Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quarta-feira, 23 de março de 2016

Fla volta a Juiz de Fora, o 12º estádio no ano, palco de adeus de Zico e final

Em 1990, o Fla, já sem Zico, mas com Júnior, Djalminha, Renato Gaúcho, Zinho e o recém-falecido Gaúcho, venceu o Goiás na primeira partida da decisão da Copa do Brasil, no Mário Helênio. Na partida em Goiânia, o empate por 0 a 0 garantiu a primeira Copa do Brasil para os rubro-negros.

Os caminhos rubro-negros em 2016:

- Quatro jogos em Volta Redonda (Raulino de Oliveira);
- Dois jogos em Macaé (Moacyrzão);
- Dois jogos em Brasília (Mané Garrincha);
- Um jogo em Fortaleza (Castelão, em amistoso contra o Ceará), em Recife (Arruda, em amistoso contra o Santa Cruz), em Belo Horizonte (Mineirão), em Mesquita (Giulitte Coutinho), no Rio (São Januário, em Cariacica (Kleber Andrade), em Aracaju (Batistão) e em São Paulo (Pacaembu).

Em jogo com apagão e muita chuva, São José e Flamengo ficam no 0 a 0


O jogo começou com atraso de 10 minutos por causa do chuvão que caiu em São José dos Campos. O segundo tempo foi até os 72 minutos, porque um dos refletores do estádio apagou. Pois com paralisações e muita chuva, São José e Flamengo ficaram no 0 a 0 nesta quarta-feira, 23, no Martins Pereira, pela primeira rodada da segunda fase do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Com o resultado, as equipes somam um pontinho no Grupo 6, que ainda tem Corinthians e Iranduba-AM. Após turno e returno, os dois primeiros avançam para a semifinal.

Martins Pereira escuro São José Flamengo futebol feminino (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)Martins Pereira ficou com refletor apagado durante 20 minutos (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)

Na próxima quarta-feira, 30, o Flamengo encara o Iranduba-AM, às 15h30, no estádio da Gávea. Às 17h00, o São José visita o Corinthians, no estádio José Liberatti, em Osasco.

O jogo
O início do jogo entre São José e Flamengo não foi dos mais bonitos. Com a forte chuva em São José dos Campos, o campo do estádio Martins Pereira ficou pesado e com muitas poças d'água, principalmente nas laterais. Isso prejudicava as disputas de bola e jogadas individuais. Diante dessa situação, a equipe da casa tentou usar a bola parada como arma para abrir o placar. Em um escanteio, quase chegou a marcar com Bagé. Depois, Rita Bove levou perigo em uma cobrança de falta. Depois dos 30 minutos, as joseenses passaram a pressionar mais o Rubro-Negro, mas pouco finalizaram. As visitantes tentavam sair no contra-ataque, mas esbarravam na defesa adversária. Foram para os vestiários com o zero no placar.

São José Flamengo futebol feminino Martins Pereira (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)
São José e Flamengo jogam debaixo de muita chuva (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)

Se na primeira etapa o São José quase manteve o controle da partida, o segundo tempo começou com o Flamengo ficando mais com a posse de bola. Mas, não bastasse a chuva e o campo pesado, um dos refletores do estádio do Martins Pereira apagou por completo aos 15 minutos. Mas depois de 20 minutos de paralisação, o jogo recomeçou. Poucos instantes da bola voltar a rolar, o Flamengo teve a sua melhor chance com Barbara, que ficou cara a cara com Vivi, mas a goleira joseense defendeu. Depois, o Mengão intensificou as ações no ataque. E parou nas mãos de Vivi. O empate fora de casa foi comemorado pelas jogadoras do Rubro-Negro. 

São José Flamengo futebol feminino Martins Pereira (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)Flamengo estreia na segunda fase com empate fora de casa (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)

Muricy exalta Primeira Liga: "Muitos clássicos e estádios cheios"



Muricy treino Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
O técnico Muricy Ramalho não esconde de ninguém que o calendário e as viagens o preocupam e muito. A Primeira Liga, ainda embrionária, adicionou quatro datas até agora ao ano rubro-negro. Mas, se depender do treinador cujo currículo conta com quatro Brasileiros e uma Libertadores, um novo compromisso será adicionado à rota do Flamengo em 2016: a final da competição. E, para isso acontecer, é preciso vencer o contra o Atlético-PR, às 21h30, em Juiz de Fora.

Muricy destacou a presença de público nas primeiras rodadas e frisou que clássicos ocorrem com maior frequência nesse formato de campeonato.

- É uma competição importante, embora seja a primeira edição. Por tudo que envolve, pelos clubes que estão participando. Só tem jogo bom, muitos clássicos que, consequentemente, atraem a atenção do público. Os estádios estão sempre cheios (no caso do Fla, bons públicos contra Atlético e América, mas ruim contra o Figueirense), pois o torcedor gosta de jogos deste nível e com bons jogadores dentro de campo. E a gente sempre trabalha para conquistar títulos, e no Flamengo não pode ser diferente - disse.

A cautela para não estourar fisicamente o elenco, como já foi citada anteriormente, existe. Então Muricy acredita que um repouso bem feito e espírito de luta a mais nas decisões possam ser decisivos na luta pela conquista.

- Pela grandeza do clube, não podemos entrar só para competir. A gente tem viajado muito, todos sabem, então requer também muita concentração, superação, vontade de vencer e descanso, porque o cansaço é normal, por toda a sequência que temos enfrentado - completou.

Mesmo com o Flamengo ainda alternando bons e maus resultados, Muricy não se preocupa e tem convicção de que o time embalará até o fim da temporada, pautado no próprio trabalho mas também no dos médicos e fisiologistas.

- Buscamos acertar o time dentro do pouco tempo que temos para treinar. Vejo evolução, mas lógico que ainda falta para chegar no nível ideal. Temos bons jogadores, técnicos e velocistas, mas não basta isso. É preciso tempo para acertar todos os ponteiros. Agora, não tem como estipular prazo. O trabalho está sendo conduzido por uma equipe técnica e médica de muita qualidade e tenho certeza de que colheremos os frutos lá na frente - finalizou.

Os ingressos para a partida entre Flamengo e Atlético-PR seguem à venda. Na última parcial passada pelo Fla, na tarde de terça, 10 mil haviam sido comercializados.