Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 19 de julho de 2014

Classificação série B - 2014



Classificação PG J V E D GP GC SG %
Ceará 24 12 7 3 2 21 16 5 67
América-MG 23 12 7 2 3 21 12 9 64
Joinville 23 12 7 2 3 16 11 5 64
Luverdense 21 12 6 3 3 16 11 5 58
ABC 20 12 6 2 4 14 11 3 56
Avaí 20 12 6 2 4 13 12 1 56
Sampaio Correa-MA 19 12 5 4 3 18 11 7 53
Coisa maldita,vasco 18 11 4 6 1 17 8 9 55
América-RN 17 12 5 2 5 19 18 1 47
10° Ponte Preta 17 12 4 5 3 15 14 1 47
11° Santa Cruz-PE 16 12 3 7 2 15 14 1 44
12° Náutico 15 11 4 3 4 14 14 0 45
13° Boa Esporte Clube 14 12 4 2 6 13 16 -3 39
14° Atlético-GO 13 11 3 4 4 14 14 0 39
15° Icasa 12 12 3 3 6 9 15 -6 33
16° Portuguesa 11 12 2 5 5 13 19 -6 31
17° Oeste 11 11 2 5 4 9 16 -7 33
18° Paraná Clube 10 12 2 4 6 13 16 -3 28
19° Bragantino 10 12 2 4 6 14 21 -7 28
20° Vila Nova-GO 5 12 1 2 9 5 20 -15

Oito garotos de Roraima preparam-se para fazer testes no Flamengo-RJ


Seis dos oito garotos que passaram na peneira para realizar testes no Rio de Janeiro (Foto: Arquivo Pessoal) 
Seis dos oito garotos que preparam-se para realizar testes no Rio de Janeiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Os oito garotos que foram selecionados na peneira do Flamengo realizada em Roraima, em novembro de 2013, embarcam para o Rio de Janeiro neste dia 26. Os testes na Gávea, sede do rubro-negro, estão marcados para iniciar no dia 28.

Com a participação de mais de 400 garotos avaliados pelo coordenador das categorias de base do Flamengo, Thiago Araújo, e o observador técnico do time carioca, Carlos Beraldini, na peneira realizada em Roraima, os escolhidos pelos profissionais foram: Gabriel Asaph, 8 anos; Adriano Filho, Leonardo Almeida, Luiz Rafael, ambos de 9 anos; Diego Pereira e Ruan Lucas, de 11; Kaio Cristian, 15 anos; e Ricardo Loiola, 16 anos.

De acordo com o coordenador da escolinha do Flamengo em Roraima, Társis Almeida, os garotos, que devem viajar com um responsável, ficam no Flamengo de acordo com as avaliações técnicas que serão submetidos pelos profissionais.

- Os jogadores iniciam o período de testes na segunda-feira, sendo avaliados nos coletivos no campo e no futsal. Dependendo das decisões dos avaliadores, os garotos podem ficar entre uma a duas semanas. Se alguém for selecionado para integrar as categorias de base do Flamengo, o jogador retorna para ficar no Rio de Janeiro treinando por conta do clube.


Fanático: pernambucano transforma casa em "santuário" flamenguista

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo. É essa a filosofia de vida do funcionário público Lucenildo Lima, 50 anos. Morador de Petrolina, no sertão pernambucano, ele transformou a casa em um santuário rubro-negro. O vermelho e preto está espalhado em todos os cantos da residência. Segundo o torcedor, sua coleção conta com mais de 500 peças do time do coração.

A frente da casa ficou com as cores do Flamengo  (Foto: Emerson Rocha) 
A frente da casa ficou com as cores do Flamengo (Foto: Emerson Rocha)
– É uma briga com a mulher porque ela compra alguma coisa  para colocar na estante e eu vou deixando de lado para colocar as coisas do Flamengo – conta Lucenildo.

A mulher do flamenguista, Lourdes Santos Souza, teve que aceitar algumas excentricidades do marido. Além de não ter espaço para expor os objetos que compra ou ganha de presente, ela viu a entrada de sua casa ficar com as cores do time carioca. Não satisfeito, Lucenildo já encomendou um portão novo, que assim como o sofá, cama, parede, será vermelho e preto.

 – Depois do que ele fez na parede da frente, tem que ser aprovado. O portão vai ficar mais bonito que a parede – brinca Lourdes, que também é flamenguista, mas, como ela diz, sem fanatismo.

Lucenildo Lima espalha a paixão pelo time em todos os cantos da casa (Foto: Emerson Rocha)Conforme crescia a paixão pelo Flamengo, Lucenildo aumentava sua coleção com objetos do clube.

– Eu fui me tornando uma referência de torcedor flamenguista. Por isso, a maioria das pessoas quando pensavam em me presentear, ou traziam alguma lembrança de viagem, me davam coisas do Flamengo. Assim surgiu esse santuário aqui em casa, mas a intenção não era essa. Porém, a coisa foi fluindo, fluindo e graças a Deus hoje está do jeito que está.

Assim como a maioria dos flamenguistas, Lucenildo está sofrendo com a fase negativa que o time passa no Brasileirão. Para ele, o rebaixamento do clube do coração é coisa inimaginável. Mas, caso aconteça, na cabeça do petrolinense, até a economia do país será afetada.


As cores do Flamengo fazem parte da vida da família  (Foto: Emerson Rocha) 
As cores do Flamengo fazem parte da vida da família (Foto: Emerson Rocha)

– Eu aprendi no ditado que depois de toda tempestade sempre vem a bonança. Eu espero que venha logo essa bonança, se não vai ficar ruim não só para o Flamengo, para a nação rubro-negra, mas para todo o Brasil. Se o Flamengo cair, vai gerar um déficit financeiro para o Brasil todo, infelizmente – prevê.

Pai de oito filhos, Lucenildo se orgulha de todos terem puxado o seu lado flamenguista. Também, não poderia ser diferente. Sempre que nascia algum herdeiro, a primeira roupa tinha que ser a do clube carioca. Porém, foi o caçula quem ganhou o nome do pai e carrega o mesmo fanatismo pelo time.


Filho mais novo segue o ritmo do pai (Foto: Emerson Rocha)– Desde pequenininho que tenho um monte de coisas do Flamengo. Quando o Flamengo perde eu me desespero, choro e fico nervoso – assume Juninho, de 11 anos.

Se dentro de casa Lucenildo conseguiu fazer com que todos os filhos fossem rubro-negros, na rua ele também tenda espalhar essa paixão. O funcionário público diz que já teve mais de 300 camisas do clube, e que gosta de fazer doações para aumentar o número de flamenguistas.

 – Gosto de dar as camisas para aumentar o número de correligionários. Como diz o nosso grande ídolo Junior, o Flamengo é uma nação e a gente não pode deixar de trazer mais torcedores para o nosso time – explica. 

Procurado pelo Fla, Bolaños garante que definirá futuro na semana que vem



Atacante Bolaños da Costa Rica (Foto: Russel Dias)
Em meio a especulações, o meia Christian Bolaños garantiu que ainda não definiu qual time irá defender na sequência da temporada. Um dos destaques da seleção da Costa Rica na Copa do Mundo, o jogador espera selar o destino na próxima semana.

– Não estou nem perto, nem longe do Flamengo. Vou ficar com minha família para descansar e na semana que vem decidir o meu futuro. Além do Flamengo, tem outros clubes interessados. Foi bom jogar uma Copa do Mundo no Brasil, sobretudo porque me abriu muitas portas – disse o jogador em entrevista à Rádio Columbia, da Costa Rica.

Além do Rubro-Negro, outros dois clubes fizeram proposta pelo costarriquenho, que não renovou contrato com o Copenhague (DIN), que se encerrou no início deste mês.

Em busca de um camisa 10 nato desde a saída de Ronaldinho Gaúcho, em 2012, o Flamengo tem hoje no elenco o argentino Lucas Mugni e Mattheus para a função. No entanto, o clube entende que precisa de um nome de mais peso para ser a referência no meio de campo.

Flamengo embarca sob protestos: Felipe, Elano e Andre Santos são os grandes alvos

Clima quente no embarque do Flamengo para Porto Alegre. Cerca de 20 torcedores foram ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, neste sábado, protestar contra a última colocação no Campeonato Brasileiro. Antes da viagem para partida com o Internacional, domingo, no Beira-Rio, o grupo cercou os jogadores no saguão do local e cobrou melhores resultados. Felipe, Elano e André Santos foram os alvos principais.

Protesto torcida Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
André Santos revela todo o abatimento dos rubro-negros com os protestos (Foto: Cahê Mota)

Ciente de que o protesto tinha sido marcado, o Flamengo reforçou a segurança e colocou homens à paisana para protegerem os jogadores. As cobranças, no entanto, foram todas verbais. O tom ficou mais ríspido quando Elano desceu do ônibus e torcedores se aproximaram gritando:

- Tem que correr, Elano. Vamos correr. Está pensando que isso aqui é Santos?

Mattheus Protesto Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Jogadores tentam ignorar críticas, mas contato é inevitável (Foto: Cahê Mota)


Logo depois, André Santos deixou o veículo e também foi muito cobrado. Os rubro-negros também pediram maior dedicação ao lateral e chegaram a dizer para ele voltar para Turquia, onde defendeu o Fenerbahçe. Já dentro do aeroporto, o tom foi de ameaça.

- Já passou da hora de meter o pé. Se não ganhar lá (em Porto Alegre), nem volta para o Rio.

A paciência dos torcedores também chegou ao fim com Felipe, que teve seus rebaixamentos por Corinthians e Vitória lembrados. Nenhum jogador, entretanto, passou ileso pelos torcedores. A Mattheus, por exemplo, disseram para "deixar o papai de lado e jogar bola", enquanto com João Paulo as palavras foram: "Até ontem jogava no interior de São Paulo e agora não quer correr".

Protesto torcida Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Mugni é um dos que não ouviram tanto dos torcedores (Foto: Cahê Mota)


Já os dirigentes tiveram trégua dos torcedores. O presidente Eduardo Bandeira de Mello passou quase despercebido na delegação. De uma das portas do aeroporto, o diretor executivo Felipe Ximenes observou o protesto e o máximo que ouviu foi questionamentos sobre "o que era necessário para que os principais alvos deixassem o clube".

Muito pressionado, o Flamengo encara o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio, pela 11a rodada do Brasileirão. Há sete rodadas sem vencer e com somente sete pontos em dez jogos, o clube é o último colocado na tabela.

André Santos Protesto Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Torcedor direciona sua bronca contra André Santos (Foto: Cahê Mota)
 
 
 

Além de Samir e Paulinho, Everton também desfalca o Flamengo contra o Inter


Everton - Treino do Flamengo (Foto: Bruno de Lima/ LANCE!Press)
Mais problemas para Ney Franco escalar o Flamengo que encara o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio, pelo Brasileirão. Everton e Paulinho não participaram do treinamento fechado na manhã deste sábado, no Ninho do Urubu, e estão vetados para o jogo. A dupla se junta a Samir na lista de desfalques e sequer viaja para Porto Alegre.

Na atividade realizada no CT, Ney Franco apresentou vídeos sobre o Colorado antes de orientar o elenco no campo. O treinador trabalhou o time taticamente e posicionamento em jogadas de bola parada. A tendência é que Lucas Mugni e Nixon sejam as escolhas para iniciar a partida.

Sem Hector Canteros, que ainda não está regularizado, Ney Franco escalará Luiz Antônio na vaga de Samir, com um problema na coxa, mudando o esquema do 3-5-2 para o 4-4-2. Sem Paulinho, a tendência natural é que Lucas Mugni seja o escolhido. Foi isso que aconteceu quando o atacante machucou o pé ao receber pancada na derrota para o Atlético-PR, quarta-feira, em Macaé.

Já o problema de Everton é no tornozelo direito. O jogador se queixou de dores e foi poupado do treino de sexta, mas Ney Franco chegou a comentar em entrevista coletiva que não seria problema para a partida. A lesão, no entanto, segue incomodando e ele está vetado.

Assim, a tendência é que o Fla ente em campo no Sul com Felipe, Léo Moura, Wallace, Chicão e André Santos; Recife, Luiz Antônio, Elano e Lucas Mugni; Nixon e Alecsandro. Com sete pontos, a equipe é lanterna no Brasileirão.

Confira os relacionados para pegar o Inter:

Goleiros: Felipe e Paulo Victor.
Laterais: André Santos, João Paulo e Léo Moura.
Zagueiros: Chicão, Fernando e Wallace.
Volantes: Amaral, Elano, Luiz Antonio, Márcio Araújo, Muralha e Recife.
Meias: Lucas Mugni e Mattheus.
Atacantes: Alecsandro, Arthur, Negueba e Nixon.

Confira abaixo da lista completa dos lesionados e suspensos na 11ª rodada


INFO suspensos e lesionados rodada 19/07 (Foto: Editoria de Arte)

Flamengo fecha o time para segurar D´Alessandro e aposta no contragolpe


D Alessandro Corinthians e Internacional (Foto: Marcos Ribolli)Um time fechado na defesa e em busca de espaços para dar o bote nos contra-ataques. Desta maneira, o Flamengo segue para Porto Alegre neste sábado para encarar o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Brasileirão. Depois de propor o jogo e se dar mal na partida com o Atlético-PR, no meio de semana, o Rubro-Negro adotará postura mais precavida para dificultar as ações do rival gaúcho. E quem admitiu isso foi o próprio Ney Franco.

Fazendo uma comparação da postura apresentada pelo Furacão e do que espera do Colorado, o treinador do Flamengo prometeu uma equipe que ocupará bem os espaços em seu campo defensivo, até mesmo para complicar a armação de jogadas de D´Alessandro. Assim, o Rubro-Negro poderia encontrar ainda buracos para sair em velocidade e surpreender no contragolpe.

- Qualquer clube que enfrentar o Internacional em seu estádio sabe que é muito difícil. Eles aproveitam bem o mando de campo, e temos que ter uma postura diferente do último jogo. Encaramos um time que explorou o contra-ataque. Agora, talvez seja diferente e armemos uma equipe para o contra-ataque. É uma estratégia que devemos ter, marcar um pouco atrás, reduzir a área de atuação do D' Alessandro, e explorar o contra-ataque.

Ney, Léo Moura, André Santos (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem) 
Ney quer o Flamengo atento ao futebol de D'Alessandro (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)

Para o jogo do Beira-Rio, o Flamengo apresentará ainda mudanças de esquema tático e de peças. Sem Samir, com uma lesão muscular, Ney Franco deixa o 3-5-2 e volta para o 4-4-2, com Luiz Antonio no meio-campo. De acordo com o treinador, os jogadores estão acostumados com a variação, que teria sido treinada durante a paralisação do Brasileirão para Copa.

- Já no jogo com o Atlético-PR mudamos para uma linha de quatro, com o Léo Moura mais para frente e o Wallace aberto no lado direito. Não treinamos só o 3-5-2, vínhamos trabalhando variações. Não é mudar tudo.

A expectativa é de que o Flamengo encare o Internacional com Felipe, Léo Moura, Chicão, Wallace e André Santos; Recife, Luiz Antonio, Elano e Lucas Mugni (Paulinho); Everton e Alecsandro. Com sete pontos, os cariocas estão na última posição na tabela.


Em busca de equilíbrio, Ney cogita chegada de psicólogo ao Flamengo


 Um time preocupado em manter a cabeça boa para encontrar um caminho com os pés. Se em campo as coisas estão longe de andar conforme o esperado no Flamengo, internamente já há uma mobilização para que a pressão pela lanterna no Brasileirão não cause efeitos ainda mais drásticos no restante da competição. Para isso, a diretoria rubro-negra estuda a contratação de um profissional que mantenha os nervos no lugar e o ambiente tranquilo para uma volta por cima. De acordo com Ney Franco, são boas as possibilidades de um psicólogo voltar a compor a comissão técnica. 

O cargo está vago no Flamengo desde o início de 2011, quando Paulo Ribeiro foi demitido junto com outros cinco profissionais na gestão Patrícia Amorim. O psicólogo, inclusive, tinha trabalhado com o próprio Ney Franco em 2006 e 2007, na Gávea. Questionado sobre a preocupação com o lado emocional, o treinador deixou escapar a existência de conversas para que alguém atue no sentido de manter o equilíbrio dos jogadores.

- Há alguns profissionais do futebol que têm que dar um suporte. Já conversamos sobre a possibilidade de contratar um profissional para desenvolver um projeto na área emocional. Precisamos pensar com carinho. É um lado onde o Flamengo já teve há um tempo atrás e agora está descoberto. Em alguns momentos, perdemos treinamentos para reunir o grupo e conversar sobre algumas situações.

 Ney revelou que ele próprio tem tentado desempenhar este papel em momentos mais extremos e não se priva de abrir mão até mesmo de trabalhos no campo por conversas que considera primordiais. Para o comandante rubro-negro, o elenco precisa estar com a cabeça boa para encontrar as vitórias tão escassas nos últimos tempos - o Rubro-Negro vem de sete rodadas de jejum.

 
- Cada temporada, cada clube é uma história diferente. O Flamengo neste campeonato realmente não o apresentou um futebol para estar em uma situação melhor. O importante é ter o controle do grupo. A pressão é maior, a projeção é maior. Temos que nos preocupar com o lado emocional, contornar algumas situações e trabalhar com qualidade para termos tranquilidade nos jogos. É preciso um equilíbrio em todos os setores do clube. Se conseguirmos uma sequência, vamos entrar em uma onda boa e o time pode dar uma deslanchada. É importante sempre conversar, reunir o grupo.

A preocupação em manter o moral do grupo elevado fez até mesmo com que Ney Franco se explicasse publicamente a respeito da declaração de que o time teria chegado ao fundo do poço após perder para o Atlético-PR, em Macaé. O técnico ressaltou que a afirmação se deu por conta da última posição na tabela e não pelo que foi desempenhado em campo.

- Quando falo fundo do poço é em termos de pontuação, não o time. Não é emocional, técnico ou tático. Estamos trabalhando com o grupo que é o último colocado no Brasileiro, mas eu acredito e confio.

Com sete pontos, o Flamengo é o último colocado no Brasileirão e terá pela frente o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio, pela 11ª rodada.


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Pressionado, Ney pede paciência no Flamengo: "É precoce para avaliar"


Pressão. Seis vezes pressão. No Flamengo, a cobrança em cima de Ney Franco é proporcional ao número de partidas sem vitórias desde que retornou ao clube. Contratado para o lugar de Jayme de Almeida após a derrota no Fla-Flu da quarta rodada, o treinador viu piorar um cenário que já se desenhava sombrio com o comandante anterior. Pouco mais de dois meses após sua chegada, são três empates, três derrotas e uma amarga última colocação no Brasileirão. Retrospecto que coloca o técnico contra a parede, e ele sabe disso. 

Com a experiência de quem já perdeu o cargo no próprio Rubro-Negro por pressão na luta contra o rebaixamento, em 2007, Ney Franco aponta a situação como natural, mas ainda precoce. Dividindo o trabalho entre antes e depois da Copa do Mundo, o treinador pede tempo para que o time demonstre em campo tudo que trabalhou durante o Mundial e sabe que vencer é determinante para tirar a corda de seu próprio pescoço e do clube.

- A cobrança é natural por resultados. Em qualquer lugar, não só no Flamengo, com uma sequência negativa, o trabalho pode ser colocado em dúvida. Só não gostaria que este jogo do Atlético-PR fosse a única avaliação para o período de 30 dias. Temos o jogo com o Internacional, um clássico com o Botafogo, e sabemos que nosso trabalho é sempre visto pelo resultado em campo. Não estamos conseguindo neste início, mas a expectativa é de continuar trabalhando e insistindo.

Ney Franco no treino do Flamengo (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo) 
Ney Franco é o principal alvo da ira dos rubro-negros no momento (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo)

O comandante rubro-negro lembrou que outras equipes também tropeçaram no retorno do Brasileirão e disse que alguns erros apresentados na derrota para o Atlético-PR só poderão ser corrigidos no decorrer dos jogos.

- O Internacional treinou 30 dias e perdeu para o Corinthians, o Palmeiras para o Santos, e por aí vai. Acho que é muito precoce avaliarmos 30 dias de trabalho em apenas um jogo. Logicamente, que se for uma sequência de dois, três, quatro, até chegaremos a uma situação de conversar abertamente sobre isso. Mas ainda é muito precoce. Há detalhes, ajustes que fazemos nos jogos. Nosso desafio é fazer essa sintonia fina.

Ney Franco não nega que a realidade apresentada pela tabela ao Flamengo assusta. Por outro lado, o técnico se mostra seguro do trabalho que tem desenvolvido e tenta evitar desespero.

- É uma situação preocupante, mas estamos trabalhando para sair. Temos potencial para sair, pelo elenco e pelo trabalho. Em alguns momentos, a bola bate na trave, não entra, mas não justifica. Não podemos ter desespero. Temos um norte para o trabalho e a expectativa é jogarmos melhor. Contra o Atlético-PR, não merecíamos uma derrota. Esperamos jogar melhor diante do Inter e ter a competência para fazer os gols. O momento não é o melhor, mas temos que juntar forças.

No caminho, o Flamengo terá um rival duro pela frente. Como o próprio Ney Franco faz questão de frisar, o Colorado tem um dos elencos mais completos do país e não são poucos os pontos fortes listados pelo rubro-negro.

- É um dos melhores elencos do futebol brasileiro. Se formos fazer uma avaliação, no início do campeonato todo mundo colocaria o Inter como time em condição de ser campeão. Contra o Corinthians, o Aránguiz fez falta. É um time que tem um meia como o D' Alessandro, que faz a diferença. O Fabrício é um dos melhores laterais do Brasil. Tem a experiência do Juan e do Dida. O Rafael Moura evoluiu muito com o Abel. O Willians é quem mais desarma, além do Abel, que é vitorioso. Vai ser um jogo difícil contra um candidato ao título.

Flamengo e Internacional se enfrentam no domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Canteros não aparece no BID e tem estreia pelo Flamengo novamente adiada


O Flamengo esperou, Ney Franco experimentou, mas não deu certo: Hector Canteros terá que esperar, no mínimo, mais uma semana para estrear com a camisa rubro-negra. O nome do argentino ainda não consta no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, após às 19h (de Brasília), horário limite, e ele não tem condição de jogo para pegar o Internacional, domingo, às 16h, no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Brasileirão. Com isso, Luiz Antonio deve ser a cara nova na vaga de Samir, lesionado. No Fla, há a informação de que o pagamento referente à transferência já foi efetuado, e a não regularização do atleta é atribuída ao Vélez Sársfield e à AFA (Associação de Futebol Argentino).

Canteros Treino Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Canteros terá que aguardar um pouquinho mais para jogar (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)


Comprado no fim do mês passado ao Veléz Sarsfield, da Argentina, por R$ 4,8 milhões, Canteros treinou ao lado dos titulares em treino técnico realizado nesta sexta-feira, no Ninho do Urubu. Ney Franco chegou a dizer que a escalação não teria relação com o time que iniciará a partida diante do Colorado, mas logo em seguida deixou claro que o volante foi contratado para jogar. O argentino atuou em formação com oito jogadores de linha, ao lado de Léo Moura, Chicão, Wallace, André Santos, Recife, Elano e Alecsandro.

A expectativa inicialmente era de que Canteros pudesse entrar em campo já na última quarta-feira, na derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR. O jogador chegou a seguir com a delegação para Macaé, mas não teve a situação regularizada.

Sem Canteros, a expectativa é de que Luiz Antonio seja escalado no time titular. Ney Franco já revelou com a ausência de Samir, com uma lesão na coxa, o obriga a retornar para o esquema 4-4-2, com apenas dois zagueiros. Agora, o Flamengo terá uma semana inteira para regularizar o reforço argentino de olho no clássico com o Botafogo, domingo, no Maracanã. Além dele, o Rubro-Negro contratou apenas mais um jogador na paralisação do Brasileirão para Copa do Mundo: Eduardo da Silva, atacante croata que também não tem previsão para estreia.

Ainda sem confiança, Hernane só volta ao Flamengo diante do Botafogo

Ainda não será diante do Internacional, domingo, em Porto Alegre, que o torcedor do Flamengo poderá matar a saudade de Hernane. Apesar de já treinar normalmente e estar recuperado da torção no tornozelo direito, o Brocador ainda não tem a confiança necessária para entrar em campo em um jogo oficial e será preservado por Ney Franco. A expectativa é de que esteja apto para encarar o Botafogo, dia 27, no Maracanã.

Hernane treinou nesta sexta-feira (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem) 
Hernane treinou nesta sexta-feira, mas não está seguro (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)

Hernane lesionou o tornozelo em confronto com o São Paulo, dia 18 de maio, no Maracanã. A partida marcava o retorno do atacante ao time depois de 50 dias se recuperando de fratura nas costas, o que justifica em parte o temor por um retorno precipitado. Artilheiro do Brasil no ano passado, com 36 gols, o Brocador fez apenas seis na atual temporada e não vai às redes desde 1º de março. 

Em entrevista coletiva no Ninho do Urubu, Ney Franco admitiu que chegou a cogitar contar com Hernane diante do Colorado, mas um bate-papo nesta sexta-feira mudou seus planos. 

- O Hernane ainda está inseguro. A programação já era voltar contra o Botafogo. Tentamos antecipar, mas conversei com o atleta e ainda está inseguro. Vamos seguir o planejamento. Se nada anormal acontecer, volta no clássico. 

Outro jogador que esteve em pauta na entrevista do treinador foi Elano. Titular no retorno do time após a paralisação para Copa do Mundo, o meio-campo voltou a ser vaiado ao ser substituído na derrota para o Atlético-PR e é muito questionado pelo torcedor. Ney Franco, por sua vez, evitou análises mais detalhadas.

- Prefiro falar do trabalho como um todo. Não quero individualizar. Não vou falar de um jogador ou outro. Estamos falando de um atleta com um histórico vencedor no futebol, que já serviu a seleção. Por conhecer bem, fico sempre na expectativa de que toda nossa equipe possa jogar bem. Coloco o Elano no mesmo plano de todos os jogadores. Ainda podemos melhorar. Como todo jogador, tem que lutar pelo espaço, mas está nos planos.

Sem Hernane e com Elano, o Flamengo entra em campo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), para encarar o Internacional, no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Brasileirão. Com sete pontos, o Rubro-Negro é o último colocado na tabela.


Observado por Bandeira de Mello, Eduardo da Silva treina no Ninho

O momento do Flamengo está longe de ser dos melhores. Último colocado no Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro vive dias de muita pressão, e o presidente Eduardo Bandeira de Mello resolveu demonstrar apoio ao elenco. Nesta sexta-feira, o mandatário acompanhou o treinamento no Ninho do Urubu e viu Eduardo da Silva realizar sua primeira atividade como jogador do clube.

Eduardo da Silva no treino do Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Eduardo da Silva treina para ficar em forma e ter condições de jogar (Foto: Cahê Mota)


Ao chegar no campo 5 do centro de treinamento, Bandeira de Mello perguntou à assessoria de imprensa onde estaria o croata, e logo depois o avistou no canto do gramado com a preparação física. Em seguida, o presidente se isolou para acompanhar, do alto da área destinada à imprensa, o trabalho técnico comandado por Ney Franco.

Com sete pontos, o Flamengo é o último colocado no Brasileirão, e encara o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Brasileirão.

À espera do BID, Canteros treina com titulares; Paulinho é dúvida no Flamengo


Hector Canteros ainda não está regularizado para estrear com a camisa do Flamengo, mas Ney Franco dá indícios de que conta com o argentino para partida com o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Mineirão, pela 11ª rodada do Brasileirão. Em treino técnico em campo reduzido no Ninho do Urubu nesta sexta, o treinador escalou o volante ao lado da maioria dos titulares. A baixa no Sul pode ser Paulinho, ausente da atividade e que se recupera de uma pancada no pé direito sofrida na derrota para o Atlético-PR.

Canteros no treino do Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Canteros trabalha com a intenção de estrear pelo Flamengo (Foto: Cahê Mota)

Comprado ao Vélez Sarsfield da Argentina no fim de junho por R$ 4,8 milhões, Canteros precisa ter seu nome registrado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF até às 19h (de Brasília) desta sexta para estar apto a entrar em campo. No trabalho técnico, o elenco foi dividido em três times, e o argentino esteve ao lado dos titulares. Sem Paulinho e Everton, poupados, eram apenas oito jogadores de linha: Léo Moura, Wallace, Chicão e André Santos; Recife, Canteros e Elano; Alecsandro.

- Além do Paulinho, seguramos o Everton por orientação do departamento médico. O preocupante mesmo é o Paulinho. Fica a expectativa pela utilização do Canteros. Estamos no aguardo. Em função disso tudo, vamos desenvolver nosso trabalho tático somente no sábado, antes da viagem. Pela ausência do Samir, vamos retirar um dos zagueiros e vamos montar a equipe no 4-4-2. Não quero antecipar a escalação, vamos esperar o trabalho de sábado - afirmou o treinador.

Apesar de poupado por dores musculares, Everton não preocupa, e a expectativa é de que siga com a delegação para Porto Alegre após o jogo treinamento de sábado. Apesar de deixar claro que conta com Canteros no time titular, Ney Franco também se mostrou precavido e manteve o argentino na atividade complementar no campo 5 do Ninho do Urubu, somente com os reservas. A ausência de Lucas Mugni do trabalho é um indício de que o meia deve ser a escolha caso Paulinho seja vetado. Foi assim contra o Atlético-PR.

Outro que pode ser novidade na delegação que vai ao Rio Grande do Sul é Hernane. O Brocador, que não joga desde a partida com o São Paulo, ainda antes da parada da Copa, participou normalmente de todo treinamento e não demonstrou desconforto no tornozelo direito. Recuperado de uma cirurgia no nariz, Gabriel voltou a aparecer em campo. Já Samir e o lateral-direito Léo precisaram realizar ressonância para saber a gravidade de seus problemas na coxa. 

 O Flamengo é o último colocado do Campeonato Brasileiro com sete pontos, mesmo número de Vitória, Coritiba e Figueirense. 


Seis remadores rubro-negros disputam vaga no Pan


 

Seis atletas rubro-negros estão participando do Festival Pan-Americano, no México. Bia Tavares, Caroline Corado, Cassia dos Santos, Fabiana Beltrame, Thiago Almeida e Willian Giaretton são os remadores do Flamengo que fazem parte da Seleção Brasileira de remo, que passa uma temporada de 20 dias no México. O período compreende uma clínica preparatória e uma competição classificatória para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, com 13 vagas em disputa. Desde que chegou ao México, no dia 02, o grupo tem feito trabalhos físicos para adaptação à altitude de 2.250 metros acima do nível do mar.

"Nossos atletas estão fazendo uma clínica de treinamento na altitude para depois (dos dias 17 a 20 de julho) participarem do pré-Pan, que é uma competição classificatória para o Pan de Toronto. Nossas chances são bem grandes de termos atletas do Flamengo nas vagas, principalmente pela Fabi (Beltrame) e pela Bia (Tavares) no Double Skiff. As chances do Brasil como um todo são ainda maiores pelo fato de Estados Unidos e Canadá já terem suas vagas asseguradas", explicou Edson Figueiredo, supervisor técnico do remo rubro-negro.

Os barcos do Brasil já foram definidos para a disputa das vagas. Fabiana Beltrame e Bia Tavares estão em três dos seis barcos femininos, remando juntas no Double Skiff nas categorias Aberta (2xF) e Peso-Leve (2xFPL), na qual estrearam na 2ª Etapa da Copa do Mundo, em junho, na França. Além dessas, Beatriz disputará o Single Skiff Peso-Leve (1xFPL) e Fabiana irá compor o Four Skiff Feminino (4xF), com Yanka Britto, Cassia dos Santos e Gabriela Salles. A equipe feminina conta ainda com a rubro-negra Caroline Corado na reserva. Pela equipe masculina, Willian Giaretton está nas provas de Double Skiff (2x) e no Four Skiff (4x). Já Thiago Almeida disputará o Quatro Sem (4-) e o Quatro Sem Peso-Leve (4-PL).

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Eduardo da Silva diz que sonha com Maraca pelo Flamengo


Eduardo da Silva Apresentação Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Nas primeiras horas da manhã, Eduardo da Silva desembarcou no Rio de Janeiro. No começo da tarde, assinou contrato com o Flamengo por 18 meses. Em seguida, deixou a Gávea e foi ao Ninho do Urubu ser apresentado aos novos companheiros e à imprensa. Apesar do desgaste e de um pouco de nervosismo ao encarar os jornalistas, o atacante demonstrou muito ânimo para iniciar sua caminhada no futebol brasileiro, após quase 16 anos na Europa.


- Para mim, é um grande sonho poder jogar pela primeira vez no Brasil, que tem um grande campeonato. Vestir essa camisa, a de maior tradição do país, com grande história e que tem a maior torcida do mundo. Feliz por estar aqui. Claro que tem uma fase de adaptação, mas vou dar meu máximo - disse o jogador.


Eduardo da Silva Apresentação Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Eduardo da Silva recebe a camisa 23 de um sócio-torcedor (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Antes de ser apresentado, o atacante fez uma atividade na sala de musculação. Depois de receber a camisa 23 das mãos de um sócio-torcedor, mostrou um certo nervosismo durante a entrevista. Durante as respostas, os quase 16 anos fora do Brasil ficaram claros nos momentos em que fez pausas para buscar palavras na memória.

- Saí muito cedo. Optei por jogar pela Croácia porque foi uma grande oportunidade. O carinho é grande. Desde o Sub-20 jogo lá - comentou.

Criado na Vila Kennedy, Eduardo deixou o Brasil em 1999 após se destacar na Taça das Favelas e defendeu três clubes em sua carreira: Dínamo Zagreb (2001/07), Arsenal (2007/10) e Shakhtar Donetsk (desde 2010). Naturalizado croata, disputou a Eurocopa de 2012 e a última Copa do Mundo - quando ficou no mesmo grupo do Brasil. Mas jogou pouco no Mundial e entrou apenas no segundo tempo da goleada da Croácia por 4 a 0 sobre Camarões. 

Veja os principais tópicos da apresentação:

Estilo de jogo
- A maioria nunca me viu jogar, foram 15 anos na Europa. Minha característica é de jogar como atacante. Nos últimos anos, na Ucrânia e na seleção (da Croácia), estava jogando mais pelos lados ou até mesmo atrás dos centroavantes. Estou aqui para atuar em qualquer posição.

Adaptação ao futebol brasileiro
- Acho que não vai demorar a adaptação. Fora de campo, na vida e amizades, talvez. Mas dentro de campo espero que seja muito rápido, não acredito em dificuldades. Nunca joguei como profissional no Brasil, mas o que eu penso mesmo é sobre o clima, que é bem diferente. O Flamengo vai jogar no Sul no domingo, com frio. E depois pode jogar no Nordeste com calor. Isso é diferente, mas vou fazer de tudo para me entrosar o mais rápido possível.

Eduardo da Silva apresentado no Flamengo (Foto: Marcos Tristão / Agência O Globo) 
Eduardo da Silva veste a camisa rubro-negra na apresentação no Ninho (Foto: Marcos Tristão / Agência O Globo)


Salvador da pátria?
- Não posso me considerar o que resolve. São 11 jogadores e um grupo de 25 ou mais. Todos dependem de todos. Flamengo tem muita pressão, qualquer jogador pode decidir.

Estreia
Meu último jogo dia 23 de junho pela seleção, quando fomos eliminados. Fiquei até hoje fora de atividade. No calendário europeu, é férias. Mas ainda estava jogando peladas no Rio, na praia, fazendo uma corridinha. Sobre estreia, ainda não sei. Pode ser em uma semana, em dez dias. Vai depender do técnico e do meu rendimento nos treinos.


Titulares fazem atividade regenerativa; Hernane treina normalmente no Ninho


 A quinta-feira foi de poucos sorrisos na reapresentação dos jogadores do Flamengo após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, quarta-feira, em Macaé. Os titulares participaram apenas de atividade regenerativa e nem calçaram chuteiras, ao contrário dos reservas, que fizeram um trabalho técnico em campo reduzido sob os olhares do presidente Eduardo Bandeira de Mello. A novidade foi a presença de Hernane, recuperado de um problema no tornozelo direito.

O Brocador participou de todo o treinamento e há chance de ele ser relacionado para enfrentar o Internacional no próximo domingo, às 16h, no Beira-Rio. Samir e Paulinho não devem ficar à disposição do técnico Ney Franco, mas ainda há a esperança de que ao menos o atacante, que levou uma pancada no tornozelo, possa ser utilizado. O zagueiro teve um problema na coxa esquerda e deve ficar em tratamento por mais tempo. Ambos já iniciaram o trabalho de recuperação.

Além de Hernane, quem participou do treino normalmente foi o argentino Canteros. Ele, no entanto, ainda não está regularizado para fazer sua estreia. A expectativa é de que a documentação chegue em tempo de ele enfrentar o Inter.

A derrota para o Furacão deixou o Flamengo na lanterna do Brasileiro com apenas sete pontos em dez rodadas.

Após assinar contrato, Eduardo da Silva será apresentado nesta tarde

Após chegar ao Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira, Eduardo da Silva seguiu para a Gávea, onde realizou exames médicos e foi recebido pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello para assinatura do contrato. Com o vínculo firmado, o novo reforço rubro-negro irá para o Ninho do Urubu para ser apresentado oficialmente à tarde, logo após o treinamento da equipe. 

Eduardo da Silva e Eduardo Bandeira de Mello (Foto: Reprodução / Site oficial Flamengo) 
Antes da apresentação, Eduardo da Silva posa com a camisa do Fla ao lado do presidente Eduardo Bandeira de Mello (Foto: Reprodução / Site oficial Flamengo)


eduardo da silva flamengo (Foto: Site Oficial Flamengo)Eduardo chegou ao Rio acompanhado da esposa Andrea e dos filhos Lorena e Matheus. Além de 11 malas que representavam bem a sua longa passagem pelo futebol europeu - tanto que foi um dos últimos a desembarcar, cerca de 1h40 após a aterrissagem. Logo recebeu o abraço da mãe, Joelma, e do irmão Bruno. Tímido e sempre com um tom de voz baixo, o jogador mostrou empolgação para vestir a camisa do Flamengo e deixou claro que não poderia recusar o convite.

Eduardo da Silva com a camisa do Flamengo no site do clube (Foto: Site Oficial Flamengo)



- Volto ao Brasil depois de 15 anos para um grande desafio. Estou muito feliz de poder jogar, se Deus quiser, em um grande clube como o Flamengo. Vou tentar dar meu máximo para ajudar o time. Está quase tudo certo. Acabei de chegar, vou ver o que falta e acho que a apresentação será ainda hoje (quinta-feira). Outros clubes me procuraram. Mas quando recebi esse convite, seria difícil dizer não ao Flamengo. Jogar no Flamengo é uma oportunidade única que não se pode dispensar - disse, ainda no aeroporto, em entrevista ao GloboEsporte.com.

eduardo da silva flamengo desembarque (Foto: Edgard Maciel de Sá) 
Eduardo da Silva chega ao Rio acompanhado da família (Foto: Edgard Maciel de Sá)

Criado na Vila Kennedy, Eduardo deixou o Brasil em 1999 após se destacar na Taça das Favelas e defendeu três clubes em sua carreira: Dínamo Zagreb (2001/07), Arsenal (2007/10) e Shakhtar Donetsk (desde 2010). Seu período de maior destaque foi na Inglaterra. A pior lesão também: em 2008, o jogador sofreu uma fratura exposta na fíbula esquerda e uma luxação no tornozelo esquerdo depois ser atingido violentamente pelo zagueiro Martin Taylor, do Birmingham. O retorno aos gramados aconteceu um ano depois.

Naturalizado croata, disputou a Eurocopa de 2012 e a última Copa do Mundo - quando ficou no mesmo grupo do Brasil. Mas jogou pouco no Mundial e entrou apenas no segundo tempo da goleada da Croácia por 4 a 0 sobre Camarões. Durante o torneio, o atacante se encontrou com Felipe Ximenes, diretor executivo do Flamengo, no hotel onde a seleção estava concentrada, na Zona Sul de São Paulo. Na ocasião, tanto o dirigente como o jogador negaram que a conversa fosse sobre uma possível negociação.

Samir não pega o Internacional; Paulinho será reavaliado

O zagueiro Samir, autor do único gol rubro-negro na derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, está foro do jogo contra o Internacional, domingo, no Beira-Rio. Ainda não há um boletim médico sobre a lesão sofrida na coxa esquerda, durante o segundo tempo, mas o técnico Ney Franco fez uma estimativa nada animadora sobre o caso.

Paulinho, substituído no primeiro tempo após ser atingido violentamente por Douglas Coutinho, ainda será reavaliado.

- Não perdemos o Samir apenas contra o Internacional. Por ter sido muscular, acredito que ficará fora um tempo. Vamos ter rever esse posicionamento do time. Quanto ao Paulinho foi uma pancada, vamos ver como vai estar - disse Ney.

Samir machucado jogo Flamengo x Atlético-PR (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem)
Samir se lesionou ao cobrar falta no segundo tempo do jogo (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem)

Samir será submetido a exames nesta quinta-feira.

Ney Franco pede equilíbrio para reagir mas admite: "Chegamos lá no fundo"


A derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, nesta quarta-feira, determinou a queda do Flamengo para a lanterna do Campeonato Brasileiro. Depois do jogo, disputado em Macaé, o técnico Ney Franco demonstrou toda a sua preocupação com a situação vivida pelo time no momento. Imediatamente no vestiário, procurou levantar o astral dos jogadores e destacar pontos positivos, recusando-se a aceitar a avaliação de um trabalho de 30 dias em apenas um confronto.

Com apenas sete pontos na tabela, o Flamengo foi ultrapassado pelo Figueirense nessa rodada. Na próxima, o time vai enfrentar o Internacional, no Beira-Rio. Ney Franco espera que o time saia do fundo do poço já no próximo compromisso.

- Existe o desgaste e o peso da cobrança, mas é o momento de termos equilíbrio. É o momento de termos persistência e fazer os ajustes. Tomara que contra o Inter a gente comece a reverter a situação. Nós chegamos lá no fundo. Agora é hora de firmar o pé e tentar reverter a situação.

Ney Franco, técnico do Flamengo, orienta Alecsandro (Foto: Reprodução/Premiere FC) 
Ney Franco, técnico do Flamengo, orienta Alecsandro durante derrota em Macaé (Foto: Reprodução/Premiere FC)


Para esse jogo contra o Internacional, Ney Franco já não contará com o zagueiro Samir, que sofreu uma lesão na coxa esquerda. Já o atacante Paulinho será reavaliado para saber a gravidade da pancada que levou no tornozelo direito.

A expectativa é de que o treinador possa contar com o argentino Canteros, à espera da regularização para fazer a sua estreia pelo Flamengo. Nesta quinta-feira, o clube deve anunciar oficialmente a contratação do atacante Eduardo da Silva, que defendeu a Croácia na Copa do Mundo.

Confira na íntegra a entrevista concedida por Ney:

ANÁLISE

- Acho que no jogo em si, atuamos no segundo tempo em um nível que a gente quer. O primeiro tempo não foi bom. Principalmente, nos 25 minutos iniciais, quando levamos o gol. Depois, trabalhamos em cima do Atlético-PR, criamos, mas a bola não entrou. Cabe manter essa forma de trabalhar. No vestiário, já conversamos com os jogadores. Nos encontramos em uma situação delicada e esperamos apresentar algo melhor contra o Internacional. Normalmente, conversamos no dia seguinte, mas já tentamos antecipar isso.

ERROS

- A gente pagou principalmente pelos primeiros 20 minutos. Tomamos o primeiro gol e a equipe deu uma desestruturada. Mudamos o posicionamento com a entrada do Mugni e o jogo ficou mais disputado. Criamos chances no segundo tempo, mas nossa bola não entrou. vamos dar continuidade para que possamos apresentar um futebol melhor.

ALECSANDRO ISOLADO

- Não tivemos força ofensiva no primeiro tempo. No segundo, o ataque ficou mais abastecido. Criamos chances. Em uma delas o goleiro fez uma grande defesa e a outra foi na trave.

SUBSTITUIÇÕES POR LESÃO

- Prejudicou em perder o jogador por lesão. A entrada do Nixon já seria no lugar de um zagueiro e coincidentemente o Samir se machucou naquele momento. Na do Paulinho, sim, perdemos nossa velocidade, mas adiantamos o Everton e colocamos um jogador para cadenciar o jogo no meio, conseguindo mais força no ataque.

DESFALQUES

- Não perdemos o Samir apenas contra o Internacional. Por ter sido muscular, acredito que ficará fora um tempo. Vamos ter rever esse posicionamento do time. Quanto ao Paulinho foi uma pancada, vamos ver como vai estar.

TRABALHO NA PARADA

- Logicamente, a expectativa era de vitória. Sai todo mundo frustrado. Dentro do trabalho, a gente tinha essa possibilidade de mudar nossa situação, mas com um mando de campo nosso deixamos três pontos para trás. A parada foi benéfica, mas não pode avaliar em cima de um resultado negativo. Não pode avaliar um trabalho pelo resultado de um jogo apenas. Vamos esperar o próximo jogo para ver uma evolução.

O QUE  MUDOU?

- A gente finalizou antes da parada com o time sofrendo muito no fim dos jogos, levando pressão. Aqui, contra o Bahia, se tivesse mais algumas minutos, a gente poderia ter perdido o jogo. Agora, foi de forma diferente, com a gente em cima, tentando mudar o placar, com uma força maior para finalizar o jogo.

REMÉDIO

- O papel da  comissão é reunir os atletas e mostrar que temos que mudar isso. Jogamos o grupo para cima. A equipe vai sofrer alterações  automaticamente pelas lesões, mas quem está aqui sabe que o Flamengo ou qualquer outro clube grande tem esse tipo de pressão. Não podemos nos conformar com a situação em que estamos.

FELIPE

- O Felipe atuou bem, no nível dos outros jogadores. Temos um elenco forte em condições de estar em uma situação melhor no Brasileiro. Precisamos resgatar esse elenco.

SAÍDA DE ELANO

- Elano foi direto para o vestiário, mas saiu numa boa, acenou para o banco no momento em que deixou o banco. Achei que deveria colocar mais um jogador pelo centro, mais descansado, e ele havia levado um cartão jogando como volante. Não tem problema.

SEQUÊNCIA NEGATIVA

- Preocupa muito. É difícil explicar uma sequência negativa como essa. Algo inédito para mim, mas tenho que saber passar tranquilidade para os jogadores.



Melhores momentos - Flamengo 1 x 2 Atlético-PR


Chicão defende Flamengo: "Falta de trabalho não é. O Atlético não merecia a vitória"

O zagueiro Chicão, do Flamengo, não considerou a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR um retrato fiel da partida jogada em Macaé, nesta quarta-feira. Para ele, caso Alecsandro tivesse colocado o Fla em vantagem aos dez minutos da etapa final - carimbou o travessão -, a história seria diferente.

- Uma bola na trave, e o Flamengo poderia ter feito 2 a 1. O Atlético chega numa bola e faz o gol numa situação difícil. Vocês viram que o Flamengo não deixou de tentar. Falta de trabalho não é. Com todo respeito ao Atlético, acho que não merecia a vitória pelo que o Flamengo buscou. Infelizmente a bola não entrou - afirmou.

Flamengo x Atlético-PR no Moacyrzão (Foto: Site oficial do Atlético-PR/Gustavo Oliveira) 
Paulinho, ao lado de Derley, foi substituído no primeiro tempo do jogo (Foto: Site oficial do Atlético-PR/Gustavo Oliveira)


Luiz Antonio atribuiu o resultado a falhas do sistema defensivo e considerou o oportunismo do adversário como determinante para a nova derrota flamenguista.

- Ruim, queríamos a vitória dentro de casa. Eles jogaram fechados, nos contra-ataques, e acabaram em dois lances fazendo dois gols em falhas. É levantar a cabeça, tem muito campeonato pela frente ainda. É difícil, mas estamos buscando o tempo inteiro para sair dessa situação.

Everton, em outro tom, queixou-se da qualidade do gramado do Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé.

- Perdemos. Difícil jogar nesse gramado também. Perdeumos um jogo que não podia perder, a equipe não foi bem.

Os Gols de Flamengo 1 X 2 Atletico PR


quarta-feira, 16 de julho de 2014

Flamengo 1 x 2 Atlético-PR

 
               Ficha técnica

Local: Estádio Cláudio Moacyr (Moacyrzão), em Macaé (RJ)
Data:16/7/2014
Hora: 22h

Público/ renda: 5.329 pagantes / R$ 153.895,00

Cartão amarelo: Elano(Fla), Douglas Coutinho,  Lucas Olaza, João Paulo(Atl)
Gols: Samir(Fla)  Cleberson,  Douglas Coutinho(Atl)


FLAMENGO: Felipe, Samir(Nixon), Chicão e Wallace; Léo Moura, Elano(Luiz Antonio), Recife, Everton e André Santos; Paulinho(Lucas Mugni) e Alecsandro.
Técnico: Ney Franco.

Atlético-PR: Weverton; Sueliton, Cleberson, Léo Pereira e Lucas Olaza; Derley(Paulinho Dias), Otávio, Bady(Marcelo) e Marcos Guilherme; Douglas Coutinho e Ederson(João Paulo) .
Técnico: Doriva.

Transmissão: Globo para PR (com Luiz Augusto Xavier e Nivaldo Carneiro) e Premiere, PFC e PFC HD (com Antero Neto e Roger Flores)

Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Nadine Schramm Câmara Bastos (Fifa-SC)

Flamengo aproveita legado deixado pela seleção da Holanda na Gávea


Gávea Flamengo  (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Gramado novo recebeu a seleção da Holanda (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Para o Flamengo, a herança da Copa do Mundo no Brasil foi grande. Os torcedores embarcaram nas homenagens e brincadeiras com a seleção da Alemanha, mas, para o clube, foi a Holanda que gerou mais frutos. A sede do Fla, na Gávea, foi reformada. As instalações e os gramados ganharam aspectos diferentes e novas qualidades. Tudo isso graças à Federação Holandesa de Futebol e a patrocinadora Adidas.


O vestiário e a arquibancada que rodeiam o gramado novo também foram reformados e abrigaram a seleção de Robben e cia durante o Mundial. Na segunda-feira, o comando da área foi devolvido, formalmente, ao Flamengo. O gerente geral de administração do clube, Marcelo Helman, falou sobre a reformulação na Gávea para receber os holandeses.

Gávea Flamengo  (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Espaço em que a Adidas recebeu convidados durante a Copa do Mundo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)


- Em outubro de 2013, nós fomos procurados pelos holandeses, ao mesmo tempo em que todas as seleções procuravam seus centros de treinamentos. Na visita, negociamos bastante a melhor forma de hospedá-los. Em momento algum conversamos sobre pedir um aluguel, mas sim em um legado para ser deixado conosco. O campo, as fundações, foram totalmente mudados. A grama é especial, tiramos as ervas daninhas, contratamos uma empresa especializada - disse o gerente ao site oficial do Flamengo.

O Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC) deve ser o próximo responsável a promover mais mudanças na infraestrutura da Gávea, com a proximidade das Olimpíadas no Rio de Janeiro, em 2016. O time profissional de futebol segue treinando no Ninho do Urubu, em Vargem Grande.

Gávea Flamengo  (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Um dos vestiários da Gávea foi todo remodelado para receber a Holanda (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)


Gávea Flamengo  (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Flamengo herda todo o espaço reformado pela Adidas (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)


Bandeira de Mello usa Benfica como espelho e fala sobre sócio-torcedor




O programa Camarote FC, que será exibido após o confronto entre Flamengo e Atlético-PR, teve como convidado o presidente do Rubro-Negro carioca, Eduardo Bandeira de Mello. O mandatário falou sobre os planos do Fla para os preços dos ingressos nos jogos do retorno ao Maracanã e sobre a importância da receita do sócio-torcedor e folha salarial dos funcionários. Bandeira de Mello disse que o Benfica é um sonho de todos os times para que os clubes tenham bom rendimento e saibam aproveitar essa questão.

- O Benfica é o sonho de todos nós, 4% dos torcedores do Benfica são sócios-torcedores. Se projetássemos isso para a torcida do Flamengo, significaria que teríamos 1.600.000 sócios torcedores. Teríamos uma receita que, hoje em dia, diria que tornaria até insignificante as nossas receitas de televisão, material esportivo e patrocínio de camisa - disse o presidente.

A vontade de fazer preços mais acessíveis aos torcedores tem que ser equilibrada, segundo Bandeira de Mello, com a folha salarial dos funcionários do clube. O presidente ressaltou a força da torcida rubro-negra nos estádios.

- Temos que equilibrar a nossa vontade de encher o estádio e as contas que temos que pagar no fim do mês. O Flamengo é disparado é maior torcida. O Flamengo é maior torcida em 24 das 27 unidades da Federação Brasileira. Então, quando você pensa em Manaus, Cuiabá, Natal, Brasília o Flamengo é disparado a maior torcida nesses lugares todos. O Flamengo não vai faltar sua torcida lá. Agora, é claro que esse ano como estamos numa situação mais frágil no Campeonato Brasileiro precisamos até por razões técnicas prestigiar mais os jogos no Maracanã. Mas sem descartar fazer jogos em outras praças, jogos inclusive que nós não temos mando de campo.

Flamengo e Atlético-PR se enfrentam na noite desta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), no Moacyrzão, em Macaé, no Rio de Janeiro. O Rubro-Negro está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, em 19º lugar, com 7 pontos. Já o Furacão ocupa a 12ª colocação, com 13 pontos.

Flamengo estuda setor popular, mas esbarra na busca por local ideal no Maracanã

Alvo de críticas da torcida rubro-negra, os altos preços dos ingressos para jogos do Flamengo podem ganhar uma solução em breve. A diretoria estuda criar um setor popular nas partidas do clube no Maracanã. O projeto, porém, ainda está em fase embrionária e não há preços e quantidades definidos.

O maior problema para a criação de um setor com bilhetes mais baratos é encontrar o local exato para abrigar esses torcedores no Maracanã. Isso porque no novo estádio não há um setor que possua uma entrada exclusiva onde as pessoas não tenham acesso a outras áreas.

vasco x flamengo torcida (Foto: Dhavid Normando/Futura Press/Agência Estado) 
Primeiro jogo da final do Campeonato Carioca, contra o vasco, atraiu público aquém do esperado (Foto: Dhavid Normando/Futura Press/Agência Estado)

Para redefinir o preço dos ingressos para jogos no Maracanã, a diretoria rubro-negra precisa entrar em acordo com o consórcio que administra o estádio. O Flamengo só volta a jogar no Maracanã no próximo dia 27, domingo, às 18h30, no clássico com o Botafogo.