Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Flamengo volta a Brasília para jogo com o Figueirense no próximo dia 9


Com campo e torcida aprovados por Muricy Ramalho e diretoria rubro-negra após o Fla-Flu (2 a 1) do último domingo, o Flamengo volta ao Mané Garrincha no próximo dia 9, quando encara o Figueirense, pela Primeira Liga. Se vencer ou empatar, os cariocas confirmam a primeira colocação no Grupo C da competição e garantem mando de campo para a semifinal.

- Vamos fazer em Brasília mesmo. A primeira opção seria Cuiabá. Como Cuiabá está com probleminha lá de alvará de Bombeiro, gramado e com um vestiário que não está legal, o Flamengo deu opção de Brasília e Juiz de Fora. Ontem (terça-feira) conversei com o Rodrigo Caetano, e ele preferiu Brasília - disse Fabiano Rodrigues, dono da empresa "Feito Produções e Eventos", responsável por levar a partida para a capital federal.

Desde a reforma do Mané Garrincha, realizada para a Copa do Mundo, o Flamengo jogou 13 vezes no estádio, com três vitórias, oito empates e duas derrotas.

Confira os jogos realizados no Mané desde 2013
 
2013
0x0 Santos
2x2 Coritiba
1x0 vasco
3x0 Atlético-MG
1x1 Portuguesa
0x0 São Paulo
0x1 Grêmio
1x1 vasco

2014
0x0 Goiás

2015
0x0 Shakhtar Donetsk
0x2 Coritiba
1x1 Ponte Preta

2016
2x1 Fluminense

Centro de Excelência em Performance




 Câmara hiperbárica




 Macas elétricas também são novidade no CT rubro-negro




  Novo auditório, onde serão realizadas as entrevistas



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Flamengo se recupera, derrota o Vitória em casa e reassume a liderança do NBB 8


Se o ataque do Flamengo emperrou contra o Basquete Cearense no meio da semana, neste sábado, novamente no ginásio do Tijuca, ele voltou a funcionar e comprovou porque é o terceiro mais calibrado do NBB 8. Que pagou o pato foi a equipe do Vitória. Se a situação da equipe baiana já era ruim, ficou ainda mais complicada depois do atropelamento no Rio de Janeiro. Sem nenhum grande destaque individual, o conjunto rubro-negro mostrou mais uma vez que é a principal arma dos cariocas na caminhada rumo ao quinto título do clube na competição. Com uma pontuação bem distribuída - cinco jogadores marcaram 10 ou mais pontos -, os donos da casa só precisaram dos dois primeiros quartos para resolver a parada. Depois de abrir 26 pontos antes do intervalo, a equipe comandada pelo técnico José Neto manteve o mesmo ritmo nos vinte minutos finais para derrotar o Vitória por 101 a 53 (48 a 22) e reassumir a ponta da tabela.

Marcelinho, com 18 pontos, e Olivinha, com um duplo-duplo de 16 pontos e 11 rebotes, foram os maiores pontuadores do Flamengo (Foto: Bruno Lorenzo/LNB)Marcelinho, com 18 pontos, e Olivinha, com 16, foram os maiores pontuadores do Flamengo (Foto: Bruno Lorenzo/LNB)
 
Com 18 pontos, cinco assistências e três rebotes, Marcelinho foi o cestinha do jogo. Além do capitão do Flamengo, ouros quatro jogadores contribuíram com 10 ou mais pontos. Olivinha anotou um duplo-duplo de 16 pontos e 11 rebotes, o americano Jason Robinson, 14, Marquinhos, 13, e Rafael Mineiro, 11. O dominicano Ronald Ramon e o pivô Rafael Mineiro marcaram nove pontos cada. Pelo lado do time baiano, Jason Smith, com 16, e Calvo, com 13, foram os maiores pontuadores.

- Nós conversamos muito nesses últimos dias e tínhamos que manter a tranquilidade para saber que nossa bola ia voltar a cair. Sabemos que nos últimos jogos nosso ataque não funcionou, mas sabíamos que uma hora as bolas iam voltar a cair e foi o que aconteceu contra o Vitória. Por isso essa grande diferença de pontos - afirmou  armador Rafa Luz, que anotou cinco pontos, cinco assistências e três rebotes.

 
O Flamengo só volta a jogar pelo NBB 8 no dia 4 de março, em São Paulo, contra o Pinheiros. Antes, o time rubro-negro viaja para Barquisimeto, na Venezuela, sede de uma das semifinais da Liga das Américas, onde os campeões de 2014 enfrentarão Brasília, no Correcaminos, do Panamá, e no Guaros de Lara, do país anfitrião, de 26 a 28 de fevereiro.

O JOGO
 
Só deu Rafael no primeiro quarto. Primeiro o Luz, que não só comandou o ritmo rubro-negro como anotou cinco pontos e distribuiu três assistências para cestas. Depois o Mineiro, maior pontuador do período com seis pontos. Além deles, responsáveis por 50% dos 22 pontos do Flamengo nos 10 minutos iniciais, Ronald Ramon, Marcelinho, Meyinsse, Jason Robinson e JP Batista completaram o placar, sendo que os quatro últimos tiveram 100% de aproveitamento no período. 

Dispostos a liquidar a partida o mais rápido possível e deixar para trás a derrota para o Basquete Cearense, os rubro-negros voltaram voando no segundo período, fizeram 4 a 0 e ampliaram a vantagem para quinze. O Vitória até esboçou uma reação e diminuiu o prejuízo para 10, mas os donos da casa acordaram novamente, retomaram o controle da parida e foram para o intervalo vencendo por 26 pontos de diferença.  
NBB, Flamengo x Vitória-BA (Foto: Divulgação/NBB)Flamengo passeia em quadra e atropela o Vitória-BA por 101 a 53 no ginásio do Tijuca (Foto: Divulgação/NBB)
 
O Vitória voltou com tudo do vestiário e com duas bolas de três seguidas, uma de Calvo e outra de Jason Smith, diminuiu a vantagem do Flamengo para 20. Mas não deu nem tempo de a equipe do técnico Régis Marrelli se animar. Com uma bola de três e uma jogada de falta e cesta, Marquinhos anotou seis pontos seguidos, aumentou a diferença para 26 novamente e jogou um balde de água fria na reação do time baiano. E o pior é que os donos da casa não pararam por aí. Com uma marcação agressiva e um voluma ofensivo enorme, os donos da casa foram para o último período vencendo por 38 pontos de frente.

Mesmo com o jogo resolvido, o Flamengo não tirou o pé do acelerador e manteve o mesmo ritmo avassalador dos três períodos anteriores. Até que com 50 pontos de vantagem no marcador, o técnico José Neto resolveu poupar alguns titulares e colocou todo mundo para jogar. No final, uma vitória esmagadora por 48 pontos de vantagem.

Muricy elogia Flamengo, vê exagero em expulsão e comemora: "Dá moral"

Após o clássico contra o Fluminense, o técnico Muricy Ramalho elogiou a equipe rubro-negra que, na sua avaliação, dominou a maior parte da partida vencida por 2 a 1 no Mané Garrincha, em Brasília, neste domingo. Ele considerou que as expulsões - foram três, de Cuéllar, Wallace e Marcos Júnior - prejudicaram o jogo, e enxergou exagero no segundo amarelo para o zagueiro da sua equipe. Para o treinador, a vitória foi importante porque "dá moral".

Segundo Muricy, o Flamengo deste domingo teve uma postura muito diferente da equipe que perdeu para o Vasco em São Januário. Afirmou que pretende arrumar o time "pouco a pouco" e elogiou a posse de bola e oportunidades criadas no primeiro tempo. Ele ainda fez um apelo à diretoria para que o clube ache uma "casa" para 2016, com o fechamento de Maracanã e Engenhão para as Olimpíadas.

- Clássico, e nós, mesmo em formação, o pensamento era de ganhar, porque dá moral. Nosso time jogou muito bem. As expulsões prejudicaram o jogo, mais para o Flamengo, que estava melhor posicionado. A expulsão do Wallace achei exagerada. Mas o time foi bem, dominou a maior parte do jogo e mereceu ganhar.

Confira a entrevista coletiva de Muricy Ramalho:

Contraste com jogo contra o Vasco

Muito diferente. Hoje o time se portou muito bem. Teve a posse de bola e criou oportunidades no primeiro tempo, coisa que não fez contra o Vasco. Pouco a pouco vamos ajeitando o time. O Cuéllar foi muito bem, é um volante de força e muito bom passe. Mancuello também foi bem e sairia de qualquer jeito porque levou uma pancada forte. Tivemos posse de bola, trocamos passes e merecemos a vitória. Estamos no caminho certo, mas não podemos nos entusiasmar, porque equipe ainda está ganhando corpo.

Rodinei

Tem muita qualidade e força física para fazer o corredor o tempo todo. E para dazer isso tem que estar bem fisicamente. Levou o amarelo muito cedo. Isso ele ainda tem que dosar. Ali não é lugar de fazer falta, uma falta besta que leva amarelo e fica com receio o resto do jogo. Mas é um jogador que tem muita liberdade para atacar.

Willian Arão

É mais forte na frente do que na marcação. É um jogador muito perigoso quando vez de trás e faz gols. Hoje não cabe mais aquele volante brucutu. Fez uma boa dupla com o Cuéllar, são dois volantes que saíram bem para o jogo.

Desgaste

Teremos cuidado com a recuperação do time. Não é reclamação, mas não é fácil jogar e viajar. Muito complicado. Na quarta vamos viajar de novo, não por cima, mas por baixo. Por isso temos que fazer rodízio um pouco.

Meio-campo e ataque ideais

É um time muito ofensivo e para isso tem que ter uma transição boa. Os volantes têm que jogar e o meia tem que fazer essa transição. A chegada à frente hoje foi muito forte, e isso me deixou feliz.

Casa do Flamengo

Aproveito que nosso presidente está aqui (assistindo à coletiva) para dizer que temos que achar uma casa. Temos que nos reunir para achar um lugar. A parte econômica é importante, mas temos que achar esse lugar. Se esse lugar for aqui... a torcida foi excelente e o gramado é bom. O Campeonato Brasileiro dá poucas chances. Pular de um lado para outro arrebenta o time e depois tem a cobrança. Temos que estar atentos a esse problema.

Cesar Martins e a zaga

Há algum tempo ele não jogava, e foi bem. O Wallace também cresceu demais. Tem que ser frio para analisar isso. Estamos nos ajustando, é difícil do dia para a noite. Por isso é importante chegar forte na Copa do Brasil e no Brasileiro. O campeonato não perdoa.