vencermos, a moral vai ser maior para sequência do trabalho até a parada para a Copa. Temos que fazer uma grande partida.

Flamengo e Fluminense se enfrentam no domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã. De acordo com o treinamento desta quarta-feira, no Ninho do Urubu, o Rubro-Negro deve ir a campo com Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres, Márcio Araújo, Everton (Luiz Antonio) e Lucas Mugni; Paulinho e Alecsandro.

Jayme indica manutenção de Mugni e esquema ofensivo para o Fla-Flu


Lucas Mugni flamengo treino (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Um Flamengo ofensivo para cima do Fluminense, domingo, no Maracanã. Esse foi o indício dado por Jayme de Almeida no primeiro treinamento dos titulares no campo do Ninho do Urubu visando o clássico, nesta quarta-feira. O treinador comandou uma atividade com três times de nove jogadores de linha e manteve Lucas Mugni na equipe principal. Luiz Antonio, que esteve entre os reservas, e Everton, ainda em fase de recuperação de uma lesão na coxa direita, disputam a última vaga na equipe.

Caso Everton seja liberado pelo departamento médico, a expectativa é que Jayme mantenha a formação tática que virou a partida no segundo tempo diante do Palmeiras, no último domingo - substituindo Negueba. Desta maneira, Cáceres e Márcio Araújo ficam como volantes na proteção a defesa, seguidos do trio Everton, Mugni e Paulinho, com Alecsandro como homem de área. Já a escolha por Luiz Antonio torna o Flamengo mais defensivo, com três volantes.

No trabalho desta quarta-feira, as equipes disputavam um pequeno coletivo em campo reduzido com objetivos diferentes: quem atacava, naturalmente, devia fazer o gol, enquanto os defensores tinham que ultrapassar a linha de meio-campo com a bola dominada. A partir daí, um terceiro time substituía o derrotado, com a missão de defender. Prestigiado após a boa atuação diante do Palmeiras, Lucas Mugni teve participação destacada, com gols e assistências.

Em fase final de recuperação de lesões, Chicão, Everton, Gabriel, Hernane e Elano fizeram trabalhos físicos no campo 2 do centro de treinamento. Os quatro primeiros ainda arriscaram um contato com a bola e jogaram futevôlei. Durante a semana, o quinteto será reavaliado para saber quem terá condição de jogar o clássico.

Márcio Araújo falou sobre as possibilidades de Jayme de Almeida e analisou a mudança de postura do Flamengo no segundo tempo, no último domingo.

- No primeiro tempo, não nos encontramos contra o Palmeiras. Faltou um pouco mais de conversa, de experiência para voltar mais (na marcação). Pela escalação muito ofensiva, seria mais fácil compactar do que dar o bote na frente. (Para o Fla-Flu), o Luiz Antonio tem uma característica boa de marcação e faz bem o lado direito. Já com o Everton, o time ganha mais velocidade. São boas opções.

De acordo com o treino desta quarta, a provável escalação do Flamengo para pegar o Fluminense terá Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres, Márcio Araújo, Everton (Luiz Antonio) e Lucas Mugni; Paulinho e Alecsandro. O Fla-Flu válido pela quarta rodada do Brasileirão está marcado para às 16h (de Brasília) do domingo. Com quatro pontos, o Rubro-Negro ocupa a nona colocação na tabela.

Botafogo segue líder entre clubes que mais cederam jogadores convocados para Mundiais

O técnico Luis Felipe Scolari anunciou na manhã desta quarta-feira seus 23 escolhidos para defender o Brasil na Copa do Mundo, que começa no próximo dia 12 de junho. E com a confirmação do goleiro Jefferson na lista, o Botafogo chega a 47 jogadores convocados para Mundiais em toda história, se mantendo na ponta entre os clubes que mais cederam atletas para a Seleção na competição.

 Há três Copas, porém, o Alvinegro não cedia jogadores. Os últimos a serem chamados foram o zagueiro Gonçalves e o atacante Bebeto, em 1998. Isso permitiu a aproximação do São Paulo, segundo colocado com 46 convocados, nas Copas de 2002 e 2006, quando o clube somou cinco selecionáveis. No entanto, o Tricolor Paulista fica sem representantes na Seleção pelo segundo Mundial consecutivo.

Camisa 9 de Felipão, o atacante Fred é o nome do Fluminense na Copa do Mundo. Com a convocação do artilheiro, o Tricolor das Laranjeiras atinge 31 jogadores em Mundiais, na quinta posição da lista, logo atrás dos rivais vasco (35) e Flamengo (33). Como pode se perceber, os quatros grandes cariocas estão no "Top 5" do ranking.

Entre os clubes estrangeiros, o Roma, da Itália, é quem mais teve jogadores servindo à seleção brasileira em Copas: nove. O selecionado da vez é o experiente lateral-direito Maicon, um dos remanescentes da equipe derrotada pela Holanda nas quartas de final em 2010, na África do Sul. Os espanhóis Barcelona, de Neymar e Daniel Alves, e Real Madrid, de Marcelo, vem logo na sequência com oito convocados.



Confira abaixo a lista completa:

Botafogo 47
São Paulo 46
Coisa maldita, vasco 35
Flamengo 33
Fluminense 31
Palmeiras 24
Santos 24
Corinthians 22
Atlético-MG 12
Cruzeiro 11
Roma 9
Barcelona 8
Internacional 8
Real Madrid 8
Grêmio 7
Internazionale 7
Milan 7
Benfica 6
Portuguesa 6
Bayer Leverkusen 5
Olympique de Lyon 5
Ponte Preta 5
São Cristóvão 5
Bangu 4
Bayern de Munique 4
Chelsea 4
Paris Saint-Germain 4
América-RJ 3
Wolfsburg 3
Napoli 3
Atlético Madrid 2
Deportivo La Coruña 2
Fiorentina 2
Juventus 2
Americano 2
Porto 2
Torino 2
Tottenham Hotspur 2
Arsenal 1
Atlético-PR 1
Bordeaux 1
Central 1
Galatasaray 1
Goytacaz 1
Guarani 1
Hertha Berlin 1
Jubilo Iwata 1
Lazio 1
Manchester City 1
Olympique Marseille 1
Panathinaikos 1
Parma 1
Portuguesa Santista 1
PSV 1
Real Betis 1
Reggina 1
Sevilla 1
Shakhtar Donetsk 1
Shimizu S-Pulse 1
Stuttgart 1
Toronto 1
Udinese 1
Villarreal 1
Yokohama F. Marinos 1
Ypiranga de Niterói 1
Zenit
Nacional-URU
1
1