sábado, 24 de janeiro de 2015

Abusado, Arthur Maia ignora "peso da camisa": "Me preparei para isso"

Arthur Maia é o grande destaque da pré-temporada do Flamengo. Aposta de Vanderlei Luxemburgo para o meio-campo, o camisa 19 tem chamado a atenção pela personalidade. Titular na ausência de Eduardo da Silva, que trabalha para fortalecer a parte física, não se priva de arriscar jogadas individuais ou passes mais rebuscados. Foi assim desde a primeira oportunidade, ainda no jogo-treino com o RB Brasil, em Atibaia, e também nos amistosos contra Shakhtar Donetsk e vasco sanitário. Ousadia de quem não sentiu o peso da camisa rubro-negra. Talvez por já estar acostumado a vesti-la desde moleque.

Alagoano de Maceió, Arthur nunca escondeu ser torcedor do Flamengo. Batizado com o nome de Zico, é fã de Petkovic e vê na oportunidade dada por Vanderlei Luxemburgo a possibilidade de viver um sonho. Sendo assim, não tem porque timidez. Em campo, o meia promete seguir sendo abusado.

Luxemburgo e Arthur Maia, treino Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Luxemburgo vai escalar Arthur Maia mais uma vez diante do São Paulo, neste domingo (Foto: Cahê Mota)
 
 - Me preparei para isso, sempre soube da responsabilidade em vestir essa camisa do Flamengo. Em qualquer lugar que você chega, tem torcedor. Sempre foi um sonho em vestir essa camisa, tenho que mostrar tudo o que sei e dar minha vida no jogo. Eu converso com amigos de infância que sabem dessa torcida, é muito emocionante. Estou muito feliz com o momento que estou passando. O momento do hino marca e vou buscar o meu espaço.

Contra o São Paulo, Arthur Maia fará seu terceiro jogo com a camisa do Flamengo. No próximo dia 31, acontecerá a estreia oficial, diante do Macaé, pelo Carioca, no Cláudio Moacyr. O que mais mexe com os nervos do meia, entretanto, é o duelo com o Barra Mansa, dia 4. Será o primeiro encontro com o Maracanã.

- Tem uma ansiedade grande, pois sabemos que jogar no Maracanã é diferente. Tudo que já assisti e vibrei, pode continuar acontecendo comigo.

Em busca de espaço em um grande clube do cenário nacional, Arthur Maia vai encarar um dos expoentes em sua posição neste domingo, na Arena Amazônia: Paulo Henrique Ganso. Duelo que decidirá o torneio de verão de Manaus e que colocará frente a frente jogadores de estilos distintos.

- O Ganso é uma referência para todos que jogamos nessa posição. Semelhança até tem, só que ele é um pouco mais cadenciado e eu sou um pouco veloz.

Flamengo e São Paulo se enfrentam domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Amazônia, pela decisão do torneio de verão. Em caso de empate, a disputa irá para os pênaltis. Após a partida, a delegação rubro-negra retorna para o Rio de Janeiro, depois de três semanas de pré-temporada, e finaliza a preparação para estrear no Carioca diante do Macaé, dia 31, no Cláudio Moacyr, em Macaé.

Animado, Flamengo encerra pré-temporada antes de decisão contra o São Paulo

O Flamengo encerrou em clima descontraído a pré-temporada. No último treinamento fora do Rio de Janeiro visando o Carioca, Vanderlei Luxemburgo liberou o elenco para o tradicional recreativo de véspera de jogos. Com a decisão do torneio de verão de Manaus, com o São Paulo, pela frente, o elenco rubro-negro se divertiu em quase uma hora de atividade. No fim, parte do grupo treinou cobranças de faltas. Eduardo da Silva e Gabriel seguem fora e fizeram trabalhos físicos específicos.

flamengo treino feed imagens (Foto: Cahe Mota) 
Gabriel e Eduardo da Silva fizeram apenas trabalhos físicos no treino do Flamengo em Manaus (Foto: Cahe Mota)


Por conta do desgaste das últimas semanas de treinamentos, Márcio Araújo, Nixon e Everton também foram poupados, mas estão à disposição para o duelo com o Tricolor paulista. Diante das baixas, o auxiliar técnico Deivid e o preparador físico Daniel Félix também participaram do recreativo. No fim, o time sem colete, que já tinha sido o vencedor na última terça-feira, ganhou mais uma vez e tirou onda com os adversários. O treinamento aconteceu no estádio da Colina, que pertence ao São Raimundo.

Na parte final da atividade, Alecsandro, Thallyson, Cáceres, Canteros, Luiz Antonio e Arthur Maia treinaram cobranças de faltas. O meia que veio do América-RN manteve o bom desempenho que já tinha demonstrado em Atibaia, e a surpresa foi Cáceres, com chutes precisos no ângulo. De longe, Vanderlei Luxemburgo observou o trabalho.

flamengo treino feed imagens (Foto: Cahe Mota)Jogadores fizeram o último treinamento fora do Rio de Janeiro antes da estreia no Campeonato Carioca (Foto: Cahe Mota)


Flamengo e São Paulo se enfrentam domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Amazônia, pela decisão do torneio de verão. Em caso de empate, a disputa irá para os pênaltis. Após a partida, a delegação rubro-negra retorna para o Rio de Janeiro, depois de três semanas de pré-temporada, e finaliza a preparação para estrear no Carioca diante do Macaé, dia 31, no Cláudio Moacyr, em Macaé.

Flamengo entra forte na briga por Jonas e avança em conversas por Cícero

O Flamengo está próximo de ganhar a queda de braço por Jonas, do Sampaio Corrêa. Depois de ser dado como certo no Corinthians, o jogador de 23 anos tem conversas adiantadas com o Rubro-Negro, que está otimista em definir a contratação em breve. O volante, inclusive, é esperado no Rio de Janeiro nos próximos dias para tratar dos últimos detalhes da transação. Diretoria e o empresário Eduardo Maluf, no entanto, tratam o negócio com sigilo total. Cícero, do Fluminense, também tem sua chegada bem encaminhada.

Jonas e seu agente têm um encontro decisivo com o Corinthians neste sábado para colocarem um ponto final na novela que se arrasta desde o os últimos dias de 2014. O volante chegou até mesmo a já falar como atleta do Timão, mas brigas políticas por conta da eleição presidencial no clube travaram o acordo e permitiram que o Flamengo entrasse forte na jogada. Nos bastidores rubro-negros, a contratação é dada como certa. A postura é a mesma de dirigentes do Sampaio. As pessoas envolvidas diretamente na negociação, por sua vez, optam pela prudência e só vão se pronunciar depois da chegada do atleta no Rio de Janeiro.

Além de Jonas, o Flamengo avançou bem também nas tratativas para contar com o tricolor Cícero. Depois de negociar diretamente com o antigo patrocinador do Fluminense, o Rubro-Negro conversa com o clube para resolver detalhes da liberação e o clima é de otimismo. Com o retorno da delegação ao Rio de Janeiro, a próxima semana será decisiva para solução do caso. Tanto Jonas como Cícero são nomes aprovados por Vanderlei Luxemburgo.

cicero fluminense (Foto: Richard Souza) 
Cícero interessa ao Flamengo e andamento das negociações aponta desfecho positivo (Foto: Richard Souza)

Após as definições das conversas por Cícero e Jonas, o Fla ficará apenas pela conclusão do caso Montillo para fechar o elenco para temporada 2015. Enquanto trabalha em silêncio por reforços, o Rubro-Negro encara o São Paulo neste domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Amazonas, em Manaus, pela decisão do torneio de verão. Com as duas equipes com três pontos, o título será decidido nos pênaltis em caso de empate.

Após a partida, a delegação rubro-negra retorna para o Rio de Janeiro, depois de três semanas de pré-temporada, e finaliza a preparação para estrear no Carioca diante do Macaé, dia 31, no Cláudio Moacyr, em Macaé.

Laprovittola desequilibra, e Fla vence o Malvin na estreia na Liga das Américas

Foi bem mais tranquilo do que os rubro-negros imaginavam. Ainda mais levando em conta que o Flamengo estreou na Liga das Américas desfalcado do ala Marquinhos e do armador Gegê, vetados pelo departamento médico. O que não chega a ser um problema para o técnico José Neto com o elenco que ele possui. Apagado na primeira metade do NBB, Nicolas Laprovittola voltou a ser o jogador decisivo da temporada passada. Com 25 pontos, 10 assistências e sete rebotes, o argentino ficou muito perto de um triplo-triplo e comandou a vitória sobre Malvin, do Uruguai, por 97 a 74 (44 a 31), nesta sexta-feira, em Cancún, no México. O clube carioca volta à quadra neste sábado contra o Los Leones de Quilpué, do Chile, às 22h15 (horário de Brasília). A partida tem transmissão ao vivo do SporTV 3 - o SporTV Play também transmite - e cobertura em Tempo Real do GloboEsporte.com.

Olivinha, Malvin X Flamengo - Basquete (Foto: Etzel Espinosa / FIBA) 
Com 20 pontos, Olivinha foi um dos destaques do Flamengo na fácil vitória sobre o Malvin (Foto: Etzel Espinosa / FIBA)
Além do argentino, Olivinha, com 24 pontos e nove rebotes, e Jerome Meyinsse, com 13 pontos e oito rebotes, também se destacaram. Benite fez 12, Herrmann anotou 11 e Marcelinho 10. Pelo lado dos uruguaios, o americano kennedy Winston foi o maior pontuador com 21 pontos. Favoni anotou 13, Newsome 12 e Souberbielle 11.

O JOGO
Foi um primeiro quarto em que as defesas foram batidas facilmente. Principalmente nos cinco minutos iniciais. Após abrir o marcador com Olivinha, o Flamengo demorou para encontrar seu ritmo de jogo. Se no ataque as bolas de três cismavam em não cair - foram cinco erradas em cinco tentadas -, na defesa o time carioca permitia que os uruguaios jogassem livres. Com Souberbielle inspirado - o armador anotou nove pontos no quarto -, o Malvin abriu três pontos em duas oportunidades e liderou o marcador até a metade do período.

Irritado, Neto parou o jogo. O pedido de tempo deu certo, e o time carioca entrou no jogo. Com Olivinha e Meyinsse certeiros no ataque - a dupla anotou 18 dos 24 pontos rubro-negros no período -, o Flamengo reagiu, passou a frente com Marcelinho e não perdeu mais a dianteira. Com uma defesa mais agressiva nos minutos finais, os atuais campeões ainda conseguiram abrir cinco pontos de frente ao fim do quarto (24 a 19).

Mas a irregularidade do início do jogo se transformou em apagão nos quatro primeiros minutos da segunda parcial. Foi exatamente esse o tempo em que os rubro-negros ficaram sem pontuar. A coisa só não desandou porque os uruguaios só conseguiram anotar três pontos nesse período. Mas foi novamente após um pedido de tempo do técnico José Neto que os atuais campeões acordaram.

Desta vez, para valer. Muito em função do argentino Nicolas Laprovittola. Apagado nos 10 minutos iniciais, o argentino chamou a responsabilidade para si, anotou sete pontos e tirou o Rubro-Negro do sufoco. O apagão, agora, era do lado uruguaio, que permitiu que o Flamengo anotasse 11 pontos consecutivos e ampliasse a diferença para 16 pontos. O time carioca só não levou essa vantagem para o intervalo graças a uma bola de três de Mazzarino quase no estouro do cronômetro (44 a 31).

Meyinsse, Malvin X Flamengo - Basquete (Foto: Etzel Espinosa / FIBA) 
Com 13 pontos, Meyinsse também teve boa atuação na vitória do Flamengo sobre o Malvin (Foto: Etzel Espinosa / FIBA)
O Flamengo não teve um bom início de segundo tempo. Disperso na defesa e errando demais no ataque, o time carioca permitiu a reação dos uruguaios, que fizeram 13 a 6 e diminuíram o prejuízo para seis pontos. Com uma bola de três, apenas a segunda em dez tentativas do Flamengo, Olivinha freou a reação do Malvin e tirou os rubro-negros do sufoco.

Os uruguaios continuavam mais regulares e mantinham a diferença entre seis e oito pontos. Até que após seis arremessos errados, Marcelinho finalmente acertou sua primeira bola de três na partida. O lance devolveu a confiança aos rubro-negros, principalmente de Laprovittola. O argentino fez 10 pontos em pouco mais de dois minutos e foi decisivo para a diferença chegar a 22 pontos ao fim do terceiro período.

Com a vitória nas mãos, o Flamengo só precisou administrar a ótima vantagem e deixar o tempo passar para começar com a mão direita a luta pelo bicampeonato da Liga das Américas. Nem a eliminação do capitão Marcelinho com cinco faltas no começo do último período atrapalhou os planos do time rubro-negro. Nos dois minutos finais, José Neto ainda aproveitou para poupar seus titulares e colocou Danielzinho e Chupeta em quadra. 

FLAMENGO: Laprovittola (25), Marcelinho (10), Herrmann (11), Olivinha (24) e Jerome Meyinsse (13). Técnico: José Neto. Entraram: Benite (12), Cristiano Felício (2), Chupeta e Danielzinho.

MALVIN: Souberbielle (11), Mazzarino (5), Winston (21), Bavosi (13) e Asselin (7). Técnico: Pablo López. Entraram:  Newsome (12), Martinez (3), Fomoli (2), Silvarrey e Santiso.

Confira a tabela do Grupo B - sede em Cancún (MEX)

Dia 23/01

22h15 - Malvin (URU) 74 x 97 Flamengo (SporTV 3)
00h30 - Pioneros de Quintana Roo (MEX) 109 x 83 Leones de Quilpué (CHI)

Dia 24/01
22h15 - Flamengo x Leones de Quilpué (SporTV 2)
00h30 - Malvin x Pioneros de Quintana Roo

Dia 25/01
22h15 - Leones de Quilpué x Malvin
00h30 - Pioneros de Quintana Roo x Flamengo (SporTV)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Flamengo bate Corinthians e decide com Grêmio o título da Copa sub-15

Invictos na 20ª Copa Brasil de Futebol Infantil (sub-15), Corinthians e Flamengo entraram em campo na noite desta sexta-feira para decidir uma das vagas à final do torneio. E quem levou a melhor foi o Flamengo que venceu por 2 a 0, e garantiu vaga na decisão.

Grêmio e Flamengo disputam o título da Copinha no domingo, às 10h, no estádio Domênico Paolo Mettidieri, em Votorantim. O empate no tempo normal leva a partida para a decisão de pênaltis. O Grêmio busca o tricampeonato, e o Flamengo o título inédito. 

Flamengo x Corinthians, Copa brasil sub-15 (Foto: Marcos Ferreira/Secom Votorantim) 
Flamengo x Corinthians, Copa brasil sub-15 (Foto: Marcos Ferreira/Secom Votorantim)

Debaixo de forte chuva, o Flamengo começou a primeira etapa mostrando o motivo de ter o melhor ataque da competição. Sob comando do artilheiro Vinicius, o Mengão pressionou o Corinthians e deixou os paulistas praticamente sem ação. Aos 20 minutos, após boa jogada de Vinicius, o atacante Lincoln recebeu livre na entrada da área e bateu por cima do goleiro Maltos, do Corinthians, abrindo o placar para o Flamengo: 1 a 0. 

Após sofrer o gol, o Corinthians saiu para o jogo em busca do gol de empate, empurrado pelo grande número de torcedores presentes no estádio. Mas, com o campo encharcado, as bolas alçadas à área foram a alternativa encontrada: sem efeito e vitória parcial do Mengão.

No segundo tempo, a chuva foi embora e o bom futebol também. Sem a mesma intensidade da primeira etapa e com o campo pesado, as duas equipes tiveram dificuldades para trocar passes e chegar ao gol.

Em vantagem no placar, o Flamengo passou a apostar nos contra-ataques, enquanto o Corinthians, sem criatividade no meio de campo, esbarrou na boa atuação da defesa carioca. Aos 14 minutos, em rápido lançamento, o atacante Vinicius recebeu, invadiu a área e bateu cruzado, na saída do goleiro Maltos. Foi o sexto gol do atacante, artilheiro da Copinha.


Blitz rubro-negra: Luxa trabalha marcação forte contra o São Paulo

Um Flamengo ajustado defensivamente e sem dar espaços para o São Paulo. É isso que Vanderlei Luxemburgo quer para a decisão do Torneio de Verão de Manaus, domingo, na Arena Amazônia. Depois de trabalhar muito finalização pela manhã, o treinador comandou um longo trabalho tático no início da noite desta sexta-feira, no estádio da Colina, que pertence ao São Raimundo, e deu atenção total ao poder de marcação rubro-negro.


Durante o trabalho, que contou com grande público e durou mais de uma hora, Vanderlei não se privou de participar bastante e a todo instante gritava pedindo maior aproximação na marcação. Apenas o time reserva teve posse de bola na maior parte. Em um primeiro instantes, os titulares marcavam pressão, no campo de ataque. Depois, recuavam bem ajustados atrás da linha de meio-campo, com Marcelo Cirino dando tiros para tentar interceptar a troca de passes dos zagueiros.



Em vantagem numérica pelo posicionamento, sempre cada jogador adversário tinha alguém grudado em suas costas e a marcação era dobrada quando o recebia a bola.  A escalação para o jogo com o São Paulo será a mesma que venceu o Vasco, quarta-feira, com Paulo Victor, Léo Moura, Wallace, Samir e Anderson Pico; Cáceres, Canteros e Arthur Maia; Nixon, Everton e Marcelo Cirino.

Eduardo da Silva e Gabriel seguiram fazendo trabalhos específicos para fortalecimento muscular. Sendo assim, Deivid relembrou os tempos de jogador e completou o time reserva. Nos minutos finais, os papéis se inverteram, e os titulares eram quem sofriam para sair com a bola diante de uma forte marcação. Por fim, Luxa voltou a trabalhar finalização em arrancadas frontais.

Flamengo e São Paulo se enfrentam domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Amazônia. Após a partida, a delegação rubro-negra retorna para o Rio de Janeiro, depois de três semanas de pré-temporada, e finaliza a preparação para estrear no Carioca diante do Macaé, dia 31, no Cláudio Moacyr, em Macaé. 

Sem temer o São Paulo, Samir que título por "ânimo a mais" para Carioca

Samir, Flamengo (Foto: Cahê Mota)Um Flamengo sem temer ninguém. Assim, a equipe promete entrar em campo domingo para decidir com o São Paulo o torneio de verão de Manaus. Para os rubro-negros, pouco importa se do outro lado estará o vice-campeão brasileiro. Mesmo em fase de reformulação, a confiança é grande em conquistar o primeiro título do ano, principalmente com base no empate por 2 a 2, no Morumbi, no último Brasileirão. Presente naquela partida, Samir promete encarar o Tricolor paulista de igual para igual e fala da importância de começar 2015 como campeão no aspecto motivacional.

- Estou tranquilo, como fico em todos os jogos. A confiança é a mesma, seja contra São Paulo, Grêmio, quem for. As duas equipes passaram por reformulação e temos que entrar com o mesmo vigor (do jogo do Morumbi). O Flamengo tem que brigar por todos os títulos que disputar, seja de pré-temporada ou não. Começar o ano sendo campeão dá um ânimo a mais para entrarmos no Carioca.

Com boas atuações nos amistosos contra Shakhtar Donetsk e Vasco, Samir tem se garantido ao lado de Wallace como titular neste início de temporada. Toda linha defensiva, por sinal, é remanescente do ano passado, do time que escapou da confusão. Para o camisa 4, o entrosamento tem sido determinante para que o Fla ainda não tenha sido vazado no ano.

- Estamos juntos desde o ano passado, temos um entrosamento muito legal ali atrás e tudo fica mais fácil. Quando a bola chega no Paulo Victor, já chega mais mastigada. Esperamos um São Paulo de muita qualidade.

Flamengo e São Paulo se enfrentam domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Amazônia. Após a partida, a delegação rubro-negra retorna para o Rio de Janeiro, depois de três semanas de pré-temporada, e finaliza a preparação para estrear no Carioca diante do Macaé, dia 31, no Cláudio Moacyr, em Macaé.

Com Marx Lenin(Fla), Cláudio Caçapa convoca sub-15 para treinamentos

Claudio Caçapa, técnico da seleção sub-15 (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)O técnico Cláudio Caçapa convocou nesta sexta-feira 26 jogadores para um período de treino da seleção brasileira sub-15, que se prepara para o Sul-Americano da categoria e o Torneio Mundial de Montaigu.

Corinthians e Flamengo são as equipes com mais jogadores na lista: cinco, cada. Do rubro-negro há o meia Marx Lenin - uma provável homenagem a Karl Marx (alemão fundador da doutrina comunista moderna) e Vladimir Lenin (líder comunista da União Soviética) - e o lateral-esquerdo Athirson (batizado em homenagem ao ex-jogador Athirson).

A garotada ficará concentrada no Spa Sport Resort, em Itu, entre os dias 2 e 7 de fevereiro. O Sul-Americano Sub-15 ainda não foi marcado pela Conmebol, mas a Seleção já tem as datas do Torneio Mundial de Montaigu, na França: de 31 de março a 6 de abril.

Tabela - seleção sub-15 (Foto: GloboEsporte.com)

Tempestade de gols: sob muita chuva, Luxa afia pontaria do Flamengo

Muita água e bombardeio para cima dos goleiros marcaram a manhã de sexta-feira do Flamengo em Manaus. Com boa movimentação, a equipe até criou boas oportunidades nos amistosos diante de Shakhtar e vasco, mas pecou nos arremates. Sendo assim, Vanderlei Luxemburgo tratou de treinar finalização à exaustão na manhã chuvosa na capital do Amazonas. Por mais de uma hora, o elenco rubro-negro afiou a pontaria no estádio da Colina, que pertence ao São Raimundo.

Em atividade novamente aberta ao público, Luxa não se privou de orientar os jogadores desde tabelas para que a jogada chegada aos laterais até a batida na bola. Fosse através de cruzamentos ou em chutes da entrada da área, os rubro-negros não deram moleza para César e Paulo Victor. Eduardo da Silva e Gabriel, no entanto, seguiram fazendo trabalhos físicos diferenciados. Desta vez, Nixon acompanhou a dupla por queixar-se de dores no joelho. O atacante não preocupa e treinará juntamente com os companheiros na parte da tarde.

Treino do Flamengo Luxemburgo (Foto: Gilvan de Souza / Fla Imagem)
 
Sob forte chuva, Luxemburgo comandou o treino do Fla em Manaus (Foto: Gilvan de Souza / Fla Imagem)


Com a forte chuva, poucos torcedores acompanharam o treinamento, mas não se privaram de vibrar a cada bola na rede. O Flamengo volta ao estádio da Colina às 17h (horário local) para completar as atividades desta sexta-feira. O Rubro-Negro encara o São Paulo, domingo, pela decisão do torneio de verão de Manaus. Em seguida, retorna ao Rio de Janeiro após três semanas de pré-temporada. A estreia no Carioca está marcada para o dia 31, em Macaé, contra o Macaé.

Copa Brasil sub-15

Flamengo, Grêmio, corinthians  e Figueira jogam por vaga na final da Copa Brasil sub-15

Grêmio e Figueirense são primeiros a entrar em campo pelas semifinais nesta sexta, às 18h. Na sequência, às 19h30,  Flamengo e corinthians decidem outra vaga na final

Atual campeão das Américas, Fla começa luta pelo bi contra o Malvín

Estreia da equipe carioca será nesta sexta-feira, às 22h15, em Cancún. Leones, do Chile, e Pioneros, do México, completam o grupo. Dois primeiros avançam no torneio.

 Confira a tabela do Grupo B - sede em Cancún (MEX)

Dia 23/01
22h15 - Malvin (URU) x Flamengo (SporTV 3)
00h30 - Pioneros de Quintana Roo (MEX) x Leones de Quilpué (CHI)

Dia 24/01
22h15 - Flamengo x Leones de Quilpué (SporTV 2)
00h30 - Malvin x Pioneros de Quintana Roo

Dia 25/01
22h15 - Leones de Quilpué x Malvin
00h30 - Pioneros de Quintana Roo x Flamengo (SporTV)

 

 

 

60 minutos de futebol: motivado, Luxa joga o Flamengo para frente em 2015


Vanderlei Luxemburgo rejuvenesceu no Flamengo. A disposição que mostra a cada treinamento e os sorrisos distribuídos na pré-temporada, seja em Atibaia, Brasília ou Manaus, deixam evidente a empolgação com o time que ainda chama de embrionário, mas para o qual está cheio de planos. Aos 62 anos, Luxa parece se reinventar a medida que o esporte que ama se reinventa. Dialoga a todo instante a respeito da evolução do futebol, e de como quer colocar isso em campo no Rubro-Negro. Em uma hora de conversa, parecia um dos garotos "em busca de espaço" que escolheu a dedo para montar o elenco para 2015. Brilho nos olhos que fez até mesmo o parceiro de 18 anos, Antônio Mello, dizer: "Talvez seja o melhor momento dele".

Com a zona da confusão definitivamente no passado, Luxa pensa grande. Pensa como o treinador cinco vezes campeão brasileiro. Sem uma grande estrela em campo - que ele garante que ainda vai chegar -, relembra os momentos de maior consagração na carreira. O Bragantino campeão paulista não foi formado com craques consolidados, o Palmeiras dos tempos áureos tampouco, o super Cruzeiro de 2003 idem. Todos esses times, porém, tinham um ponto em comum: um Vanderlei disposto a provar que o "mantra" de que não há ninguém como ele dentro das quatro linhas é para valer.

- Estou motivado pelo trabalho. O Flamengo é o clube que eu amo, a diretoria tem dado respostas positivas, e quero contribuir ao máximo com minha qualidade profissional. Quero dar um resultado fantástico. Aqueles oito meses que fiquei parado foram estratégicos, me fizeram bem para recarregar. É um momento legal. Tem tudo para dar certo - diz empolgado.

No bate-papo de uma hora com o GloboEsporte.com, Vanderlei Luxemburgo se resumiu a falar daquilo que mais entende: futebol. E o que não faltou foi assunto. Desde a montagem do elenco do Flamengo para 2015 até as novas tendências táticas do futebol mundial, passando pela caixinha virtual de 2014, a passagem pelo Real Madrid, que completa uma década, o prestígio entre os boleiros e elogios a Carlo Ancelloti, Luxa falou muito. Falou de tudo. E falou, principalmente, do projeto rubro-negro, que ele ainda quer ouvir falarem muito por aí.
 

Vanderlei Luxemburgo, Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Sorriso aberto: Vanderlei Luxemburgo e sua motivação no Flamengo para 2015 (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
 
Confira a íntegra da entrevista:

Para começar, qual a cara que você projeta para esse seu Flamengo em 2015?

- Estou trabalhando em cima da realidade do futebol neste momento, observando as equipes que são vencedoras, que conquistam bastante. Elas mudaram o perfil, têm velocidade, mudança de direção, são ofensivas, mas com os jogadores de frente marcando mais. A compactação é muito mais forte. Estou procurando montar o Flamengo com uma equipe de velocidade, mas com responsabilidade forte de marcação. A tendência é um Flamengo diferente do que vimos ano passado, quando jogávamos mais no erro do adversário do que propor o jogo. Temos mais atacantes com uma faixa maior do campo para correr.

Esse futebol mais de velocidade, do jogador já saber o que fazer quando tem a bola, é mais mecânico?

- Não. Nada a ver com mecânico. O Bayern de Munique não é mecânico, é agudo. Quando eles jogaram com o Barcelona, eu disse que o Bayern tinha tudo para quebrar aquele conceito do Barcelona. Toda equipe que trabalha com posse de bola, como o Barça, não gosta de ser incomodada, ser machucada, pressionada. As equipes sentem. Tanto que o Bayern ganhou pela velocidade, mas também propondo o jogo. É uma proposta que, é claro, tem posse de bola, em alguns minutos vai negociar o jogo, mas é mais aguda, imprimindo velocidade.
 

Vanderlei Luxemburgo, Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Vanderlei Luxemburgo considera ser um treinador que mistura um pouco de cada virtude (Foto: Cahê Mota)
 
Essa nova realidade contrapõe com aquele estilo do Barcelona, do tão famoso tiki-taka, que trabalha mais a bola sem tanta pressa para furar a defesa adversária. Você tem preferência?

- A melhor marcação é ter posse de bola. É preciso imprimir velocidade no momento certo, mas tem que ter posse de bola, roubar a bola do adversário e ser agudo quando tiver espaço para ser agudo. Se estou no campo adversário e não tem espaço, tenho que negociar o jogo. É um trabalho de equilíbrio entre a posse de bola e a verticalização do jogo. Esse é o trabalho que vou fazer. Em Atibaia, fui dando corpo ao time na parte física. Agora, o trabalho já é um pouco diferente, mais específico de posicionamento: quem sai, quem entra, velocidade...

Esse novo perfil se dá pelas peças que você tem ou você fez questão de buscar peças que te permitissem jogar neste novo estilo?

- A montagem foi preservando o que tinha no ano passado, mas mudando alguns jogadores. O Márcio Araújo quebrava um galho ali do lado direito, e trouxe jogadores que se encaixam no perfil. Se eu perder o Everton, o Gabriel e o Paulinho podem jogar ali. Se perder o Gabriel, tem o Paulinho e o Nixon, que também pode jogar como primeiro atacante. O Marcelo também me dá opções por dentro e aberto. E fico com uma situação única que é o Cáceres ser o volante-volante, os outros jogam de segundo. Procurei montar a equipe desta forma para manter a característica quando tiver que trocar alguém.

Você fala em se adaptar ao futebol atual, mas vem de uma outra geração que pensava mais o jogo, tinha sempre um cérebro na equipe. O futebol mudou para melhor ou pior?

- Não vou fazer comparação, tudo é época. Detesto três zagueiros, mas usei muitas vezes no Palmeiras porque era o momento. O técnico tem que entender isso. Não adianta eu não ter o jogador e querer mudar o time. Tenho que jogar de acordo com a realidade. Essa coisa do nostálgico vem com a tal da discussão retrógrada da fixação pelo número 10. Essa coisa já foi sendo abolida há muito tempo, a numeração, até com o marketing. O Beckham era 7 no Manchester, depois foi 23. Toda hora falam que precisamos de um 10. Está bom, mas os últimos foram Alex e PH Ganso. Não vemos ninguém, mas o pessoal segue saudosista. Não tem! O Atlético-MG foi campeão da Libertadores sem um 10. O Ronaldinho é de condução de bola. A Alemanha foi campeã sem um 10. Eram três no meio com muita mobilidade e três atacantes. Essa é a realidade do momento. A montagem da equipe teve uma girada. Voltamos a ter um 4-3-3 diferente. Falam em 4-2-3-1, mas vejo um atacante pela direita, outro pela esquerda, um centroavante, e um cara de condução de bola por dentro. Então, é 4-3-3. O jeito de fazer o futebol mudou.

Vanderlei Luxemburgo, Flamengo (Foto: Cahê Mota)É um certo retorno dos pontas?

- Não existe ponta. O ponta era aquele cara que negociava a bola com o lateral: Tarcísio, Rogério, Garrincha... Era um enfrentamento. Agora, temos atacantes de lado de campo, que não negociam, ocupam espaço, mudam de direção. É um outro modelo de jogar. Eles giram. Não é aquele cara que você pega e joga a bola no ponta para ir ao fundo e cruzar.

Em 2015, você completa 10 anos da passagem pelo Real Madrid. O que essa experiência mudou no Vanderlei Luxemburgo?

- Foi fantástico. Minha saída foi por uma coisa intempestiva, momentânea, que não deveria ser feita. O presidente reclamou na chegada no vestiário, eu saí de cabeça quente, mas tinha certeza que se continuasse o trabalho seria fantástico. Mostrou que o brasileiro pode ter sucesso na Europa, desde que tenha um prazo para trabalhar. Se for como o Felipão, que foi para o Chelsea com uma temporada para ter resultado, não. Tem que ter um, dois anos. Se a elite brasileira pertencer à elite da Europa, não há dúvidas de que vai bater campeão. Tem a dificuldade do idioma, mas não somos burros. Qualquer um fala o português com seis meses no Brasil. Se eu viver na Inglaterra, com seis meses, um ano, vou estar falando bem. É questão de viver e praticar. É preciso ter mais tempo para dominar o idioma. Foi uma experiência boa e os caras entenderam: "Poxa, esse cara entende de futebol". Eles percebem quando batem o olho.

Você comandou o Zidane, que agora é técnico do time B do Real Madrid e busca seguir esse caminho. Ele tem jeito para coisa?

- É um cara fantástico, com inteligência tática. Quando assumi o Real, girei o time para que ele jogasse atrás do Raul e Ronaldo. O time jogava com ele, Figo e Raul em linha e o Ronaldo na frente. Falei: "Pô, está complicado aqui. Tem alguma coisa que o Zidane está muito do lado". Girei o time e ele disse: "Opa, essa é a posição que mais gosto". Criamos uma amizade. Na minha saída, ele mandou uma mensagem maravilhosa e temos um respeito grande. Acho que vai dar um grande treinador.

O Flamengo de hoje conta com muitas apostas, como Thallyson, Arthur Maia, Bressan, até mesmo o Marcelo Cirino. Aquele Palmeiras supercampeão também tinha peças desconhecidas que depois se consagraram, como Roberto Carlos, Flávio Conceição, Amaral... A respeito de montagem de elenco, são situações semelhantes?

- A comparação sempre é muito ruim, mas minha história no futebol vem muito disso, de revelar jogador, olhar jogador e ver potencial. O Bragantino que construí tinha sete, oito jogadores das categorias de base do Fluminense que eu conhecia. Quase todos deram certo. Tive Alberto, Sílvio, João Santos, Robert...Na frente, o Cruzeiro também tinha o Edu Dracena, Motta. Dizem que o Luxemburgo só gosta de craque, mas não. Eu faço craque, dou a oportunidade do cara virar craque. Dizem que trabalhei com o Rivaldo. Espera aí. Quando botei para jogar, ele não era ninguém. Viraram craques. Gosto de jogadores prontos, que sustentam, mas também de moleques. É uma virtude para baratear o futebol, que é entretenimento e negócio.

Esse processo de formação passa pela confiança, pela motivação, pelo ensinamento de fundamento? Enfim, como fazer um talento desabrochar?

- Todo processo é de ensinamento. São jovens com potencial, mas é preciso mexer um metro para lá, para cá. Não receber a bola de costas, receber de lado. Às vezes, o cara está numa posição equivocada. Cabe ao técnico descobrir isso. Devia ser feito na base, mas nem sempre é feito. O Marcelo (Cirino) vai ser um embate constante. Estou colocando em uma posição que ele não tem o conhecimento, e tenho que mostrar que tem potencial para atuar ali e avançar mais do que pelo lado. É um processo que demanda tempo, adaptação, saber a hora de ficar de lado e não de costas, movimentação. Ele tem um baita potencial. Arranque de 10 metros que é impossível pegar. Agora, tem que enfrentar goleiro. Se vai dar certo? Não sei. Acredito que sim. Se não der, boto para o lado.

No próprio Flamengo, há peças já lapidadas por você, que são Gabriel e Nixon? Soube até mesmo de uma história que te ofereceram o Vitinho e você disse: "Para investir no Vitinho, eu faço o Gabriel jogar o que o Vitinho jogaria". Foi assim?

- O Gabriel começou a jogar bola quase que com 20 anos, não teve base. Tem velocidade, mudança de direção, habilidade... Eu falei: "Ele tem tudo que o Vitinho tem". O Vitinho é um excelente jogador, nada contra, mas era um investimento muito alto e podia chegar e não render. Se tenho o Gabriel, vou investir para torná-lo um Vitinho, fazer gostar de gol, posicionar por dentro para ter essa possibilidade. O Nixon a mesma coisa. Era um jogador disperso e eu disse: "Garoto, atacante tem que gostar do gol, buscar uma tabela". Ele teve um crescimento fantástico e está a cada dia melhor. Essa é a função do técnico. Dizer que quer Vitinho ou fulano é muito fácil.

Conversando com o Antonio Mello (preparador físico), ele diz que você está na melhor fase desses 18 anos que trabalham juntos, com vontade. Você concorda?

- Estou motivado pelo trabalho. O Flamengo é o clube que eu amo, a diretoria tem dado respostas positivas, e quero contribuir ao máximo com minha qualidade profissional. Quero dar um resultado fantástico. Aqueles oito meses que fiquei parado foram estratégicos. Eu precisava descansar. Tive quase uma semana de férias somente e depois voltei a trabalhar. Estava há vinte e poucos anos assim, e na elite, com cobrança. Esses oito meses me fizeram bem para recarregar. É um momento legal. Tem tudo para dar certo.

Como funciona seu entendimento com o Rodrigo Caetano neste processo de montagem de equipe, etc...?

- Tinha a facilidade por termos trabalhado no Fluminense. O Rodrigo pôde me conhecer, e as pessoas não me conhecem. Quando falo em gestão, não quero mandar. Gestão é feita com parceria. Não tomo decisão isolada, nunca tomei. É tudo em conjunto. O Rodrigo mesmo fala que sou um dos técnicos que ele teve maior facilidade para trabalhar. Estamos bem entrosados, todos os envolvidos no planejamento. Eu, Fred (Luz), Rodrigo, Wrobel, o presidente...

O Flamengo nessa janela já buscou nomes mais importantes: Conca, Montillo, Robinho, até o Marcelo Cirino, que era disputado. O clube está começando a chegar a outro patamar de mercado?

- A primeira coisa que é preciso é credibilidade. O Flamengo precisava resgatar isso, que é o que dá ao jogador a possibilidade de ver como um grande negócio. Anos atrás, falavam aquilo do Vampeta, que o Flamengo não paga. Hoje, há um resgate da credibilidade, que é fundamental. Com o crescimento, na dividida vai dar Flamengo. O São Paulo usou muito isso com o CT, centro de reabilitação. Hoje, há outras referências. Claro que tenho um peso quando falo com um jogador, ajudo, mas a diretoria que buscou essa credibilidade.

A perspectiva da diretoria é de um crescimento muito grande financeiro nos próximos anos. Seguir por um tempo longo no clube é algo que passa pela sua cabeça?

- Estou satisfeito com meu contrato. Quero contribuir com minha capacidade para minha parte ser bem feita dentro da gestão, dar resposta. Isso vou fazer. A tendência, se evoluirmos, é acontecer algo que interesse para as duas partes. Vão ter problemas no caminho. Futebol vive de resultado, que mexe muito no emocional. Quando está ganhando, tudo é graça. Precisamos ver no sentido contrário. Vamos ver como vamos passar, mas tudo caminha bem para o Flamengo virar potência a nível sul-americano e mundial. É uma tendência que o Brasil avance. Há muito espaço para o futebol crescer como negócio, e não vejo isso na Europa, onde tudo está bem explorado. Vejo possibilidades de alavancar.

Vanderlei Luxemburgo, Flamengo (Foto: Cahê Mota)Depois do jogo que salvou da confusão, contra a Chapecoense, você falou da necessidade de um ídolo. O clube segue em busca dessa figura para este ano?

- Continua. E vai surgir. O momento do Flamengo é de transição. Tenho uma preocupação com essa formatação do ídolo. Se é de bairro ou dentro da realidade. Tem um jogador no Flamengo que está se tornando um nome, um ídolo, por gostarem dele e com tendência de se manter por um longo tempo, que é o Paulo Victor. Se continuar com crescimento técnico, é uma tendência, firmar a camisa 48 naturalmente. Por exemplo, o Ronaldinho foi ídolo do Flamengo? É uma discussão grande. O Romário? Ídolo foram Dida, Zico... Os outros ficaram muito pouco tempo, ganharam pouco. O que ele construiu? Hoje, o marketing fabrica isso rápido, mas para consolidar o processo é longo.

Você tem em mãos um time muito homogêneo, com jogadores do mesmo padrão basicamente no futebol mundial. Falta uma estrela ou essa é uma tendência também?

- Vamos cair na realidade do futebol: quem tem? Você tem equipe, não tem mais isso. Em uma preleção em 1972, meu grande amigo Paulo César Caju disse: "Rapaziada, passa a bola para mim, porque hoje o jogo é meu". E todo mundo dava a bola para ele. O Zico falava isso. Rondinelli uma vez começou a tocar a bola e querer ser centroavante. O Zico disse: "Fica no seu lugar e passa para mim, que eu resolvo". O Cruzeiro é bicampeão brasileiro e qual jogador fazia isso? É uma equipe. No Atlético-MG, o Tardelli fazia mais nos últimos tempos, nem o Ronaldinho carregava. Essa é a realidade.

Mas ter uma liderança em campo, um cara que assuma nos momentos difíceis, não é importante?

- Seria ótimo se achássemos uma pessoa dessas, ótimo. Mas não vejo como achar. Quem é essa referência no Corinthians? Mesmo quando foi campeão do mundo. Essa é uma tendência. Gostaria que voltássemos a ter isso, mas não vejo surgir na Taça São Paulo, Taça BH... É só ver quantos eram revelados há um tempo atrás.

Também no ano passado, você falou que tinha uma caixinha virtual onde guardava os problemas. Você começa 2015 com essa caixinha vazia, tudo já foi exposto internamente?

- (Risos) a caixinha era para não chutar o balde na hora errada, né? Mas já discutimos bastante isso com a diretoria. Essa diretoria do Flamengo discute com você, quer saber o motivo, você tem que convencer, como uma empresa. Se você mostrar que é importante, eles vão fazer. Discutimos o que é necessário. Umas coisas podem ser feitas, outras não.

Quem vive do futebol já ouviu muita gente, desde jogador até imprensa, dizer que dentro das quatro linhas não há ninguém como você, taticamente, de montagem de time. Você concorda que é o melhor do Brasil?

- Eu ouço isso aí toda hora. Para mim, envaidece muito quando ouço meus colegas técnicos falarem isso. Jogador fala porque está ali, vê a diferença, mas quando um colega fala que estou um pouquinho acima, é muito legal. Mas não me considero. Temos excelentes técnicos no Brasil, cada um com suas virtudes ou defeitos. Eu consigo juntar um pouquinho de cada coisa. Tem o cara que é só tático, só técnico... Eu consigo juntar isso, o emocional, um pouquinho de cada. Respeito todos, até alguns com títulos mais importantes que eu. É estar no lugar certo, na hora certa. Fico contente da grande maioria dos jogadores falarem isso aí.

Sua principal virtude seria qual?

- Eu consigo fazer bons treinos técnicos, táticos, ter uma visão boa do jogo para mexer no intervalo, ter um envolvimento muito forte com a parte emocional, psicológica, fazer o jogador entrar pilhado. Então, pego todos esses itens que são importantes para forma um profissional.

Você falou algumas vezes que a meta na temporada é estar entre os seis melhores do país. Com as peças que o Flamengo tem hoje, já está pronto para brigar com esses clubes?

- Há alguns clubes na nossa frente ainda, mas podemos avançar. Nós mantivemos jogadores que querem espaço no futebol e contratamos jogadores que querem espaço. São jogadores com aspiração de conquista, de chegar à Seleção, de ter um reconhecimento, uma conquista financeira. Há muito espaço para eles. Uma coisa é trazer jogadores consagrados e ver como vamos motivar. Outra é montar um time com gente que quer buscar espaço. O Léo Moura é consagrado, mas o Paulo Victor quer Seleção, o Wallace quer crescer, o Samir é um menino, Marcelo (Cirino) quer crescer, Bressan... O Pico é um 342, estava com a corda no pescoço morrendo e quer voar, tem o Thallyson... Se pegar, a equipe foi muito bem direcionada. O Eduardo quer mostrar no Brasil. É um time que quer alguma coisa.

Para fechar, quem foi o maior que você viu jogar?

- Foi o Pelé. Aí, não tem jeito. Peguei a época no Maracanã, joguei contra.

O maior que você comandou?

- Comandei grandes jogadores. O Ronaldo Fenômeno era fantástico, Zidane excelente... Mas acho que o melhor, o mais diferente, foi o Romário. Talvez não tenha sido mais pelo gênio dele, mas foi diferente para caramba. Até porque, não treinava e conseguia jogar como jogava. Dentro  do jogo, ia na fragilidade do zagueiro, mexia com ela com uma conversa, batia papo de malandro, boi manso.. De repente, estava dentro da área. Foi muito gênio.

Messi ou Cristiano Ronaldo?

- É difícil. Primeiro, acho que essa coisa do maior do mundo ser votado por um pedaço do mundo não é justo. Não existe a competição sul-americana. É muito coisa de marketing, interesse comercial. Acho que o maior do mundo devia ser diferente, deveria ser mesmo em uma Copa do Mundo. Não sei se o Cristiano jogasse na América do Sul, nos nossos campos, seria como é. Se o Messi seria a mesma coisa. Por exemplo, o Zico nunca foi eleito o melhor do mundo. Será que não merecia em uma etapa da vida? Jogar nas melhores condições é mamão com açúcar.

Como você vê o Neymar nessa disputa?

- O Neymar tem todo potencial, parecido com o Robinho, mas vai depender do comportamento lá na Europa. Isso tem muito a ver. Vai ter que jogar bola e ser o cara do Barcelona, como foram Ronaldo, Zidane, Ronaldinho... Tem potencial, mas vejo uma frequência de mídia desnecessária para um desgaste da imagem. Se vê muito o Neymar da mídia social. É preciso falar mais do Neymar jogador. Você não vê o Messi assim, nem o Cristiano que já teve esse problema e agora mudou o comportamento.

Qual a melhor equipe do mundo hoje?

- No ano que venceu o Barcelona, a nível de futebol agressivo, tático, ocupação, vejo o Bayern. Esse ano acho que o Real Madrid deu uma passada à frente, ficou mais equilibrado, mais versátil.

O Ancelloti ocupou o espaço que foi de Mourinho e Guardiola e virou o melhor técnico do mundo?

- Ocupou o espaço por quê? O Ancelloti tem uma história no futebol. É coisa de mídia. O Guardiola, com uma carreira tão curta, pode ser considerado o melhor técnico do mundo? A longevidade que vai dizer isso. O Ancelloti é fantástico, conseguiu montar uma equipe em cada lugar que foi. Tem um destaque. Se você ver a equipe jogar, como italiano ele se adaptou muito fácil a um time diferente do que a Itália jogava. Acho isso legal. O Mourinho é mais mídia do que competência, no sentido de armação de time, e o Guardiola fez no Barcelona. Vamos ver como vai ser em outras equipes. O Ancelloti foi no Real Madrid e montou um time ao jeito do Real, totalmente diferente da Itália. No Real, é assim. No Flamengo, o Zico disse que o time tem que ser mais ofensivo. Ele não está vendo os treinos. Já não temos mais o Márcio Araújo na proteção, já mudou o jeito. A proposta é diferente. Não dá para montar um Flamengo com proposta defensiva. A do ano passado era o jeito de sair da confusão.
 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Aniversariante do dia, Marcelo sonha com 1º gol no Flamengo: "Sairá na hora certa"


Marcelo, Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)A quinta-feira foi de festa para Marcelo Cirino. Principal reforço do Flamengo para temporada, o camisa 7 completa 23 anos diante do maior desafio da carreira. Colocado por Vanderlei Luxemburgo em uma nova função, mais centralizado, está lutando para se adaptar a uma obrigação da qual não estava acostumado: fazer gols. Ainda em branco na temporada, o jovem admite a ansiedade e torce para ter domingo, diante do São Paulo, motivos para comemorar além da nova idade.

Centralizado, Marcelo é a cabeça de um esquema implantado por Luxa que prima pela movimentação, velocidade e mudança de direção. Elogiado pelo comandante nos amistosos diante de Shakhtar Donetsk e vasco sanitário, o atacante até teve boas oportunidades, mas pecou na pontaria. A vontade de balançar as redes, no entanto, não tira sua tranquilidade.

- A ansiedade é normal, até por ser clássico contra o maior rival. Estou tranquilo. Quero fazer o maior número de gols pelo Flamengo e eles vão sair na hora certa. Atacante vive de gols. Estou completando mais um ano de vida, e espero que eles saiam - afirmou.

Ainda em fase de adaptação da nova função, Marcelo revelou que tem tido conversas com Vanderlei para ajustar detalhes na forma de atuar. Por mais que seja uma novidade na carreira - antes, atuava aberto pelos lados -, o atacante demonstrou confiança na opção do treinador.

- Estou preparado. O professor conversou comigo e viu a oportunidade de jogar nesta posição. O currículo dele fala por si só. Não estou acostumado, mas com o tempo as coisas vão se ajeitando - garantiu.

Por mais que sua função em campo seja diferente, Marcelo citou a forma de atuar do Atlético-PR nos últimos dois anos como um facilitador para compreender o que Vanderlei quer taticamente:

- O Atlético-PR também tinha essa forma de jogar. Em 2013, joguei com o Everton. No ano passado, como jogadores que tinham as mesmas características. É questão de pegar o jeito, o entrosamento. Estou acostumado.

Com Marcelo Cirino em campo em busca do primeiro gol, o Flamengo encara o São Paulo, domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Amazônia, pela decisão do torneio de verão de Manaus.

Fim, do Bostafogo



O goleiro Andrey está fora do Botafogo.entrou na Justiça e se desligou do clube devido aos salários atrasados - que chegavam a quatro meses -, além de pendências no depósito do FGTS.

Além dele, o volante Gabriel, o meia Daniel e o lateral-esquerdo Lima também utilizaram a Justiça para deixar o Botafogo.

Flabasquete estreia na Liga das Américas 2015


Após uma conquista inesquecível na temporada 2014, o Orgulho da Nação vai em busca de se sagrar campeão do continente mais uma vez. Defendendo seu título da Liga das Américas (LDA), o Flamengo estreia na noite desta sexta-feira (23.10) na edição 2015 da competição, em Cancún, no México, onde disputa toda a fase inicial. O primeiro adversário dos comandados do técnico José Neto será o Malvín, do Uruguai, às 22h15, no ginásio Poliforum Benito Juarez. A partida terá transmissão dos canais SporTV.

Em pequeno intervalo no Novo Basquete Brasil (NBB), o Rubro-Negro se concentra agora na competição que permite ao campeão disputar a Taça Intercontinental, torneio o qual o Flamengo também é o atual campeão. Para a conquista do bicampeonato da América, o time do Flabasquete chega no auge de sua forma física no ano, após fazer uma espécie de pré-temporada durante a temporada, ao longo da disputa dos primeiros jogos do NBB.

Buscando alcançar o nível de jogo que lhe propiciou ser chamado de "campeão de tudo", os atletas do Orgulho da Nação vem para essa primeira partida bastante motivados, mas cientes das dificuldades que podem encarar. "Nossa expectativa está muito grande para a estreia na Liga das Américas. Já fizemos alguns treinos por aqui e estamos muito motivados a começar com o pé direito. Teremos um adversário muito duro pela frente, que é tradicional, tem qualidade e sabe jogar esse tipo de torneio. As equipes uruguaias têm como característica um jogo bastante físico. Estamos nos preparando para isso e temos qualidade para sairmos com a vitória neste jogo chave", disse o ala rubro-negro, Olivinha.

Confira os outros confrontos do Flamengo pela LDA:

Flamengo x Leones de Quilpué (CHI)
24 de janeiro - 22h15

Flamengo x Pioneros de Quintana Roo (MEX)
26 de janeiro - 00h30

Com casa cheia, Flamengo faz carinho ao torcedor em Manaus em treinamento



O Flamengo aproveitou a quinta-feira para dar mais uma colher de chá ao torcedor de Manaus, aflito por um contato mais próximo com o time. Depois de vencer o Vasco por 1 a 0, diante de mais de 21 mil presentes na Arena Amazônia, Vanderlei Luxemburgo abriu para o público o treinamento realizado no estádio da Colina, que pertence ao São Raimundo. Mais de 400 rubro-negros aproveitaram a oportunidade para vibrar a cada gol marcado, mesmo que fosse no treino dos reservas. O titulares fizeram apenas trabalho regenerativo.

Treino Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Treino dos reservas do Flamengo no estádio da Colina levou cerca de 400 rubro-negros ao local (Foto: Cahê Mota)


Por conta do desgaste no duelo contra os vascaíno, na calorenta noite manauara, Luxa abriu mão dos trabalhos em período integral e deixou a manhã livre para os jogadores descansarem. Já no fim da tarde, o grupo do Flamengo foi para campo dividido. Quem jogou mais de 45 minutos do clássico fez uma atividade leve, com corridas ao redor do gramado, abdominais e um divertido futevôlei. Para os reservas e os demais, que atuaram só meio tempo ou menos, foi um dia de treino normal.

Com nomes como Léo Moura e Alecsandro, o segundo grupo fez um puxado trabalho físico antes de uma longa atividade técnica em campo reduzido. Eduardo da Silva, poupado do jogo com o Vasco, participou da primeira parte da programação e depois fez atividades específicas para fortalecimento muscular. Gabriel, que também não esteve em campo no clássico por conta de desconforto na coxa, deu apenas trotes leves ao redor do gramado. A dupla não tem participação garantida no jogo com o São Paulo.

Treino Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
 
Grupo que treinou pesado contou com reservas e quem jogou 45 minutos ou menos do clássico (Foto: Cahê Mota)
 
O Flamengo permanece na capital amazonense até o próximo domingo, quando decide com o Tricolor Paulista, às 17h (de Brasília), na Arena Amazônia, o Torneio de Manaus. Após a partida, a delegação retorna ao Rio de Janeiro depois de três semanas de pré-temporada. A estreia no Carioca está marcada para o dia 31, contra o Macaé, no Cláudio Moacyr, em Macaé.
 
 

Fla, Flu e Concessionária Maracanã se manifestam contra o preço dos ingressos do Campeonato Carioca

Flamengo, Fluminense e a Concessionária Maracanã divulgaram um manifesto nesta quinta-feira protestando contra medidas anunciadas recentemente para organização do Campeonato Carioca. O motivo do protesto do trio envolve questões como a venda de ingressos da competição, como a tabela de preços e a meia-entrada universal.

- A Concessionária Maracanã, o Clube de Regatas do Flamengo e Fluminense Football Club juntos vêm a público reafirmar o compromisso com a transformação do futebol brasileiro. Acreditamos no potencial do futebol brasileiro em se tornar uma atividade próspera, grandiosa e relevante para a sociedade e para a economia nacional. Para tal, é indispensável que preceitos básicos como cumprimento de contratos, liberdade, responsabilidade fiscal e financeira sejam respeitados - diz parte da nota divulgada pelo trio.

Maracanã - Flamengo x Cruzeiro (Foto: Reprodução \TV Globo Minas) 
Preços de ingressos do Maracanã gera protestos de clubes (Foto: Reprodução \TV Globo Minas)

Desde que a Federação do Estado do Rio de Janeiro decidiu tabelar os preços dos jogos do Carioca entre R$ 10 e R$ 100 e definir colocá-los todos a meia-entrada (ou seja, os mais caros custarão R$ 50), os clubes trataram de deixar público o descontentamento com a decisão da federação. Flamengo e Fluminense alegam que teriam prejuízos com as partidas do campeonato.

Além da questão do preço, o comunicado alega que Flamengo e Fluminense têm direito de deixaram suas torcidas em locais fixos em todos os jogos no estádio, respectivamente o setor Norte e o setor Sul. A polêmica começou após o Vasco pedir para deixar sua torcida do direito das cabines de rádio do Maracanã (setor sul) em todos os seus jogos no local, inclusive contra o Fluminense. Diante da polêmica, o presidente da Ferj, Rubens Lopes, chegou a cogitar tirar os jogos do estádio.

Rubens Lopes presidente da FERJ (Foto: Vicente Seda)-  A expectativa é que tenhamos esse jogo no Maracanã, e esperamos que Fluminense  e vasco entrem em um acordo. Historicamente, o lado direito é destinado ao Vasco, e o esquerdo, ao Flamengo. O Fluminense alega um contrato, mas é um contrato que não apareceu, que não mostra para ninguém e não tem o mínimo valor esportivo para nós. Não pode ter cláusula absurda. Se não houver consenso, possivelmente a partida não será no Maracanã. Clássico não tem mandante, nem semifinal e final. A Federação tem o direito de determinar o local onde serão realizadas essas partidas - disse Rubinho.

Na quinta-feira passada, um arbitral na sede da Ferj, definiu os preços de ingressos para o Campeonato Carioca. Na ocasião, Flamengo, Fluminense, Volta Redonda e Barra Mansa foram contra a decisão, mas acabaram sendo superados pelos votos dos outros 12 clubes. Na segunda-feira, o Rubro-Negro entrou com um recurso na própria federação solicitando que a decisão seja anulada ou revogada.

Confira o comunicado na íntegra:
A Concessionária Maracanã, o Clube de Regatas do Flamengo e Fluminense Football Club juntos vêm a público reafirmar o compromisso com a transformação do futebol brasileiro.
 
Acreditamos no potencial do futebol brasileiro em se tornar uma atividade próspera, grandiosa e relevante para a sociedade e para a economia nacional. Para tal, é indispensável que preceitos básicos como cumprimento de contratos, liberdade, responsabilidade fiscal e financeira sejam respeitados.
 
Manifestamos assim publicamente nossa discordância com as recentes resoluções anunciadas este mês em relação ao Campeonato Carioca 2015:
 
i) Tabelamento de preços - consideramos uma violação às relações e contratos estabelecidos entre entidades privadas que têm o direito de definir os critérios de precificação dos jogos no Estádio do Maracanã, atendendo a critérios como atratividade das partidas, custos operacionais e programas estratégicos como sócio-torcedor.
 
ii) Meia-Entrada Universal - nenhuma deliberação ou regulamento pode obrigar nossas entidades a descumprir a lei. Dar o desconto da meia-entrada para todo o público é na verdade não aplicar o benefício obrigatório. Afirmamos nosso compromisso em atender o que é determinado pelas leis e pelo o Estatuto do Torcedor. Lembrando que as três entidades já cumprem rigorosamente a peculiar legislação estadual que determina diversos benefícios sem contrapartida ou subsídio, como gratuidade para crianças e idosos e a meia-entrada para menores de 21 anos, independentemente de serem ou não estudantes. Considerando ainda os detentores de cadeiras cativas, em todos os jogos no Estádio do Maracanã cerca de 20% do público têm acesso gratuito e 40% com benefício da meia-entrada.
 
iii) Localização das torcidas - esta é uma prerrogativa das relações contratuais da Concessionária Maracanã com seus dois clubes parceiros: o Clube de Regatas do Flamengo e o Fluminense Football Club, que têm por contrato o direito de terem suas torcidas em locais fixos em todos os jogos que participarem no Estádio, respectivamente o setor Norte e o setor Sul. Respeitaremos os direitos estabelecidos em contrato.
 
iv) Descaracterização do mandante das partidas - o regulamento do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro vai contra o regulamento geral de competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que determina a existência da figura do mandante e suas obrigações. Descaracterizar esta figura, além de violar um regulamento maior, gera insegurança jurídica e financeira a seus afiliados e estádios.
 
v) Imposição de prejuízo - é inconstitucional, por violação do princípio da livre iniciativa, qualquer medida pública ou privada que imponha a pessoas físicas ou jurídicas o exercício de suas atividades com prejuízo. As condições estabelecidas impõem aos clubes cariocas, grandes ou não, atuar com prejuízo financeiro. Reafirmamos nosso compromisso com a sustentabilidade financeira e tomaremos as medidas cabíveis para garantia do nosso direito à livre iniciativa.
 
Avançamos muito nos últimos 25 anos e não podemos ficar à mercê do retrocesso nas relações legais, econômicas e políticas entre clubes, estádios e federações. Os seus papéis, prerrogativas e responsabilidades são claras não cabendo em pleno ano de 2015 intervenções indevidas e abuso de poder.
 
Trabalharemos juntos, a Concessionária Maracanã, o Clube de Regatas do Flamengo e o Fluminense Football Club em defesa de nossos direitos e pelo desenvolvimento e melhoria do futebol carioca.
 
Assinam: Concessionária Maracanã/ Clube de Regatas do Flamengo/Fluminense Football Club

Em alta, PV tira foco de convocação: "Flamengo que vai proporcionar isso"

A cena já virou rotineira desde o ano passado: se o Flamengo está em campo, haverá uma grande defesa de Paulo Victor. Eleito o craque da galera rubro-negro pelo desempenho em 2014, o goleiro parecer ter começado a temporada em um nível ainda mais alto. No amistoso com o Shakhtar Donetsk, foi o melhor em campo, com intervenções determinantes para o placar em branco. Nesta quarta-feira, em Manaus, diante do Vasco, não foi diferente, e a performance trouxe de volta o tema seleção brasileira para entrevista coletiva.

paulo victor, flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Paulo Victor salvou o Flamengo com grandes defesas (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Intransponível, PV fez defesas impressionantes em finalizações de Marcinho e Luan no primeiro tempo - este segundo lance com impedimento já assinalado. Em alta, o goleiro rubro-negro evita fazer planos para vestir a amarelinha e sabe que, para convencer Dunga de que merece uma chance, deve pensar apenas em vermelho e preto.

- Tenho que seguir trabalhando. Para esse sonho virar realidade, é preciso fazer pelo meu clube. O Fla que vai proporcionar para quem sabe um dia ser convocado.

Na vitória sobre o vasco sanitário, Paulo Victor foi, desde o aquecimento, o jogador mais ovacionado pela parte rubro-negra dos mais de 21 mil presentes. Ao término do jogo, em coletiva ao lado de Everton e Luxa, o camisa 48 agradeceu o apoio.

- Fico feliz (pela atuação). Sabemos que em Manaus há um grande número de torcedores, que sempre comparecem. Fica feliz por ver o trabalho reconhecido e vou seguir trabalhando cada vez mais.

Com Paulo Victor em campo, o Flamengo volta a jogar em Manaus no próximo domingo, às 17h (de Brasília), contra o São Paulo, na decisão do torneio de verão. Antes, porém, o Rubro-Negro volta a treinar na tarde desta quinta-feira, no CT da Colina.

Luxa valoriza primeira vitória do Flamengo no ano: "Ganhar é sempre muito bom", e da coisa maldita, vasco sanitário melhor ainda


Os marcianos rubro-negros estão em festa. Antes do clássico, Vanderlei Luxemburgo já tinha dado o recado para sua equipe: em jogos com o vasco não tem teste de pré-temporada, a rivalidade é aflorada até em Marte. E em um duelo pegado, principalmente no primeiro tempo, melhor para o Flamengo, que aproveitou vacilo de Sandro Silva para vencer por 1 a 0, gol de Everton, e satisfazer os anseios do treinador.

Com intensidade no ataque, mas a pontaria longe da ideal, o Fla até teve mais volume de jogo que o rival. Paulo Victor, por sua vez, voltou a ser decisivo com defesas importantes em lances onde a marcação rubro-negra pecou por falta de ajuste do sistema ofensivo. No fim, Luxa gostou do que viu em Manaus, e não somente do resultado.

- O resultado foi muito bom. É pré-temporada, os jogadores ainda não estão na melhor forma. A gente fica preocupado porque nesses jogos pegados, como Vasco x Flamengo... Minha preocupação era que no fim o Éverton estava morto, o Wallace, o Canteros, o Cirino... Todos cansados. Você fica exposto a lesões, ou de músculo ou para fugir de jogadas ríspida. Me preocupou, mas o Vasco jogou lealmente. Foi um resultado bom pela rivalidade, jogarmos domingo para disputar a conquista do torneio. Ganhar é sempre muito bom.

Arthur Maia foi muito elogiado por Luxa; Fla x Vasco (Foto: Gilvan de Souza/ Fla Imagem) 
Arthur Maia foi muito elogiado por Luxemburgo após a vitória sobre o vasco (Foto: Gilvan de Souza/ Fla Imagem)


Vanderlei aprovou as participações de Arthur Maia e Nixon, que substituíram os poupados Gabriel e Eduardo da Silva, e voltou a apontar melhorias na performance de Marcelo Cirino. Com quatro dias até a decisão com o São Paulo, voltou a frisar que a programação seguirá intensa, como deve ser uma pré-temporada, e previu um duelo equilibrado no domingo, às 17h (de Brasília). Confira a íntegra da coletiva:

Reapresentação

- Vamos trabalhar e ver como fazer. Se vai ter academia, de tarde vamos treinar duro... Na sexta, vai ser de manhã e de tarde. Não podemos esquecer que é pré-temporada. O estágio físico das equipes ainda não é o ideal.

Rendimento da equipe

- Vi evolução. Evoluímos bastante. É bom ver o Nixon e o Arthur (Maia) começando a partida. O Arthur é muito inteligente, está se ajeitando com a equipe. Gostei do Marcelo por dentro mais uma vez, criando possibilidades, até depois de chutão ele pode criar... Estamos evoluindo e testando todo mundo. Vimos uma coisa que pode acontecer, que é o Alecsandro enfiado e o Marcelo aberto. São coisas que posso usar na competição.

Gabriel e Eduardo

- Estamos trabalhando para o Eduardo se ajeitar com a melhor maneira de trabalhar. Ele sentiu um desconforto contra o Shakhtar, o Gabriel ainda traz um desconforto do ano passado. Estamos vendo o melhor.

São Paulo

- Diziam que o São Paulo estava acima da gente e conseguimos jogar lá (no Morumbi, no Brasileirão). Se não fossem tantos erros de arbitragem, não somente do árbitro, poderíamos ter conseguido um resultado melhor (do que o 2 a 2). Em jogos com times de camisa, peso, com o time mais encorpado, os jogadores entendem. Não vejo o vantagem para o São Paulo, é um jogo igual.

Flamengo 1 x 0 vasco sanitário - melhores momentos




Gol de Everton, Flamengo 1 x 0 vasco sanitário - Super Séries 21/01/2015


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Flamengo 1 x 0 coisa maldita, vasco sanitário

Ficha técnica                                             


Gol:  Everton

Cartão  amarelo: Cáceres, Arthur Maia,  Anderson Pico(Fla) Christiano, Montoya (vas) 

Público: 21.915

Flamengo Paulo Victor, Léo Moura(Pará), Wallace, Samir e Anderson Pico; Cáceres(Márcio  Araujo), Canteros e Arthur Maia(Mugni); Nixon(Alecsandro), Everton(Luiz Antonio) e Marcelo Cirino(Bressan).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


vasco sanitário: Martin, J. Patrick(Ney), Luan, Rodrigo e Christiano(Henrique); Guiñazu(Luca)e Sandro Silva(Júlio Santos); Bernardo(Marquinhos), Marcinho e Montoya; R. Silva(Yago) .
Técnico: Doriva

Data: 21/01/2015
Local: Arena da Amazônia, em Manaus
Hora: 22h

Transmissão: SporTV
A narração é de Eduardo Moreno e os comentários de Roger Flores


Flamengo mantém invencibilidade, agora  de nove jogos
Sem perder para o rival há nove partidas (cinco vitórias e quatro empates)


Bandeira de Mello revela negativa do Shandong em liberar Montillo ao Flamengo

Montillo, Shandong x Bangu (Foto: Fabio Lima)Eduardo Bandeira de Mello, o presidente do Flamengo, revelou nesta quarta-feira que a diretoria do Shandong Luneng, da China, recusou a proposta rubro-negra por Montillo. O mandatário esteve na sede da Gávea durante o amistoso do time chinês com o Bangu e disse que não pretende pressionara diretoria asiática na negociação. Mas espera conseguir estreitar as relações para um novo diálogo.

- A princípio não existe o interesse do clube chinês em negociar o jogador. O jogador quer vir, mas não queremos pressionar ninguém. Não queremos ser um problema, mas uma solução - explicou.

O dirigente vai respeitar a decisão do Shandong, mas se mantém aberto para um novo contato em busca de um acordo.

- Adotaremos uma postura de respeito. Se em algum momento eles demonstrarem interesse em negociar o jogador, o Flamengo vai se habilitar dentro das nossas possibilidades.


Bandeira de Mello pretende causar boa impressão entre os chineses para não atrapalhar uma possível nova chance de negociação.

- O clube chinês já colocou bastante claro, qualquer coisa que a gente fale não seria delicado. Viemos recepcioná-los e queremos manter uma relação amistosa independentemente de qualquer coisa. Tudo depende deles. Se disserem que é ponto final, é ponto final.

O presidente justificou a postura alegando que não gostaria de ser incomodado caso algum clube tivesse interesse em jogadores do Flamengo e insistisse mesmo diante de uma resposta negativa.

- O Flamengo tem contrato com vários jogadores. Se não tivermos interesse em negociar um deles, não gostaríamos de ser pressionados, então, vamos manter essa mesma postura.

Após veto de Dilma, CBF articula novo projeto de parcelamento da dívida de clubes




Depois do veto da presidente Dilma Rousseff, a CBF se articula para conseguir emplacar um novo projeto de lei sobre o financiamento da dívida fiscais dos clubes com o governo federal - estimadas em R$ 4 bilhões.

- Vamos recomeçar o diálogo com todos os envolvidos para tentar resolver. Acho que não vai demorar muito para apresentarmos outro projeto - disse o presidente da CBF, José Maria Marin, durante evento nesta quarta-feira na Federação Paulista de Futebol.

A CBF defendia que a presidente Dilma sancionasse o artigo 141 da Medida Provisória 656/14. O movimento de jogadores Bom Senso FC era a favor do veto. Nesse round específico da queda de braço entre BSFC e a CBF, os jogadores venceram.

Com Eduardo e Gabriel, reservas treinam e indicam time para clássico

Eduardo da Silva, em treino do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)O amistoso com o vasco sanitário, nesta quarta-feira, não tirou o Flamengo do rumo da pré-temporada. Apesar de tratar o clássico com a seriedade de quem vê rivalidade até em Marte, Vanderlei Luxemburgo não deu moleza para o elenco e colocou os reservas para treinarem pela manhã. As presenças de Eduardo da Silva e Gabriel indicam que a dupla será substituída por Arthur Maia e Nixon, que ficaram no hotel, no duelo contra o time cruzmaltino.

Já no treino de reconhecimento do gramado da Arena Amazonas, na noite de terça-feira, Eduardo e Gabriel não participaram do recreativo e fizeram atividades físicas. A comissão técnica tem desenvolvido um trabalho especial para que os dois estejam em melhores condições de força e resistência para a temporada. Com isso, serão poupados do primeiro clássico de 2015.

Arthur Maia, que já tinha sido destaque do recreativo, e Nixon serão as caras novas. A dupla entrou no intervalo do empate por 0 a 0 com o Shakhtar Donetsk, domingo, em Brasília, e demonstrou boa movimentação. Estas são as únicas duas alterações de início que Vanderlei Luxemburgo fará diante do Vasco. No decorrer da partida, o regulamento do torneio de verão prevê seis substituições.

A presença de quase todos os reservas no treino desta manhã no CT da Colina deu a dica de que o Flamengo entrará em campo com Paulo Victor, Léo Moura, Wallace, Samir e Anderson Pico; Cáceres, Canteros e Arthur Maia; Nixon, Everton e Marcelo Cirino. O clássico está marcado para às 22h (de Brasília), na Arena Amazonas.


Flamengo 10 títulos nacionais

Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!