Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sábado, 18 de outubro de 2014

Flamengo x Atlético-MG: decisão leva a aumento no preço dos ingressos


O Flamengo aumentou significativamente os preços dos ingressos para o confronto com o Atlético-MG, pela semifinal da Copa do Brasil. O valor mais barato para o jogo do dia 29 será de R$ 100 (inteira) para o setor Norte. A venda já está aberta para alguns planos do programa de sócio-torcedor do clube e o público poderá adquirir o seu a partir de sexta-feira.

Em comparação com a vitória sobre o América-RN, pelas quartas de final da competição, o valor do setor Norte sofreu um aumento de 66,6%. No setor Leste (inferior e superior), chegou a 100%.

Para enfrentar o Internacional, quarta, pelo Campeonato Brasileiro, o Flamengo manteve os preços promocionais. O ingresso para o setor Norte, por exemplo, sairá a R$ 40. A venda também já está aberta para este jogo.

Confira o escalonamento por planos para o jogo contra o Atlético-MG:


Sábado, 18/10:
15h - +Paixão
20h - Paixão


Domingo, 19/10
10h - +Amor
15h - Amor
20h - +Raça

Segunda, 20/10
10h - Raça
Tradição - 20h

Veja os preços por setor:


NorteTorcedor: R$100 inteira / R$50 meia
Sócio-torcedor (plano Raça e superiores): R$50 Inteira / R$25 meia
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$80 inteira / R$40 meia

SulTorcedor: R$120 inteira / R$60 meia
Sócio-torcedor (plano Raça e superiores): R$60 Inteira / R$30 meia
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$90 inteira / R$45 meia

Leste SuperiorTorcedor: R$160 inteira / R$80 meia
Sócio-torcedor (plano Raça e superiores): R$80 Inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$120 inteira / R$60 meia

Leste InferiorTorcedor: R$200 inteira / R$100 meia
Sócio-torcedor (plano Raça e superiores): R$100 Inteira / R$80 meia
Tradição: R$150 inteira / R$75 meia

Oeste Inferior
Torcedor: R$220 inteira/R$110 meia
Sócio-torcedor (plano Raça e superiores): R$110 inteira/R$55 meia
Sócio-torcedor do plano Tradição:  R$170 inteira/R$85 meia

Maracanã MaisTorcedor: R$350 inteira / R$195 meia
Sócio-torcedor (plano Raça e superiores): R$195 Inteira / R$117,50 meia
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$280 inteira / R$160 meia



Flamengo desembarca recepcionado por dezenas torcedores em Curitiba

Recepcionado por cerca de 20 torcedores na chegada a Curitiba na tarde deste sábado, os jogadores do Flamengo receberam o apoio que precisavam antes do confronto com o Atlético-PR, domingo, na Arena da Baixada, pelo Campeonato Brasileiro. O discurso de escapar da confusão se mantém mesmo a sete pontos acima da zona de rebaixamento antes do início da 29ª rodada.

Os jogadores posaram para fotos e distribuíram autógrafos. Paulo Victor, Léo Moura e Everton, que defendeu o Atlético-PR no ano passado, foram os mais festejados pelos torcedores. A confiança é grande no que o time pode fazer no confronto de domingo.

Desembarque Flamengo - Paulo Victor (Foto: Thales Soares)


Paulo Victor também foi muito assediado pelos torcedores rubro-negros (Foto: Thales Soares)


- É uma decisão para a gente e para eles também. Estão na mesma situação nossa, faltando 10 jogos decisivos. Temos que vencer e afastar de vez esse risco de rebaixamento - afirmou Everton.

Para enfrentar o Atlético-PR, o Flamengo terá desfalques importantes como o zagueiro Wallace e o volante Márcio Araújo, com problemas na coxa esquerda, Alecsandro, que se recupera de uma cirurgia no rosto, e Paulinho, ainda em em recuperação de uma lesão no joelho esquerdo. Luxemburgo fechou o treinamento deste sábado e fez mistério.





Desembarque Flamengo - Lucas Mugni (Foto: Thales Soares)


O argentino Lucas Mugni acena para foto ao lado de torcedor do Flamengo (Foto: Thales Soares)



Após passar por cirurgia, Alecsandro recebe alta e está "bem e feliz"


O atacante Alecsandro recebeu alta na madrugada de sábado e está bem. O jogador do Flamengo passou por uma operação na última quinta-feira por conta de um fratura comunitiva na órbita superior do olho direito ocorrida ao disputar bola com o adversário durante a vitória por 1 a 0 sobre o América-RN. Ele deixou o CTI na sexta-feira e chegou a receber a visita do companheiro de clube Paulo Victor.

Responsável por conduzir a operação em um hospital na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, o médico Augusto César foi à casa do atacante pela manhã para fazer o curativo e disse que ele está “bem e feliz”.

Sem Alecsandro, o Flamengo entra em campo no domingo, às 16h, na Arena da Baixada, para encarar o Atlético-PR, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time está em 10º, com 37 pontos, agora mais distante da "zona da confusão".

Jogadores do Fla prestigiam loja em aeroporto e ganham bonés

Antes de embarcarem para Curitiba, onde enfrentam o Atlético-PR na tarde deste domingo, os jogadores do Flamengo aproveitaram a passagem pelo Aeroporto Santos Dumont para prestigiar a nova loja do clube no local. Pela visita, cada atleta foi presenteado com um boné.

eduardo da silva LOJA flamengo  (Foto: Thales Soares)Eduardo da Silva ganha boné antes da viagem para Curitiba (Foto: Thales Soares)

Antes da viagem, o time do Flamengo treinou na manhã deste sábado, no Ninho do Urubu. A atividade, que foi fechada por mais de uma hora, contou a presença dos familiares dos jogadores.

Os 23 relacionados para enfrentar o Atlético-PR são: Amaral, Anderson Pico, Cáceres, Canteros, Cesar, Chicão, Eduardo da Silva, Elton, Erazo, Everton, Frauches, Gabriel, João Paulo, Léo, Léo Moura, Lucas Mugni, Luiz Antonio, Marcelo, Muralha, Nixon, Paulo Victor, Recife e Samir.

Com mistério e familiares, Flamengo faz último treino antes do Atlético-PR

Já virou rotina no Flamengo a presença de familiares nos treinamentos realizados aos sábados no Rio de Janeiro. O fato se repetiu na véspera do confronto com o Atlético-PR, em Curitiba, pelo Campeonato Brasileiro, contando ainda com uma dose de mistério do técnico Vanderlei Luxemburgo, que fechou a atividade no Ninho do Urubu por mais de uma hora.

Depois do treinamento, os jogadores passaram ainda por uma sessão de fotos e autógrafos. Houve trabalho de cobranças de faltas e pênaltis, com Chicão, Léo Moura e Canteros. Além de finalizações com outra parte do grupo.

- Esse treinamento é feito para isso. Ficamos mais perto dos filhos, dos pais. Passamos muito tempo concentrados e sob pressão dos jogos - comentou Everton.

leonardo moura flamengo   (Foto: Thales Soares)
Treino deste sábado contou com a presença de familiares dos jogadores (Foto: Thales Soares)

No treinamento, ficou confirmado o desfalque de Márcio Araújo. O jogador saiu do jogo com o América-RN ainda no primeiro tempo com dores na coxa esquerda. Também estão fora o zagueiro Wallace, com um problema na coxa esquerda, e Alecsandro, que passou por uma cirurgia no rosto, além de Paulinho, que se recupera de uma lesão no joelho esquerdo e só volta a jogar em 2015.

Para enfrentar o Atlético-PR, Luxemburgo deve fazer algumas mudanças. Muralha deve entrar na vaga de Márcio Araújo. Anderson Pico vai ocupar o lugar de João Paulo, que será preservado. No ataque, a dúvida é sobre o substituto de Alecsandro. Nixon e Gabriel disputam a posição.

anderson pico flamengo   (Foto: Thales Soares)Titular contra o Furacão, Anderson Pico treina neste sábado (Foto: Thales Soares)

Os 23 relacionados para enfrentar o Atlético-PR são: Amaral, Anderson Pico, Cáceres, Canteros, Cesar, Chicão, Eduardo da Silva, Elton, Erazo, Everton, Frauches, Gabriel, João Paulo, Léo, Léo Moura, Lucas Mugni, Luiz Antonio, Marcelo, Muralha, Nixon, Paulo Victor, Recife e Samir.


Há 10 anos no Flamengo, PV valoriza período


Filho do ex-jogador Vidotti, atacante revelado pelo Corinthians em 1980 e campeão sul-mato-grossense pelo Comercial, em 1985, Paulo Victor está no Flamengo desde 2004. Na época, com 17 anos, o goleiro viveu uma mudança radical em sua vida. Ainda como atleta de base, saiu do modesto Assisense, clube de Assis, sua cidade-natal, que fica no interior de São Paulo, logo para o de maior torcida do Brasil. Foram 10 anos entre chances e longos períodos no banco até assumir de vez o posto de titular com a chegada de Vanderlei Luxemburgo. Nessa trajetória, o arqueiro se profissionalizou em 2007, após conquistar dois títulos cariocas pelos juniores, e teve bastante tempo para se adaptar ao clube enquanto adquiria experiência na reserva.

- A torcida do Flamengo é uma torcida que sempre faz a diferença, sempre abraça o jogador. Eu tenho essa experiência, comigo não foi diferente. O caminho é difícil. Mas trabalhando, fazendo as coisas aproveitando o tempo certo, com certeza tudo começa a acontecer naturalmente. A torcida abraça o jogador junto. Na verdade, eu não me considerava reserva. Sabia que teria o tempo para amadurecer. E nem sempre é o tempo que a gente espera. Então, sabia que era necessário trabalhar muito para quando a hora chegasse, estar preparado - revelou.

Hoje, PV usa a camisa 48, mas é o número 1 do gol rubro-negro. No banco de reservas, está jovem César, de 22 anos, campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2011. Afirmando ter tido uma relação boa com todos os goleiros que teve como companheiros entre 2004 e 2014, Paulo Victor falou em especial do arqueiro que se profissionalizou há quatro temporadas. O titular admitiu conversar com seu reserva sempre que possível para contribuir com seu amadurecimento.

- Minha relação é muito boa com todos os goleiros. O César hoje está tendo essa oportunidade. Ele merece, é um excelente goleiro, uma excelente pessoa, de um caráter enorme. Sempre que posso tenho uma conversa com ele, para o amadurecimento, sabendo que eu já passei pelo que ele passa. Fiquei muito mais tempo que ele para virar a segunda opção. Sempre mostro para ele esse lado para amadurecer e crescer muito mais na profissão - disse.

Cesar goleiro no treino do Flamengo (Foto: Leandro Martins / Futura Press / Agência Estado)

Paulo Victor admite dar conselhor a reserva César (Foto: Leandro Martins / Futura Press / Agência Estado)

Lições de Luxa

Vanderlei Luxemburgo pode ser considerado um dos responsáveis diretos pela projeção de Paulo Victor no gol rubro-negro. Na penúltima passagem do técnico pelo clube, entre 2010 e 2012, PV se tornou o reserva imediato do então titular Felipe, herdando a vaga de Marcelo Lomba que foi emprestado ao Bahia. Foi titular por um tempo com Joel Santana, ainda em 2012, e retornou para o banco com Dorival Júnior. Com o afastamento do antecessor, o goleiro aproveita o espaço que tem na mídia, impulsionado pelas boas atuações no Brasileirão e na Copa do Brasil deste ano, para elogiar Luxemburgo.

- É um sonho ser treinador pelo Luxemburgo. Todos os jogadores de referência no futebol sempre falaram bem dele. Tive essa oportunidade em 2010, estou tendo novamente. Aprendo, porque é o cara que é amigo fora de campo, mas dentro de campo cobra mesmo, quer tirar o máximo do jogador. Com certeza, as coisas que ele passa vou levar para o resto da vida - disse.

Chance de título como titular

Após a vitória sobre o América-RN por 1 a 0, na última quarta-feira, no Maracanã, Paulo Victor se vê na semifinal da Copa do Brasil. Caso o Flamengo passe pelo Atlético-MG, terá Santos ou Cruzeiro na final. Se o título for para a sala de troféus da Gávea, além de ser a primeira vez na história da competição que uma equipe terá vencido duas vezes consecutivas, também será o primeiro título do goleiro como titular. Confiante e feliz pelo fato de o time ter jogado nos últimos meses sempre com bom público no Maracanã, o goleiro revelou perceber que os adversário sentem quando os flamenguistas cantam na arquibancada.

 - Sobre preço de ingresso eu não comento, isso é com a diretoria. Mas a gente observa os times que vêm jogar, eles sentem quando a torcida começa a gritar - respondeu.

Juiz de Direito, ex-presidente do Flu diz que condenaria a coisa maldita, vasco por queda

Francisco Horta (Foto: Reprodução SporTV)
Um torcedor do vasco, revoltado com o segundo rebaixamento do seu time para a Série B do Brasileiro, procurou a Justiça para processar o clube e buscar uma reparação por danos morais. O vascaíno acabou tendo seu pedido indeferido e ouviu do juiz do Juizado Especial Cível de Itaguaí o conselho de que torcesse para outro time carioca, que jamais havia sofrido uma queda para a Série B – no caso, o Flamengo. Com a experiência de ter sido juiz de Direito, o ex-presidente do Fluminense, Francisco Horta, afirmou que tomaria um outra decisão se fosse o responsável pelo julgamento.



Presidente do Flu entre 1975 e 77, Horta afirmou que condenaria o vasco por danos morais e materiais em função da disputa da segunda divisão. O magistrado diz que o sócio do clube vê seu título desvalorizar com a queda do time e tem direito de ser compensado.


- Eu condenaria (a coisa). Existe realmente esse prejuízo. Não do torcedor, mas do sócio. O sócio do vasco paga, pode ser até sócio-proprietário. Pagou um título, que tem um valor. Essas quedas desvalorizam o título. Não há dúvida nenhuma. Se o título vale R$ 15 mil, passa valer 5 mil. Olha o dano moral, causando também um dano material. Eu daria (decisão a favor).


O torcedor decidiu processar o próprio clube por se sentir indignado ao se tornar sócio, mas nunca ter recebido a carteirinha. O rebaixamento o teria deixado ainda mais revoltado, o que o motivou a procurar a Justiça.


O vasco é o segundo colocado da Série B do Campeonato Brasileiro, com 54 pontos, três a menos que a Ponte Preta, que derrotou a Portuguesa por 3 a 0 nesta sexta-feira. O Cruz-Maldito encara o Santa Cruz, neste sábado, às 16h10 (de Brasília), pela 30ª rodada, na Arena Pernambuco.



Entre Jordan e professor Luxa, Nixon assimila ensinamentos para vencer

O gol marcado na vitória por 2 a 1 sobre o Figueirense e a boa atuação no segundo tempo do jogo contra o América-RN deram a Nixon a sobrevida que esperava no Flamengo. Com contrato para terminar no fim do ano, o jogador se divide entre ensinamentos do ex-jogador de basquete Michael Jordan e do técnico Vanderlei Luxemburgo, a quem chama de professor Luxa, para provar sua condição de estar no clube.

Domingo, contra o Atlético-PR, em Curitiba, Nixon é um dos candidatos a ocupa a vaga de Alecsandro. O titular da posição passou por uma cirurgia no rosto na quinta-feira e vai ficar 40 dias fora, o que não deve permitir a sua volta aos gramados ainda nesta temporada.

Nixon treina no Ninho do Urubu nesta sexta-feira (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)
Nixon, observado por Elton, treina no Ninho do Urubu nesta sexta-feira (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)

A dedicação de Nixon tem sido intensa para mostrar a Luxemburgo que pode colaborar. Com quatro gols em 18 jogos este ano, o atacante faz a sua melhor temporada pelo clube, aos 22 anos de idade. Religioso, usa a perseverança para melhorar seu rendimento em campo.

- Lembro bem no livro do Michael Jordan que ele ia treinar arremesso e já era bom naquilo. Para que faria se já era bom. Ele queria cada vez mais aperfeiçoar, independentemente de ter o dom - disse Nixon.

O atacante usa a passagem do livro de Jordan para falar sobre a necessidade de o time querer mais no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. Ainda que demonstre a consciência de que não se deve esquecer as limitações nem as dificuldades passadas durante a temporada, quando chegou a ocupar a lanterna do Brasileiro.

- Mesmo estando numa zona boa, tem que procurar evoluir. Se chegamos aqui, não tem que achar que passou. É dar o melhor sempre. Foi com luta, esforço, batalha, treinamento. A humildade precede a honra. É continuar com foco para que, consequentemente, as coisas aconteçam e os objetivos sejam concretizados - comentou o atacante.

Nixon treino Flamengo (Foto: Thales Soares)
Com Luxemburgo, Nixon vem aprendendo a crescer em campo. Durante o treinamento de sexta-feira, o jogador caiu em campo sentindo muitas dores depois de uma pancada. Um dos massagistas ameaçou correr para ajudá-lo, mas foi impedido pelo treinador. A atitude é comum com ele no comando. O jogador entendeu o recado. Levantou, mancando, e voltou para completar a atividade.

- Ele sempre diz que no esporte de alto rendimento temos que dar o nosso melhor. Nem sempre, haverá alguém para entrar no nosso lugar. Temos que aprender a jogar com dor, a superá-la. O professor Luxa sempre cita algo, coisas que faz não só dentro de campo, como fora. É pai, educador, avô. Já viveu muitas coisas no futebol e na vida. Por ser jovem, tenho que aprender com ele - disse Nixon.

Em alguns momentos, Luxemburgo também dá carinho e os jogadores procuram retribuir. Chamá-lo de Luxa, é uma delas. Mostra a proximidade da relação que tem sido vista em campo e dita por todos jogadores a cada oportunidade.

- É a forma de trabalhar junto e respeitar qualquer autoridade. É um educador instruindo. É carinho mesmo - afirmou o atacante.

Consciente da possibilidade de ser escalado como titular, Nixon garante estar preparado. Este ano, ele iniciou apenas sete jogos, precisou se recuperar de uma pequena lesão na coxa direita. Mas agora se sente em condições de plena de ser o escolhido de Luxemburgo.

- Preparado tenho que estar sempre. Meu contrato está no fim, pude ajudar em outros jogos, mas cada campeonato é diferente. Tem a parte do ser humano e a do atleta. O professor conta com a ajuda de todos e vai ser resolvido no momento certo - comentou Nixon.





Na despedida das quadras da NBA, Flamengo perde para Grizzlies


Os primeiros três minutos do Flamengo na  FedExForum Arena contra o Memphis Grizzlies foram promissores. Intenso na defesa e com muita velocidade no ataque, o time de José Neto abriu rapidamente 10 a 2. Mas a esperança da primeira vitória no tour dos EUA parou por aí. Nem mesmo a reação no início do segundo quarto, por conta de seguidas bolas de três, que geraram um empate em 36 pontos, deu a impressão que o feito inédito viria. A forte defesa e o eficiente jogo de garrafão dos Grizzlies determinaram ao Rubro-Negro sua pior derrota das três em quadras americanas. O placar de 112 a 72 (62 a 41) retratou a superioridade de uma equipe em franca ascensão nas últimas temporadas da NBA, e que conta com uma das melhores defesas da liga mais competitiva do mundo, contra um Flamengo  que atua em um campeonato ainda em desenvolvimento.

Para o Flamengo fica a experiência ímpar de poder confrontar três dos mais fortes times do mundo (Orlando e Phoenix foram os outros). Agora, o Mengão volta sua atenção ao mercado nacional, onde estreia no próximo dia 31 de outubro contra o Paulistano pelo NBB. Já o Memphis segue sua pré-temporada antes do primeiro jogo da NBA, dois dias antes, dentro de casa, diante do Minnesota Timberwolves.

Marc Gasol, Flamengo X Memphis, Amistoso Basquete (Foto: Agência AP)

O espanhol Marc Gasol foi o maior tormento da defesa rubro-negra na derrota para o Memphis (Foto: Agência AP)

Com 17 pontos, sendo 15 em bolas de três, Marcelinho Machado foi o cestinha do embate. Marquinhos (14) e Meyinsse (13) e Gegê, com nove pontos e seis assistência, também fizeram um bom trabalho. As decepções ficaram por conta dos argentinos Nico Laprovittola e Walter Herrmann. O armador saiu zerado e com 10 erros. Já o ala-pivô só assinalou dois pontos, pegando seis rebotes. Contratado para as finas da Copa Intercontinental e os três amistosos nos EUA, o ex-Lakers, Derrick Caracter, foi à quadra por apenas 4m18, sem pontuar e pegar rebotes.

Pelo lado dos Grizzlies, a distribuição de pontos foi o destaque. Cinco atletas passaram dos 10 pontos. Marc Gasol (15), Tony Allen (14), Quincy Pondexter (13), Mike Lee (10) e Zach Randolph (10). Gasol e Randolph ainda pegaram oito rebotes. Conley deu sete assistências.

Flamengo  começa bem, mas defesa do Memphis cresce

O jogo definido como o mais difícil dos três disputados em terras americanas começou com um cenário não tão hostil para os cariocas. Sentindo-se à vontade em quadra, o Flamengo impôs um forte ritmo, com uma defesa postada e muita velocidade no ataque, não demorando a abrir 10 a 2, o que forçou o técnico David Joerger a parar o jogo. Meyinsse no garrafão e Marcelinho nos tiros de três eram os destaques.

Mas, na volta à quadra, o cenário mudou. Laprovittola não conseguia fazer o jogo fluir e apresentava uma de suas piores exibições com a camisa do Flamengo - foram quatro erros só nos 12 minutos iniciais e mais três no restante do primeiro tempo. Os arremessos passaram a ser forçados e o jogo de garrafão a inexistir. Aplicado na defesa, o Memphis engoliu o Rubro-Negro e abriu uma corrida de 25-2, não permitindo aos brasileiros pontuarem por quase seis minutos. No fim, duas cestas de três do Flamengo com Gegê e Marquinhos cortou a diferença para sete (27 a 20).

Meyinsse e Gege, Flamengo X Memphis, Amistoso Basquete (Foto: Agência AP)
Gegê e Meyinsse se salvaram e tiveram boas atuações diante do Memphis (Foto: Agência AP)

História se repete, e Memphis abre vantagem

Assim como no primeiro quarto, a intensidade rubro-negra levou a melhor sobre o mesclado time do Memphis, que poupava seus principais jogadores. Com boa distribuição de jogo de Gegê, que substituía Laprovittola, e mãos calibradas de Marquinhos e Olivinha, a diferença desapareceu (36 a 36). Já com Zach Randolph em quadra e depois com Marc Gasol, os americanos voltaram a dominar as ações, principalmente dentro da área pintada, onde venceram por 36 a 10, e repetiram o que fizeram anteriormente, deixando o Flamengo mais de seis minutos sem pontuar. Rapidamente, a diferença subiu e a etapa inicial terminou na casa dos 20 pontos a favor dos Grizzlies (62 a 41).

Flamengo  some do jogo e Memphis  vence

Se na primeira etapa os primeiros minutos de cada quarto foram bons para o Flamengo, no segundo tempo a história não se repetiu. Com seus titulares em quadra, os Grizzlies foram melhores durante todo o tempo e abriram mais de 30 pontos logo nos primeiros quatro minutos (74 a 43). O campeão intercontinental não conseguia achar o rival na defesa e muito menos pontuar. O reflexo disso apareceu na parcial, vencida pelos donos da casa por 24 a 13 (86 a 54), que chegaram a ter 38 pontos de frente.

Tendo em quadra uma garotada, como os calouros Jordan Adams e Jarnell Stokes, de 20 anos, o Memphis perdeu sua intensidade e permitiu ao Flamengo equilibrar a partida naquele momento. A diferença que chegou a ser de 42 pontos caiu para 30. Os cariocas aproveitavam o máximo que podiam no quarto final em terras americanas. Chupeta e Danielzinho também tiveram suas chances, até por conta dos problemas no dedo de Marquinhos e no rosto de Meyinsse. No fim, a vantagem voltou para a casa dos 40, mas nada que estrague o momento do basquete rubro-negro, que aproveitou o quanto pôde os dias desfrutados nas quadras americanas (112 a 72).

Escalações:

Memphis: Courtney Conley, Mike Lee, Tony Allen, Zach Randolph e Marc Gasol; Entraram: Earl Clark, Vince Carter, Jordan Adams, Kalin Lucas, Jarnell Stokes, Nick Calathes, Patrick Christopher, Kosta Koufos, Beno Udrih, Jon Leuer, Quincy Pondexter; Técnico: David Joerger

Flamengo: Nico Laprovittola, Marcelinho, Marquinhos, Walter Herrmann e Jerome Meyinsse; Entraram: Benite, Gegê, Danielzinho, Chupeta, Olivinha, Cristiano Felício, Derrick Caracter; Técnico: José Neto


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Paulo Victor não vê a hora de Flamengo se livrar da confusão: "Incomoda"

 Paulo Victor treina nesta sexta-feira no Ninho do Urubu (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)Os jogadores do Flamengo entenderam desde o início o caminho trilhado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo para o clube se livrar da ameaça de rebaixamento. Todos se sentiam incomodados com a situação. O jogo com o Atlético-PR, domingo, em Curitiba, é mais um passo a ser dado na direção da tranquilidade, distanciando cada vez mais a confusão.

Em caso de vitória, o Flamengo chegará a 40 pontos, seis a mais do que o Atlético-PR. O confronto é tratado como direto no clube na luta para se afastar da zona de rebaixamento.


- Não vejo a hora de poder falar isso, que a gente se livrou da zona. Incomoda - disse o goleiro Paulo Victor.


A preocupação é justamente com a matemática. Hoje, o Flamengo tem 37 pontos, sete a mais do que o Bahia, primeiro clube na zona de rebaixamento do Brasileiro. A distância confortável pode se tornar perigosa como aconteceu recentemente. Duas rodadas atrás, o time estava na 13ª posição, com 31 pontos.


- O pensamento é o mesmo de antes. Enquanto a matemática não deixar ter essa tranquilidade, vamos ter que somar pontos. O jogo é importante. Temos uma diferença de três pontos para o Atlético-PR. Se vencermos, ela vai a seis. Digo sempre que duas derrotas ou uma derrota e um empate fazem a gente ficar perto de novo - afirmou Paulo Victor.


Depois do Atlético-PR, o Flamengo terá o Internacional, quarta-feira, no Maracanã. No dia seguinte, a delegação embarca para Manaus, onde enfrenta o Botafogo, sábado. A sequência desgastante é tratada como mais um obstáculo, mas sem grande alarde.


- Não tem muita escola. A batida é forte. A comissão técnica tem feito esse trabalho de forma fantástica, mas lesões acontecem. É preciso estar cada vez melhor para jogar - comentou o goleiro.










Com preferência por decisão em casa, Flamengo vive nova situação após sorteio

Nixon treino Flamengo (Foto: Thales Soares)
Apesar de estar com as atenções voltadas para o Campeonato Brasileiro, o Flamengo soube nesta sexta-feira que vai decidir fora de casa o confronto com o Atlético-MG pela semifinal da Copa do Brasil. O fato não acontecia desde as quartas de final da edição de 2011 da competição, quando foi eliminado pelo Ceará.

Na campanha do título de 2013, o Flamengo decidiu todos os confrontos como mandante. Os jogadores sabem como a torcida tem ajudado o time nos jogos realizados no Maracanã. Desta vez, o jogo de ida será no Rio de Janeiro no dia 29 deste mês. A volta acontecerá no Mineirão, dia 5 de novembro.

- Preferia decidir em casa, com o apoio da torcida, mas a gente não escolhe. São jogos difíceis. Vamos encarar buscando sempre a vitória e saber que tem uma equipe muito competente do outro lado - afirmou o goleiro Paulo Victor.

Passo a passo, os jogadores têm conseguido se desligar de uma competição para analisar a outra. Domingo, o time enfrenta o Atlético-PR, em Curitiba, pelo Campeonato Brasileiro. Ainda há tempo para pensar na Copa do Brasil e no Atlético-MG.

- Estamos sempre dispostos a dar o melhor. Quando se trata de mata-mata, não se sabe como o adversário vai agir até chegar o jogo. A torcida é fundamental e vamos procurar fazer o melhor em casa. Depois, pensamos no segundo jogo. Até lá, é outra história. O professor sabe lidar com isso - disse o atacante Nixon.

Depois da vitória sobre o América-RN, pelas quartas de final da Copa do Brasil, o técnico Vanderlei Luxemburgo afirmou que não havia mais como pensar em priorizar uma ou outra competição. Os jogadores entenderam o recado.

- A Copa do Brasil é importante. Fomos campeões ano passado e não temos que deixar de lado. É saber que é outro momento, outros times em outro cenário. Se Deus nos permitiu estar na semifinal, temos que acreditar sim - comentou Nixon.




Gabriel vai a campo, mas Marcio Araújo é dúvida no Flamengo






Gabriel treino Flamengo (Foto: Thales Soares)
O Flamengo tem problemas de sobra para o confronto com o Atlético-PR, domingo, na Arena da Baixada, pelo Campeonato Brasileiro. Além de Alecsandro, submetido a uma cirurgia depois de sofrer uma fratura no rosto, e Wallace, com lesão na coxa esquerda, o técnico Vanderlei Luxemburgo deve perder o volante Marcio Araújo, que saiu de campo na vitória sobre o América-RN no fim do primeiro tempo com dores na coxa esquerda.


Marcio Araújo sequer foi a campo nesta sexta-feira no Ninho do Urubu. O jogador, que vem sendo uma das principais peças do sistema de jogo de Luxemburgo, ainda sente dores no local e Muralha aparece como principal candidato a substitui-lo.


Com relação a Gabriel, a situação é favorável. Depois de deixar o Maracanã mancando, com muitas dores no tornozelo direito, o jogador apareceu em campo e participou do treinamento físico e técnico no Ninho do Urubu, demonstrando estar recuperado do problema.


A relação de jogadores será divulgada neste sábado. A expectativa é principalmente com relação à escalação do ataque. Nixon e Gabriel concorrem pela vaga de Alecsandro. No entanto, os dois podem ser escalados caso Eduardo da Silva seja preservado.




Copa do Brasil 2014














Domingo tem Mengão na Globo




DOMINGO, 19


Série A do Campeonato Brasileiro      


16h – Atlético-PR x Flamengo

Transmissão: TV Globo para PR (menos Curitiba), RJ, ES, PB, RN, PI, PA, AM, RO, AC, RR, AP, DF, Porto Alegre e regiões de Varginha-MG, Juiz de Fora-MG e Araxá-MG (com Luís Roberto, Júnior e Paulo César de Oliveira), Premiere e PFC HD (com Luiz Augusto Xavier e Ivan Andrade)

Na última parada da incursão na NBA, Flamengo encara o Grizzlies em Memphis



Depois de passar por Phoenix e Orlando, a incursão do Flamengo na mais importante liga de basquete do mundo, a NBA, está chegando ao fim. Nesta sexta-feira, às 21h (de Brasília), o Rubro-Negro, atual campeão da Copa Intercontinental, da Liga das Américas e do Novo Basquete Brasil (NBB), entra em quadra no FedEx Forum, no Tennessee, onde encara o Memphis Grizzlies. Válido pela pré-temporada do torneio americano, o duelo tem transmissão do SporTV e do SporTV Play (para assinantes) ao vivo. O GloboEsporte.com segue os lances em Tempo Real.

E, para conseguir a primeira vitória, uma das armas secretas é Marcelinho Machado. Esse será o terceiro e último duelo do time carioca nos Estados Unidos. Até o momento, foram duas derrotas, mas o atleta foi o maior pontuador do Flamengo em ambas. Na primeira, contra o Phoenix Suns (100 a 88), marcou 16 pontos em 28m24 em quadra. Na segunda, diante do Orlando Magic (106 a 88), 20 pontos em 30m04 em jogo. 


Montagem Quincy Pondexter e Marcelinho Machado (Foto: Montagem sobre foto da Getty Images)Memphis Grizzlies, de Quincy Pondexter, pega o Flamengo, de Marcelinho (Foto: Montagem sobre foto da Getty Images)


Aos 39 anos, o ala-armador, que nunca passou pela NBA, teve bastante êxito nas bolas de três. Contra o Magic, foram seis convertidas de 12 tentativas. Diante dos Suns, duas de seis. Ou seja, um aproveitamento de 44,44%. Além dele, o Rubro-Negro conta com Nicolas Laprovittola, MVP da Copa Intercontinental, que fez 28 pontos nessas duas partidas e se destacou com 21 assistências.

Por sua vez, na pré-temporada, os Grizzlies perderam três jogos (86 a 83 para o Milwaukee Bucks, 113 a 93 para o Houston Rockets e 117 a 107 para o Oklahoma City Thunder) e venceram apenas um (Atlanta Hawks, por 93 a 88). Se mantiver a escalação do último jogo contra a equipe de Oklahoma, entrará em quadra com Quincy Pondexter, Jon Leuer, Kosta Koufos, Courtney Lee e Beno Udrih. O Flamengo, por sua vez, se fizer o mesmo, jogará com Marquinhos, Walter Herrmann, Jerome Meyinsse, Marcelinho Machado e Nico Laprovittola.



Ingressos para Flamengo x Inter



O Flamengo tem novo desafio na próxima quarta-feira (22.10) contra o Internacional, pela 30ª rodada do Brasileiro, às 19h30. As vendas abrem nesta quinta-feira (16.10) para sócios-torcedores pela internet, que terão os pontos de venda abertos a partir de sábado (18.10). A venda para torcedores abre no domingo (19.10) pela internet e somente na segunda-feira (20.10) em pontos de venda. Não é possível fazer compras online no dia da partida.


Você ainda pode entrar no Nação Rubro-Negra e comprar seu ingresso com 50% de desconto nesta partida: clique aqui e seja agora um sócio-torcedor. Se você já tem um plano, clique aqui e compre sua entrada



Confira o escalonamento por planos:


9h - +Paixão
11h - Paixão
13h - +Amor
15h - Amor
17h - +Raça
19h - Raça
21h - Tradição


Veja os preços por setor:


Norte
Torcedor: R$40 inteira / R$20 meia
Sócio-torcedor: R$20 Inteira / R$10 meia
Tradição: R$30 inteira / R$15 meia


Sul
Torcedor: R$50 inteira / R$25 meia
Sócio-torcedor: R$25 Inteira / R$12,50 meia
Tradição: R$40 inteira / R$20 meia


Leste Superior
Torcedor: R$80 inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor: R$40 Inteira / R$20 meia
Tradição: R$60 inteira / R$30 meia


Leste Inferior
Torcedor: R$80 inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor: R$40 Inteira / R$20 meia
Tradição: R$60 inteira / R$30 meia


Oeste Inferior
Torcedor: R$100 inteira/R$50 meia
Sócio-torcedor: R$50 inteira/R$25 meia
Tradição: R$80 inteira/R$40 meia


Maracanã Mais
Torcedor: R$220 inteira / R$130 meia
Sócio-torcedor: R$130 Inteira / R$85 meia
Tradição: R$180 inteira / R$110 meia


Confira os pontos físicos de troca e venda para sócio-torcedor:


Gávea – Sede do Flamengo – Rua Borges de Medeiros
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Barra da Tijuca – FlaBoutique – Av das Américas, 7607 Loja 151
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Tijuca – FlaBoutique – R. Conde de Bonfim, 685 Loja D
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Andaraí – FlaBoutique/Iguatemi – R. Barão de São Francisco, 236 Loja 15
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Nova Iguaçu – FlaBoutique – R. Dr. Barros Júnior, 272 Via Light Mall
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Largo do Machado – FlaBoutique – Rua Largo do Machado 29 Loja 40 – Galeria Condor
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Centro - Espaço Rubro Negro – R. da Quitanda 87
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Centro - Espaço Rubro Negro – R. Buenos Aires 113, loja 2, 3 e 4
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Barra da Tijuca - Espaço Rubro Negro – Av das Américas, 500 - Bloco 3 - Loja 114
18.10 e 20.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h às 15h


Maracanã – Container Mata Machado*
19.10 a 21.10 - 10h às 17h (no domingo não funciona)
22.10 (dia da partida) - 10h até o fim do primeiro tempo



*Quando houver jogos no Maracanã de outros clubes, não haverá venda para torcedores rubro-negros neste PDV.



Autor: Comunicação
Fonte: Site Oficial do Clube










quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Flamengo x Memphis agitam SporTV nesta 6ª







Orlando X Flamengo - Basquete (Foto: Pedro Verissimo) O Flamengo foi derrotado pelo Orlando Magic por 106 a 88, na pré-temporada da NBA. Apesar do resultado negativo nesta quarta-feira, a partida teve um lado bom para o rubro-negro, que contou com uma boa presença de torcedores no Amway Center.

Os presentes cantaram, incentivaram e até fizeram pressão para cima do time americano. Nesta sexta-feira, o Mengão encerra a sua excursão pelos EUA.

Às 21h (de Brasília), enfrenta o Memphis Grizzlies. O jogo terá transmissão do SporTV2, com narração de Roby Porto e comentários de Byra Bello e Renatinho.

Paulo Victor elogia Galo, mas diz "confiar no elenco" do Flamengo

Goleiro do Flamengo, Paulo Victor participa do programa Arena SporTV (Foto: Wilson Hebert / SporTV.com)
O Atlético-MG ganhou muita moral na Copa do Brasil depois da vitória por 4 a 1 contra o Corinthians, no Mineirão, que garantiu a classificação do time mineiro para a semifinal. O rival, porém, será o Flamengo, atual campeão da competição, que conquistou a vaga com duas vitórias por 1 a 0 diante do América-RN.

Goleiro do Flamengo, Paulo Victor projetou o duelo e disse que espera muita dificuldade para os jogos da semifinal. Com o time em alta, porém, dá a receita para a classificação:

- Sabemos da qualidade que o Atlético-MG tem, com jogadores de Seleção, jogador que disputou a Copa do Mundo (Victor). Tanto Atlético-MG ou Corinthians, quem passasse, nós sabíamos das dificuldades que teríamos, mas temos de confiar no elenco, no que a gente vem fazendo, saber que é uma competição que tem de ter atenção, são dois jogos, é mata-mata, aquele jogo fora que você não pode tomar gol e tem de fazer gol fora. Temos de tomar cuidado. Vimos o exemplo do Corinthians, que fez 2 a 0, mas acabou eliminado - alertou o goleiro.

De acordo com Paulo Victor, o técnico Vanderlei Luxemburgo teve enorme influência na vitória por 1 a 0 contra o América-RN, nesta quarta, no Maracanã.

- A gente sabia (que seria sofrido). Vanderlei é um cara fantástico, falou tudo o que ia acontecer durante o jogo. O América não tinha responsabilidade, passou isso na semana para deixar a gente leve. Tinham desfalques, mas podiam fazer história no Maracanã, como contra o Fluminense. A gente sabia que tinha de ter atenção redobrada para tudo sair como a gente queria - disse o atleta de 27 anos.

Décimo colocado no Campeonato Brasileiro, com 37 pontos, o Flamengo volta a campo neste domingo, às 16h, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.


Cimento Social


O governador ressaltou que não irá governar para apenas um segmento e criticou Crivella por favorecer apenas integrantes da Universal no projeto “Cimento Social” de autoria do senador, que doava casas a famílias carentes. No início das obras, em 2007, a lista de beneficiados, feita pela igreja Universal, chegou a ser contestada.

— A gente viu quando teve o Cimento Social na Providência, na sua primeira fase, quem foi escolhido foram as pessoas da Universal. Não pode ser assim, um governador tem que governar para todos. Você imagina colocar os projetos sociais para uma denominação, isso não atende ao povo evangélico, católico, espírita— disse









Em vantagem nas pesquisas, Pezão diz que Crivella é ‘lobo em pele de cordeiro’


Na semana passada, Crivella do PRB já havia entrado na Justiça para suspender a divulgação dos levantamentos de Datafolha e Ibope.    O levantamento coloca o governador Luiz Fernando Pezão na liderança, com 56% dos votos válidos, enquanto Crivella aparece com 44%.


Pezão 56

Crivella  44






Zagueiro Marcelo agradece apoio da torcida e não entende expulsão



A expulsão de Marcelo na vitória por 1 a 0 sobre o América-RN, na noite desta quarta-feira, foi considerada por muitos como injusta, tanto pela natureza da falta cometida no atacante Isac, quanto pelos dois socos do zagueiro do Flamengo no gramado. E a torcida rubro-negra também entendeu assim. Assim que o árbitro Elmo Alves Rezende mostrou o segundo cartão amarelo, consequentemente o vermelho em seguida, os rubro-negros gritaram o nome do jogador, que foi ovacionado na saída de campo. Feliz com o carinho vindo da arquibancada, Marcelo afirma que até agora não sabe a razão de ter sido expulso.

– Não entendi por que ele me tirou. Cometi uma falta de jogo, dei dois socos no chão, mas não reclamei, nem contestei a marcação dele. Fiquei até parado quando o vi tirando o (cartão) amarelo e depois o vermelho – disse.

Mesmo assim, o jogador fez questão de destacar o apoio dos rubro-negros. Segundo Marcelo, além da expulsão ter sido injusta, a demonstração de carinho da torcida se deve à entrega dentro de campo.

– Fiquei muito surpreso. É gratificante deixar o campo com a torcida gritando o seu nome. A situação é que não era a ideal, mas foi especial demais. Acho que isso mostra que o meu trabalho está sendo valorizado. Sou um vencedor e estou me esforçando muito para evoluir. A cada dia eles me surpreendem mais – finalizou o jogador, que está fora do primeiro duelo das semifinais da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG.    

Marcelo, Flamengo, torcida, Flamengo x Atlético (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)Marcelo tem sido reconhecido pela torcida rubro-negra (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)

Versão artilheira de Gabriel desperta em mais um passo na Copa do Brasil

A classificação do Flamengo para a semifinal da Copa do Brasil saiu dos pés de Gabriel. Nos dois jogos contra o América-RN, marcou os dois gols das vitórias por 1 a 0. O jogador, de 24 anos, está longe de ter vocação para artilheiro, mas vem cumprindo o seu papel, principalmente depois da chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo.

Ao contrário do confronto de Natal, quando atuou como titular, Gabriel saiu do banco de reservas no fim do primeiro tempo para substituir Márcio Araújo, que saiu machucado. O destino apontava para o camisa 17 como herói da classificação.

Em um jogo contra um adversário recheado de desfalques e com a vantagem de poder empatar, o Flamengo tinha o apoio de mais de 40 mil pessoas e a preocupação de não correr riscos. Gabriel ajudou a mudar o ritmo do jogo, atuando pelo lado direito, quase como um ponta.

No lance do gol da vitória, Gabriel começou a jogada no meio, com uma série de dribles, abriu a jogada pelo lado esquerdo para Everton. O cruzamento para Nixon teve o corte da defesa e o próprio Gabriel apareceu na área para aproveitar a sobra e marcar, aos 18 minutos do segundo tempo.


Gabriel Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Gabriel corre para festejar o gol da vitória rubro-negra na quarta-feira (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)




Foi o terceiro gol de Gabriel nos últimos cinco jogos do Flamengo e o sétimo do ano. Ele se igualou a Everton e Eduardo da Silva. Alecsandro lidera a artilharia do time na temporada, com 21 gols. A sequência do jogador veio logo depois de 21 jogos sem marcar em 2014.

- Ele (Vanderlei Luxemburgo) vem me dando liberdade. Fiquei muito tempo parado por lesão, quebrei o nariz. Não tem como ficar na conta esse tempo sem gol. Estou seguindo as instruções para estar na área. Aumentou a confiança. Só de falar que o erro é do futebol deixa a gente mais tranquilo, não põe pressão na cabeça do jogador e deixa a gente fazer o que sabe - disse Gabriel.

Nem mesmo o fato de ter deixado o estádio mancando, com o tornozelo direito dolorido, desanimou Gabriel. O sorriso no rosto dava a certeza do dever cumprido e a expectativa de que novas chances virão. Já são 84 jogos e 10 gols com a camisa do clube.

- O professor sabe o que é melhor para o Flamengo e deixo ele decidir - afirmou Gabriel, contratado pelo Flamengo no começo do ano passado.

Sem se intimidar, João Paulo convive com vaias no Flamengo: "Acostumado"


A vida de João Paulo não é fácil no Flamengo. Responsável por cruzamentos decisivos para Alecsandro e Eduardo da Silva na campanha de recuperação do time no Campeonato Brasileiro, o lateral-esquerdo precisa conviver com vaias a cada erro cometido. A taxa permitida a ele pelos torcedores vai a zero.

Contra o América-RN, quarta-feira, na vitória por 1 a 0 (assista no vídeo acima aos melhores momentos) não foi diferente. Bastou um erro para a torcida pegar no pé do jogador. Mesmo assim, João Paulo ainda teve boa participação ofensiva, com cruzamentos perigosos e apoio constante ao lado de Everton pelo lado esquerdo.

João Paulo Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
João Paulo marca o atacante Rodrigo Pimpão no fim da vitória do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)


João Paulo não reclama. Procura entender o comportamento de quem está na arquibancada. Prefere valorizar o apoio que recebe quando consegue realizar uma jogada positiva. No entanto, sabe que a pressão vai continuar.

- Sinceramente, nem penso nisso. Já estou acostumado. Dou o meu melhor para ajudar e os torcedores têm visto isso. Quando erra, pega no pé, mas estou tranquilo e feliz no Flamengo - disse João Paulo.

Desde o afastamento de André Santos, no fim de julho, João Paulo foi por dois meses o único jogador da posição no elenco. Recentemente, o clube aceitou dar uma oportunidade a Anderson Pico, que fez sua estreia na vitória por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, domingo passado. Ele deve novamente atuar contra o Atlético-PR, dia 19, na Arena da Baixada.

O técnico Vanderlei Luxemburgo já demonstrou sua preocupação com a condição física de João Paulo, que atuou seguidamente em vários jogos sob o seu comando. Outros tiveram a oportunidade de serem poupados.

- Jogador não quer ser poupado. Estou ajudando o grupo. Se estiver esgotado, é bom dar uma segurada, mas estou bem. O professor é bastante inteligente para fazer esse rodízio. Estou feliz e jogando bem. Quero continuar nessa batalha. Não é questão de dar brecha, o grupo todo está indo bem - comentou João Paulo.

Qualquer dia "tamo" aí: rubro-negros profetizam volta à Libertadores


Vanderlei Luxemburgo não deixou a zona da confusão de lado, mas não dá mais para convencer o torcedor do Flamengo de que a manutenção na Série A é a grande meta para temporada. O mantra repetido pelo treinador desde sua chegada ao clube não cola mais. E mais de 40 mil rubro-negros fizeram questão de dar esse recado em alto e bom som na vitória por 1 a 0 sobre o América-RN, quarta-feira, no Maracanã. Na partida em que ultrapassaram a marca de 32 mil pagantes pela nona vez em dez compromissos depois da Copa do Mundo, os torcedores deixaram claro que evitar o rebaixamento no Brasileirão não é mais o suficiente e avisaram: "Libertadores, qualquer dia tamo aí!".

Com a lembrança de 2013 ainda fresca na memória, os flamenguistas já não conseguem segurar a empolgação a quatro passos do possível bi consecutivo da Copa do Brasil (quarto título na história). Diante do América-RN, o clima de festa tomou conta do Maracanã antes mesmo do início da partida. Os 42.406 presentes (32.760 pagantes) cantaram um vasto repertório de canções durante os 90 minutos. Se foram premiados com apenas um gol, não se privaram de celebrar nas mais variadas situações. Defesas de Paulo Victor, desarmes de Cáceres, dribles de Everton e até mesmo a expulsão de Marcelo fizeram os rubro-negros extravasarem a alegria.


Torcida do Flamengo contra América-RN, Maracanã (Foto: Cahê Mota)
Mais uma vez, o time rubro-negro contou com a presença em peso de sua torcida (Foto: Cahê Mota)

Não era nem necessária a informação de 27 mil ingressos vendidos antecipadamente para ter a certeza de que a partida teria grande público. Desde o início da noite, a movimentação nos arredores do Maracanã já era grande, assim como o clima de otimismo dos rubro-negros. Logo que os portões foram abertos, às 20h, quem decidiu entrar no estádio pôde acompanhar nos telões a partida do time de basquete contra o Orlando Magic e teve início a cantoria, que foi quase ininterrupta no setor onde ficam as torcidas organizadas.

No anúncio das escalações no telão, um dos poucos momentos onde a torcida demonstrou insatisfação. Enquanto Eduardo da Silva, Léo Moura e até o novato Marcelo foram festejados, João Paulo recebeu vaias, que se repetiram em alguns momentos com bola rolando. Os protestos, no entanto, foram quase imperceptíveis diante do apoio das arquibancadas desde o apito inicial. Quando a bola estava nos pés do América-RN, ouviam-se vaias. Quando o Fla recuperava, incentivo.

A empolgação, por sua vez, foi diminuindo a medida que a equipe não dava a resposta em campo. Em vantagem e com um adversário desmantelado por desfalques, o Flamengo jogava sem pressa, trocava passes no campo ofensivo e deixava a partida monótona. Dizer que o Maracanã ficou em silêncio seria exagero, mas poucos foram os que se mantiveram animados durante todos os 45 minutos iniciais. Na saída para o intervalo, gritos de "Queremos raça".

No segundo tempo, o Flamengo ganhou fôlego com a entrada de Gabriel, e a torcida foi no mesmo ritmo. Em muitos decibéis, puxou o time para o ataque e emendou sem parar a versão do hit da Argentina na Copa, "Decime que se siente". Na letra rubro-negra, os torcedores prometem apoiar a equipe até o final mesmo nos piores momentos. Mas a quarta-feira era de bons momentos, principalmente após o gol de Gabriel, aos 18 minutos. A partir daí, quase tudo que acontecia em campo era retribuído com aplausos. Até Marcelo, que foi expulso por receber o segundo cartão amarelo, deixou o gramado ovacionado.


Torcida do Flamengo contra América-RN, Maracanã (Foto: Cahê Mota)
Os torcedores do Fla já vislumbram a disputa de mais uma Copa Libertadores (Foto: Cahê Mota)

Por mais que o América-RN assustasse em bons contragolpes, a torcida do Flamengo não parava de cantar. O repertório tinha profecia de título, samba-enredo da Estácio de Sá em homenagem ao centenário do clube e reverência a si próprio: "Que torcida é essa!?". Com a vaga praticamente garantida, o time de Vanderlei Luxemburgo atacava pouco, e os momentos de vibração passaram a ser defensivos. Paulo Victor, com três grandes defesas no fim, foi quem mais levantou a galera:

- Tenho que parabenizar. A torcida sabe a importância que têm. Quando estão do nosso lado, fazem a diferença. E já convoco para seguirem com a gente até o final. Vamos precisar da força deles - disse o goleiro.

Com camisas girando no ar, os rubro-negros acompanharam os minutos finais da partida cantando que era "festa na favela", até o que o filme de 2013 passou pela cabeça. Assim como na temporada passada, o Flamengo que sofre no Brasileirão dá a volta por cima na Copa do Brasil, e o que era um sonho distante após a derrota por 3 a 0 para o Coritiba, no jogo de idas das oitavas de final, voltou a ser obsessão. Uníssono, o Maracanã gritou: "Ihhhh, Libertadores, qualquer dia tamo aí".

Para disputar novamente a competição continental, o Flamengo terá pela frente o Atlético-MG, na semifinal. Na próxima sexta-feira, será decidida a ordem dos confrontos em sorteio na CBF. A julgar pela empolgação e até pelo histórico recente, uma coisa já está definida: o jogo do Maracanã terá casa cheia.

O vasco é muito ridículo




Após trauma na cabeça, Alecsandro passará por cirurgia e deve perder ano

Alecsandro deu um susto na torcida do Flamengo na noite desta quarta-feira, na vitória por 1 a 0 diante do América-RN, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O atacante sofreu um afundamento na testa (fratura cominutiva de frontal) após um choque de cabeça e passará por cirurgia nesta manhã de quinta-feira. É pouco provável que tenha condições de voltar a jogar na temporada.

De acordo com o médico Augusto César Lima, que fará o procedimento, o tempo de recuperação para esse tipo de operação é de 35 dias, podendo ser ampliado. O jogador foi levado para um hospital na Zona Oeste do Rio de Janeiro logo após a partida, onde está internado. Alecsandro passa bem e já conversou por telefone com familiares. A cirurgia deve começar às 10h30. A alta está prevista para 48h depois.

- Foi uma fratura de osso frontal, na testa, cominutiva, que os ossos ficam farelados. Ele não tem fratura de parede posterior. E a recuperação deve ser mais rápida. Vai ser colocada placa, parafuso, e vida normal. No mínimo, são 35 dias de recuperação. Mas avaliação mesmo só depois da cirurgia. Agora ele está tranquilo, mas estava nervoso, ansioso. Mas agora está ótimo. Louco para chegar logo a cirurgia - disse o médico, em entrevista à Rádio CBN.

De qualquer forma, por pertencer ao Atlético-MG e estar emprestado ao Flamengo, o centroavante não poderia participar das semifinais da Copa do Brasil contra o Galo, que eliminou o Corinthians. Os jogos serão nos dias 29 de outubro e 5 de novembro. Os mandos de campo serão sorteados nesta sexta-feira, na sede da CBF.

Após primeiro tempo em que recebeu poucas bolas nesta noite, Alecsandro iniciou a segunda etapa ameaçando o América-RN. A um minuto, raspou de cabeça cruzamento de João Paulo, mas Andrey defendeu. Três minutos depois, concluiu levantamento de Léo Moura para fora, quando se chocou com Cleber e saiu de campo.

- O Alecsandro queria retornar ao jogo, não queria sair de jeito nenhum. Mas, conversando com ele, não tinha jeito de continuar. Já no vestiário, ele teve os sintomas e viu que não dava - disse Marcelo Soares, médico do Flamengo e que realizou o atendimento ainda no campo de jogo.



Alecsandro, Flamengo X América- RN (Foto: André Durão)Alecsandro recebe o atendimento do médico Marcelo Soares após o choque com Cleber (Foto: André Durão)


Elenco do Flamengo ganha folga e volta a treinar apenas na sexta-feira


O Flamengo se classificou para a semifinal da Copa do Brasil ao vencer o América de Natal, por 1 a 0, no Maracanã, nesta quarta-feira. E o elenco rubro-negro terá a quinta para descansar, de olho no jogo contra o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro, domingo. Os jogadores se reapresentam apenas na sexta-feira, às 16h, no Ninho do Urubu.

- Amanhã (quinta) é folga geral. Os jogadores precisam relaxar a cabeça, descansar e namorar um pouquinho. Depois, teremos uma semana dura - declarou Vanderlei Luxemburgo, treinador da equipe.

Na Copa do Brasil, o Flamengo, atual campeão, vive boa fase e medirá forças com o Atlético-MG, nos dias 29 de outubro e 5 de novembro. No Brasileiro, o time carioca soma 37 pontos e encontra-se na 10ª colocação.

Luxa ressalta mudança de estilo e se anima: "Não tem essa de poupar"



A zona da confusão deixou de ser prioridade no Flamengo. Depois de meses garantindo que escapar do rebaixamento no Brasileirão seria o título rubro-negro na temporada, Vanderlei Luxemburgo quer mais, quer um troféu de verdade. Com a vitória por 1 a 0 sobre o América-RN, nesta quarta-feira, no Maracanã, a equipe se classificou para encarar o Atlético-MG na semifinal da Copa do Brasil. A possibilidade de gritar campeão em quatro jogos fez o treinador decretar: vai com força máxima em todas as partidas restantes na temporada.

Na verdade, nesta quarta-feira já foi assim. Apesar de ter poupado Alecsandro, Everton, Léo Moura e Márcio Araújo no treinamento da véspera, Luxa mandou o time titular para campo. Mesmo com muitos desfalques, o América-RN foi um rival complicado, e Vanderlei revelou que exatamente por saber dos perigos do rival potiguar optou por minimizar qualquer possibilidade de relaxamento em seus comandados.

- Sabíamos que seria um jogo complicado. Eles não tinham responsabilidade nenhuma. As declarações de que vieram sem 22 jogadores deixa o ambiente mais leve. Por isso, coloquei a equipe completa. Agora, não tem essa de poupar, vamos até o fim no pau. Avançamos no Brasileiro e na Copa do Brasil, só vão sair por lesão ou questão tática.

A força máxima rubro-negra, no entanto, não foi suficiente para abrir vantagem no primeiro tempo. Com Eduardo da Silva e Alecsandro no ataque, o Flamengo foi presa fácil para o trio defensivo do América-RN. Na segunda etapa, com os velozes Gabriel e Nixon, a situação melhorou.

- Mudamos depois no jogo porque eles foram jogar com três zagueiros. Tínhamos a informação, mas não conhecíamos os jogadores. Coloquei o Eduardo e o Alecsandro, mas depois apostei na velocidade para tentarmos o drible. Quando se tem três zagueiros, é preciso isso.


O sorteio para definir a ordem dos jogos entre Flamengo e Atlético-MG, na semifinal da Copa do Brasil, acontece na próxima sexta-feira, na CBF. Antes de voltar o foco para competição, o Rubro-Negro tem pela frente o Atlético-PR, domingo, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 29ª rodada do Brasileirão.


Confira os outros trechos da entrevista:


Alecsandro

- Está indo para um hospital na Barra, o doutor Runco vai para lá. Parece que teve um afundamento e deve ter que fazer uma cirurgia. É jogo de futebol, choque, não teve intenção do adversário. Vamos torcer para que seja só uma cirurgia para colocar no lugar e ele possa voltar.

 Semifinal entre grandes

- Um time que disputa a Copa Libertadores não pode perder o privilégio de jogar uma Copa. Agora, há esse direito e acho que é melhor. Depende da competência das equipes. Você vê que o jogo do Cruzeiro foi apertado, o nosso também. Agora, temos que esquecer a Copa do Brasil e focar nos três jogos do Brasileiro para avançarmos ainda mais e depois pensarmos no que vai acontecer na frente. Teremos um adversário difícil, uma equipe que há uns três anos já faz um trabalho muito bom, mas é só lá na frente.

Torcida

- A torcida do Flamengo no Maracanã inflama, vai junto com o time, mas tem que ter resposta, o time tem que chamar o jogo. Se não chamar, é complicado. Tem que ter um drible, uma jogada para esquentar.

Prioridade no Brasileirão?

- Agora, acabou. Temos que meter um pijama training e descansar. Faltam menos de dois meses para terminar e temos que estar focados, recuperar bem. Teremos três jogos em uma semana, vamos na quinta-feira para Manaus, e vamos tentar recuperar bem os jogadores. Tenho que ter essa preocupação. O João Paulo entrou por não ter o Pico na Copa do Brasil. Então, de repente vou dar uma preservada.

Bom momento

- Temos que ter paciência. O Flamengo não vinha jogando mal, mas não tinha o resultado. Ninguém analisa o que a equipe faz, mas, sim, o resultado. Falava para os jogadores que tínhamos que ter calma e as coisas iam acontecer naturalmente. Aconteceram. Mas é assim: ganhou, é muito bom; perdeu, você não presta. 
Preço dos ingressos

- A diretoria tem o projeto deles. Acho que preço de uma final deve ser diferente de um campeonato normal. Isso é em qualquer lugar. Se chegarmos na final, naturalmente tem que ter um preço maior. Mas tenho na minha cabeça, sempre respeitando as pessoas administrativamente, que a perda se recupera com conquistas. A melhor coisa que tem é ganhar. Assim, tudo fica melhor, o caminho para tudo. Se foi importante ter o torcedor ao lado... Se acharem que têm que aumentar, o problema é da diretoria, que assume o que faz. Eu tenho a minha opinião. Futebol se vive de conquistas. Não adianta o marketing fazer um monte de produtos. Se o time não ganhar, não vende nenhum.

Competições mata-mata

- É diferente. Jogamos com 1 a 0 a favor e se não esquecêssemos isso, íamos nos complicar. Começamos o segundo tempo indo para frente do adversário. É uma competição complicada. O América-RN teve chance de fazer gol, e se faz tudo muda. Um dos maiores exemplos de Copa é que o Real Madrid saiu para um time de quarta divisão na Copa do Rei. Não tem como explicar, no futebol o pequeno pode ganhar do grande.

Viagem para Manaus para pegar o Botafogo

- Essa viagem que é complicada, né? O desgaste é muito grande. Quatro horas para ir, para voltar, mais o traslado... São sete horas e meia de um ponto a outro dentro do Campeonato Brasileiro. Mas quem tem que intervir nisso aí não sou eu, é a CBF. É meio complicado isso aí. Estamos no final da competição, o desgaste físico é muito grande, mas tem que jogar. Vamos nos preparar e jogar.

Euforia da torcida

- A festa tem que acontecer depois do jogo. Durante o jogo, tem que apoiar a equipe. No final, quando ganha, tem que dar cambalhota, fazer tudo mesmo. Tenho experiência nisso, o Flamengo tem um exemplo disso quando tinha uma trabalho fantástico do Joel, achou que estava ganho e perdeu.

Gol de Gabriel - Flamengo 1 x 0 América-RN

Resultados de quarta na Copa do Brasil e Sul-Americana



Copa do Brasil 2014 (Quartas de final - jogos de volta)

*Flamengo 1 x 0 América-RN (ida: 1 x 0)
*Atlético-MG 4 x 1 Corinthians (ida: 0 x 2)
  ABC 3 x 2 Cruzeiro* (ida: 0 x 1)


*Classificados para as semifinais da Copa do Brasil inicialmente programadas para 29/10 e 5/11



Copa Sul-Americana 2014 (Oitavas de final - jogos de ida e volta)

Boa Juniors-ARG 0 x 1 Deportivo Capiatá-PAR
Huachipato-CHI 2 x 3 São Paulo* (ida: 0 x 1)
*Univ. César Vallejo-PER 2 x 0 Bahia (ida: 0 x 2) - Nos pênaltis Univ. César Vallejo 7 x 6 Bahia
Goiás 1 x 0 Emelec-EQU* (ida: 0 x 1) - Nos pênaltis Goiás 5 x 6 Emelec-EQU


*Classificados para as quartas de final da Copa Sul-Americana




Jogadores do Flamengo admitem dificuldade no começo, mas enaltecem eficiência

O Flamengo garantiu a classificação para as semifinais da Copa do Brasil depois de um confronto difícil contra o América-RN. Mesmo sem sustos, a equipe fez 1 a 0 no Maracanã, nesta quarta-feira, ao superar o ferrolho do rival. Os jogadores enalteceram a eficiência demonstrada, e o goleiro Paulo Victor lembrou que as dificuldades impostas tornaram a partida imprevisível.

- A gente tem que sempre estar atento porque eles têm uma equipe boa, ficaram o tempo todo atrás esperando o nosso erro. Mas fomos felizes hoje. Independentemente de 15 ou 20 desfalques, sabemos do esforço deles, então temos que dar os parabéns ao América-RN, mas e agora vamos seguir em frente na semifinal e no Brasileirão - disse.

O atacante Nixon, que entrou no intervalo, também citou a paciência do Rubro-Negro.

- A gente sabe que jogar um campeonato desse é difícil. Eles vêm fechados, buscaram contra-ataque, mas nossa equipe soube tocar a bola e conseguimos passar de fase.

Já o lateral João Paulo brincou com o fato de a jogada do gol ter saído por seu lado.

- É um lado esquerdo abençoado no trabalho com o professor Luxemburgo. Fizemos um bom jogo, no primeiro tempo tivemos dificuldades por ver como a equipe deles vinha, depois abriu um pouco. Mas o grupo está de parabéns.