Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 31 de maio de 2014

Flamengo desembarca em Uberlândia com festa de torcedores



A chegada da delegação do Flamengo a Uberlândia, na noite deste sábado, foi marcada por muita animação. Cerca de 100 torcedores fizeram a festa durante o desembarque, pedindo autógrafos e tirando fotografias dos jogadores.

Lucas Mugni e Alecsandro foram os mais assediados. Vale destacar que o meia Elano não foi a Uberlândia e retornou ao Rio de Janeiro por conta de dores lombares.

O Flamengo entra em campo às 16h deste domingo, contra o Cruzeiro, no Parque do Sabiá.


Campeonato Brasileiro Série B 2014: classificação


O sofrimento não pode parar



9ª Rodada
 

Clube PG J V E D GP GC SG A%
Ceará-CE 18 9 5 3 1 16 11 5 66,7
América-MG 17 9 5 2 2 16 10 6 63,0
Joinville-SC 17 9 5 2 2 11 8 3 63,0
ABC-RN 16 9 5 1 3 10 6 4 59,3
Ponte Preta-SP 16 9 4 4 1 14 11 3 59,3
Luverdense-MT 15 9 4 3 2 11 8 3 55,6
América-RN 13 9 4 1 4 14 12 2 48,1
Santa Cruz-PE 13 9 2 7 0 10 6 4 48,1
Sampaio Corrêa-MA 12 8 3 3 2 13 9 4 50,0
10º
Náutico-PE 11 8 3 2 3 11 10 1 45,8
11º
Icasa-CE 11 9 3 2 4 8 11 -3 40,7
12º
vasco 11 8 2 5 1 10 6 4 45,8
13º
Avaí-SC 10 8 3 1 4 7 10 -3 41,7
14º
Atlético-GO 10 9 2 4 3 11 12 -1 37,0
15º
Bragantino-SP 10 9 2 4 3 11 14 -3 37,0
16º
Oeste-SP 10 9 2 4 3 9 13 -4 37,0
17º
Paraná-PR 9 9 2 3 4 12 12 0 33,3
18º
Boa Esporte-MG 8 9 2 2 5 8 13 -5 29,6
19º
Portuguesa-SP 6 9 1 3 5 10 17 -7 22,2
20º
Vila Nova-GO 2 9 0 2 7 2 15 -13 7,4
Legenda PG - Pontos Ganhos | JG - Jogos Disputados | VI - Vitórias | EM - Empates
DE - Derrotas | GP - Gols Pró | GC - Gols Contra | SG - Saldo de Gols
%A - Porcentual de Aproveitamento de Pontos

 
 
Acesso à Série A
 
Rebaixados à Serie C

Aos gritos de "orgulho da nação", jogadores festejam título com samba

Após a conquista do tricampeonato do NBB, os jogadores do Flamengo partiram para comemorar o título em um restaurante da Zona Oeste do Rio de Janeiro e foram recebidos com festa pela torcida. Com direito a samba no palco e feijoada nos pratos, os atletas se misturaram com torcedores, tiraram fotos, distribuíram autógrafos e se divertiram após a difícil final contra o Paulistano, que terminou com a vitória rubro-negra por 78 a 73, neste sábado, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro.

Em um momento que o futebol vive uma fase difícil e está na zona de rebaixamento do Brasileirão, o basquete rubro-negro foi adotado pelos torcedores. Por isso, um canto não poderia faltar e tomou conta do restaurante: "não é mole não, o basquete é o orgulho da nação".

- A emoção que estou sentindo e o peso de trazer alegria para essa massa toda não têm preço - disse Marcelinho, um dos mais festejados no local.

Jogadores do Flamengo comemoram título do NBB (Foto: Thiago Lavinas) 
Jogadores do Flamengo comemoram título do NBB ao lado de torcedores com samba e feijoada (Foto: Thiago Lavinas)

O americano Meyinsse, que nem parece estar apenas quatro meses morando no Brasil tamanha a adaptação, estava emocionado com a festa pelo título da sexta edição do NBB.

- É um sentimento incrível ser campeão com tantas pessoas gritando o tempo todo e nos apoiando. É sensacional - disse Meyinsse, que foi eleito o MVP da decisão.

Nico Laprovittola também estava deslumbrado com a festa e com o carinho dos torcedores. O técnico José Neto também foi bastante referenciado e ganhou palavras de apoio por ser "o melhor técnico do Brasil" já que não foi eleito pela Liga Nacional de Basquete o melhor técnico da competição.

- Liga das Américas, Estadual e NBB, três campeonatos e três títulos, portanto meu sentimento é de dever cumprido. Foi um ano muito bom para todos nós, só tenho a agradecer a todos, diretoria, comissão técnica, jogadores e torcida. É um prazer ser técnico do Flamengo e poder trabalhar com esses homens - disse Neto.

José Neto técnico Flamengo basquete NBB (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
José Neto comemora entre os torcedores o título do NBB com os torcedores (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
 
 

Vai voltar pro Flamengo? Julio Cesar só ri…



Além de pedidos de autógrafo e foto, Julio Cesar também ouve pedidos para que volte para o Flamengo o mais rapidamente possível.

Na manhã deste sábado, como já havia acontecido na quarta-feira, o goleiro foi assediado por rubro-negros, que o abraçavam…

– Pô, Julio, volta logo para o Flamengo porque a gente não aguenta mais o Felipe! – disse um torcedor.

– Julio, sei que você já fechou com o Mengão! Ganha essa Copa e vamos disputar o Brasileirão, meu irmão! – planejou outro.

Julio Cesar não abre a boca, só ri. Ele começou a carreira nas categorias de base do Flamengo, onde se profissionalizou em 1997 e ficou até 2005, quando foi vendido para a Internazionale de Milão (ITA). Depois que deixou o clube italiano, em 2012, passou pelo Queens Park Rangers (ING). Com o fim do contrato e enquanto procurava outro time para jogar, chegou a flertar com o Grêmio, mas optou pelo Toronto (CAN), que disputa a Major Soccer League (MSL), que reúnes clubes dos Estados Unidos e do Canadá.

Já no Flamengo, Felipe começou a ser questionado no início do Brasileirão e pode sair, enquando o reserva Paulo Victor não inspira confiança na torcida.


Orlando Magic negocia para ser o adversário do Flamengo em outubro


Jameer Nelson e Anderson Varejão, Orlando x Cleveland (Foto: Getty)O Orlando Magic deve ser um dos adversários do Flamengo durante a pré-temporada da NBA, em outubro. O Rubro-Negro, que neste sábado venceu o Paulistano por 78 a 73 e conquistou o tricampeonato do NBB, fechou um acordo com a NBA na semana passada para fazer dois jogos nos Estados Unidos contra equipes da Liga. Mas os adversários e as datas dos duelos ainda não foram anunciados.

Segundo a imprensa americana, o Orlando Magic está em negociações avançadas para enfrentar o Flamengo, em jogo que seria disputado no Amway Center, em Orlando. O interesse da equipe americana surgiu como estratégia de aumentar o número de fãs do Magic no Brasil. Nos últimos anos, os proprietários do Orlando Magic conseguiram atrair mais fãs brasileiros nos jogos da franquia na NBA com um aumento de investimento de marketing. Além disso, a cidade é um dos destinos preferidos dos brasileiros nos Estados Unidos.

Ainda segundo a imprensa americana, recentemente os executivos do Magic informaram a NBA que gostariam de fazer uma partida no Brasil, mas a Liga optou por Cleveland Cavaliers, de Anderson Varejão, e Miami Heat, de LeBron James e Wade, para a segunda partida em solo brasileiro envolvendo times da NBA. Para o Flamengo, jogar contra o Orlando Magic também pode ser interessante. Seria mais fácil fechar um pacote para levar torcedores para assistir ao jogo por um preço mais acessível. 

O Orlando Magic não fez uma boa campanha na última temporada na NBA. A equipe venceu 23 partidas e perdeu 59, ficando em antepenúltimo na Conferência Leste somente a frente de Philadelphia 76ers e Milwaukee Bucks. Entre os destaques do time estão os armadores Arron Afflalo, Jameer Nelson e o calouro Victor Oladipo. Além do pivô Nikola Vucevic.

Flamengo campeão NBB comemoração final (Foto: André Durão / Globoesporte.com) 
Flamengo sagrou-se campeão da sexta edição do NBB contra o Paulistano (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Elano(bichado e pipoqueiro), sente problema nas costas e desfalca o Flamengo contra o Cruzeiro


Elano Flamengo Desembarque (Foto: Cauê Rademaker)
Elano está fora da partida contra o Cruzeiro, neste domingo, em Uberlândia, pela nona rodada do Brasileiro, a última antes da paralisação para a Copa do Mundo. Com dores nas costas, o meia tinha chances de ser titular do Flamengo no jogo, mas sequer seguiu com o time para a cidade mineira, retornando ao Rio diretamente de São Paulo, onde o grupo comandando por Ney Franco trabalhou neste sábado, depois de empatar com o Figueirense no Morumbi na última quinta-feira. 

Com o desfalque, Luiz Antonio deve ficar com a posição. Os dois disputavam um lugar no meio-campo, como ficou claro no treino realizado na sexta-feira em São Paulo.

Elano tem sido perseguido por lesões durante a temporada. O meia já sofreu com dois problemas na coxa direita desde que chegou ao Flamengo. Recuperado, começou a entrar aos poucos e foi titular contra Bahia e Figueirense.

PV vive intensidade entre saída de Felipe e sondagem por Julio Cesar


paulo victor  flamengo (Foto: Cahe Mota)Os últimas dias foram de intensidade para Paulo Victor. Ele atuou dois jogos seguidos, contra Santos e Figueirense, viu o Flamengo sondar Julio Cesar, titular da seleção brasileira na Copa do Mundo, e Felipe deixar a concentração em São Paulo, liberado pela comissão técnica para iniciar suas férias antecipadamente, já que não seria relacionado para enfrentar o Cruzeiro, domingo, em Uberlândia.

Entre todos esses acontecimentos, Paulo Victor, criado nas categorias de base do Flamengo, ganhou mais uma chance do técnico Ney Franco. Contra o Cruzeiro, domingo, em Uberlândia, ele disputará seu terceiro jogo seguido como titular, o quinto do ano. O primeiro gol sofrido em 2014 aconteceu justamente no empate em 1 a 1 com o Figueirense.

- Tive a oportunidade de jogar duas vezes e infelizmente não vencemos. Fomos superiores nos dois, mas a bola não entrou. Assim, vem a pressão da torcida do Flamengo, que não está acostumada com essa situação - afirmou Paulo Victor.

A chance de Paulo Victor apareceu depois da ausência de Felipe do treinamento do dia 23 de maio. Ney Franco tirou o então titular dos três últimos jogos e ressaltou que se tratava de questão técnica.

Ao mesmo tempo, Felipe já tem seis jogos e se entrar em campo não poderá atuar por outro clube neste Campeonato Brasileiro. Além disso, o Flamengo já sondou Julio Cesar, oferecendo a ele um contrato de três anos depois da Copa do Mundo. Nada que aflija Paulo Victor.

- Toda grande equipe busca grandes jogadores. Nem tenho que pensar nisso agora. Tenho que me concentrar nessa oportunidade da mesma forma que aconteceu nas anteriores. Não adianta sofrer antes - disse Paulo Victor.


Flamengo bate Paulistano, leva o tri do NBB e provoca: "Aqui não é vasco"


Foi muito mais emocionante e difícil do que o Flamengo esperava. Mas em tempos que o futebol figura na zona de rebaixamento do Brasileirão, como a própria torcida gritou em alto e bom som, o basquete é o orgulho da nação. O Rubro-Negro, mais na garra e no coração do que na técnica, venceu o Paulistano por 78 a 73, neste sábado, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro, e faturou o tricampeonato do NBB. Para completar a festa, a provocação não poderia faltar. E ela veio na comemoração dos jogadores no meio da quadra: "Isso aqui não é vasco, isso aqui é Flamengo". 

Flamengo campeão NBB comemoração final (Foto: André Durão / Globoesporte.com) 
Capitão do Flamengo, Marcelinho levanta o troféu de campeão do NBB 6 (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Aos 39 anos, Marcelinho foi o cestinha da partida com 16 pontos ao lado do pivô americano Jerome Meyinsse, eleito o MVP da decisão. Marquinhos, que neste sábado completou 30 anos, também viveu um dia especial. Foi um dos mais abraçados pelos companheiros e escutou um caloroso "parabéns pra você" da arquibancada. Nico Laprovittola, um dos mais queridos da torcida, parecia uma criança pulando e correndo de um lado para o outro durante a festa. O título coroa a bela temporada dos cariocas, que, além de igualar a marca do Brasília com três títulos do NBB em seis edições, venceram o Campeonato Estadual e a Liga das Américas. O Flamengo ainda vai disputar, em setembro, o Mundial de Clubes contra o Maccabi Tel Aviv, de Israel.

- Tem que ser assim. Jogamos contra uma equipe lutadora, que chegou por méritos. Título com a camisa do Flamengo tem que ter essa cara, raça, entrega. Para vestir essa camisa tem que ter coração. É sempre uma satisfação muito grande. Ser campeão é muito bom, pelo Flamengo, então... - comemorou Marcelinho.

Ao Paulistano, restou o orgulho de ter lutado bravamente até o fim. A equipe paulista, que pela primeira vez chegou à decisão do NBB, teve em Holloway e Dawkins seus principais jogadores. Mas mostrou ser muito mais do que a dupla americana. Pilar, Renato e César podem não ser tão habilidosos, mas têm muita garra. E valorizaram ainda mais a vitória rubro-negra. E proporcionou ainda uma cena bonita e esportiva após a partida. Apesar de ter reclamado muito da arbitragem durante a decisão, todos os jogadores foram até o trio cumprimentá-los sem qualquer tipo de confusão enquanto o Flamengo comemorava o título. 

Flamengo campeão NBB comemoração final (Foto: André Durão / Globoesporte.com) 
 
Jogadores do Flamengo comemoram no centro da quadra e provocam o Vasco (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Equilíbrio e bola entre as pernas

Foi um início nervoso. Sozinho, Marcelinho errou um arremesso de três pontos para o Flamengo. Mineiro desperdiçou dois lances livres para o Paulistano. O primeiro ponto só veio com Olivinha, com quase dois minutos de jogo. Mas o Rubro-Negro dominava o garrafão e deixava o técnico Gustavinho irritado à beira da quadra.

- Quer sair? Quantos rebotes você já pegou? - gritou para Renato.

Quando o Flamengo abriu 15 a 4, Gustavinho pediu tempo. E resolveu trocar. Tirou Mineiro e colocou Labbate. Não adiantou muito. Olivinha e Meyinsse seguiam dominando os rebotes. A diferença é que Holloway começou a jogar. O americano fez 11 dos 17 pontos dos paulistas no primeiro quarto, que terminou 22 a 17 para o Flamengo, embalado pelos cerca de 15 mil torcedores presentes na Arena da Barra.

Antes do início do segundo quarto, Oscar Schmidt entrou em quadra para entregar o troféu, que leva o seu nome, ao cestinha da sexta temporada do NBB, o americano Shamell, do Pinheiros, que teve uma média de 20,77 pontos por jogo. O maior jogador brasileiro de todos os tempos, que por muitos anos defendeu o Flamengo, foi ovacionado pelos torcedores.

Mas veio o segundo quarto, e o jogo mudou. Os “barbudos” do Paulistano começaram a ajudar mais Holloway. Pedro, Pilar, Pedro, Labbate e Renato, os jogadores que deixaram de fazer a barba no início dos playoffs como uma promessa pelo título, cresceram na defesa e no ataque. Gegê tentou usar a velha catimba para desconcentrar Pilar, mas o camisa 11 do Paulistano não caiu na armadilha. Tudo isso depois de um dos poucos lances de habilidade, e não força, do segundo quarto, quando Laprovittola jogou a bola entre as pernas de Labbate. A torcida, lógico, vibrou.

Faltando seis minutos, a equipe paulista passou pela primeira vez à frente: 27 a 25. Isso sem Holloway em quadra, já que o americano descansou boa parte do período. Mas vibrava a cada ponto dos companheiros. 

Flamengo x Paulistano final NBB basquete (Foto: Luiz Pires / LNB) 
Laprovittola comanda o ataque rubro-negro contra o Paulistano (Foto: Luiz Pires / LNB)

José Neto resolveu promover a volta de Benite, que se recuperou de uma séria lesão no joelho esquerdo e retornou depois de seis meses longe das quadras. O ala só tinha disputado três jogos neste NBB. Sem ritmo não conseguiu fazer muita diferença nos primeiros minutos. A torcida rubro-negra, que cantava animada antes, se calou por alguns instantes. Era o sinal de que o jogo, até então com um início tranquilo para o Flamengo, estava mais equilibrado e tenso.

Os donos da casa falhavam muito nos lances livres. No primeiro tempo, tiveram aproveitamento de apenas 55,8%, acertando 10 em 18. E foram superados também nos rebotes. O Fla pegou 15 contra 20 do Paulistano. Com isso, a equipe paulista foi para o vestiário dois pontos na frente: 40 a 38. 

Torcida acorda. Fflamengo também

O jogo seguiu equilibrado no terceiro quarto. Mas a torcida rubro-negra acordou após uma cesta de três de Marcelinho. E começou a gritar sem parar. A Arena da Barra virou um caldeirão. Porém, o Paulistano não sentiu muito a pressão. O jogo ficou lá e cá. Nervoso e com muitas faltas. O que acabou complicando para os visitantes. Faltando seis minutos, Mineiro e Pilar saíram de quadra com quatro faltas. A equipe paulista perdeu força no garrafão. Meyinsse passou a dominar os rebotes. Felício fez seis pontos.

Mas o Flamengo continuou falhando nos lances livres. O baixo aproveitamento (apenas 50% no terceiro quarto) evitou que a equipe abrisse no placar. A partida passou a se concentrar no garrafão. Os dois times tentavam infiltrações em busca de faltas. Gustavinho reclamava a cada falta marcada a favor do Flamengo. E foram muitas. Marcelinho reclamou com um dos árbitros:

- Vai deixar ele falar assim com você? Eu ouvi o que ele disse - gritou.

A arbitragem não deu bola para o rubro-negro. E no jogo pegado, o Flamengo saiu vencendo. Terminou o terceiro quarto na frente: 60 a 57.

Flamengo x Paulistano final NBB basquete (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Veio o último e decisivo quarto, e o Flamengo conseguiu abrir seis pontos após Dawkins errar uma bandeja fácil. Benite entrou novamente em quadra e fez cinco pontos seguidos, que deram um gás ao Rubro-Negro. O jogo passou a ser mais no coração do que na técnica. E isso o Flamengo tinha. Ainda mais apoiado pela torcida.

O Fla conseguia manter a vantagem. Pilar saiu da partida com cinco faltas. Por outro lado, Olivinha e Meyinsse voltaram para quadra. Nico chamou os dois. Falou para a dupla forçar mais o jogo no garrafão. Mas em um apagão rubro-negro, o Paulistano conseguiu se aproximar com uma bandeja de André.

Faltando 1min40s para o fim, a vantagem rubro-negra era só de um ponto: 72 a 71. Marcelinho sofreu falta e acertou apenas um lance livre. Holloway fez o mesmo em seguida. Partiu para cima e sofreu falta de Shilton. Mas acertou os dois e o jogo ficou empatado: 73 a 73.

O Paulistano tentou apertar a marcação. Dawkins fez falta em Laprovittola. Mais dois lances livres. Que o argentino converteu. Renato arriscou uma bola de três, mas errou. Marcelinho fez o mesmo. Errou, mas o rebote ficou com o Flamengo. E em seguida o próprio Marcelinho cavou uma falta faltando 14 segundos para o final. A torcida começou a gritar “seremos campeões”. E o camisa 4 acertou os dois tiros livres, abrindo quatro pontos de frente.

Tempo para Gustavinho. Ao Paulistano restava arriscar. André tentou de três desequilibrado. Errou. Marcelinho pegou o rebote e sofreu falta. Faltavam oito segundos no cronômetro. E a torcida já gritava sem medo: tricampeão!

Escalações

Flamengo: Laprovittola (11), Marquinhos (12), Marcelinho (16), Olivinha (9) e Meyinsse (16). Depois: Shilton, Gegê, Washam, Felício (6) e Benite (8). Técnico: José Neto.

Paulistano: Dawkins (14), Holloway (15), Pilar (7), Renato (8) e Mineiro (5). Depois: Gemerson (2), Pedro (2), César (12), Labbate (4) e André (4). Técnico: Gustavo De Conti.


Ney Franco comanda treino fechado no Flamengo, e time ainda é mistério



A dificuldade de encontrar um time ideal nesse momento para o Flamengo permanece. O técnico Ney Franco comandou neste sábado um treinamento fechado no Grêmio Osasco, trabalhando posse de bola e liberando um recreativo no fim da atividade na véspera do confronto com o Cruzeiro, em Uberlândia, pelo Campeonato Brasileiro.

Ney ainda tem dúvidas e o time ainda é um mistério para o jogo. Negueba deve ser titular e Luiz Antonio disputa uma vaga com Elano no meio. Chicão volta e Samir tem grandes chances de mais uma vez atuar como lateral-esquerdo, com André Santos no banco de reservas.

O Flamengo precisa vencer o Cruzeiro para sair da zona de rebaixamento antes da parada para a Copa do Mundo. Depois do jogo de domingo, o time terá 15 dias de férias e só volta a treinar no dia 16 de junho.

Com as mudanças, o time deve atuar com Paulo Victor, Léo Moura, Chicão, Wallace e Samir; Amaral, Márcio Araújo, Luiz Antonio (Elano) e Negueba; Paulinho e Alecsandro.

Chicão volta e confia em recuperação: "Às vezes, é melhor pegar o líder"

Do banco de reservas, Chicão acompanhou o desempenho do Flamengo no empate em 1 a 1 com o Figueirense, pelo Campeonato Brasileiro. Apesar do resultado, ele encontrou motivos para ter esperança na recuperação do time, ainda que o próximo adversário seja o líder Cruzeiro, domingo, em Uberlândia.

Chicão volta ao time titular depois de ser poupado contra o Figueirense, segundo as palavras do próprio técnico Ney Franco. Otimista, ele considera o confronto com o líder uma chance de o Flamengo se reencontrar e ir para a parada da Copa do Mundo com mais tranquilidade.

- Tem que acreditar sempre. Na minha opinião, o time não jogou tão mal. Teve oportunidades para fazer o gol, como aconteceu contra o Santos também. Vem crescendo e ainda precisa melhorar, pois está em uma situação complicada. Nessas circunstâncias, às vezes, é melhor pegar o líder do que o último colocado - afirmou Chicão.

Chicão flamengo (Foto: Thales Soares) 
Chicão volta a atuar pelo Flamengo diante do Cruzeiro (Foto: Thales Soares)


Além de líder do Brasileiro, o Cruzeiro ainda tem o melhor ataque, com 15 gols. Contra o Flamengo, não contará com Marcelo Moreno, artilheiro da competição, com cinco gols, cedido à seleção da Bolívia. O jogador teve uma passagem complicada pelo clube carioca no ano passado.

Chicão tem a seu favor o fato de ter atuado apenas nos dois jogos em que o Flamengo não sofreu gols neste Brasileiro, contra Goiás e Santos. No intervalo entre os dois confrontos, ele se recuperou de uma lesão na coxa direita.

- Com o Moreno fora, joga o Borges, que é outro grande jogador. Vamos ter que competir o tempo como fizemos contra o Santos, que não teve sequer uma grande chance de fazer gol - comentou o zagueiro.

Para esse jogo, Chicão confia na virada e para isso espera que a sorte esteja ao lado do time. Nos últimos jogos, chances foram criadas, mas acabou faltando pontaria aos atacantes para o Flamengo sair de campo com a vitória.

- Tem que marcar primeiro, mas não podemos mostrar que vamos apenas defender. Também queremos vencer os jogos. Falta um pouco de sorte, pois a bola não tem entrado - explicou o jogador.

Flamengo não vê mais custo-benefício em Felipe e já discute sobre a permanência



Felipe - Flamengo (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)A permanência do goleiro Felipe no Flamengo é incerta. Com contrato até o fim de 2015, correntes da diretoria acreditam que chegou o momento de encerrar o relacionamento do arqueiro com o clube, que teve início em 2011. O LANCE!Net apurou que dirigentes, entre eles o vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcellos, não veem mais custo-benefício no camisa 1, o que teria causado a barração dele nos últimos três jogos antes da paralisação do Campeonato Brasileiro para a Copa do Mundo.

Felipe recebe do Flamengo a quantia de R$ 200 mil mensais, sendo R$ 80 mil na carteira e R$ 120 mil de direito de imagem. Comparado ao goleiro Paulo Victor, por exemplo, o atual camisa 1 rubro-negro recebe cerca de R$ 100 mil a mais. E a diferença técnica entre os dois não é considerada absurda por diretoria e comissão técnica.

Vale destacar que a falta de Felipe a um treinamento na semana passada foi apenas a gota d’água para que esta atitude fosse tomada pelo Flamengo. Outros dirigentes rubro-negros são adeptos à ideia de Wallim Vasconcellos e, internamente, discutem sobre o futuro do goleiro, que deve ser decidido durante a Copa do Mundo.

O L!Net ouviu pessoas próximas a Felipe, que garantiram tranquilidade do goleiro perante a situação. O atual camisa 1, inclusive, não está procurando outro time para atuar, mas crê que a diretoria do Flamengo esteja procurando um clube para transferí-lo, motivo este que não querem deixá-lo completar sete partidas no Brasileiro.

Felipe deixou na tarde da última sexta-feira a concentração do Flamengo em São Paulo e voltou ao Rio de Janeiro, já que teve as “férias” antecipadas por estar também barrado do jogo deste  domingo, contra o Cruzeiro, em Uberlândia. A reapresentação dele está prevista para 16 de junho.


Chineses não aceitam emprestar Montillo, e Flamengo fica sem o argentino


Apresentado nesta sexta, o novo diretor de futebol do Flamengo Felipe Ximenes terá a árdua missão de pôr ordem na casa e encontrar no mercado jogadores que reforcem o limitado time, hoje na zona do rebaixamento. Mas um nome com o qual o clube chegou a sonhar durante a semana ele já sabe que não virá. O Shandong Luneng, da China, não aceita negociar Montillo por empréstimo, como queria o Rubro-negro.

O Shandong pagou € 7,5 milhões por um contrato até janeiro de 2017 com Montillo. Apenas quatro meses depois do início do vínculo, não passa pela cabeça de ninguém no clube se desfazer do argentino. Mesmo assim, a proposta rubro-negra foi recebida. Mas não foi capaz de convencer os chineses a mudarem de ideia.

— O clube chinês nunca falou que queria vender Montillo. Mas futebol é negócio, e se o Flamengo tinha uma proposta para fazer, é claro que o Shandong iria recebê-la. Mas o Flamengo quer o jogador por empréstimo. E uma proposta de empréstimo não interessa. O clube não gasta dinheiro comprando um jogador para depois emprestar — disse Joseph Lee, representante do clube chinês no Brasil.

Sem tempo para lamentar, o Flamengo segue em busca de reforços. O clube também tem interesse no goleiro Julio Cesar, que não vai definir seu futuro antes do fim da Copa do Mundo, e no atacante Fernandinho, que pertence ao Al-Jazira-EAU, mas estava ligado ao Atlético-MG.

— Não vou falar de nomes. Quando você divulga um nome, eleva a negociação em preços absurdos — despistou Ximenes. — Estou preocupado com o jogo contra o Cruzeiro. Nenhum jogador que contratarmos vai ter condição de jogar (contra o Cruzeiro). O clube já estava tratando de algumas negociações. Quando tivermos algo concreto, a imprensa vai saber.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Banco de peso: reservas deixam ego de lado e ajudam Flamengo a chegar à final

Nico Laprovittola, Marcelinho, Marquinhos, Olivinha e Jerome Meyinsse. O quinteto titular do Flamengo nesta temporada está na ponta da língua de qualquer torcedor um pouco mais familiarizado com o basquete do clube. Tachado pela maioria dos especialistas e adversários como o mais forte entre as 17 equipes participantes deste NBB, os titulares são responsáveis por colocar o atual campeão nacional em sua segunda final consecutiva. Mas não são os únicos.

Mais do que os cinco principais, o técnico José Neto tem um elenco cheio de opções. Sentados no banco, Gegê, Washam Jr., Shilton e Cristiano Felício dão conta do recado quando vão para a partida. Às vezes, são até heróis de vitórias, como no caso do jovem pivô, que meteu a cesta decisiva no terceiro duelo com o Mogi das Cruzes, atuando em São Paulo, pela semifinal. Na ocasião, o chute de média distância, certeiro para dois pontos, deu a vantagem na série a favor dos cariocas.

Banco do Flamengo Basquete (Foto: André Durão) 
Washam Jr., Shilton, Gegê e Cristiano Felício: força que vem do banco de reservas (Foto: André Durão)


- Ter um banco forte é fundamental. Não consigo ver uma equipe chegar à final com cinco jogadores. Acredito no basquete coletivo, cada um sabendo da sua função, seu papel. Não importa se vão jogar um, dois, cinco ou dez minutos, o que vale é dar o melhor no tempo em que estão em quadra. Fazemos isso bem, assim como o Paulistano também faz. Dessa forma é que nós conseguimos nossos êxitos - elogiou o técnico José Neto.

O sucesso passa pela união e falta de vaidade do grupo. Se ficar na reserva no futebol, muitas vezes, é motivo de cara feia e intriga, no basquete existe até prêmio para o melhor sexto homem.

- Quando o grupo foi formado, sabíamos disso. Nosso grupo é forte e não tem preciosismo, ego ou vaidade. Essa é a nossa vantagem. Vindo do banco, nós temos a visão privilegiada de como está a partida, isso facilita - analisou Gegê, que chegou a ser titular no começo da temporada.

Com média de 21,9 pontos por duelo dos 83,9 que o Flamengo costuma fazer no NBB, este banco, que ainda conta com os jovens Diego Marques, Douglas, Danielzinho, Léo e o mais experiente deles, Chupeta, é exaltado da mesma maneira dos titulares.

- Não é só a importância que o Neto tem na gente, nós sentimos que esta confiança parte de nós mesmos, nos sentimos valorizados pelos companheiros e pelo treinador, desde os caras que decidem, como Marcelinho, Marquinhos e o Nico (Laprovittola), até o juvenil que completa o banco. O grande mérito é que não existe vaidade, ninguém se acha mais importante do que o outro. Quem entra, se sente importante, independentemente do tempo que joga. Quando acaba o jogo, todos são valorizados da mesma maneira. Isso é mérito do Neto e de sua comissão técnica, que montaram a equipe - pinou 
Shilton.

Banco do Flamengo Basquete (Foto: André Durão) 
O quarteto costuma manter nível satisfatório quando entram em cena (Foto: André Durão)

Na decisão, o treinador rubro-negro ainda terá um "reforço de peso" ao seu lado. Após mais de seis meses ausente das quadras, por conta de uma lesão no joelho, Benite está de volta para contribuir com sua experiência e técnica. Este é mais um trunfo da equipe, que tenta o tricampeonato da competição, o segundo de maneira seguida. 

O favorito Flamengo recebe o "novato" Paulistano na luta pelo troféu de melhor time do Brasil. O embate acontece às 10h10, na Arena da Barra, com exibição da TV Globo. A partir das 9h, o GloboEsporte.com, através do Tempo Real, traz todas as emoções direto do ginásio.

Pelo Flamengo, Sorriso Maroto atrasa começo de show


 As músicas do Sorriso Maroto todos conhecem. Muita gente também sabe que os integrantes do grupo são fãs de futebol (são quatro torcedores do Flamengo e um do Fluminense), mas o que talvez poucos saibam é que o esporte muda a rotina do grupo, em especial do percussionista e vocal Cris.

O fundador do grupo se considera fanático por futebol. Tanto que atrasou uma apresentação para ver a final da Copa do Brasil entre Flamengo e Atlético-PR no ano passado.

- Estávamos para entrar no palco para a gravação do especial de fim de ano da Globo e tinha uma TV para a gente ver o jogo. Acabou a música do Naldo, que se apresentou antes, e nos chamaram para o palco, mas esperamos até o fim do jogo e entramos gritando, coisa que nem todos entenderam – explicou Cris.

Um novo atraso não está descartado. Aliás, está até programado.

- Durante a Copa vamos ter show em dia de jogo do Brasil. Espero que não seja no horário da partida, porque se for, eu não subo ao palco – adiantou o bem humorado Cris.

Se por um lado o futebol 'atrapalha' Cris, por outro ajuda. E muito. O artista é amigo da maioria dos jogadores e constantemente recebe presentes. Os mais comuns são camisas oficiais dos clubes autografadas pelos boleiros.

Os atacantes Hulk, Vágner Love e Robinho, o ex-corintiano Cristian, os craques da Seleção de futsal e até adversários, como os botafoguenses Bolívar e Jorge Wagner, já mandaram camisas ao músico.

- A proximidade do pagode com o futebol é muito grande. São paixões do brasileiro. Então, sempre tenho contado com os jogadores. Eles vão ao nosso show e recebemos mensagem de que estão na plateia, aí os convidamos para o camarim e começamos uma amizade. Quando temos show em cidades onde os times estão e tenho tempo, vou aos treinos e trocamos figurinha com os jogadores – disse, acrescentando que:

- Fazemos amizade mesmo. Atletas que jogam fora do Brasil me ligam quando sabem que tem um show na cidade onde os pais moram e nós arrumamos lugares para eles na apresentação. Também mandamos nossos CDs e DVDs para eles curtirem e chegarem em nosso show sabendo as músicas – explicou.

Dois presentes têm lugar especial na casa de Cris. Uma camisa da Seleção autografada por todos os jogadores, enviada pelo amigo Thiago Silva e uma do Flamengo, com o nome dele, entregue por Ronaldinho Gaúcho. Ambas ficam enquadradas na parede.

- Algumas camisas eu uso quando jogo bola, mas essas duas têm lugar especial e não saem da parede. Vão ficar para os filhos e netos. A do Brasil é um presente do Thiago Silva, um grande amigo, uma pessoa super do bem, que passou por dificuldades e hoje é o melhor zagueiro do mundo. A do Flamengo é xodó que ganhei do também amigo Gaúcho e que vai ficar para sempre – garantiu Cris, ressaltando que as camisas dos adversários não são usadas nos jogos.

- Gosto de futebol, do esporte de uma maneira geral, e tenho amigos em todos os times. Sou Flamengo fanático, mas respeito muito todos os adversários. Só que usar uma camisa do Botafogo já é demais – finalizou rindo.


Flamengo terá novas mudanças no time para confronto com o Cruzeiro


Hernane e Negueba treino Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)A necessidade de buscar uma melhora de rendimento do Flamengo vai fazer o técnico Ney Franco promover novas mudanças no time titular para o jogo contra o Cruzeiro, domingo, em Uberlândia. A principal delas deve ser a entrada de Negueba como titular, como já havia acontecido no empate em 0 a 0 com o Santos, no Morumbi, quando foi um dos destaques.

Negueba entrou no segundo tempo do empate em 1 a 1 com o Figueirense, quinta-feira, no Morumbi. Novamente, criou boas jogadas de ataque, principalmente com Léo Moura, que cresceu de rendimento ao seu lado. Elano e Luiz Antonio, substituídos no primeiro tempo, disputariam uma vaga.

No ataque, apesar do tornozelo inchado, Alecsandro deve jogar contra o Cruzeiro. Ele apareceu mancando no treinamento desta sexta-feira, realizado em uma academia próxima ao hotel onde o time está concentrado em São Paulo.

Outra mudança certa é a volta de Chicão ao time. O técnico Ney Franco já havia confirmado que o jogador seria titular contra o Cruzeiro. André Santos, mais uma vez, deve ficar no banco de reservas, com Samir atuando pelo lado esquerdo, ajudando a conter o forte ataque do adversário.

O Flamengo está na 17ª colocação, com apenas sete pontos conquistados em oito jogos, na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O confronto com o Cruzeiro é o último antes da parada para a Copa do Mundo. Depois desse jogo, o elenco está liberado e só volta a treinar no dia 16 de junho. 



Oscar, sobre final do NBB: "Vou torcer pelo Flamengo. Paulistano me traiu em 2005"


Basquete Oscar Flamengo (Foto: Reprodução/Site Oficial Oscar Schmidt)O ano era 2005, e o basquete masculino estava em crise no país. A seleção brasileira não tinha se classificado para as duas últimas Olimpíadas (Sydney e Atenas), e o desentendimento entre jogadores e a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) era tamanho, que os atletas se uniram para organizar uma competição paralela ao Campeonato Brasileiro. Sob a tutela de Oscar Schmidt, foi criada a Nossa Liga Brasileira (NLB), com a adesão de 30 clubes. Quase dez anos depois, o Mão Santa ainda guarda mágoa e não se esquece dos times que optaram por não se inscreverem na competição. Um deles, o Paulistano. Por isso e pela identificação com o Flamengo, o eterno camisa 14 deixa muito claro para quem vai torcer na manhã deste sábado, na final do NBB 6, entre as duas equipes, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro, às 10h10:

- É claro que vou torcer pelo Flamengo. O Paulistano me traiu em 2005, traiu a liga, não posso fazer outra coisa a não ser torcer contra o Paulistano - disse o craque, durante o lançamento de sua biografia na última quinta-feira, em São Paulo. 

A NLB teve duas temporadas, mas só uma delas chegou ao fim. Em 2005, o Limeira ficou com o título e, em 2006, o torneio teve início, mas não foi disputado até o final, assim como o torneio da CBB. Algumas equipes disputaram as duas competições mas, segundo Oscar, o time da capital paulista pulou fora:

- A gente fez uma reunião uma semana antes do início da Liga e o Paulistano desistiu, o Paulistano nos traiu. Ainda fico muito magoado quando penso no clube, porque muitas reuniões foram feitas lá. E eles debandaram de última hora - lembrou o Mão Santa.

Oscar também tem um carinho especial pelo Flamengo, já que foi lá que encerrou sua carreira de quase 30 anos no basquete profissional. Entre 1999 e 2003, o jogador marcou 7.241 pontos em 219 jogos pelo time carioca (média de 33 pontos por partida) e foi cestinha de quatro Campeonatos Brasileiros. Ele conquistou dois Cariocas na Gávea e realizou o sonho de jogar ao lado do próprio filho, Felipe. Mas o Mão Santa assume não torcer só para um time:

Oscar lançamento do livro (Foto: Marcelo Romano/Divulgação) 
Oscar lança sua biografia em São Paulo na noite de quinta-feira (Foto: Marcelo Romano/Divulgação)

- Eu sou flamenguista e corintiano. Já fui santista e Fluminense, mas virei casaca porque ganhei títulos pelo Flamengo e pelo Corinthians - disse o jogador, que atuou pelo time paulista entre 1995 e 1997.

A final do NBB entre Flamengo e Paulistano será neste sábado, às 10h10, com transmissão ao vivo da TV Globo. O GloboEsporte.com acompanha todos os lances em Tempo Real com vídeos.


Felipe Ximenes chega dizendo-se "pequeno" perto do tamanho do Flamengo


Felipe Ximenes Flamengo (Foto: Fred Gomes)Felipe Ximenes foi apresentado como novo diretor executivo do Flamengo nesta sexta-feira, na Gávea. E, perguntado sobre a pressão de chegar a um time num momento muito complicado, preferiu exaltar a história rubro-negra. Em entrevista coletiva que durou 15 minutos, foi cauteloso sobre a situação do clube e contratações.

- Estou muito honrado de trabalhar no Flamengo. Digo que todo e qualquer profissional que passa por um clube é pequeno em relação ao tamanho da instituição. No Flamengo, você é menor ainda. Trabalhar no Flamengo em qualquer momento é pressão, mas também é uma honra. Prefiro ficar com a segunda palavra que disse - afirmou.

Questionado sobre contratações, leia-se Julio Cesar, Montillo e Fernandinho, ele saiu pela tangente. Ximenes ainda disse que sua chegada não representa uma renovação no clube, mas sim a continuidade do trabalho de Paulo Pelaipe, antigo dono do cargo.

- Estou muito preocupado é com esse jogo com o Cruzeiro. Acredito que a função de diretor executivo é muito mais ampla e complexa do que se contratar jogadores. Acho que nós estamos indo para um lado perigoso. Todos nós torcedores de futebol pedimos a profissionalização do esporte, mas quando precisa da nossa contribuição, a gente acaba não dando. O gestor tem muitas funções que possam contribuir que não seja só contratar jogadores. O Flamengo está em um segundo momento de reformulação. Tinha um profissional que desenvolveu seu trabalho dentro da maneira que pediu, não é um trabalho que está iniciando hoje. Espero estar à altura do Flamengo.

Mas, mesmo evitando tratar das contratações, não negou a possibilidade de contar com o trio anteriormente citado. Por outro lado, descartou os nomes de Rosinei e Richarlyson, que não estão nos planos do Atlético-MG.

- Dentro das carências que a gente imagina, esses dois jogadores não se encaixam no momento. O que não quer dizer que os outros encaixem. Há tipos de especulação que é preciso você deixar claro que não existe o interesse. As outras não quer dizer que tenhamos interesse.

Recém-contratado, Ximenes não se posicionou contra a folga de 15 dias dada ao elenco após a pausa do Brasileiro, mas exigiu postura de seus comandados.

- Quando o atleta tem folga, isso não é prêmio. Penso que em relação a essa parada de 15 dias, que já estava definida antes da minha chegada e que vai ser mantida, não houve tentativa de mudá-la de minha parte.

Em relação ao goleiro Felipe, que faltou ao treino na sexta-feira passada e não foi relacionado para os últimos dois jogos do Flamengo, evitou maiores considerações sobre o ato de indisciplina, mas não garantiu o futuro do atleta dentro do clube.

- Ele faltou a um treinamento, foi um caso de indisciplina. O Ney (Franco) resolveu tirá-lo do jogo contra o Santos. Diante do Figueirense, foi uma decisão totalmente técnica. Nós temos conhecimento do histórico deste jogador. Mas, enquanto ele fizer parte do elenco, o treinador tem o poder de utilizá-lo ou não. Felipe é atleta do Flamengo, seu contrato vai até o ano que vem. Se acontecer qualquer coisa diferente (no período de contrato), vamos nos posicionar oficialmente. Ontem (quinta), foi opção do Ney Franco, algo que respeitamos e que tenho certeza de que o atleta respeitou.

Em caso de uma eventual saída de Felipe, Julio Cesar é um dos preferidos da torcida. Mas Ximenes considera inoportuno tocar no nome do ídolo rubro-negro por ora.

- Qualquer jogador que tem história no clube, toda a torcida e a imprensa gostam. Agora você falar de um goleiro que tem contrato na MLS (atua pelo Toronto, do Canadá) e está na seleção brasileira não tem o menor cabimento nesse momento.


Alecsandro aparece com tornozelo inchado e mancando em treino do Flamengo

O empate por 1 a 1 com o Figueirense, quinta-feira, no Morumbi, ficou para trás e o Flamengo, agora, se preocupa com o confronto com o Cruzeiro, líder do Campeonato Brasileiro. Os  times se enfrentam domingo, em Uberlândia-MG, pela nona rodada da competição, e no clube carioca a preocupação é com o atacante Alecsandro.

Treino Flamengo Academia São Paulo (Foto: Thales Soares)Jogadores do Flamengo vão a pé para treino em São Paulo (Foto: Thales Soares)


Na tarde desta sexta-feira, o grupo se deslocou a pé para uma academia próxima ao hotel onde está concentrado. Lá, os jogadores fizeram uma atividade leve e Alecsandro chegou mancando muito, com o tornozelo direito visivelmente inchado.

Alecsandro machucou o tornozelo no empate por 1 a 1 com o Bahia, em Macaé, e ficou fora do jogo com o Santos. Sua recuperação foi intensa para estar em campo na quinta-feira, contra o Figueirense. Ele acabou provando sua utilizado ao fazer o único gol do Flamengo e protagonizar uma bicicleta sensacional, defendida por Tiago Volpi.

O técnico Ney Franco já não conta com o atacante Hernane, também com um problema no tornozelo direito. As opções no banco para a posição são Arthur e Igor Sartori, substituído contra o Figueirense depois de atuar por apenas 30 minutos no segundo tempo.

O Flamengo está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, com apenas sete pontos conquistados em oito rodadas.


Treino Flamengo Academia São Paulo (Foto: Thales Soares) 
Elenco do Fla treina em academia próxima ao hotel em São Paulo (Foto: Thales Soares)
 
 

Com ajuda de Alecsandro, Fla negocia com Richarlyson e Rosinei




O Flamengo tem se movimentado intensamente para reforçar o elenco comandado por Ney Franco.  A prova disso é que a diretoria rubro-negra já iniciou as tratativas para trazer os volantes Rosinei, que está no Atlético-MG, e Richarlyson, atualmente sem clube.

Intermediadas pelo atacante Alecsandro, que trocou o Galo pelo clube da Gávea no início deste ano, as duas negociações foram iniciadas antes mesmo da contratação do novo diretor de futebol Felipe Ximenes, que será apresentado pelo Flamengo na tarde desta sexta-feira. Resta saber, agora, se o executivo tentará ou não impedir a vinda dos dois volantes.

Irmão de Alecsandro, Richarlyson deixou o Atlético-MG no fim de abril deste ano, quando teve o seu contrato encerrado. A contratação dele é bem vista pela cúpula de futebol do Rubro-Negro, já que o jogador também atua como lateral-esquerdo, posição do questionado André Santos.

Já Rosinei tem contrato com o Galo até o fim desta temporada. O volante, porém, está sem espaço na equipe de Levir Culpi. A diretoria do clube mineiro, inclusive, já deixou claro que tem a intenção de negociar o jogador.

Fora do jogo contra o Cruzeiro, Felipe, ''o vagabundo'', é liberado e entra de férias no Flamengo


Felipe flamengo desembarque bolívia (Foto: Thales Soares)O goleiro Felipe já está de férias. Fora da relação dos jogadores do Flamengo que irão enfrentar o Cruzeiro, neste domingo, em Uberlândia-MG, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, o arqueiro rubro-negro foi liberado nesta sexta-feira para o período de descanso. Seu retorno está programado para o dia 16 de junho, ao lado dos demais atletas do elenco.

Todos receberão férias a partir de segunda-feira, já que o nacional será interrompido para a realização da Copa do Mundo. Porém, como Ney Franco já havia declarado que irá testar novamente Paulo Victor diante dos mineiros, a comissão técnica dispensou Felipe mais cedo.

O jogador, que estava concentrado com o grupo em São Paulo, local do empate por 1 a 1 com o Figueirense, na quinta-feira, deixou o hotel um pouco antes das 15h desta sexta-feira. Felipe havia faltado um treino dois dias antes do duelo contra o Santos, no último domingo, e ficou fora da partida diante do Peixe, algo que se repetiu contra o Figueira.

O técnico Ney Franco afirmou já ter perdoado o arqueiro. No entanto, o comandante, após a partida de quinta-feira, anunciou que manteria Paulo Victor como titular e utilizará o recesso de jogos para decidir quem será o titular da meta rubro-negra.

- Foi uma decisão técnica. Conversei com o atleta, junto com o preparador de goleiros (Wagner Miranda) e o meu capitão (Léo Moura). Pelo rendimento do Paulo Victor, queria vê-lo nesses dois jogos (Figueirense e Cruzeiro) e na parada definir quem será o goleiro titular. Domingo, ele vai ter um grande desafio contra um dos melhores ataques do Brasil - disse Ney Franco.

O Flamengo tem apenas uma vitória em oito jogos no Brasileirão, com sete pontos, na zona do rebaixamento, em 17º lugar.

Torcida mirim de Teresópolis elege Neymar e Flamengo como os mais queridos



molecada
O sol reapareceu em Teresópolis e fez as crianças perderem a timidez na Granja Comary. Com a aproximação do fim de semana, elas convenceram os pais a matar aula nesta sexta-feira para curtir um dia com os jogadores da Seleção Brasileira.

Empolgadas com Julio Cesar, Jefferson e Victor, que começaram a treinar antes do demais, gritaram o nome de cada, empolgaram-se com o aceno do primeiro e levaram até buzina para chamar a atenção.

No início do treino, que começou às 10h10, havia nove crianças no condomínio anexo à Granja Comary. Sofia Rocha, Sofia Martins, Daniel, Isabella, Luiz Artur, Artur Rocha, Matheus, Ana Luísa e Henrique elegeram Neymar como o mais querido jogador da Seleção e o Flamengo como o time de maior  torcida – pelo menos para eles.

Veja o voto de cada um:

Sofia Rocha, 9 anos: Neymar e Flamengo
Sofia Martins, 9 anos: Julio Cesar e Flamengo
Isabella Rocha, 5 anos: Neymar e Flamengo
Daniel Barreto, 10 anos: Neymar e Flamengo
Ana Luísa Santos, 10 anos: Fred e Fluminense
Artur Rocha, 6 anos: Neymar e Flamengo
Luiz Artur Feoroseppi, 2 anos: Neymar e Flamengo
Matheus Queirós, 6 anos: Neymar, Flamengo, Fluminense e Botafogo (voto democrático)
Henrique Tomé, 2 anos, preferiu não votar. Estava concentrado no treino.

As crianças moram ou estão hospedadas no condomínio onde a reportagem do L!Net montou sua redação para cobrir a Seleção Brasileira, em Teresópolis.

Flamengo na TV

 
DOMINGO, 1

Série A do Campeonato Brasileiro


16h - Cruzeiro x Flamengo

 

Transmissão: TV Globo para RJ, RS, SC (menos Chapecó e Joaçaba), MG (menos Belo Horizonte, Uberlândia e Ituiutaba), ES, GO, TO, MS, MT, BA, SE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Junior e Paulo César Oliveira) e Premiere e Premiere HD (com Julio Oliveira, Fernandão e Ivan Andrade)

Flamengo mantém férias, para os vagabundos, na pausa para a Copa, e volta aos treinos será dia 16


A situação do Flamengo no Campeonato Brasileiro levou a diretoria a cogitar a possibilidade de quebrar o acordo feito com os jogadores para liberar o grupo por 14 dias durante a parada da competição para a Copa do Mundo. O empate por 1 a 1 com o Figueirense, nesta quinta-feira, no Morumbi, deixou o time na zona de rebaixamento da competição. No entanto, acabou mantendo o que havia sido conversado quando Jayme de Almeida ainda era o técnico e Paulo Pelaipe, o diretor.

Com isso, o grupo estará liberado logo depois do jogo com o Cruzeiro, domingo, em Uberlândia, pela nona rodada do Brasileiro, a última antes da parada. A viagem de volta para o Rio está marcada para a manhã de segunda-feira. A reapresentação para os treinos acontecerá apenas no dia 16 de junho.

O vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcelos, havia dito que a situação merecia ser estudada e uma conversa aconteceria com o técnico Ney Franco. O comandante preferiu que a palavra fosse mantida com o grupo. O novo diretor de futebol Felipe Ximenes não participou dessa decisão.

No período, a diretoria do Flamengo vai intensificar a busca por reforços. Jogadores do grupo atual podem ser envolvidos em negociações. Nomes como Montillo, do Shandong Luneng, da China, e Fernandinho, que pertence ao Al Jazira, dos Emirados Árabes, e estava no Atlético-MG, estão entre os principais alvos do clube.

Enquanto não chega a parada, o time treina nesta sexta-feira em uma academia de São Paulo. No sábado, a atividade será no centro de treinamento das categorias de base do Palmeiras, em Guarulhos.


Rapidinhas da coisa maldita, vasco



A coisa maldita , vasco, continua perdendo na Justiça do Rio e vai pagar R$ 800 mil a Joel Santana, R$10 milhões para Romário e R$ 1,3 milhão ex-jogador de vôlei Giovane Gávio e perde no tribunal, e resultado da decisão do Carioca é mantido: vice de novo!

.
Joel Santana está prestes a ser um a menos na fila de credores do vasco. Afastado do futebol, o treinador hoje faz mais sucesso em comerciais de TV e pode comemorar em breve a entrada de uma nova renda: ele vai receber cerca de R$ 800 mil do clube nos próximos dias. O depósito é feito em juízo através de cotas de televisão já comprometidas pelo clube de São Januário. O débito é uma soma das últimas duas passagem de Joel pelo clube - o treinador, em 1992 e 1993, comandou o vasco em quatro oportunidades - e vem de uma confissão de dívida que serviu de instrumento para ação do técnico contra o clube em 2010.

O caso é semelhante ao de Romário. O deputado federal e o treinador entraram com ação contra o vasco, que contestou a prova de confissão de dívida - nos dois casos, o clube saiu derrotado. No início, o débito total era de R$ 840 mil. Com a outra passagem - Joel treinou o vasco em 2000 e depois voltou em 2004 -, após pagamentos de algumas parcelas, a dívida chegou a quase R$ 900 mil. O clube, na gestão de Dinamite, pôs em dúvida a prova do treinador - baseada em confissão de dívida assinada pela diretoria do ex-presidente Eurico Miranda. Mas, assim como no caso de Romário, que ainda tem a receber do vasco mais de R$ 10 milhões, a Justiça deu ganho de causa a Joel. O técnico, aliás, ainda move outro processo contra o clube de São Januário.

Recentemente, o clube quitou a dívida com o ex-jogador de vôlei Giovane Gávio. O bicampeão olímpico conseguiu penhorar R$ 1,3 milhão da verba de patrocínio da Caixa Econômica Federal no fim do ano passado. Giovane jogou no vasco em 2000, quando a equipe de vôlei tinha sede em Três Corações (MG). Em 10 de outubro de 2007, ainda na gestão do ex-presidente Eurico Miranda, o vasco assinou documento reconhecendo dever R$ 963 mil a Giovane. Na gestão Dinamite, o clube passou a pagar menos do que o acordado e, na Justiça, o ex-atleta conseguiu receber o alto montante do patrocinador estatal.

Em meio a burburinho sobre o futuro, Bandeira de Mello tira férias até dia 6


Pelaipe Wallim e Bandeira de Mello Flamengo (Foto: Thales Soares)
Uma semana para esfriar a cabeça. Com o Flamengo em estado de ebulição no campo e também na política, Eduardo Bandeira de Mello aproveitou a paralisação para Copa do Mundo e tirou férias até o próximo dia 6 de junho. Presente nos treinamentos de terça e quarta-feira, no Ninho do Urubu, o presidente está fora do Rio de Janeiro e há no clube quem coloque em dúvida um retorno imediato ao cargo.

Cada vez mais na mira da torcida com a má fase recente da equipe no Brasileirão, não foram poucas as vezes em que Bandeira de Mello foi alvo de protestos coletivos nas arquibancadas e até mesmo hostilizado por torcedores situados junto ao seu camarote no Maracanã. Após a derrota para o São Paulo, acompanhantes do mandatário no local chegaram a rebater as críticas, dando início a um rápido bate-boca. Tais episódios fizeram com que começasse na sede social da Gávea um burburinho a respeito de um pedido de licença mais longo, motivado por pressão familiar.

Na última terça-feira, no centro de treinamento, Bandeira fez questão de rechaçar a possibilidade e disse não ser covarde para tomar tal atitude. Pessoas próximas à família do dirigente, por sua vez, garantem que o tema foi colocado em debate. A justificativa para o afastamento seria problema de saúde da esposa do presidente. Até o momento, porém, nada passou de um diálogo familiar.

Períodos de férias não são incomuns no Flamengo. Um marcante aconteceu com o ex-presidente Márcio Braga, que tirou dias de folga e viajou para Disney também em um momento de cobranças ao time de futebol. Na época, o episódio foi alvo de piadas com personagens do parque americano.

Desde que assumiu o clube, há um ano e meio, Bandeira de Mello tem na serenidade sua principal característica. Até então, no entanto, não tinha vivido momento de tamanha pressão. Com os títulos da Copa do Brasil e do Carioca, o departamento de futebol vivia dias tranquilos, e os momentos de crise tinham o ex-diretor executivo Paulo Pelaipe como alvo. Dessa vez, a situação mudou, e o presidente foi quem recebeu a carga.

No momento, quem responde pelo Flamengo é o vice geral, Walter D'Agostino. De férias, Bandeira de Mello terá tempo de sobra para refletir e conversar com a família. Com mais um ano e meio de mandato, a cadeira mais importante do clube é a realidade. Resta saber se assim será até dezembro de 2016.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Ney revela clima de frustração após tropeço do Flamengo: "Vestiário foi horrível"



A situação do Flamengo pede atitudes enérgicas e emergenciais. Depois do empate por 1 a 1 com o Figueirense, nesta quinta-feira, no Morumbi, o time entrou na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O técnico Ney Franco revelou toda a sua frustração com o resultado em seu quarto jogo no comando do time, com três empates e uma derrota.

A esperança do treinador é a parada para a Copa do Mundo, que acontecerá depois do confronto com o Cruzeiro, domingo, em Uberlândia. Esse jogo, mesmo contra o líder, é visto pelo treinador como a possibilidade de terminar essa primeira parte do Brasileiro com tranquilidade para trabalhar.

- Estamos apostando tudo na parada. Jogadores vão chegar, pois o elenco precisa ser qualificado. Com isso e o tempo de trabalho, a gente acredita na capacidade de jogar mais do que vem jogando até o momento. Anteriormente, peguei o time em uma situação parecida na minha primeira vez. Também tinha uma parada para a Copa, com o time mal posicionado no Brasileiro. Usamos bem aquele tempo, o time foi campeão da Copa do Brasil e fez uma boa reta final de Brasileiro - afirmou Ney.

Durante o jogo, o treinador tirou Elano no intervalo e substituiu Igor Sartori depois de apenas 29 minutos jogados no segundo tempo. Ney Franco explicou essas mudanças e ainda a decisão de não escalar Felipe.

- Foi uma escolha técnica - afirmou o treinador.

Com o resultado desta quinta-feira, o Flamengo fechou a nona rodada na 17ª posição, com os mesmos sete pontos do Vitória, que fica uma posição à frente por ter melhor saldo de gols. Ainda sem vencer sob o comando de Ney Franco (uma derrota e três empates), o Rubro-Negro volta a campo no domingo para enfrentar o líder Cruzeiro em Uberlândia (MG).

Confira os principais trechos da entrevista de Ney Franco após a partida

Impacto imediato

"O clima no vestiário foi horrível para jogadores e comissão técnica. Foi um jogo em que abrimos mão no primeiro tempo. No segundo tivemos mais volumes, mais oportunidades, mas nossa bola não entrou. O trabalho foi feito em busca de uma vitória e não tivemos a competência para vencer. Em cima disso, ficamos muito frustrados".

Recuperação na parada

"O sentimento é de não ver o resultado prático em campo do que estamos fazendo no treinamento. A fala nesse período é ter que preparar a equipe. Foram quatro jogos com a equipe se arrastando em campo. Temos que aproveitar a parada para ajustar a parte técnica, tática e física. Deixar o time mais forte em todos os sentidos na segunda parte do Campeonato Brasileiro".

Saída de Igor Sartori

"Já conversei com ele. É muito difícil para qualquer jogador entrar em um jogo e ser substituído. Foi muito em função da opção que eu tinha de pressionar. O time estava muito dentro do campo adversário e tinha quatro atacantes. Precisava de alguém mais centralizado, com característica de chutar a gol. Está nos nossos planos e será lapidado para no futuro ser um potencial jogador e atender as necessidades técnicas do Flamengo".

Felipe fora

"Foi uma decisão técnica. Conversei com o atleta, junto com o preparador de goleiros (Wagner Miranda) e o meu capitão (Léo Moura). Pelo rendimento do Paulo Victor, queria vê-lo nesses dois jogos (Figueirense e Cruzeiro) e na parada definir quem será o goleiro titular. Domingo, ele vai ter um grande desafio contra um dos melhores ataques do Brasil".

Parada para a Copa

"Estamos apostando tudo na parada. Jogadores vão chegar, pois o elenco precisa ser qualificado. Com isso e o tempo de trabalho, a gente acredita na capacidade de jogar mais do que vem jogando até o momento. Anteriormente, peguei o time em uma situação parecida na minha primeira vez. Também tinha uma parada para a Copa, com o time mal posicionado no Brasileiro. Usamos bem aquele tempo, o time foi campeão da Copa do Brasil e fez uma boa reta final de Brasileiro".

Pontos perdidos

"Tivemos a capacidade de tomar gol de uma equipe que atacou pouco. Lamento muito o primeiro tempo. Tem que fazer valer o princípio do mando de campo e não tivemos competência para isso".

Torcida no Morumbi

"Ela tem razão com relação ao primeiro tempo. O time jogou mal, mas fez um bom segundo tempo, criou mais oportunidades. Mas não tenho que fazer avaliação do torcedor, porque entendo a posição dele. É equipe pela qual é apaixonado e ela joga mal como jogou hoje. Está no direito dela. Só há uma maneira de mudar, que é jogar bem e os jogadores tem que ter esse entendimento e força mental".

Sem evolução

"Não tive muitas sessões de treinamento. Foram quatro trabalhos táticos desde que eu cheguei. Em alguns momentos, tenho conseguido fazer na véspera dos jogos, mas com trabalhos curtos. Tenho passado o material dos jogos, mas falta mesmo é tempo para ajuste das peças. Precisamos do mínimo de movimentações básicas ofensivas, de transição da defesa para o ataque, definição mais certa da marcação".

Jogo contra o Cruzeiro

"Já tivemos uma mobilização imediata para esse jogo. Pegamos o lanterna e agora vamos enfrentar o líder em um jogo que pode marcar uma virada se a gente conseguir vencer. Seria uma vitória para nos dar moral e tranquilidade para trabalhar na parada".

Mando fora do Rio

"Esse campeonato tem essa particularidade. Acho que só o São Paulo está jogando em casa. Não pode ser desculpa. Não dá para transferir para isso a responsabilidade do resultado. Jogamos no Morumbi, um dos melhores gramados do país, em um campo enorme, com toda a estrutura para trabalhar".

Substituição de Elano

"A gente fez um mau primeiro tempo e vendo a perspectiva de que a equipe não teria força no segundo tempo, que não melhoraria, fiz as duas mudanças. Não saiu apenas o Elano. Tirei um volante (Luiz Antonio) também. Entraram dois homens mais ofensivos".

Bicicleta de Alecsandro

"Lamento que não tenha entrado. Foi uma jogada muito bonita. São raros os jogadores com competência para realizar esse lance. Mas da mesma forma como o goleiro teve competência. Se entrasse, seria um dos mais bonitos do Brasileiro até essa rodada".